Declaração de uma Mãe para seu Filho

Cerca de 375 frases e pensamentos: Declaração de uma Mãe para seu Filho

Os clamores de algumas pessoas contra o pecado são como os de uma mãe contra o filho a quem repreende, mas que logo beija e acaricia.

John Bunyan em "O Peregrino"

Que tenhamos a capacidade de sermos mais irmãos, mais amigo, mais filho, mais mãe. Que tenhamos o desejo de sermos mais HUMANOS e de, além disso, o desejo de ser mais FELIZ!

Adriana Araujo Leal

Se toda mãe fosse igual, os filhos não seriam diferentes.

Dario Taboca

"A vantagem de ter sido filho de Pais separados, é que para sustentar a casa, minha Mãe, minha heroína, nunca teve tempo suficiente para contar historias antes de eu dormir. Lance como contos de fadas, e historias do tipo. Hoje não acredito em princesas e em 3 pedidos saídos de uma lampada empoeirada. Agradeço muito a ela, pois sei a onde piso e não dou mais que uma única chance." - L.R.

Luan Rodrigues Santos de Almeida

O amor de mãe é aquele que nunca se esgota, nem mesmo quando o filho escolhe trilhar caminhos tortuosos transformando sua paz em aflição.

Teresa Teth

"De valor na sua mãe em quando ela estiver viva, e tão triste ver um filho com remorso de não ter amado sua bela mãe..."

Kaio Giovanni Afonso Tavares

Tudo que nasce um dia morre, menos o amor entre uma mãe e o filho.

Nadir Khan

CARINHO
poetaDevany

O primeiro gesto
que a mãe demonstra ao filho é o carinho,
que é uma manifestação do seu Amor.

Esse é o primeiro exemplo
que a criança recebe
e em algumas vezes, já adulta,
é o primeiro exemplo a ser esquecido
ou para sempre lembrado.

Carinho: Chega a hora em que você tem um, chega a hora em que você faz um.

poeta Devany

Como doi o coração de uma mãe em ver seu filho se destruir nas drogas e bebidas.Isso me torna medrosa e impotente.

Rita Sementinha

Tudo não passou de brincadeira.
Como aquela que acaba no entardecer.
A mãe chamando o filho para o jantar e ele querendo ficar mais um pouco.
A mãe torna chama-lo, e ele diz : já vou!!!
E assim, a vida continua a brilhar e resplandecer as virtudes e as belezas da oportunidade.
Amanhã terá mais, amanhã será um novo dia com novas perspectivas.
Adeus hoje, e até amanhã, amanhã

Moacir Luiz Cucielo

“Amo tanto os conselhos que minha mãe me dava que os dou hoje aos meus filhos.”

Rockwell Lima

Perdoe-me mãe, por não ser um filho perfeito para você.

Wesley Pereira

Todo filho deve respeito a mãe e todo o mundo deve respeito a África

LuizaReis

Não consigo entender como uma mãe pode passar a vida inteira sem conhecer um filho.

Nancy Medina

Conto: "Um sonho de uma vida.."


Filho -Mãe, tive um pesadelo.
Mãe - O que foi meu filho, conta!
Filho -É meio difícil mãe, sonhei que você não existia, que eu era apenas um pequeno garoto e tinha que viver sozinho, cuidar da nossa família toda, eu fiquei perdido. Procurei você por toda parte, até que o papai disse que você tinha ido fazer uma viagem, e nunca mais iria voltar. Eu fiquei maluco, e reuni toda a turma do colégio para te buscar, foram anos procurando, íamos caminhado e nada eu gritava, mamãe eu sinto sua falta, volte, volte por favor, eu nunca perdi as esperanças, e meus amigos me davam força, dia a dia, para procurar a senhora, até que um dia caminhando no deserto, esperando que você esteja perdida, eu encontrei um senhor, já de idade, procurando a mãe dele, e então começamos a procurar juntos, estávamos caminhando, quando vi uma luz grande nos céus, parecia me chamar, até que um grande Homem me disse, que a senhora havia falecido, e que já estava na minha hora, então eu perguntei, moço vai doer morrer ? Ele me disse sorrindo:
-Não, pergunte a sua mãe se quiser .
-Como se ela já morreu?
- Ela esta do seu lado.
Assustado, olho para o meu lado direito, e lá esta ela, com as mãos em meu ombros, dizendo que no final de toda luta, e batalha tudo fica bem, e em um toque de mágica percebi que, a morte é uma palavra pesada, uma palavra de medo, que ninguém tem como fugir, e quem disse que é a pior coisa, só passando por isso para saber ... Foi isso mãe.
Mãe - Nossa filho, é emocionante saber que você em seus sonhos aprende tanto. E eu prometo, nunca ir embora, e não deixar você preparado para a vida. Te amo, meu filho.
Filho - Também te amo, mamãe, posso dormir com você e o papai aqui hoje?
Mãe - Claro meu filho, claro ..
As luzes foram apagadas, e eles dormiram felizes.

Fernando Marques

Maria na condição de mãe do criador, se coloca como intercessora junto a teu filho Jesus por NÓS.

_Neuza Coelho_

Assim como toda mãe protege os filhos, Maria Santíssima INTERCEDE a Seu filho Jesus pelos filhos da terra.

_Neuza Coelho_

[parte 18]

“Mãe?”

“Estamos interrompendo alguma coisa, filho?” disse a mãe, surpresa com o que tinha acabado de ver.

O clima era terrível, a situação extremamente constrangedora. Vocês tem noção disso, né? A menina não podia acreditar no que estava acontecendo. De repente, em menos de 24 horas a sua vida tinha virado do avesso. Agora veio a cereja do bolo: dançando em pleno paiol, com “platéia” ainda por cima! E o pior: estava “finalmente” conhecendo a tal Isabela - a garota que ela desejou ser por 2 anos. Ela já sabia que a bela morena com olhos cor de mel era linda. Só que a "infeliz" era mais linda ainda pessoalmente! Mais do que ela pudesse imaginar, mais do que ela gostaria. A música continuou tocando e a tia entrou no paiol para desligar a vitrola. Parecia cena de novela mexicana.

Ele olhou para Isabela. De forma áspera e visivelmente irritado, perguntou:

“O que você tá fazendo aqui, garota?”

“Eu tentei te ligar avisando que estava chegando, mas você não atendia... Mandei mensagens e você não respondeu! E agora vejo o porque... estava bem ocupado, né?” disse, em tom de sarcasmo, dando um sorriso.

A “nossa mocinha”, com os olhos arregalados, a respiração apertada, o coração a mil por hora e ainda por cima tremendo dos pés a cabeça, disse:

“Eu....tenho que fazer umas coisas lá...é... eu tenho que ir...” falou, com muita dificuldade. Dava pra notar o quanto a pobrezinha estava abalada.

E foi saindo, segurando uma mão na outra e com a cabeça baixa.

“Você não vai cumprimentar a sua tia?” perguntou a mãe do rapaz. Ela gostava da menina, tinha um carinho muito especial por ela. E apesar daquela situação toda, estava feliz em rever a "sobrinha". A garota se aproximou, timidamente e recebeu um abraço caloroso.

“Oi tia...me desculpe, eu tenho que ir... a gente se fala mais depois.”

“Você está linda!” disse, passando delicadamente a mão no rosto da jovem. “Deixa eu te apresentar: essa aqui é a Isabela, a..”

“... NAMORADA do filho dela” interrompeu Isabela, falando firme, cruzando os braços e dando um sorriso sarcástico.

“Namorada??? Você tá louca???” esbravejou ele, rindo ao mesmo tempo e a beira de um ataque de nervos. Passava a mão no cabelo e andava de um lado para o outro. Não estava acreditando naquilo tudo.

A garota deu um sorriso rápido e falou um "Oi Isabela" tão baixo que mal escutaram. E abaixando a cabeça novamente, saiu do paiol. A medida em que ia se afastando, ela aumentava os passos. Nem cogitou olhar para trás. Na verdade queria correr, mas não o fez. Não tinha nem vontade de chorar. Estava em estado de choque.

“Você não é mais minha namorada, Isabela!!!”
E virando-se para a mãe, perguntou:

“Que palhaçada é essa?”

“Pelo visto ‘a fila’ andou rápido hein, meu amor...” disse Isabela, mais irônica ainda.

“CA-LA TU-A BO-CA!” gritou ele, apontando o dedo para a menina. Ela se assustou ao perceber que ele estava realmente nervoso.

A tia, assistindo aquilo tudo e sem saber o que fazer, disse:

“Gente, por favor... vamos nos acalmar...vamos pra casa. O almoço vai ser servido...”

“Você não vai pra casa nenhuma, Isabela. Você vai embora dessa fazenda AGORA!” disse ele, nervoso.

“Lucas! Para com isso! Que coisa horrível é essa que você tá fazendo! Eu que trouxe a menina!” disse a mãe, sem entender o porque da agressividade do filho.

“O que você veio fazer aqui, mãe?” disse ele, sem pensar.

“Peraí, Lucas... como assim? Eu não tô entendendo essa sua reação! Qual o problema em eu ter vindo pra cá? O que tá acontecendo afinal?”

“Mãe....desculpa...” disse ele, de forma mais calma. Percebeu que estava passando dos limites. Respirou fundo e pausadamente perguntou: “Eu só quero saber porque você trouxe essa garota, mãe.”

A tia insistia:

“Por favor, não discutam aqui. Vamos para casa, conversar melhor....”

Ele, olhando para Isabela, disse:

“Se você não for embora agora, eu vou.”

A menina começou a chorar.

“Lucas, para com isso! Tô vendo que a gente precisa ter uma conversinha particular” disse a mãe, chamando-lhe a atenção.

Ele estava muito chateado. Irritado, desconsertado, frustrado. PASSADO.

“Desculpa, mãe, mas eu tô pulando fora. Vou embora daqui.”

Isabela começou a chorar mais ainda. A tia colocou as mãos sobre seus ombros e disse:

“Vem aqui, menina. Vamos pra casa. Vem tomar uma água pra se acalmar”. E olhando para mãe e filho, continuou: “O almoço vai ser servido. Não demorem, por favor”.

Depois que a tia e Isabela saíram, a mãe perguntou:

“O que tá acontecendo, Lucas? Você não é assim, meu filho. Porque essa reação agressiva?”

“Mãe...desculpa...eu tô nervoso...mas...você sabe que a gente terminou!! Porque você trouxe ela aqui?”

“Lucas, ela foi ontem lá em casa...disse que precisava muito te ver. Eu disse que você tinha saído de viagem e que eu tinha resolvido vir para a fazenda também. Teu pai tá viajando, teus irmãos...cada um na sua casa...poxa, eu não queria ficar sozinha naquele apartamento em pleno dezembro! E ela me implorou pra vir junto....disse que tinha chance de vocês voltarem...que estavam só dando um tempo...que tiveram uma briguinha boba... Eu achei que não tinha nada demais ela vir... Meu Deus, vocês namoraram por dois anos! Eu achei que ainda...ah, sei lá...”

“Não existe a menor possibilidade da gente voltar, mãe” afirmou ele.

“Eu acho que agora você é que está me devendo uma explicação, Lucas” e encarando o filho de forma séria, ela perguntou: “O que você estava fazendo com a Mariana aqui?”

Foi então que ele se ‘tocou’. Tinha ficado tão nervoso que se ‘esqueceu’ desse ‘pequeno detalhe’.

“Ah, meu Deus....a Mariana...” disse, colocando a mão na cabeça e fechando os olhos.

“Você chegou ontem, Lucas! O que aconteceu? Aliás, já deu tempo de acontecer alguma coisa?”

“Mãe, você não vai entender... é uma longa história... Vamos sair daqui. Eu preciso falar com a Mariana”.

(continua...)

Tainah Ferreira

Todo filho tem um andajá, que lhe foi dado por DEUS, chamado MÃE e que independente do número de filhos age com a mesma segurança e proteção necessária.
Este andajá nos segura nos momentos mas difíceis de nossas vidas para que não caíamos e se por ventura cheguemos a cair, que saíbamos levantar com sabedoria. Quanto mas velho ele fica, mais nos proteje.
Como todo filho, insistimos em trilhar por caminhos turbulentos que as vezes devastam nossas vidas e só deixam de pé, e inteiro, o andajá, que nos levanta e nos dá força para continuar lutando.
Só que um dia nos deparamos com a dor da perda, não temos mais a presença física do andajá na nossa vida, e temos que conseguir sobreviver sem ele. Neste momento começamos a relembrar de todo amor, orientação, ensinamentos, segurança e sensação de proteção que tivemos ao longo da nossa vida.
Ficamos felizes quando percebemos que mesmo sem o andajá, conseguimos reconhecer em nós todos os ensinamentos, palavras e atos, principalmente de amor, que recebemos ao longo da nossa caminhada. E é nesse momento que nos damos conta que de certa forma não perdemos o nosso andajá, pois ele continua vivo dentro de nós.

Mesmo depois da "viagem" eu ainda consigo sentir o seu amor, ouvir os seus ensinamentos e sentir a sua forte presença fazendo com que eu nunca me sinta só, pois, eu fui amada e orientada por um anjo chamado MÃE.
Obrigada por todos os ensinamentos no decorrer da vida.
Obrigada pelas vezes que caí e você estava lá para me segurar.
Obrigada por me fazer a mãe e mulher que sou.
Obrigada por nunca nos abandonar, mesmo nos momentos mais difíceis da vida, onde você era mãe e filha.

Homenagem a todas as mães e em especial a minha, WALNICE RIBEIRO DA SILVA, uma simples mulher que viveu pela imensidão do seu amor.

Hildenice Ribeiro da Silva

O amor de uma mãe pelo filho vai além da maternidade.
Não é necessário engravidar, esperar os nove meses da gestação, ver a barriga crescer, ter desejos ou enjoar para ser mãe.
Só precisamos ver a carinha deles pela primeira vez e ouvir o chorinho deles. E é nesse mesmo momento que o amor nasce como uma chama e ocupa todo o coração de uma mãe.
Eles só precisam do nosso amor, do nosso abraço e nós só precisamos do amor deles.
Olha como é maravilhoso o dom de ser mãe, uma pessoa tão pequena e capaz de mudar toda uma vida. Encher um lar de muito amor, um amor pleno, um amor sincero, um amor da alma, um amor de Deus...
Ser mãe é assim!!
Eu sou uma mulher muito realizada, pois sou mãe.

Hildenice Ribeiro da Silva