Desatenção

Cerca de 13 frases e pensamentos: Desatenção

Eu pareço observadora, mas é só desatenção.
Pareço metida, mas é só timidez.
Pareço drogada, mas é só falta de vitamina.
Pareço criativa, mas é só infantilidade.
Pareço grossa com quem eu gosto, mas é só vontade de cuidar.
Às vezes pareço até inteligente, mas é só sorte.

Acabei de descobrir que não sou uma pessoa transparente.

Desconhecido

Não me subestime!
Minha quietude e silêncio não são demonstrações de desatenção. Ao contrário disso, aprendi que no silêncio de meus lábios há um estado de atenção que somente os quietos compreendem!
Não estou desprotegida.
Em minha solitude há um escudo dourado que me cuida das flechas invisíveis que me chegam! Há anjos em minha volta!
Estou atenta às lições do caminho. Mesmo que demoradamente, elas me são absorvidas e compreendidas!
Não me provoque.
Minha mansidão, não é descuido, é confiança!
Posso não te desejar o mal, mas devolvo todos os presentes que não me servem.
Sou calada, não cega!
Sou mansa, não boba!
Sou pacífica, mas tenho minhas defesas!
Não me julgue.
Venha, calce meus sapatos e caminhe com eles por 3 luas seguidas, assim saberá de mim mais do que imagina e não mais me julgará, pois conhecerá meu sentir e saberá do meu coração.
Falar de mim, diz mais sobre você do que sobre minha pessoa.
Abrigue-se em minha casa e conhecerá o acolhimento da minha alma.
Aqueça-se no sagrado fogo que queima em meu lar, e saberá do amor que trago no coração.
Conheça a menina que habita em mim, e sentirá a alegria do meu ser.
Respeite a anciã que me nutre, e certamente aprenderá sobre os mistérios que conheço!
Perceba a mulher que pulsa, e poderás sentar à mesa comigo!

Rose Kareemi Ponce

Já mais uma ovelha ruim põe um rebanho a perder, mais sim,a negligência e a desatenção do pastor do rebanho.

bartolomeu

Nas grimpas
Águida Hettwer

A minha desatenção justificada acompanha-me desde a infância, lembro-me das férias prolongadas do final do ano, onde ia visitar meus tios no interior. Andar de ônibus era coisa rara e entretida na paisagem, não me dava conta do tempo passar.

Ecoam vozes no sitio da infância, o frescor das matas, o barulho das águas, o pó da estrada, fazendo companhia das charretes, carregando gente. Costeando as plantações de soja, milho e trigo. O que dividia as propriedades eram as cercas farpadas, onde atravessávamos sem muito esforço.

Sob as inúmeras recomendações da mãe, os cuidados para não me estender no sol, na grama e na vida. Pedia licença até para respirar o ar puro. Por lá me aventurava nas singelas brincadeiras, sentávamos em uma reforçada tábua de madeira e empurrados descíamos potreiro abaixo.

Colhíamos as frutas das grimpas, pitangas, amoras pretas e ameixas. Sentada na sombra do Plátano, ao longe avistava o Rio Uruguai, o pensamento atravessava a fronteira de caíco, remava contra o tempo.

Atentamente observava a lida, a terra talhada em frisos, às sementes lançadas e após alguns dias germinadas. A horta cuidada por mãos zelosas, no ar o cheiro de hortelã. Na frente das casas jardins coloridos com dálias, gérberas e margaridas.

O dialeto diferenciado do povoado me intrigava. Algumas palavras a minha imaginação completava. Há lenha de reserva, enquanto as brasas queimavam, as histórias folheavam páginas ao pé do fogão. Ainda guardo no paladar os sabores da infância. O bule de leite e café fervia e perfumava o lugar, a mesa posta com pão de milho e geléia natural.

No território da alma, o tempo lavrou, adubou a terra, germinou flores de rara beleza, onde perfumam os meus silêncios até o momento...


Outros textos:
www.aguidahettewer.recantodasletras.com.br

Águida Hettwer

A indiferença alheia, resulta em minha desatenção e consequentemente no desinteresse.

Renê Fernandes Dantas

Por minha ânsia, pressa e desatenção-- o rolo de linha-- constantemente se desenrola entre os meus dedos e cai no chão...e ainda não consigo alinhavar com perfeição o mosaico dos bordados do fugidio amor.

Servamara

A frieza dos meu atos refletem a desatenção das suas atitudes ... não me cobre aquilo que não me proporciona.

Cristiane Cerqueira

A minha consideração por você é egoísta e não permite a sua desatenção...

Marco A. Alvarenga

Quem fala que ouve com os ouvidos, em revide ao interlocutor irritado com sua desatenção, sequer comete uma redundância. Sua resposta percorre a via da ignorância comum, para desaguar numa incoerência contrastante com a lógica própria dos medíocres. Na verdade, ninguém ouve só com os ouvidos, pois eles são simplesmente as aberturas de um túnel que oferece passagem livre aos vocábulos, rumo ao vento.
Para procedermos a mastigação correta das palavras e a total absorção de sua essência, tornando-as não só escutadas, mas realmente ouvidas, envolveremos bem mais do que a simples audição. Teremos que aprender também a ouvir com a mente, o coração e os olhos... Principalmente os olhos, ainda que nos falte o sentido específico da visão. Isto começa, evidentemente, no respeito que devemos ao outro.

Demétrio Sena - Magé-RJ.

no meu ver, essa desatenção é desculpa
e o meu sofrimento, tua culpa

Camila Reichow