Dedicatória para uma Professora

Cerca de 160 dedicatória para uma Professora

Os professores da minha escola

A professora de Matemática,
com suas contas complicadas,
falando em equações,
no Teorema de Pitágoras.

A professora de Português,
com seu modo indicativo,
falando em advérbios,
interjeições, substantivos.

A professora de Geografia,
com seus complexos regionais,
falando em sítios urbanos,
em pontos cardeais.

A professora de Ciências,
com seus ensinamentos ecológicos,
falando em evolução,
em estudos biológicos.

A professora de História,
com seus povos bizantinos,
falando na Idade Média,
no Imperador Constantino.

A professora de Inglês,
com seus don't, do e does,
falando em personal pronouns,
na diferença entre go e goes.

A professora de Artes,
com suas obras e seus artistas,
falando em artes ópticas,
em pintores surrealistas.

O professor de Educação Física,
com suas regras de voleibol,
falando sobre basquete,
em times de futebol.

Os professores da minha escola,
com suas matérias que às vezes não entendemos,
falando em todas as coisas,
que aos poucos vamos aprendendo.

Clarice Pacheco

Peça infantil

A professora começa a se arrepender de ter concordado (”você é a única que tem temperamento para isto”) em dirigir a peça quando uma das fadinhas anuncia que precisa fazer xixi. é como um sinal. todas as fadinhas decidem que precisam, urgentemente, fazer xixi.
— Está bem, mas só as fadinhas — diz a professora. — e uma de cada vez!
Mas as fadinhas vão em bando para o banheiro.
— Uma de cada vez! uma de cada vez! E você, onde é que pensa que vai?
— Ao banheiro.
— Não vai, não.
— Mas tia…
— Em primeiro lugar, o banheiro já está cheio. em segundo lugar, você não é fadinha, é caçador. Volte para o seu lugar.
Um pirata chega atrasado e com a notícia de que sua mãe não conseguiu terminar a capa. Serve uma toalha?
— Não. Você vai ser o único de capa branca. É melhor tirar o tapa-olho e ficar de anão. Vai ser um pouco engraçado, oito anões, mas tudo bem. Por que você está chorando?
— Eu não quero ser anão.
— Então fica de lavrador.
— Posso ficar com o tapa-olho?
— Pode. Um lavrador de tapa-olho, tudo bem.
— Tia, onde é que eu fico?
É uma margarida.
— Você fica ali.
A professora se dá conta de que as margaridas estão desorganizadas.
— Atenção, margaridas! Todas ali. Você não. Você é coelhinho.
— Mas meu nome é Margarida.
— Não interessa! desculpe, a tia não quis gritar com você. atenção, coelhinhos. todos comigo. Margaridas ali, coelhinhos aqui. lavradores daquele lado, árvores atrás. árvore, tira o dedo do nariz. Onde é que estão as fadinhas? Que xixi mais demorado!
— Eu vou chamar.
— Fique onde está, lavrador. Uma das margaridas vai chamá-las.
— Já vou.
— Você não, Margarida! Você é coelhinho. Uma das margaridas. Você. Vá chamar as fadinhas. Piratas, fiquem quietos!
— Tia, o que é que eu sou? Eu esqueci o que eu sou.
— Você é o sol. Fica ali que depois a tia… piratas, por favor!
As fadinhas começam a voltar. Com problemas. muitas se enredaram nos seus véus e não conseguem arrumá-los. Ajudam-se mutuamente mas no seu nervosismo só pioram a confusão.
— Borboletas, ajudem aqui! — pede a professora.
Mas as borboletas não ouvem. As borboletas estão etéreas. As borboletas fazem poses, fazem esvoaçar seus próprios véus e não ligam para o mundo. A professora, com a ajuda de um coelhinho amigo, de uma árvore e de um camponês, desembaraça os véus das fadinhas.
— Piratas, parem. O próximo que der um pontapé vai ser anão.
Desastre: quebrou uma ponta da lua.
— Como é que você conseguiu isso? — pergunta a professora sorrindo, sentindo que o seu sorriso deve parecer demente.
— Foi ela!
A acusada é uma camponesa gorda que gosta de distribuir tapas entre os seus inferiores.
— Não tem remédio. tira isso da cabeça e fica com os anões.
— E a minha frase?
A professora tinha esquecido. A lua tem uma fala.
— Quem diz a frase da lua é, deixa ver… o relógio.
— Quem?
— O relógio. Cadê o relógio?
— Ele não veio.
— O quê?
— Está com caxumba.
— Ai, meu Deus. Sol, você vai ter que falar pela lua. Sol, está me ouvindo?
— Eu?
— Você, sim senhor. Você é o sol. Você sabe a fala da lua?
— Me deu uma dor de barriga.
— Essa não é a frase da Lua.
— Me deu mesmo, tia. Tenho que ir embora.
— Está bem, está bem. Quem diz a frase da lua é você.
— Mas eu sou caçador.
— Eu sei que você é caçador! Mas diz a frase da lua! Eu não quero discussão!
— Mas eu não sei a frase da lua.
— Piratas, parem!
— Piratas, parem! certo?
— Eu não estava falando com você. Piratas, de uma vez por todas…
A camponesa gorda resolve tomar a justiça nas mãos e dá um croque num pirata. A classe unida avança contra a camponesa, que recua, derrubando uma árvore. As borboletas esvoaçam. Os coelhinhos estão em polvorosa. A professora grita:
— Parem! parem! A cortina vai abrir. Todos a seus lugares. Vai começar!
— Mas, tia, e a frase da lua?
— “Boa-noite, sol”.
— Boa-noite.
— Eu não estou falando com você!
— Eu não sou mais o sol?
— É. Mas eu estava dizendo a frase da lua. “Boa-noite, sol.”
— Boa-noite, sol. Boa-noite, sol. Não vou esquecer. Boa-noite, sol…
— Atenção, todo mundo! Piratas e anões nos bastidores. Quem fizer um barulho antes de entrar em cena, eu esgoelo. Coelhinhos nos seus lugares. Árvores para trás. Fadinhas, aqui. Borboletas, esperem a deixa. Margaridas, no chão.
Todos se preparam.
— Você não, Margarida! Você é o coelhinho!
Abre o pano.

Luis Fernando Verissimo

Tinha um monte de coisas que eu queria fazer ...
Eu quero ser professora, eu também quero ser astronauta ...
E também ter minha própria loja de bolos ...
Eu quero ir à loja de rosquinhas e dizer "Eu quero todas !" ...
Eu quero ir à trinta e um e dizer "Eu terei todas!"...
Eu quero poder viver umas 5 vezes ..
Então eu renasceria em 5 cidades diferentes ...
Eu me encheria com coisas diferentes e deliciosas 5 vezes cada ...
Eu teria 5 empregos diferentes ..
E então nessas 5 vezes ...
Eu me apaixonaria pela mesma pessoa ...

Bleach

Dançando a quadrilha
lembrei de aulas de francês.
Onde a professora?

Anibal Beça

- O que é que se consegue quando se fica feliz?, sua voz era uma seta clara e fina. A professora olhou para Joana.

- Repita a pergunta...?

Silêncio. A professora sorriu arrumando os livros.

- Pergunte de novo, Joana, eu é que não ouvi.

- Queria saber: depois que se é feliz o que acontece? O que vem depois? - repetiu a menina com obstinação.

A mulher encarava-a com surpresa.

- Que idéia! Acho que não sei o que você quer dizer, que idéia! Faça a mesma pergunta com outras palavras...

- Ser feliz é para se conseguir o quê?

Clarice Lispector

A experiência é uma professora cruel, mas você aprende. Meu Deus! Como você aprende!

C.S. Lewis

A Experiência é uma professora difícil, porque ela dá o teste primeiro e a lição depois.

Vernon Sanders Law

A melhor professora da vida é a humildade, ela nos ensina a reconhecer nossos erros e a pedir perdão.

Sergio Bezerra da Silva

Oração da Professora

BOM DEUS,
ao iniciar este novo dia desejo falar um pouquinho contigo.
É para dizer-te o meu muito obrigado por tudo o que me tens dado:
um caminho para trilhar, um ideal para atingir e
tantos seres para amar!
E também para pedir-te que continue ao meu lado, para que eu sinta tua presença, tua força e tua luz;
Venho pedir-te, meu Deus, alegria e entusiasmo para ajudar meus alunos a compreenderem as materias que leciono.
Que eu saiba tratar a todos com bondade e justiça, e que acima de tudo, com o meu exemplo, possa levar até eles a tua mensagem.
Que eu seja ponte, através da qual muitos possam chegar a ti.
Só assim terei a certeza de estar cumprindo integralmente a missão que me confiaste.
É o que desejava dizer-te.

Carol e Rafael

Nasci pra ser mulher de um,mãe de seis,professora de muitos e amiga de todos! Ê,laiá...

Chris M. Silva

Nem um método de fazer os alunos prestarem atenção funciona, exceto este:

Professora, pare de dizer a eles para ficarem calados e prestarem atenção. Para que eu fique rico, eu precisarei de mão de obra barata.

(Uma frase dita por um aluno com a voz bem alta, para que todos ouvissem.)

Lucas Samuel Costa Pereira

Se por ironia do destino, o amor se acabou...
Tenha certeza que nunca houve amor de verdade..
O amor puro, unico e verdadeiro, não tem fim.

Professora Thaty

Eu ainda vivo pelos bons...jamais morrerei pelos maus..eu sei quem são e não sujo os meus pés no caminho da maldade ..Eu sou luz vibro paz e amor..sou quem sou ..Aceite-me ou deixe-me..caso me aceite serei leal e fidedígna até o tempo que dura o amor verdadeiro e o amor ao próximo..respeitem as diferenças e nunca julgue quem tropeça..mas esteja preparado para discernir o que é mal e o que simplesmente não presta !!
Essa eu que escrevi de coração

Professora Julia Moraes

Vejo as minhas rugas, elas são as minhas lutas e minhas inspiradoras! Sem as rugas, não há história para serem escritas nas linhas.

Clarissa Guerretta - Professora de Libras

Tipos de grevistas

É comum, especialmente nos setores públicos, as greves. Elas representam uma manifestação social na busca de melhores salários e melhores condições de trabalho. Mas numa greve, existe vários tipos de grevistas. Observe as características abaixo e veja em que tipo de grevista você se enquadra:

 Grevista zumbi: se finge de morto nas manifestações, mas levanta do túmulo rapidinho na hora de receber o aumento de salário.

 Grevista parasita: um tipo bem comum. Deixa os outros lutarem por ele, sugando cada conquista que ele pouco ou nada contribuiu.

 Grevista dedo-duro: fica de olho nos colegas pra dedurar para os nossos “governantes”. É conhecido também como puxa-saco.

 Grevista dupla-face: na frente dos grevistas se mostra a favor da greve, mas na frente dos “governantes” se mostra totalmente contrário ao movimento. Esse tipo costuma ficar em cima do muro.

 Grevista fashion: aparece no movimento, desfila seu modelito e vai embora.

 Grevista abelha: aprece, faz cera e também vai embora.

 Grevista terremoto: treme só em pensar na greve com medo de perder seu cargo.

 Grevista papai Noel: não ajuda e só enche o saco.

 Grevista sambarelove: fala muito. Tem um discurso bonito, mas nada condizente com sua ação no movimento.

 Grevista consciente: é aquele que de fato conhece seu papel enquanto cidadão. Vê na greve um momento de lutas para melhores condições de trabalho e não umas férias antecipadas. Para este cada conquista é valiosa e merecida.

Portanto, pense bem em sua atitude e veja que tipo de grevista você é!

Professora triste com a acomodação da categoria