Dedicatorias Bodas de Prata

Cerca de 234 dedicatorias Bodas de Prata

Se for para cobrar, que se cobrem de todos, não apenas de alguns, se a regra é para todos então vamos moralizá-la e principalmente para cobrar uma atitude de alguém é necessário dar o exemplo primeiro.

Bia Prata

Há pessoas que perderam meu carinho, minha admiração e meu respeito. O que restou foi um pouco de civilidade no trato com elas.

Bia Prata

"Mas ele foi aquele sonho bom, aquele amor louco, que quando acabou meu coração não aguentou, não aceitou a sua partida. O sorrido dele ainda faz falta, traz a mente aquela saudade que no peito já não cabe. Os olhos transmitem aquilo que o coração não consegue segurar. Ah mas ele se foi tão rapido para os braços de um outro alguém, mas algo me diz todas as manhãs, ele vai voltar. E eu vou estar aqui, no mesmo lugar, esperando com aquele mesmo sorriso e amor que guardei."

A Prata

O Fim é o princípio.
Uma página que se vira.
Somos a tinta fresca em folha áspera.
A capa dura. Aquilo que procura.
Somos a História.
Desde sempre.
Somos todos os nomes.
As pessoas do Pessoa.
O Mundo na mão.
Ponto de encontro.
De quem pensa. De quem faz pensar.
Temos pele enrugada de acontecimento.
As páginas são nossas.
E o pó que descansa na capa também.
Sabemos falar de guerra e paz,
explicar a origem das espécies e dizer
qual a causa das coisas.
Somos o que temos.
A tradição e a vocação.
A atenção. A opinião.
A história de dor e de amor.
Somos o nome do escritor.
A mão do leitor.
SOMOS LIVROS!

Lénia Prata

PRA CUMEMUIÉ

- Pra cumemuié, uai.

Não fosse pelo microfone do repórter, poderia se dizer tratar-se de um filme bíblico. O sujeito estava todo coberto de lama, junto com mais trinta mil iguais a ele, escavando a terra lá em Serra Pelada. O documentário era antigo, é claro, mas passou na televisão outro dia. E o mineirinho ali, ao ser perguntado por que queria achar ouro e ficar rico, não pestanejou: pra cumemuié, uai. Claro. Que outro motivo ele teria? Só fiquei na dúvida se era para conquistar a sua mulher ou para transar com qualquer mulher. Provavelmente a segunda hipótese.

O Cacá Rosset já tinha esta teoria há muitos anos: tudo que o homem faz, tudo, é com um único objetivo: cumemuié. O cara faz um esforço desgraçado para ficar rico pra quê? O sujeito quer ficar famoso pra quê? O indivíduo malha, faz exercícios pra quê? Mulher! Pode ser até a própria. Mas a verdade é que é a mulher o objetivo do homem. O pavão também é assim. Os animais são assim. Os bichos só pensam nisto. Já as bichas, pra cumeomi.

Fico imaginando aqueles ministros todos lá na posse e um dizendo para o outro, enquanto posam para fotografias: vai rolar muita mulher aqui no pedaço. O jogador quando faz o gol pensa a mesma coisa. O artista em close na novela, tem certeza. Aquele candidato a prefeito naquela cidadezinha. Para o que ele quer aquele pequeno poder?

As mulheres, antigamente, ficavam trancadas dentro de casa e se tratavam e ficavam bonitas apenas para os seus homens. Aí começaram a dar liberdade pras danadas e deu no que deu. O mundo ganhou vida, além da beleza, é claro.

Pode continuar a ler, minha querida, que as barbaridades vão parar por aqui. Pode parar de me achar machista, machão ou coisa parecida. Tudo que eu quis dizer é que o homem vive em função de você. Vivem e pensam em você o dia inteiro, a vida inteira. Se você, mulher, não existisse, o mundo não teria ido pra frente. Homem algum iria fazer alguma coisa na vida para impressionar a outro homem, para conquistar um sujeito igual a ele, de bigode e tudo. Um mundo só de homens seria o grande erro da criação.

Já dizia a velha frase que atrás de todo homem bem sucedido existe uma grande mulher. O dito está envelhecido. Hoje eu diria que na frente de todo homem bem sucedido existe uma grande mulher.

É você, mulher, quem impulsiona o mundo. É você quem tem o poder e não o homem. É você quem decide a compra do apartamento, a cor do carro, o filme a ser visto, o local das férias. É mesmo para você que vai o ouro extraído lá na lama. Bendita a hora em que você saiu da cozinha e, bem sucedida, ficou na frente de todos os homens.

E, se você que está lendo isto aqui, for um homem, tente imaginar a sua vida sem nenhuma mulher. Aí na sua casa, onde você trabalha, na rua, nas telenovelas. Só homens. Já pensou? Filmes só com homens? Romance sem uma Capitu ou uma Madame Bovary? Um casamento sem noiva? Um mundo sem cinturas e saboneteiras? Um mundo sem sogras? Enfim, um mundo sem metas.

Tá certo o mineirinho de Serra Pelada. Todo o ouro do mundo para as mulheres. E, aos homens, um abraço.

Mario Prata

Administrador é pago para pensar, não para trabalhar.

Davidson Prata

Um pequeno segredo de longevidade no casamento: Namorar todos os dias, o namoro é a fonte de energia para um casamento eterno.

Casamento matrimônio Casal Bodas Namoro Longevidade Energia Eterno

Ridículas são as pessoas que fazem as coisas escondidas por medo da reação dos outros.

Thaís Fontenele Prata

A vida é um longo caminho de interpretações saudáveis. Para isso, basta pensar com clareza e viver de acordo com essa máxima. Ama e trabalha como se hoje fosse o último dia da tua existência. Vive em plenitude, abrindo os possíveis da vida, com retidão e humildade.

Berta Quental Prata

A Parábola das Bodas – Mt 22.1-14

“1 Então Jesus tornou a falar-lhes por parábolas, dizendo:
2 O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de seu filho.
3 Enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir.
4 Depois enviou outros servos, ordenando: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado; os meus bois e cevados já estão mortos, e tudo está pronto; vinde às bodas.
5 Eles, porém, não fazendo caso, foram, um para o seu campo, outro para o seu negócio;
6 e os outros, apoderando-se dos servos, os ultrajaram e mataram.
7 Mas o rei encolerizou-se; e enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade.
8 Então disse aos seus servos: As bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos.
9 Ide, pois, pelas encruzilhadas dos caminhos, e a quantos encontrardes, convidai-os para as bodas.
10 E saíram aqueles servos pelos caminhos, e ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e encheu-se de convivas a sala nupcial.
11 Mas, quando o rei entrou para ver os convivas, viu ali um homem que não trajava veste nupcial;
12 e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui, sem teres veste nupcial? Ele, porém, emudeceu.
13 Ordenou então o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.
14 Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos.”

Nesta parábola nosso Senhor mostrou aos sacerdotes, escribas e fariseus, e ao povo de Israel em geral, um resumo da história deles de incredulidade e de rejeição da vontade de Deus.
Ele mostrou nesta parábola que o reino de Deus é comparado à participação de um banquete real de casamento que é promovido pelo próprio Deus, para celebrar as bodas de seu Filho.
Não há dúvidas que as bodas são as do próprio Cristo que se consumará por ocasião da Sua segunda vinda. Por ora, a Sua noiva, que é a Igreja, está sendo preparada (santificada) para ser-Lhe apresentada sem qualquer mancha ou ruga.
Os israelitas foram os primeiros convidados para estas bodas, pela fé deles em Deus. Todavia, ao longo da sua história, somente um remanescente era fiel a Deus, porque a nação como um todo, vivia de modo contrário à sua vocação.
Então Deus lhes enviou os Seus servos, os profetas, mas não atenderam o convite para participarem das bodas, pela sua conversão ao Senhor.
E como chegaram a matar alguns profetas que lhes foram enviados depois dos primeiros, Deus permitiu que a cidade deles de Jerusalém fosse queimada pelo babilônios, e muitos deles mortos, e conduzidos em cativeiro.
Todavia, Deus não os rejeitou de todo, e lhes enviou restauradores, principalmente nas pessoas de Zorobabel, Esdras, Neemias, Ageu, Zacarias e Malaquias, mas eles deram naquela geração má e incrédula dos dias de Jesus, de maneira que eram indignos de participarem das Suas bodas.
Motivo por que o Rei (Deus Pai) ordenou que se buscassem convidados entre aqueles que se encontravam pelas encruzilhadas dos caminhos e a todos quantos fossem encontrados. Isto é sobretudo uma referência aos gentios.
Este convite fora feito inteiramente pela graça, mas todo aquele que fosse digno de ser achado no banquete nupcial deveria estar vestido com a veste de justiça de Cristo, que também é concedida pela mesma graça, tanto quanto o convite à salvação.
De modo, que se fosse possível a alguém entrar na festa das bodas sem tal veste de justiça, o mesmo seria amarrado e lançado nas trevas exteriores onde há choro e ranger de dentes.
Por esta parábola nosso Senhor ensinou que apesar de muitos serem chamados à salvação, pelo convite do evangelho, somente os que receberem a cobertura da Sua veste de justiça, serão dignos de serem achados no banquete das bodas que eles próprios terão com Jesus Cristo.

Silvio Dutra

Bodas de amor quanto tesouro pode um casal alcançar , quanta saudade , como é bom recordar...sendo amado e tendo alguém para amar.

Sidnei Piedade

Mateus 22.2, 10-14: “O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de seu filho... E, saindo aqueles servos pelas estradas, reuniram todos os que encontraram, maus e bons; e a sala do banquete ficou repleta de convidados. Entrando, porém, o rei para
ver os que estavam à mesa, notou ali um homem que não trazia veste nupcial e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial? E ele emudeceu. Então, ordenou o rei aos serventes: Amarrai-o de pés e mãos e lançai-o para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger
de dentes”. Esta situação é semelhante à dos peixes ruins apanhados na rede do reino. A falta da veste nupcial provavelmente representa a falta de justiça que excede à dos escribas e fariseus. O homem mal vestido foi atraído pelo poder do reino, atraído do mundo para a sala
do banquete, tal como o peixe apanhado pela rede, mas esse homem não estava preparado para o reino e, por isso, foi lançado fora.

Pr. John Piper

Fazemos hoje 11 anos de casados que, tradicionalmente, são chamadas as Bodas de Aço.
Se quisermos definir a palavra, o Aço é uma liga metálica formada essencialmente por ferro e carbono(com tantos pontos comuns e diferentes como vc e eu) que se distingue pela sua ductilidade. Um material dúctil é aquele que se deforma sob tensão. Tal como o ouro, o cobre e o alumínio, o Aço também é muito dúctil. O oposto de dúctil é um material frágil, com pouca capacidade de se dobrar/deformar, quebrando-se com muita facilidade.
Assim está perfeitamente explicada a denominação, pois ao fim de 10 anos dobramos, vergamos, esticamos, sofremos incríveis pressões e, no entanto, nunca quebramos pois somos tudo menos frágeis!!! Fazemos, sem dúvida uma grande.."liga"

Para o bem e para o mal cá estamos, ligados e firmes como uma barra da aço, rsrsr
Obrigada pelo bom e pelo mau, sem o qual nunca daríamos valor às coisas boas!
Obrigada pela cumplicidade, compreensão, carinho, pelos sonhos, loucura...
Obrigada por te "fundires" comigo!
Obrigada por existir! e por sempre me dar amor incondicional!
Tua, desde sempre e para sempre, sem que nem sequer a morte nos separe! ;))))
E que venham os próximos 11 Anos..

Olinda Oliveira

Iniciam uma nova história de amor, dessas que ainda não dá para avaliar se acabará em festa de bodas ou consulta à terapeutas, mas ainda assim, bonita.

Maiara E. Ribeiro Dias

Você crê que Maria pede por você a Deus, hoje, da mesma forma como pediu nas Bodas de Caná?
Então pegue o que mais necessita neste momento, coloque nas mãos dela e diga:

Mamãe, pequeno sou.
Pega-me no colo pois estou triste.
Sinto-me impotente diante da minha dificuldade, e não sei que atitude tomar.
Estou sem recursos.
Leva-me em seu colo até a solução do meu problema.
Faz-me enxergar.
Serena meu coração, enxuga minhas lágrimas, ameniza minha dor.
A senhora é tão boa, Mãe.
Quero receber de Jesus, através das suas mãos, a cura para a minha dor.
Não rejeite o meu pedido.
Obrigada Mãe.
Amém.

Patrícia Assmann

Amar de verdade é ter a impressão de comemorar bodas todos os dias.

Rafael Estevan

Que possamos voltar o olhar à Mãe de Deus, Maria, nas bodas de Caná O seu olhar silencioso e perscrutador observa tudo e repara onde falta alguma coisa. E antes que alguém perceba e ocorra algum embaraço,ela já prestou a sua ajuda. Encontra meios e modos, dá as indicações necessárias, e isso tudo em silêncio, sem deixar perceber nada.

Aislan Keeslen

Bodas de ouro

Doralice,
A saudade,
Que sabes
Sobre ela?
Nada,
Jamais
Te abandonei.
Mas, Doralice,
E o amor?
Não! Por Deus!
Nada diga,
Senão choro
Também.

Carlos Massoco