Dedicatorias de Avó para Neto

Cerca de 2640 dedicatorias de Avó para Neto

"Um lugar mais triste que minha mente, é a minha realidade"

Miraldino Carneiro Calmon Neto

Sabe quando agente vê aquele sorriso e acha encantador?
Sabe quando descobrimos a belaza que há dentro de um ser?
Sabe quando percebemos estar de frente com uma pessoa única?
Poisé, foi isso que aconteceu... ao te conhecer...!!
Teu sorriso encanta, seu jeito vislumbra, e tua pessoa unica,me deixa perceber que Deus realmente existe....!!!

Benjamim Portela de Aguiar Neto

As lutas que nos separam de Deus não passam de vontades que temos em não servir a Deus.

João Lopes da Costa Neto

Sinto que mesmo na loucura do não saber, e da impossibilidade do ser, o impossível se torna somente um ponto de vista daqueles que não querem sonhar. E o sonho se faz possível para aqueles que querem acreditar.

Aristoteles Marques B. Neto

Amar a si mesmo, é o inicio de um romance espetacular que dura por toda eternidade pois... É no amor próprio, que passamos a entender na pratica, que Deus habita dentro de nós.

Julio Ramos da Cruz Neto

A luz de nossa alma é emanada por Deus entretanto, o brilho da mesma, é alimentado pelo amor próprio, pelo carinho e respeito que sentimos por nós, logo, ninguém, é capaz de ofuscá-lo além de nós mesmo.

Julio Ramos da Cruz Neto

"Tenhamos em mente
que não somos o que que os
outros pensam e, muitas vezes
nem mesmo o que pensamos ser.
Mas somos, verdadeiramente, o que
sentimos. Aliás, os sentimentos revelam
nosso desempenho no passado,
nossa atuação no presente e
nossa potencialidade no futuro."

HAMMED - Francisco do espírito Santo Neto

A SABEDORIA PERFEITA NAO NOS COBRA NEM NOS PUNE; QUER APENAS QUE APRENDAMOS A AMAR. ELA NOS EXERCITA,HABILITA E INSTRUI PARA O AMOR.PARA CRESCER NAO PRECISAMOS FAZER CULTO AO SOFRIMENTO,MAS FICAR ATENTOS AS CRENÇAS,COMPORTAMENTOS E VALORES QUE NOS TRAZEM ALEGRIA E BEM-ESTAR,OU INFELICIDADE E DESGOSTO.

FRANCISCO DO ESPIRITO SANTO NETO-HAMMED

Um verdadeiro homem não é aquele que conquistar várias mulheres ao mesmo tempo, mas é aquele que conquistar a verdadeira mulher várias vezes, sempre.

João Ferreira de Souza neto (Calango)

Meus prazeres são perigosos, se não fossem perigosos não seriam meus prazeres.

João Ferreira de Souza neto (Calango)

A arte de sorrir

temos autonomia para sorrir
razões para chorar
motivos para se divertir
viver e amar

Compartilhar erros
criticar o vôo correto
conivever com falhas e tropeços
e depois tá tudo certo

Acordar no pesadelo
caminhar pelos sonhos
enfrentar o nosso medo
e destruir seus monstrons

Desenhar o verbo amar
com belas cores colorir
da pintura inspirar
a arte de sorrir

Geraldo Neto - A arte de sorrir

SOMENTE SEREMOS FELIZES QUANDO CONSEGUIRMOS ENTENDER A NOSSA PRIMORDIAL MISSAO TERRENA:FOMOS C5RIADOS PARA AMAR E SER AMADOS. PODE SER QUE,EM MUITAS OCASIOES,NAO POSSAMOS ESCOLHER AS SITUAÇOES E OCORRENCIAS EXTERNAS DE NOSSA VIDA,MAS COM CERTEZA SEMPE PODEREMOS OPTAR PELA UNICA MANEIRA SENSATA DE ENFRENTA-LAS-COM AMOR

FRANCISCO DO ESPIRITO SANTO NETO-HAMMED

Este é um pensamento que me faz seguir em frente nas horas mais tristes :
Porque estou triste se vivo uma vida feliz ,porque tenho familia um lar e tudo mais .
pois existem pessoas que não tem nada e são felizes

joão marques dias neto bauru SP

Sou Filha de Deus Perfeita, Dotada de Sabedoria e Força, Jamais Venha a Mim Dificuldades Que Eu Não Seja Capaz De Resolver."

Maria de Jesus Fernades dos Santos ( Avó de LucieneLuba)

[O PODER DA DEDUÇÃO]

Era uma vez um velho com amargura
que chorava naquela altura.
Seu neto perguntou: Porque que tanta emoção?
Eu quero uma explicação!
Vovô não chora não... mostre-me seu coração.

OK netinho amado
Vou lhe mostrar a explicação
para tanta emoção.
É por causa da dedução.
Deduzi que a dedução
roubou minha felicidade
E me a atrapalhou de verdade.

Sempre gostei de deduzir.
A dedução me alimentou.
Com a dedução morava a comprovação, e o fatos.
Ela era um instrumento esmerado.

Perguntas eu fazia
e a dedução me assobiava
o fato e a comprovação me confirmavam.

Presentes ela trazia.
Satisfação eu ganhava.
Achava-me inteligente
e orgulhoso ficava.

Um dia algo aconteceu
Eu aceitei. A soberba eu ganhei.
Demiti a comprovação.
Demiti a reflexão.
Não precisava mais deles.

Grande eu estava
Inteligente eu era.
Esqueci porém, que
Assim como a inteligência ganha da burrice
A Sabedoria ganha da inteligência.
Antes eu fosse burro e sábio
do que inteligente e imbecil.

Mas me apaixonei pela dedução.
Desprezei suas irmãs.
A dedução me dominou;
Despedi também a equidade.

No começo veio a glória.
Depois a ruína.
Rico fiquei.
Odiado me tornei.

Deduzi demais:
Sem perguntar;
Sem comprovar;
Sem fatos verificar.

Então a dedução roubou minha felicidade.
Me deu amarguras de verdade.
Colocou-me uma lente no meu olho
que não consigo tirar.

Vejo as coisas como elas não são,
pelo meu mundo de dedução.

Meu neto, Tira de mim esta lente!
Pois só o amor e a compaixão
ganham da dedução."

(Daniel Joaquim de Sousa março/2012)

Daniel Joaquim de Sousa

UM BRINDE A NÓS QUE TENTAMOS COM TODAS AS FORÇAS FAZER DESSE UM MUNDO MELHOR PARA NOSSOS FILHOS,NETOS E FUTURAS GERAÇÕES.
OBRIGADA AS 146 MULHERES QUE FORAM CARBONIZADAS NUM INCENDIO NA FABRICA Triangle Shirtwaist, A ONU E A GETÚLIO VARGAS QUE EM 1932,DECIDIU QUE AS MULHERES TINHAM OS MESMOS DIREITOS QUE OS HOMENS.
EM AGRADECIMENTO Á ESSES FATOS NÓS, MULHERES, TEMOS A OBRIGAÇÃO DE CONTINUAR LUTANDO ATÉ O FIM PARA QUE ESSA IGUALDADE NÃO SEJA PERDIDA COM O PASSAR DO TEMPO.

PARABÉNS MULHERES!!!!!

Cristiane Fonseca

Pode ser neto da lua, mas nunca alcançará as estrelas.

Nelci Lagoa

Caríssimo Neto Braga,

Nasci nos anos finais da década de 60, quando se exacerbava a importação de ídolos da música, da moda e até dos valores para nossa gente. Era chic ter calça Lee, ouvir Beatles e Rolling Stones, criar bandas com nome inglês, The Fevers, Blue Caps, marca USTOP. Sim! Começávamos a largar muito da bossa verde e amarela, passando a importar o que de fato devia nos importunar. Estávamos a permitir americanismos que, subliminarmente, manipulavam o sistema geral: capitalista dominador cujo Tio morava nos States... Mas também era chic parecer com eles!
Na roça, nossos heróis se mantinham igual, enfrentando secas, fomes, misérias, embora a superintendência do Desvio de Verba Pro-Nordeste, que por esse tempo, já mostrava suas barbichas, ou melhor, seus amplos bigodes, já maquiasse um pouco a realidade de nosso povo, mas que no fundo não passava de mais um coronel institucional a serviço de outros.
Tais heróis do campo, quando muito, ouviam o rádio de pilha e eram fotografados a preto e branco tal e qual a vida que levavam: “o preto no branco”, tudo às claras, a dura realidade, acostumados com a apregoação de um Deus que impunha estação severa de seca e flagelo sem fim, predestinados ao sofrer, mas que nunca desmereceram o solo que, com pés tão rachados quanto o local das pisaduras, numa cena telúrica inconfundível, compuseram as canções de suas vidas com garranchos, sol ardil, comida singela, viola ponteada como pingos ralos das chuvas miúdas do sertão, ajustadas ao piar dos pássaros.
Heróis sem o saber que continuavam a caminhada dos nossos lideres implacáveis do quilate de Antonio Conselheiro, dos beatos guerrilheiros, dos personagens asseverinados do engenheiro da poesia, João Cabral de Melo Neto, ou por outra, os retirantes das obras de Raquel de Queiroz, de Lins do Rego, outros seres ornados com as rimas de Moacir Laurentino, Cego Aderaldo, da coragem inata de Barbara de Alencar, de Jovita Feitosa, não nos forçando à evocação de mitos internacionais, embora ilustres como Luther King (americano), Mahatma Gandhi (indiano) ou até um deus olímpico para dar robustez ao caráter e nobreza dos nossos homens e mulheres, que, como já se pode ver, temos para exportar.
Não almejo chegar aos extremos do personagem ultrapatriota, “Major Quaresma”, de Lima Barreto, ao exortar um colega de trabalho que sonhava ir à Europa, dizendo-lhe: “Ingrato! Tens uma terra tão bela, tão rica, e queres visitar a dos outros!”
Creio que meu posicionamento não leve a desmerecer a valorização da cultura clássica, deixar de reconhecer o mérito de quem sabe o verdadeiro valor de ser exímio leitor, de amar os livros, o conhecimento, mas insisto, meu caro amigo Neto Braga, que se legitime o cerne da alma de marfim que todo sertanejo possui.
Com chave de ouro, para bem fechar uma página, vou de Patativa, renome internacional saído das brenhas do Assaré, que homenageia a natureza sertaneja, partido do seu eu coletivizado.
“ Eu sou de uma terra que o povo padece
Mas não esmorece e procura vencer.
Da terra querida, que a linda cabocla
De riso na boca zomba no sofrer
Não nego meu sangue, não nego meu nome
Olho para a fome, pergunto o que há?
Eu sou brasileiro, filho do Nordeste,
Sou cabra da Peste, sou do Ceará.”

Maria Lopes

Neto,
Hoje acordei ouvindo a chuva e apertei o travesseiro quando me lembrei dos seus olhos. Até o dia amanheceu triste. Faz 22 anos que não te vejo. Faz 22 anos que nesta data o pai some e a mãe, como sempre, tenta chegar ao final do dia longe da cama. Faz 22 anos que eu penso que tudo poderia ser diferente se você estivesse aqui.
Essa saudade é gigante, igual seu coração. Coração de anjo… e eles diziam “anjo tem que ficar no céu” e eu, certa vez, desejei que você nem fosse tão bom assim, pra não precisar ir pro céu e ficar aqui comigo.
Neto, eu espero só um coisa… que seja você quanto for a minha hora…

Trecho do texto Carta para um anjo:
http://josane.blog.terra.com.br/2010/09/27/carta-para-um-anjo/

Josane Hodniki

"Amo porque sinto, e se não sinto me ensine a amar"
(Eduardo Schulz Neto 23-06-06)

Eduardo Schulz Neto