Dedicatorias Bodas de Prata

Cerca de 254 dedicatorias Bodas de Prata

As vezes é necessário você lembrar do que ocorreu no passado, não é perder tempo não, mas ganhar tempo não repetindo os mesmos erros no futuro, é pra isso que servem os erros e decepções...

Bia Prata

A pior mentira é mentir para si próprio, quando a verdade está descaradamente em sua frente.

Bia Prata

Pensei está me dedicando a uma fábrica de sonhos, porém com o passar do tempo, vi que era tão somente uma fábrica de ilusões

Bia Prata

É tanta gente boa e talentos sendo desperdiçados, e tanta gente idiota sendo valorizada, mas deixa está , talento é perene, já idiotice é intermitente.

Bia Prata

Uma coisa que detesto em alguém é faltar com a palavra, não é falta de memória ou esquecimento, é falta de bom caráter mesmo!

Bia Prata

Se for para cobrar, que se cobrem de todos, não apenas de alguns, se a regra é para todos então vamos moralizá-la e principalmente para cobrar uma atitude de alguém é necessário dar o exemplo primeiro.

Bia Prata

Há pessoas que perderam meu carinho, minha admiração e meu respeito. O que restou foi um pouco de civilidade no trato com elas.

Bia Prata

A liberdade de fazer mal a si mesmo.
É dessa forma que muitas pessoas encaram a liberdade que tem. Burrice? Talvez! Estranho? É, eu sei!!!

Davidson Prata

A indecisão é o maior argumento pra se adiar uma decisão.

Davidson Prata

Administrador é pago para pensar, não para trabalhar.

Davidson Prata

Iniciam uma nova história de amor, dessas que ainda não dá para avaliar se acabará em festa de bodas ou consulta à terapeutas, mas ainda assim, bonita.

Maiara E. Ribeiro Dias

Bodas de amor quanto tesouro pode um casal alcançar , quanta saudade , como é bom recordar...sendo amado e tendo alguém para amar.

Sidnei Piedade

Mateus 22.2, 10-14: “O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de seu filho... E, saindo aqueles servos pelas estradas, reuniram todos os que encontraram, maus e bons; e a sala do banquete ficou repleta de convidados. Entrando, porém, o rei para
ver os que estavam à mesa, notou ali um homem que não trazia veste nupcial e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial? E ele emudeceu. Então, ordenou o rei aos serventes: Amarrai-o de pés e mãos e lançai-o para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger
de dentes”. Esta situação é semelhante à dos peixes ruins apanhados na rede do reino. A falta da veste nupcial provavelmente representa a falta de justiça que excede à dos escribas e fariseus. O homem mal vestido foi atraído pelo poder do reino, atraído do mundo para a sala
do banquete, tal como o peixe apanhado pela rede, mas esse homem não estava preparado para o reino e, por isso, foi lançado fora.

Pr. John Piper

A Parábola das Bodas – Mt 22.1-14

“1 Então Jesus tornou a falar-lhes por parábolas, dizendo:
2 O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de seu filho.
3 Enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir.
4 Depois enviou outros servos, ordenando: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado; os meus bois e cevados já estão mortos, e tudo está pronto; vinde às bodas.
5 Eles, porém, não fazendo caso, foram, um para o seu campo, outro para o seu negócio;
6 e os outros, apoderando-se dos servos, os ultrajaram e mataram.
7 Mas o rei encolerizou-se; e enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade.
8 Então disse aos seus servos: As bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos.
9 Ide, pois, pelas encruzilhadas dos caminhos, e a quantos encontrardes, convidai-os para as bodas.
10 E saíram aqueles servos pelos caminhos, e ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e encheu-se de convivas a sala nupcial.
11 Mas, quando o rei entrou para ver os convivas, viu ali um homem que não trajava veste nupcial;
12 e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui, sem teres veste nupcial? Ele, porém, emudeceu.
13 Ordenou então o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.
14 Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos.”

Nesta parábola nosso Senhor mostrou aos sacerdotes, escribas e fariseus, e ao povo de Israel em geral, um resumo da história deles de incredulidade e de rejeição da vontade de Deus.
Ele mostrou nesta parábola que o reino de Deus é comparado à participação de um banquete real de casamento que é promovido pelo próprio Deus, para celebrar as bodas de seu Filho.
Não há dúvidas que as bodas são as do próprio Cristo que se consumará por ocasião da Sua segunda vinda. Por ora, a Sua noiva, que é a Igreja, está sendo preparada (santificada) para ser-Lhe apresentada sem qualquer mancha ou ruga.
Os israelitas foram os primeiros convidados para estas bodas, pela fé deles em Deus. Todavia, ao longo da sua história, somente um remanescente era fiel a Deus, porque a nação como um todo, vivia de modo contrário à sua vocação.
Então Deus lhes enviou os Seus servos, os profetas, mas não atenderam o convite para participarem das bodas, pela sua conversão ao Senhor.
E como chegaram a matar alguns profetas que lhes foram enviados depois dos primeiros, Deus permitiu que a cidade deles de Jerusalém fosse queimada pelo babilônios, e muitos deles mortos, e conduzidos em cativeiro.
Todavia, Deus não os rejeitou de todo, e lhes enviou restauradores, principalmente nas pessoas de Zorobabel, Esdras, Neemias, Ageu, Zacarias e Malaquias, mas eles deram naquela geração má e incrédula dos dias de Jesus, de maneira que eram indignos de participarem das Suas bodas.
Motivo por que o Rei (Deus Pai) ordenou que se buscassem convidados entre aqueles que se encontravam pelas encruzilhadas dos caminhos e a todos quantos fossem encontrados. Isto é sobretudo uma referência aos gentios.
Este convite fora feito inteiramente pela graça, mas todo aquele que fosse digno de ser achado no banquete nupcial deveria estar vestido com a veste de justiça de Cristo, que também é concedida pela mesma graça, tanto quanto o convite à salvação.
De modo, que se fosse possível a alguém entrar na festa das bodas sem tal veste de justiça, o mesmo seria amarrado e lançado nas trevas exteriores onde há choro e ranger de dentes.
Por esta parábola nosso Senhor ensinou que apesar de muitos serem chamados à salvação, pelo convite do evangelho, somente os que receberem a cobertura da Sua veste de justiça, serão dignos de serem achados no banquete das bodas que eles próprios terão com Jesus Cristo.

Silvio Dutra

Você crê que Maria pede por você a Deus, hoje, da mesma forma como pediu nas Bodas de Caná?
Então pegue o que mais necessita neste momento, coloque nas mãos dela e diga:

Mamãe, pequeno sou.
Pega-me no colo pois estou triste.
Sinto-me impotente diante da minha dificuldade, e não sei que atitude tomar.
Estou sem recursos.
Leva-me em seu colo até a solução do meu problema.
Faz-me enxergar.
Serena meu coração, enxuga minhas lágrimas, ameniza minha dor.
A senhora é tão boa, Mãe.
Quero receber de Jesus, através das suas mãos, a cura para a minha dor.
Não rejeite o meu pedido.
Obrigada Mãe.
Amém.

Patrícia Assmann

Bodas de Bodes.

Era doce.
Amargurou.
Amar, durou?

Francismar Prestes Leal

Amar de verdade é ter a impressão de comemorar bodas todos os dias.

Rafael Estevan

Bodas de ouro

Doralice,
A saudade,
Que sabes
Sobre ela?
Nada,
Jamais
Te abandonei.
Mas, Doralice,
E o amor?
Não! Por Deus!
Nada diga,
Senão choro
Também.

Carlos Massoco

Os músculos não fazem bodas de ouro.

Ivan Bittencourt Jr

Que possamos voltar o olhar à Mãe de Deus, Maria, nas bodas de Caná O seu olhar silencioso e perscrutador observa tudo e repara onde falta alguma coisa. E antes que alguém perceba e ocorra algum embaraço,ela já prestou a sua ajuda. Encontra meios e modos, dá as indicações necessárias, e isso tudo em silêncio, sem deixar perceber nada.

Aislan Keeslen