Depoimentos para Amigas

Cerca de 1403 depoimentos para Amigas

Posso ser muito simpática, amiga, amorosa, mas não sou nada perfeita, tenho muitos defeitos. Sou até chata às vezes com minhas manias e meus mimos.
Não me arrependo de nada que já fiz, mas queria poder mudar algumas coisas.
Acho que ter amado mais algumas pessoas ou pelo menos ter mostrado as elas que eu as amava e também não ter dado tanto valor a outras.Como eu amei alguns que não me deram o meu verdadeiro valor, mas já fui amava e também não percebi o quanto e como era valorizada.
Hoje vejo que mudei muito,tive que amadurecer pois agora chego à hora de assumir verdadeiras responsabilidades, não sou mais criança, mas porém não pedir meu lado moleca, brincalhona.
Não gosto de mentiras e odeio que venha se meter na minha vida ou em minhas decisões, claro com exceção de quem eu permito e de quem eu quero a opinião. Tenho muitos amigos, obviamente que, também há os meus melhores amigos que na verdade são como meus irmãos esses sim são pra sempre.
Sou uma guria de apenas 16 anos, às vezes me acho uma menina que está perdida, confusa em suas direções ao contrario de algumas vezes que me acho uma mulher que sabe muito bem o que quer
Mesmo com tudo isso eu agradeço todos os dias a JESUS por ter todos esses amigos, minha família,, pois tudo que tenho na minha vida foi graças a ele

Cíntia Martin

DESABAFAR COM A MELHOR AMIGA

Acalma o coração, alegra o dia,
você vê que nem tudo está perdido,
enxerga as coisas por outro ângulo,
enfim, amizade é essencial.

Débora Lins

Amiga como você eu nunca vou esquece porque esse tipo
de amiga o lugar dela é no coração e tudo que está no
coração para mim é eterno, inesquecível!!!

Mariana Trevizani Nocelli

A escuridão me persegue
A solidão me acompanha
A tristeza e minha amiga
Simplesmente minha vida e vazia

Skarllat lima

É tão bom compartilhar os momentos mais importantes da vida com uma amiga como tu. Parabéns!

Natália alves.. Nathy

"Não me dôo pela metade,
não sou tua meio amiga nem teu quase amor.
Ou sou tudo ou sou nada.
Não suporto meio termos."

A D R I

Adryforever

Um coração partido faz parte. Se apaixonar pelo melhor amigo faz parte. Ter uma melhor amiga faz parte, e ter milhões de outras também. Chegar em casa chorando por um dia no colégio não ter dado certo faz parte. Brigar com seus pais por coisas fúteis, acordar com uma espinha, ter um ódio mortal da sua irmã, ouvir mil e uma besteiras da sua amiga faz parte. Cair e tropeçar, ver e chorar, sentir e sorrir, assistir e emocionar, crer e receber, errar e perder, amar e quebrar, tudo isso faz parte. Ninguém está salvo, não crie barreiras para vida que está ai fora, porque a vida não é e nunca vai ser boa com você. Então, cabe a você deixar tudo mais confortável possível. Não deixe as amarguras das revistas de beleza te colocarem no chão, acorde de manhã e não repare de imediato no seu cabelo, nem numa espinha monstro. Imagine. Isso! Imagine! Imagine o tempo que você está perdendo em frente ao espelho acertando cada defeito seu, imagine como há alguém, onde que que seja, nesse exato momento pensando em você! Ninguém está livre das tristezas, assim como ninguém é imune para as alegrias! Sorria, simplesmente sorria, não sorrie simplesmente para fotos... Sorria pra si mesmo, para seus amigos, mostre o quão o seu brilho faz efeito e note como as pessoas as sua volta ficam radiante com o seu charme! Ah, quando a vida te deixar pra baixo... fique lá durante um tempo, o suficiente para notar que estar na depressão é perca de tempo. Se você tem amigos, você tem tudo! Se você tem amor próprio, você conquista o mundo. Valer e crer, não adianta você olhar pro céu e não lutar pra chegar até lá. O céu nunca vai se mover até você... então porque você não vai até ele?

Eduarda Morgado

Mãe carinhosa e dengosa
Mãe amiga, mãe irmã
Mãe de todos nós, Mãe das mães
Mãe dos filhos
Mãe-pai: duas vezes mãe
Mãe lutadora e companheira
Mãe educadora, mãe mestra
Mãe analfabeta, sábia mãe
Mãe do silêncio, mãe comunicação
Mãe dos doentes e dos sãos
Mãe de quem magoou e de quem perdoou
Mãe rica, mãe pobre
Mãe dos que já foram, mãe dos que ficaram
Mãe dos guerreiros e dos guerreados
Mãe que sorri, mãe que chora
Mãe que abraça e afaga
Mãe presente, mãe ausente
Mãe do sagrado, mãe da luz
Mãe de Jesus e mãe nossa.
MÃE, simplesmente MÃE!

Desconhecido

Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termos."

Desconhecido

Uma melhor amiga é uma mãe que te chama de vadia, chata e idiota.

Pequena Sereia

Reconhecimento do amor

Amiga, como são desnorteantes os caminhos da amizade.
Apareceste para ser o ombro suave
onde se reclina a inquietação do forte

( ou que forte se pensava ingenuamente ).

Trazias nos olhos pensativos a bruma da renúncia:

não querias a vida plena,
tinhas o prévio desencanto das uniões para toda a vida,
não pedias nada,
não reclamavas teu quinhão de luz.
E deslizavas em ritmo gratuito de ciranda.
Descansei em ti meu feixe de desencontros
e de encontros funestos.
Queria talvez - sem o perceber, juro –
sadicamente massacrar-te
sob o ferro de culpas e vacilações e angústias que doíam
desde a hora do nascimento,
senão desde o instante da concepção em certo mês perdido na História,
ou mais longe, desde aquele momento intemporal
em que os seres são apenas hipóteses não formuladas
no caos universal.
Como nos enganamos fugindo ao amor!
Como o desconhecemos, talvez com receio de enfrentar
sua espada coruscante, seu formidável
poder de penetrar o sangue e nele imprimir
uma orquídea de fogo e lágrimas.
Entretanto, ele chegou de manso e me envolveu
Em doçura e celestes amavios.
Não queimava, não siderava; sorria,
Mal entendi, tonto que fui, esse sorriso,
Feri-me pelas próprias mãos, não pelo amor
Que trazia para mim e que teus dedos confirmavam
Ao se juntarem aos meus, na infantil procura do Outro,
o Outro que eu me supunha, o Outro que te imaginava,

quando – por esperteza do amor – senti que éramos um só.

Amiga, amada, amada amiga, assim o amor
dissolve o mesquinho desejo de existir em face do mundo
Com olhar pervagante e larga ciência das coisas.
Já não defrontamos o mundo: nele nos diluímos,
e a pura essência em que nos transmutamos dispensa
alegorias, circunstâncias, referências temporais,
imaginações oníricas,
o vôo do Pássaro Azul, a aurora boreal,
as chaves de ouro dos sonetos e dos castelos medievos,
todas as imposturas da razão e da experiência,
para existir em si e por si,
à revelia de corpos amantes,
pois já nem somos nós, somos o número perfeito:

UM.

Levou tempo, eu sei, para que o EU renunciasse
à vacuidade de persistir, fixo e solar,
e se confessasse jubilosamente vencido,
até respirar o júbilo maior da integração.
Agora, amada minha para sempre,
nem olhar temos de ver nem ouvidos de captar
a melodia, a paisagem, a transparência da vida,
perdidos que estamos na concha ultramarina de amar.

Carlos Drummond de Andrade

“Outro dia uma amiga me perguntou o que você tinha me ensinado. A gente estava conversando sobre os legados que as pessoas deixam em nossas vidas, e ela quis saber qual tinha sido o seu. Que raios me ensinou? Fiquei sem saber na hora, fiquei sem saber o que responder. Mas hoje, posso dizer que foi você quem me ensinou a lição mais importante da minha vida: você me ensinou a sofrer.”

Tati Bernardi

Toda mulher tem que ter uma melhor amiga
para lhe dizer a maneira certa de fazer as coisas,
de um jeito que nem ela mesma consegue agir.

Augusto Branco

Se for virar minha amiga e semana que vem não olhar mais na minha cara, prefiro que vire inimiga.

Pequena Sereia

Ela queria ele pra sempre. Ele também queria ela pra sempre, mas como amiga.

Pequena Sereia

Ah, sim, a velha poesia...

Poesia, a minha velha amiga...
eu entrego-lhe tudo
a que os outros não dão importância nenhuma...
a saber:
o silêncio dos velhos corredores
uma esquina
uma lua
(porque há muitas, muitas luas...)
o primeiro olhar daquela primeira namorada
que ainda ilumina, ó alma,
como uma tênue luz de lamparina,
a tua câmara de horrores.
E os grilos?
Não estão ouvindo lá fora, os grilos?
Sim, os grilos...
Os grilos são os poetas mortos.

Entrego-lhes grilos aos milhões um lápis verde um retrato
amarelecido um velho ovo de costura os teus pecados
as reivindicações as explicações - menos
o dar de ombros e os risos contidos
mas
todas as lágrimas que o orgulho estancou na fonte
as explosões de cólera
o ranger de dentes
as alegrias agudas até o grito
a dança dos ossos...

Pois bem,
às vezes
de tudo quanto lhe entrego, a Poesia faz uma coisa que
parece que nada tem a ver com os ingredientes mas que
tem por isso mesmo um sabor total: eternamente esse
gosto de nunca e de sempre.

Mario Quintana

Que os segredos, amiga minha, também são gente; nascem, vivem e morrem.

Machado de Assis

"Tenho medo de terminar sozinha. Tenho medo de ser sempre amiga, irmã e confidente, mas nunca o 'tudo' de alguém."

Desconhecido

AMIGA

Vem iluminar meu dia,
Vem me fazer sorrir,
Vem ser aquela amiga que sempre esteve aqui!
Vem comigo brincar
Vem me acalentar
Vem cantar, pular e sorrir
Porque sempre que me chamar vou estar aí!
Vem me dizer como sonhar, vem me mostrar
Que o céu não é azul, que a grama não é verde,
Que tudo só é do jeito que a gente quiser,
Vem me dizer que a vida não é tão difícil assim
Vem me ensinar que a gente é bem mais feliz assim!

Bruna Miranda

I

ASSIM aos poucos vai sendo levada
a tua Amiga, a tua Amada!
E assim de longe ouvirás a cantiga
da tua Amada, da tua Amiga.

Abrem-se os olhos - e é de sombra a estrada
para chegar-se à Amiga, à Amada!
Fechem-se os olhos - e eis a estrada antiga
a que levaria à Amada, à Amiga.

(Se me encontrares novamente, nada
te faça esquecer a Amiga, a Amada!
Se te encontrar, pode ser que eu consiga
ser para sempre a Amada Amiga.

II

E assim aos poucos vai sendo levada
a tua Amiga, a tua Amada!

E talvez apenas uma estrelinha siga
a tua Amada, a tua Amiga.
Para muito longe vai sendo levada,
desfigurada e transfigurada.

Sem que ela mesma já não consiga
dizer que era a tua profunda Amiga.

Sem que possa ouvir o que tua alma brade
que era a tua Amiga e que era a tua Amada.

Ah! do que disse nada mais se diga.
Vai-se a tua Amada - vai-se a tua Amiga!

Ah! do que era tanto, não resta mais nada...
Mas houve essa Amiga! mas houve essa Amada!

Cecília Meireles