Desamor

Cerca de 192 frases e pensamentos: Desamor

Eu sem você
sou só desamor
um barco sem mar
um campo sem flor.

Vinicius de Moraes

"Eu sem você sou só desamor. Um barco sem mar, um campo sem flor. Tristeza que vai, tristeza que vem. Sem você, meu amor, eu não sou ninguém…" -

Vinicius de Moraes

E eu, finalmente, deixei de ter pena de mim por estar sem você e passei a ter pena de você por estar sem mim. Coitado.

Tati Bernardi

Amor a primeira à vista. Que o desamor vem a prazo.

Tati Bernardi

Naufrágio

Os dias passam...se arrastam...
Sinto-me tão fraca e pequena diante desta imensidão
De palavras e atos...que férem...
Que machucam meu coração...

Não aguento mais me sinto incapaz
Estou presa a um passado bonito
A um amor que eu julgava infinito e que um dia
Na maresia da vida em atos e insultos naufragou...

Eu luto como sobrevivente mas minha mente
Minha mente relembra os momentos vividos
Existiram momentos bonitos
Mas acabou...nada sobrou...

O pesadelo do presente me assusta
Eu não luto, eu escuto...escuto meu coração
Sinto a certeza de vida que ele me dá
E eu tento na vida me agarrar...

Afinal preciso lutar, mas com a certeza
De nunca mais me enganar
Nunca mais voltar a amar...
Para nunca mais naufragar...

Celia Piovesan

AS ETAPAS DO (DES) AMOR

Dizem por aí que após terminar um relacionamento é preciso passar um tempo sozinho, consigo mesmo. Reza a lenda que emendar um namoro atrás do outro pode ser prejudicial à busca do próprio eu e que, pessoas que não seguem esta cartilha, estão fadadas a frustrações de ordem amorosa, por transferir os problemas não resolvidos do caso anterior para o atual.

Segundo especialistas, a melhor coisa a fazer após um chute na bunda, é passar por 3 importantes etapas: Auto-Destruição, Balada Frenética e Reencontro.

Auto-Destruição
Aqui você precisa ir até o fundo do poço. Vale tomar um porre, ligar bêbado, chorar em público, invadir o email da pessoa amada, deletá-la do seu orkut, lista de spam, msn. Tudo isso na consciente (ou não) tentativa de extinguir qualquer possibilidade de retorno. Depois da fúria, você vai passar dias e noites chorando na cama, sem trabalhar, sem trocar o pijama, sem tomar banho. Vai se olhar no espelho com desgosto, recusar qualquer convite para sair e mudar de canal sempre que uma cena de sexo invadir sua televisão. Na rua, vai cuspir nos casais felizes.

Balada Frenética
Passada a fúria e a depressão, você aceita convites para sair. Melhor, você enche o saco de deus e o mundo para sair com você durante toda a semana, de segunda a segunda. Aqui nesse estágio você vai se ver numa mesa de bar com aquele conhecido distante que você nem ia muito com a cara, mas foi a única pessoa que topou tomar todas em plena segunda-feira chuvosa. Vai se ver dançando com estranhos e vai acordar ao lado de alguém que mal lembra o nome. Na rua, continua amaldiçoando os patéticos e inconvenientes casais felizes. Nesta fase existe um esforço sobre-humano para ser feliz. E se na auto-destruição você se afundava no chocolate, aqui você se matricula na academia. Está chegando a hora de voltar para o mercado de trabalho... mas não antes de passar pelo Reencontro.

Reencontro
Uma onda de calmaria invade o seu quarto junto com incensos e livros sobre espiritualidade. Aqui você tenta buscar o equilíbrio: pode ser que se matricule numa aula de yoga ou pare de fumar. Talvez você opte por cortar carne vermelha e comece a estudar sexo tântrico. O reencontro, portanto, é consigo mesmo. Chegou a hora de avaliar tudo o que viveu e se abrir para o novo. Na rua, na fila do cinema e no trânsito, continua xingando os casais felizes, porque casais felizes são sempre chatos, né?

Passadas as etapas, uma a uma, você procura e não encontra nenhum especialista. Por que o filho sem mãe que inventou estas regras casou e foi passar a lua de mel em Bora Bora. Ele também não te avisou que só as mulheres passam por tais etapas. E você nem de longe desconfiou, porque enquanto passava noites e mais noites desabafando com as amigas na mesa do bar, remoendo e remoendo o que passou vestida de luto, o seu ex já estava na cama com outra. É bem capaz dele já ter partido para a segunda aventura enquanto você mal entrava na terceira etapa. E foi aí que você precisou aprender a ser CAFA.

CAFA.
Abreviação de Cafajeste = substantivo masculino, homem de ínfima condição, pessoa sem préstimo.

Este é o momento de dar o troco. Vale transar com o melhor amigo dele, contar para todo mundo que ele é ruim de cama, vale ficar com alguém legal e que não te interessa só para não ligar no dia seguinte ou se fazer de tonta ao telefone. Vale atender o celular quando estiver com outro e dar esperança para os dois em vão. Aqui você marca de sair com o cara, desliga o celular e vai fazer depilação. E depois, muito mais tarde, já no quinto chopp, pode apostar que com apenas uma mensagem de texto, em menos de 5 minutos ele aparece na sua frente. Aqui você pensa: se eu conseguisse agir assim com os caras que me interessam...

Pois se nada disso deu certo e você continua solteira, o melhor a fazer é sair com o primeiro que aparecer na sua frente e fazer todo o esforço possível para se apaixonar. Vale fingir que ele é bonito, inteligente e bom de cama. Vale até fingir orgasmo! Pense bem, na época da sua avó os casamentos eram arranjados e duravam tanto! Não é isso que você quer? Desencalhar a qualquer custo? Pois então! Vai fundo e minta para você mesma que está apaixonada. Acredite: em apenas um mês pode atingir ótimos resultados!

E no momento em que você estiver distraída, divertindo-se com o errado, movimentando suas ações no mercado e já com toda auto-propaganda feita... a pessoa certa vai aparecer. Até que de certa ela vira errada, vocês terminam e as etapas começam novamente. Será que um dia acaba?

Enquanto não acaba, lembre-se que para tudo na vida existe um lado bom, menos o disco do Oswaldo Montenegro.

EMSS

Desapego não é sinônimo de desamor.

Rosicleide David

No mundo de hoje, onde existe tanto desamor e desconfiança entre os seres humanos, acredito realmente no lado bom das pessoas. Acredito no amor, no brilho de um olhar, na sinceridade de um sorriso. Prefiro acreditar no amor e as vezes tropeçar, do que nunca viver este amor.

Monica Motti

A irritação e o desamor são motivados pela divergência entre a realidade e as nossas insaciáveis pretensões.

Fabio Savatin

Carta de Desamor

Obrigado por estragar minha vida,
Obrigado por me dar uma felicidade absudar e me jogar no fundo do poço,
Obrigado, por ser ironica e fingir que que nada aconteceu,
Obrigado, por me fazer acredita e me fazer de idiota no final de tudo,
Obrgiado por quebrar todas as promessas que o idiota aqui caiu,
Obrigado, por me fazer sofrer,
Obrigado por me fazer sentir sozinho,
Obrigado, por me fazer acreditar em sonhos que pareciam impossiveis e... Que realmente eram por você duvidar sempre do futuro,
Obrigado por me fazer perder anos de vida, dedicados totalmente a você,
Obrigado por me fazer esquecer de mim, enquanto eu só pensavaem você,
Obrigado por me trocar por outro em menos de duas semanas do fim do namoro,
Obrigado por me ter feito chorar como criança,
Obrigado por me ter feito acreditar em ‘amor perfeito’ e por me fazer acordar e ver que não existe ‘ amores perfeitos’,
Obrigado por ser totalmente egoista,
Obrigado, por ter me pedido para não desistir de você, sendo que no final você quem desistiu de mim,
Obrigado por ter desistido de tudo... Pois você provou que você não merecia nada do que eu tinha feito por você,
Obrigado por ter ido viver outra vida, e ter me deixado na vida que ficou,
Obrigado por ter me feito construir um castelo, e por ver no final que era apenas um castelo de areia, que a água do mar veio e destruiu,
Obrigado por ter jogado fora o bem mais precioso que eu pude te dar, que foi o meu amor...

Kauê Ribeiro

Não aprenda o desamor com os recalcados e infelizes.
Não se permita contagiar pela pequenez daqueles
que não aprenderam a amar.
Na vida existem pessoas que nasceram para agregar
enquanto outras nasceram para desunir.
Preserve-se.
Cuide da sua energia.
Proteja a sua luz.
Mantenha distância daquilo que lhe faz mal.
Ame sempre.
O tempo é a melhor resposta para tudo.

Lígia Guerra

Sobre o amor, e o desamor, sobre a paixão,
Sobre ficar, sobre desejar, como saber te amar,
Sobre querer, sobre entender, sem esquecer,
Sobre a verdade e a ilusão,
Quem afinal é você,

Quem de nós vai mostrar realmente o que quer,
O coracão nesse furacão, ilhado onde estiver,
O meu querer é complicado demais,
Quero o que não se pode explicar aos normais,

Sobre o porque de tantos porques,
E responder,
Entre a razão e a emoção
Eu escolhi você!

Quem de nós vai mostrar realmente o que quer,
O coracão nesse furacão, ilhado onde estiver,
O meu querer é complicado demais,
Quero o que não se pode explicar aos normais,

Sobre o porque de tantos porques,
E responder,
Entre a razão e a emoção
Eu escolhi você!

O Que Nao Se Pode Explicar Aos Normais- Catedral

Ás vezes me pego pensando o porquê de tanto desamor?
Mas então algo em mim vem e responde:Não é bem assim,o problema é que tem gente que nem conhece o amor então como será retribuir o que nem se tem para dar?
Sendo assim fica mais fácil de compreender o porquê de tanta gente por aí sem coração,sem amor,sem saber se doar,sem saber o que é realmente amar.

Viviane SaintClayr

Ser poeta é...fazer de sua dor de amor um desamor indolor.

Soriévilo

RECOMEÇAR

Um desamor todo mundo tem
É como dias ruins
A espera de um dia melhor
Esperança de um novo amor.

A vida não acaba
Com um desamor
Ela recomeça
Com outro amor
Por que?
Amar é preciso
Amar é morre em si
Para renascer em outro
Se tornando um só.

Por que?
Sempre depois da tempestade
As borboletas voltam
Ao jardim de alá
E como um recomeço
Um começo de uma nova vida
A renovação da esperança
É, a certeza que recomeçar
É preciso, para dias melhores.

Escrito para: Ayla carolina

Mateus Vinicius de Oliveira Amaral

Indagações do desamor

Será que fez tão bem?
Será que sabes o que me causou?
E quanto tempo esse amor me detém
Ou será que ele nunca me fez refém?

Amanda Bonatti

[Des]amor moderno

Vejo que as pessoas já estão percebendo que o velho amor está com a data de validade quase vencida. Os casais cada vez mais pensam no “eu” e se esquecem do “nós”. Cobram por amor “full time”, mas não estão dispostos a doar-se inteiramente por esse mesmo amor que esperam. Querem o “feedback” da atenção que não dão.

Companheirismo, paciência e tolerância com os defeitos do parceiro não têm mais espaço. Cederam seus lugares ao desejo de um “amor mercadológico” e instantâneo: tenho tudo o que quero, experimento, uso, jogo fora ou troco por um modelo melhor na hora que eu quiser. “Delivery” de amor, 24 horas.

Os relacionamentos seguem o rumo do “fast-food”. Traduzo ao pé da letra: comida rápida. Muitas vezes cobram a lealdade do parceiro, mas não querem prender-se a uma única pessoa, já que há tanta oferta barata por aí. E tão barata e fácil, que aquele belo “amor à primeira vista” já deu lugar ao “amor à prazo”.

Sim, e o prazo é curtíssimo: é quase um amor descartável, encontrado aos montes por “research” nas redes sociais. Ganha quem conseguir o maior “time per person”, não necessariamente nessa ordem. Por fim, a maioria quer tornar-se um “freelancer” no quesito amor.

A casa vira uma empresa, o casamento um “bem de consumo”. E dependendo da sua sorte você fica com os bens. Vocês já devem saber: até uma lei que facilita o divórcio foi criada há pouco tempo. Eles também devem estar prevendo que amor se tornará uma “instituição falida”, então preferem facilitar.

Alias, alguém falou de amor? Até quando essa palavra fará sentido? Em breve, uma nova reforma ortográfica vai eliminar de vez esse vocábulo de livros e dicionários. E as declarações de amor? Se já não foram extintas, serão tão raras e rápidas que vão ser dignas de “retweet”.

E é bem provável que, se algum dia, você recebeu alguns buquês de flores ou presentes, quem entregou peça um “recall”, mas sem devolução. O único problema seria se resolvessem pedir um recall dos bombons também...

A “deadline” do amor parece mesmo estar próxima. Sei lá, quando tudo era mais simples o amor parecia mais perene. A modernidade tem aberto um notável espaço para o desamor. Na verdade não é culpa dela. Acho que antes os recursos, ou melhor, as pessoas, sim, eram mais “humanas”.

Quanto a mim? Sei lá, talvez meu amor até exista, não desacredito nessa hipótese. Mas por enquanto, permaneço em modo “standy by”.

Karina Perussi

Cego não é quem perde a visão. Cego é quem perde a sensibilidade e deixa o desamor apagar as luzes da alma.

Day Anne

Enquanto houver pre-conceito, haverá o desamor. Pessoas que não sabem aceitar as pessoas como elas realmente são, que passam a vida fazendo criticas e se preocupando mais com os outros e esquecendo que o tempo está passando e a vida dela tá ficando pra trás!

Suelaine Macena

Silêncio,prova eloquente
de desdém,de desamor.
Quem ama faz-se presente
numa carta,numa flor.

Otoniel Beleza