Desencanto

Cerca de 84 frases e pensamentos: Desencanto

Quem não acredita na Magia vive uma vida repleta de desencanto.

Daniel Melgaço

Eclesiastes 4

Tal era o desencanto de Salomão em relação à vida, pelo que viu da injustiça que há nos corações dos homens, que não chegou a entender os desígnios de Deus, na manifestação do Seu poder, graça e misericórdia, bem como dos Seus juízos, num mundo que havia ficado sujeito ao pecado desde Adão, e diferentemente de seu pai, Davi, que clamava por justiça ao Senhor, e por livramentos dos oprimidos, inclusive dele próprio debaixo da perseguições e pressões que sofria, Salomão preferiu filosofar sobre tal realidade opressiva, e chegou à conclusão de que era melhor nem sequer chegar à existência do que viver num mundo sujeito à opressão, ou então, considerava mais felizes os que já haviam morrido, do que aqueles que ainda estavam vivos (v. 1 a 3).
Seria compreensível que tivesse escrito isto numa forma de lamento, tal como fizera Jó, Jeremias e outros, quando estiveram debaixo de grandes aflições, no entanto, eles não filosofaram friamente acerca disso, porque estavam na verdade abrindo seus corações diante de Deus, desabafando quanto às suas condições, mas sem perderem a esperança de livramento, porque chegaram a compreender que Deus tem um bom propósito de nos fornecer aperfeiçoamento espiritual através de tais tribulações.
Então, para um cristão esclarecido, não há calamidades, mas oportunidades de crescimento em todas as vicissitudes desta vida.
Por isso o cristão não é um pacifista que tenta melhorar o mundo, porque o mundo sempre seguirá o seu curso, aumentando cada vez mais na multiplicação da iniquidade, mas é um pacificador, ou seja, alguém que prega a paz que há em Cristo, para aqueles que pretenderem deixar as trevas que há no mundo.
A partir do verso 4 deste capitulo nós encontramos algumas citações proverbiais que foram escritas por Salomão.
Ele afirma no verso 4 que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja que o homem tem do seu próximo, e que isso é também vaidade e um desejo vão.
Não padece dúvida de que muitas das realizações humanas são movidas pela inveja, no desejo de superação do próximo.
Todavia, não podemos fazer disso uma regra geral, porque especialmente os cristãos sinceros tudo fazem por amor a Deus e para Sua glória, e por amor ao próximo.
Mas vivendo cercado por uma rede de intrigas dos muitos nobres que compunham a sua corte, Salomão restringiu o seu campo de análise ao que havia de pior na humanidade e não naquilo que há de melhor nela.
É espantoso o relato que encontramos no livro de I Reis quanto às provisões diárias que eram necessárias, para alimentar todos os que compunham a corte do rei Salomão, e todas as tribos de Israel tinham que se revezar na produção de alimentos para alimentá-los com quantidades fixadas e vigiadas por superintendentes que foram colocados pelo rei sobre eles, de forma que para sustentá-los foram fixados pesados impostos sobre o povo, que eram insuportáveis a ponto de terem servido de motivo para a ruptura das demais tribos do Norte com Judá e Benjamin, para se colocarem debaixo do reinado de Jeroboão.
Nos versos 5 e 6 lemos que aquele que é preguiçoso faz mal à sua própria carne, porque não se alimentará corretamente, porque pensa que é melhor um pouco de pão com tranquilidade, do que ter ambas as mãos cheias com trabalho e correr atrás do vento.
De fato é uma grande tolice preferir viver em penúria do que ser diligente em trabalhar, a pretexto de se amar a tranquilidade, porque Deus não aprova tal tipo falso de tranquilidade, que é muito parecido com a atitude daqueles que não trabalham por alegarem viverem pela fé de que Deus lhes proverá de tudo o que for necessário. Todavia, o Senhor tem imposto ao homem que comerá o seu pão com o suor do seu rosto, e isto é indicativo de que Ele suprirá todas as suas necessidades, desde que trabalhe, conforme Ele o tem determinado.
Por outro lado é apontado um extremo que é o oposto deste citado, nos versos 7 e 8, que consiste em muito se trabalhar, sem cuidar do estado da alma, por se amar as riquezas como um fim em si mesmo, e sem ter com quem compartilhá-la.
Nos versos 9 a 12 é ensinada a superioridade do trabalho em conjunto sobre o individual. Especialmente na obra de Deus não existe uma tal coisa como a de obreiro independente e isolado.
O Senhor nos tem ordenado que vivamos congregados como um rebanho unido, em justa cooperação, e atuando como um só espírito.
Há grande vantagem nisto para cooperação mútua, e para que não haja derrota especialmente nas investidas do Inimigo, que terá muito maior dificuldade para derrotar um corpo de cristãos unidos, do que um cristão que viva isoladamente.
Nos versos 13 e 14 Salomão escreveu um provérbio que teria evitado a sua queda no pecado no final de sua vida caso o aplicasse a si mesmo, porque diz que:

“Melhor é o mancebo pobre e sábio do que o rei velho e insensato, que não se deixa mais admoestar, embora tenha saído do cárcere para reinar, ou tenha nascido pobre no seu próprio reino.” (v. 13 e 14)

É provável que os versos 15 e 16 tenham sido escritos por Salomão inspirando-se no seu próprio caso, porque poderia estar falando melancolicamente sobre as muitas reclamações que estavam sendo levantadas contra o seu reinado, e pela aspiração do povo pelo levantamento de um novo regente no seu lugar, no caso o seu filho Roboão que era ainda muito jovem, e ele via nisto que se desencantariam com o jovem, tanto quanto haviam ficado insatisfeitos com ele, e por isso classificou tal atitude de vaidade e desejo vão.
Não foi esta a condição com que Davi, seu pai o conduziu ao reino em seu lugar, quando ainda o próprio Salomão era muito jovem, porque Davi morreu em ditosa velhice, na presença de Deus, e certo em relação à Sua vontade de que deveria fazer de Salomão seu sucessor.
Mas desviado da presença de Deus, como Salomão se encontrava, como poderia saber em paz qual era a Sua vontade em relação a quem lhe deveria suceder no trono?
Como vimos antes, isto seria feito debaixo de um juízo de Deus, tendo a dois jovens por sucessores, porque por causa da sua idolatria, o reino de Israel seria dividido, e seu filho Roboão o sucederia no Sul, e Jeroboão começaria a reinar no novo reino que seria formado no Norte.



“1 Depois volvi-me, e atentei para todas as opressões que se fazem debaixo do sol; e eis as lágrimas dos oprimidos, e eles não tinham consolador; do lado dos seus opressores havia poder; mas eles não tinham consolador.
2 Pelo que julguei mais felizes os que já morreram, do que os que vivem ainda.
3 E melhor do que uns e outros é aquele que ainda não é, e que não viu as más obras que se fazem debaixo do sol.
4 Também vi eu que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja que o homem tem do seu próximo. Também isso é e vaidade e desejo vão.
5 O tolo cruza as mãos, e come a sua própria carne, dizendo:
6 Melhor é um punhado com tranquilidade do que ambas as mãos cheias com trabalho e correr atrás do vento.
7 Outra vez me volvi, e vi outra vaidade debaixo do sol, isto é:
8 Há um homem que é só, não tendo parente; não tem filho nem irmão e, contudo, de todo o seu trabalho não há fim, nem os seus olhos se fartam de riquezas. E ele não pergunta: Para quem estou trabalhando e privando do bem a minha alma? Também isso é vaidade e enfadonha ocupação.
9 Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.
10 Pois se caírem, um levantará o seu companheiro; mas ai do que estiver só, pois, caindo, não haverá outro que o levante.
11 Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará?
12 E, se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.
13 Melhor é o mancebo pobre e sábio do que o rei velho e insensato, que não se deixa mais admoestar,
14 embora tenha saído do cárcere para reinar, ou tenha nascido pobre no seu próprio reino.
15 Vi a todos os viventes que andavam debaixo do sol, e eles estavam com o mancebo, o sucessor, que havia de ficar no lugar do rei.
16 Todo o povo, à testa do qual se achava, era inumerável; contudo os que lhe sucederam não se regozijarão a respeito dele. Na verdade também isso é vaidade e desejo vão.”

Silvio Dutra

A hesitação é a desistência dissimulada, o relance do desencanto.

Lia Barone

Ah vida ávida!...
Em seu dualismo:
Entre desencanto tedioso,
E encantados lampejos
De beleza e magia.

Lufague

Eu não canto
Eu não toco
Eu não atuo, nem tão pouco conto piadas. Eu desencanto e me atrapalho toda, perco a fala e bagunço o cabelo. Derrubo o copo d'água no cinzeiro, e pro meu breve desespero todos riem e eu acabo rindo também

Lidiamara de Almeida

Racional Superior - Universo em Desencanto da Cultura Racional

202 - E por ter terminado a fase do pensamento, o pensamento preparou tudo para destruir os pensadores, como todos ai vivem com medo noite e dia de uma guerra nuclear, da atmosfera virar fogo e derreter as montanhas de gelo, do pólo norte e o pólo sul e vir tudo para dentro do mar e as águas crescerem e destruir o litoral, dos rios e do mar.

Manoel Jacinto Coelho

Racional Superior - Universo em Desencanto da Cultura Racional

O Raciocínio é o dono da vida.

Raciocínio Racional Racional Raciocínio.

Manoel Jacinto Coelho

Primeiro, encanto. Depois, desencanto. Por fim, cada um pro seu canto.

Pedro Antônio Gabriel Anhorn

e vá buscar na música,
a tua alegria
e retirar teu pranto
que te deixa em desencanto
nesta agonia
que de vida,
nada tem
senão a dor
que não te alivia.

erotildes vittoria

Tenho um coração aflito

Cheio de prantos e conflitos

Que vive parando e caindo no desencanto.

Pobre coitado é todo remendado,

Não passa de um amaldiçoado

Cansado de amar errado.

Vive em desalento, cansado de tanto tormento

Ele só quer descansar em paz

Neste mundo que o julgam incapaz

Onde os sonhos de um alguém que aqui jaz.

Leh Lucas

A morte do avatar!

A vida de encanto e desencanto,
Fazem de nós vítimas diárias...
Neste mundo louco que estamos,
Morremos um pouco em cada área.

As dores provocadas pelas perdas,
Fazem de nós presas fáceis nas batalhas.
É saudade ou amor sem sorte...
Quanto sofrer espalhado pela cidade.

De tanto que sofremos entre os dias,
Não sobra muito para enterrar...
Cada ser morre um pouco a cada dia,
E a morte não tem mais o que matar...

A vida acumula mais perdas que ganho,
Sinto-me no lucro quando consigo amar!
Momentos felizes são importantes,
Para frustrar a morte do meu Avatar!

Djalma CMF

Procure esquecer de tudo que o faça lembrar da tristeza, do desencanto, do vazio, da solidão, da perda. Agindo assim, você se liberta de todo o mal que o aflige.

Francisco José Gregório de Andrade

Canto da sereia...

Tantos planos, tantos sonhos.
Encanto, desencanto.
Castelos de areia,
canto da sereia.

Você me atraiu,
me confundiu,
me traiu e, depois de tudo,
simplesmente partiu.

Nunca houve uma palavra honesta.
Seja honesta!
Você nunca me amou...
como o canto da sereia...
pro fundo das águas você me levou.

Rosangela Calza

Eu quis..Ah! como eu quis!...

Mas eu desencanto com a mesma velocidade que me encantei!
As máscaras da ilusão duram o mesmo tempo que o arco-íris! Pouquíssimo...

As atitudes que eu tive, as palavras que eu já disse...! espero daqui em diante...

Chega de Castelo de Areia!

Faalss

SONETO DO DESENCANTO

Meu verso hoje é de saudade
É lembrança amarga dorida,
É pétala doce ferida
É dos lábios o gosto acre.

Meu verso é ferida d’alma
É cântico de sofrimento,
É do amor o desalento
Do poeta que inda chora.

E nesses versos de solidão
De dor e desencanto
No peito um coração,

Se rasga em pranto
Recordando a desilusão
Por ter se apaixonado.

Gabriel Souza Poeta

Somos o encanto e desencanto
O que canto e o que no canto se encontra.
Sou eu, sem ser o que sou.
Sou um não-sou de todas as coisas.
Um rei de mim mesmo, sem nada saber...e ser!

Tatiany Araújo

Desencanto!

Que falta!
Faz-me a palavra mágica,
Pronunciada naturalmente,
Como o voo de uma borboleta...
Que saudade!
Ouvir o sussurrar da sua voz,
Brindando meus ouvidos,
Chamando-me de Amor...
Que pena!
Deixar perder um sentimento gostoso,
Carregado de esperança,
Enquanto durou...
Que estranho!
Essa sensação de perda,
Daquilo que caminhou na mesma direção
E a porta do coração emperrou.
Que triste!
Querer olhar o céu,
Em noite clara enluarada,
E não enxergar o brilho das estrelas...

Luzia Ditzz.
Campinas, 25/12/2013.

Luzia Ditzz.