Desencanto

Cerca de 82 frases e pensamentos: Desencanto

Primeiro, encanto. Depois, desencanto. Por fim, cada um pro seu canto.

Pedro Antônio Gabriel Anhorn

e vá buscar na música,
a tua alegria
e retirar teu pranto
que te deixa em desencanto
nesta agonia
que de vida,
nada tem
senão a dor
que não te alivia.

erotildes vittoria

Tenho um coração aflito

Cheio de prantos e conflitos

Que vive parando e caindo no desencanto.

Pobre coitado é todo remendado,

Não passa de um amaldiçoado

Cansado de amar errado.

Vive em desalento, cansado de tanto tormento

Ele só quer descansar em paz

Neste mundo que o julgam incapaz

Onde os sonhos de um alguém que aqui jaz.

Leh Lucas

Desencanto!

Que falta!
Faz-me a palavra mágica,
Pronunciada naturalmente,
Como o voo de uma borboleta...
Que saudade!
Ouvir o sussurrar da sua voz,
Brindando meus ouvidos,
Chamando-me de Amor...
Que pena!
Deixar perder um sentimento gostoso,
Carregado de esperança,
Enquanto durou...
Que estranho!
Essa sensação de perda,
Daquilo que caminhou na mesma direção
E a porta do coração emperrou.
Que triste!
Querer olhar o céu,
Em noite clara enluarada,
E não enxergar o brilho das estrelas...

Luzia Ditzz.
Campinas, 25/12/2013.

Luzia Ditzz.

A morte do avatar!

A vida de encanto e desencanto,
Fazem de nós vítimas diárias...
Neste mundo louco que estamos,
Morremos um pouco em cada área.

As dores provocadas pelas perdas,
Fazem de nós presas fáceis nas batalhas.
É saudade ou amor sem sorte...
Quanto sofrer espalhado pela cidade.

De tanto que sofremos entre os dias,
Não sobra muito para enterrar...
Cada ser morre um pouco a cada dia,
E a morte não tem mais o que matar...

A vida acumula mais perdas que ganho,
Sinto-me no lucro quando consigo amar!
Momentos felizes são importantes,
Para frustrar a morte do meu Avatar!

Djalma CMF

Procure esquecer de tudo que o faça lembrar da tristeza, do desencanto, do vazio, da solidão, da perda. Agindo assim, você se liberta de todo o mal que o aflige.

Francisco José Gregório de Andrade

Canto da sereia...

Tantos planos, tantos sonhos.
Encanto, desencanto.
Castelos de areia,
canto da sereia.

Você me atraiu,
me confundiu,
me traiu e, depois de tudo,
simplesmente partiu.

Nunca houve uma palavra honesta.
Seja honesta!
Você nunca me amou...
como o canto da sereia...
pro fundo das águas você me levou.

Rosangela Calza

Eu quis..Ah! como eu quis!...

Mas eu desencanto com a mesma velocidade que me encantei!
As máscaras da ilusão duram o mesmo tempo que o arco-íris! Pouquíssimo...

As atitudes que eu tive, as palavras que eu já disse...! espero daqui em diante...

Chega de Castelo de Areia!

Faalss

Canto por encanto ou desencanto. Saudade refrão, verdade melodia. Poesia de meus dias, canto meu manto de amor...

Camila Custodio

Se doeu, sorria!

A soma das cicatrizes, dos desafios, dos medos, das frustrações, dos desencantos do cotidiano, das aflições, do marasmo, da prisão, da covardia de assumir desejos, da insensatez em continuar assim.
Pare! Tome conta de todas as marcas, arranhões, esfolados, da unha quebrada, a do pé, aquela que doe quando se tropeça na calçada quando criança.
Doía muito..., mas a ânsia de brincar, de chegar mais rápido na disputa com o amigo é muito maior do que a dor. Ela que fique na calçada.
Amigo, aquele que faz despertar para o valor da amizade, este marca para sempre o andar de bicicleta, o jogo de futebol, subir na árvore e comer o fruto na hora, sem se preocupar em lavar, porque na infância nada faz mal, para o adulto faz!
A soma das frustrações é saudável para quem aprende a superá-las! As cicatrizes devem ser respeitadas, é o toque que a vida deixa, mostrando quem esteve ali, que doeu, mas, também que tudo passa, sempre passa...
Olhar para dentro é ver com sabedoria as experiências,
elas demarcam territórios internos, deixam alternativas, sugestões, despertam sentimentos, empurram, arrastam, é vida falando, mostrando!
Limitação é um termo que deixa de existir quando se decide amadurecer, surge uma força nova que vem de dentro e jorra para fora.
Feche os olhos entregue-se... entregue-se à vida, aproveite sua casa, curta o raio de sol que entra pela janela, qualquer janela.
Quanto a chuva, não reclame, lave-se nela, refrigere teu espírito, supere os bloqueios, as tranqueiras que incomodam.
Tenha coragem!
Recomeçar é fácil, Mas descobrir o caminho interior é um ato de profundo de amor.

Miriam Regianini

Perdoem-me o desencanto
e o desacato de não vos dizer
o óbvio e implícito:
estou trocando de pele,
estou trocando de face,
estou tentando trocar de vida,
estou em mutação,
em processo contínuo de transformação
e grito sem gritar,
assopro minhas dores,
regurgito meus temores,
por mim,
por egoísmo.
E por isso o meu silêncio,
estava digerindo os meus anseios,
devorando os devaneios,
ansiando,
aspirando,
suspirando,
as minhas quimeras,
uma ex-lagarta,
um casulo vazio...
Mas ainda não tenho asas,
ainda não sei voar
e me devoro..

Ramayana Vargens

DESENCANTO
Meu quarto outrora,
Habitava sonhos encantados – hoje,
Pesadelos (sombras de sonhos não realizados)
São meus anfitriões, aguardando-me
No limiar do meu sono de desencanto.
Meus pensamentos, que outrora
Deslizavam audazes e intrépidos
Através de minha boca,
Hoje se recolhem e só viajam
Por suas confidentes estradas secretas.
O que me constitui transformou-se
Numa silenciosa montanha
Aguardando a passagem do tempo,
Na certeza de que forças ocultas corroem-lhe a base,
Preparando-lhe a queda final.
O que guardo de belo em mim
São flores de cacto na aridez
Do deserto em que me tornei,
Castigado por “fenômenos climáticos”
Das minhas experiências de vida.
O que ainda me alenta
É a possibilidade de ter sido inventado,
E vivido e sofrido e usado,
Por um engenhoso e mágico inventor
Que saiba e queira e recicle
Os farrapos que sobraram de mim,
Quiçá até queira dar brilho novo
À luz que outrora
Fulgurava em meus olhos

MANOEL DE ALMEIDA ( Copyright 2010 - Direitos Autorais Biblioteca Nacional - Rio de Janeiro, RJ)

O desencanto, é o encanto revoltado com o que foi feito daquilo, que não é mais como era antes.

Day Anne

Então descobri como é o silêncio da morte. Assisti ao desencanto dos sobreviventes que não sabiam ao certo o motivo da celebração. Arrastam-se com um orgulho mentiroso por não terem conhecido o lado onde me encontro agora. Conto os dias para a minha ressurreição, mas temo por nascer de novo. Pretendo permanecer onde a mudez é regra. Tento traduzir o que minha alma canta. Não entendo mais seu idioma. Muito menos o que escrevo. E a solidão é faca sem gume. Cega, sádica, violenta. Corto meus cabelos, corto meus pulsos, corto relações com a luz do dia. Releio meus textos de trás pra frente. Até que um dos três morra...

Sandra Fuentes

Talvez seja apenas um frágil desencanto. Daqueles ruins de se ver passando pelo outro lado da rua, indo embora em um táxi insone, lento e vazio em um dia de chuva comum

L. Simões