Dedicatórias para Livros de Receitas

Cerca de 1264 dedicatórias para Livros de Receitas

Amor...
Não esperem por receitas.
É a recíproca do respeito, carinho, atenção, atitude, companheirismo, fidelidade, cumplicidade. É dividir, somar e multiplicar... Às vezes diminuir e depois juntos construir... É combinar coisas que não se combina. Fácil? Não! Nem um pouco. Mas que, se não houver essa coisas, fica mais difícil aceitar o outro lado. Isso vai proporcionar momento felizes e outros tristes...
Mas quem ama vai saber passar os dias ruins e aproveitar os Dias Melhores.
Eu não soube...

Gino Sanches

Seguindo receitas você conseguirá ter um bom relacionamento? "nossa, nossos signos combinam" "amor, você adora sertanejo e eu também" ... Sério, nada disso vai funcionar se não houver equilíbrio. Para mim tanto faz se os dois são iguais ou diferentes, se “combinam” ou não, se o zodíaco diz que signos do mesmo elemento funcionam bem juntos… Tudo isso não passa, no fundo, de um grande blá blá blá que tenta transformar o amor em uma receita de bolo.
O que eu acredito piamente é que um relacionamento dá certo, mesmo, quando existe o tal do equilíbrio. Pouco importa quais os mecanismos utilizados para isso. Não interessa se ele é pagodeiro e ela gosta de sertanejo. Se os dois encontrarem um bom meio termo para conviver com isso, ótimo. Respeitando sempre, cada um o espaço do outro.

Suzanne Nascimento

A felicidade no amor não depende de receitas, mas sim de ingredientes!

Reinaldo Ribeiro - O Poeta do Amor

eu não sigo nem receitas de bolo. Porque deveria seguir um manual de vida?

Jessica Wuiner

Não adianta ficar montando receitas do tipo "Apaixone-se por isso, apaixone-se por aquilo". A paixão não é uma roupa que se escolhe no guarda-roupas, não é um acessório, não é um presente que se escolhe dar para alguém. É algo que acontece! E daí que o cara não vai te procurar sempre depois de uma briga. E aí que ele nem sempre fala o que você precisa ouvir. Qual é o problema se ele não te manda flores nem canta no teu ouvido? Cada um é cada um e cada paixão é algo novo, é algo que nasce sem aviso prévio e é diferente em cada ser. Não dá pra ficar esperando a pessoa certa pra se apaixonar. Se liberte desses "tipos certos" de pessoas.

Apaixone-se. Ame. Entregue-se. Seja feliz. O resto...É RESTO!

Giselle F.

”Uma mistura de admiração e de compaixão é um dos mais seguros receitas de afeto.”

Darlan Clay

Receitas?Crie suas próprias!
O sábio testa vários novos caminhos.

Niih MSR

...Mais Receitas

Mais do ontem
Menos de amanhã
Tudo do agora...
Tenho tudo que quero
Mas não vejo nada ainda
... espera um pouco
Tenho o agora
Nele o tudo pertence
Só é uma questão de escolhas
A cada minuto uma chance
De mudar algo
Algo que amanhã não serão apenas palavras
Conselho de um sábio
Que colecionou palavras
Muitas doce como mel
Outras temperadas com lágrimas
Sabia usar todas elas
Porem não soube vive - las
Em outro lugar distante, a utopia...

André Felipe Vieira

Às vezes caminhamos em corda bamba.
É tantas receitas, tantos remédios!
Que eu pareço andar chapado!!!

Nelson Mendes de Souza

Como as pessoas insistem em ser ignorantes? Como as pessoas insistem em deixar de lado tudo o que é mais lindo no mundo por um simples capricho? Como elas ainda falam o nome das vacas em vão, maltratam o animal mais perfeito de toda a criação divina?
O mundo é um lugar terrivel de se viver. Ainda sonho com a minha doce Mangália.

Ann Monroe, Livros Mangalianos

Tantos amigos. Tantos lugares. Tantas frases e livros e sentidos. Tantas pessoas novas. Indo. Vindo. Tenho só um mundo pela frente. E olhe pra ele. Olhe o mundo! É tão pequeno diante de tudo o que sinto. Sofrer dói. Dói e não é pouco. Mas faz um bem danado depois que passa(...) Mas agora, com sua licença. Não dá mais para ocupar o mesmo espaço. Meu tempo não se mede em relógios. E a vida lá fora, me chama.

desconhecido

Minha solidão me serve de companhia. Com os livros nas mãos tento fugir desse mundo tão promiscuo, desse mundo tão hostil. Dizem que é errado sonhar demais e esquecer a realidade, mas há tempos que não ouço mais o que dizem. A música me fascina e ajuda-me a seguir vivendo cada dia sem olhar para as coisas que a vida levou, então apenas sigo vivendo, pensando, sonhando. Cada dia mais…

Tumblr

AINDA QUE...
Ainda que não escrevas livros...
És o escritor de tua vida.
Ainda que não sejas Miguelangelo...
Podes fazer de tua vida uma obra-prima.
Ainda que cantes desafinado...
Tua existência pode ser uma linda canção,
que qualquer afamado compositor invejaria.
Ainda que não entendas de música...
Tua vida pode ser uma magnífica sinfonia que os clássicos respeitariam.
Ainda que não tenhas estudado numa escola de comunicação...
Tua vida pode transformar-se numa reportagem modelo.
Ainda que não tenhas grande cultura...
Podes cultivar a sabedoria da caridade.
Ainda que teu trabalho seja humilde...
Podes converter teu dia em oração.
Ainda que tenhas quarenta, cinqüenta,
sessenta ou setenta anos...
Podes ser jovem de espírito.
Ainda que as rugas já manquem teu rosto...
Vale mais tua beleza interior.
Ainda que teus pés sangrem nos tropeços e pedras do caminho...
Teu rosto pode sorrir.
Ainda que tuas mãos conservem as cicatrizes dos problemas,
e das incompreensões...
Teus lábios podem agradecer.
Ainda que as lágrimas amargas recorram teu rosto...
Tens um coração para amar.
Ainda que não o compreendas...
No céu tens reservado um lugar...

desconhecido

AMOR AOS LIVROS
Posso lhes apresentar na mais nada menos que uma bela e satisfatória história das pessoas que cultivam o amor pela palavra impressa e encadernada, o LIVRO.
O livro é o meu ganha pão,
O livro é o meu desenvolvimento intelectual e fraterno,
O livro me acalenta, me esclarece,
E me faz acrediar no H O M E M !
O livro me conduz a compreender o significado da V I D A,
Me fez M U L H E R e me faz a pessoa que sou,
E que ainda continuarei a SER!
O meu amor pelos livros teve início,
Lá na minha infância linda e feliz,
Junto à minha cidade querida, pequena e aconchegante, Localizada no sul do Estado do Espírito Santo
(São José do Calçado),
Alí surgia a primeira biblioteca pública,
E foi alí que tudo começou.
Depois, aos 21 anos, já em São Paulo, fui trabalhar na Universidade de São Paulo, claro,
Em Biblioteca e até então não parei mais.
Sou graduada em Bibliotecomia e Documentação,
Pela primeira Escola de Política do Brasil,
Que é a Fundação Escola de Sociologia e Política-FESP.
Sempre me preuocupo e atuo na Educação do meu País, Acredito que o Brasil cresca e se torna,
Um gigante educacional, cultural e econômico
Com uma educação de melhor qualidade,
E de políticas públicas de LEITURA de verdade.

Fátima Bindes

Primeiro, as cores.
Depois os humanos.
Em geral, é asim que vejo as coisas.
Ou, pelo menos, é o que tento.

Com absoluta sinceridade, tento ser otimista a respeito de todo esse assunto, embora a maioria das pessoas sinta-se impedida de acreditar em mim, sejam quais forem meus protestos.Decididamente, eu sei ser animada, sei ser amável. Agradável. Afável. E esses são apenas os As. Só não me peça para ser simpática. Simpatia não tem nada a ver comigo.

A menina que roubava livros

" As pessoas só observam as cores do dia no começo e no fim, mas para mim, está
muito claro que o dia se funde através de uma multidão de matizes e entonações, a
cada momento que passa. Uma só hora pode consistir em milhares de cores diferentes.
Amarelos céreos, azuis borrifados de nuvens. Escuridões enevoadas. No meu ramo de atividade,faço questão de notá-los."

A menina que roubava livros

Quando Liesel se foi nesse dia, disse uma coisa com grande constrangimento. Na tradução, lutou com duas palavras gigantescas, carregou-as no ombro e as largou como um par atamancado aos pés de de Ilsa Hermann. Elas caíram de banda, quando a menina deu uma guinada e não pôde mais suportar o peso. Juntas, as duas ficaram no chão, grandes, altas e canhestras.
- Duas Palavras Gigantescas-
sinto muito.

A menina que roubava livros

Outros Pequenos Fatos .

Às vezes eu chego cedo de mais.
Apresso-me,e algumas pessoas se agarram por mais tempo à vida do que seria esperável.

A menina que roubava livros

Ele ia todas as noites e se sentava com a menina. Nas primeiras duas noites, só fez ficar com ela - um estranho para matar a solidão. noites depois, sussurrou: - Pssiu, eu estou aqui, está tudo bem. Passadas três semanas, abraçou-a. A confiança se acumulava depressa, graças sobretudo à força bruta da delicadeza do homem, a seu estar ali. Desde o começo, a menina soube que Hans Hubermann sempre apareceria no meio do grito e não iria embora.

A menina que roubava livros

Às vezes, só para irritar a mamãe um pouco mais, ele também levava o instrumento para a cozinha e tocava até o fim do café-da-manhã.
O pão com geleia de papai ficava meio comido em seu prato, enrolado no formato das dentadas, e a música olhava de frente para Liesel. Sei que soa estranho, mas era assim que ela a sentia. A mão direita de papai passeava pelas teclas cor de dente. A esquerda apertava os botões. (A menina gostava especialmente de vê-lo apertar o botão prateado cintilante - o dó maior.) O exterior do preto acordeão, arranhado, mas reluzente, ia para um lado e para o outro, enquanto os braços de Hans apertavam os foles empoeirados, fazendo-os sugar o ar e tornar a expeli-lo. Na cozinha, nessas manhãs, papai dava vida ao acordeão. Acho que isso faz sentido, quando a gente realmente pára para pensar.
Como é que a gente sabe se uma coisa está viva?
Virifica a respiração.

A menina que roubava livros