Declaração de uma Mãe para seu Filho

Cerca de 364 frases e pensamentos: Declaração de uma Mãe para seu Filho

Os braços da mãe são ninhos de ternura,
neles os filhos dormem e sonham;
e ambos jamais esquecem. AJMusskoff.

AJMusskoff

Comete um erro gravíssimo a mãe que se apega ao filho como uma Rafflésia. Possui a flor mais linda e imensa, mas penetra profundamente nas raízes de seus filhos, sufocando-os e tirando deles o simples direito de ter direitos. É a mãe maravilhosa que cuida, que dá a vida e que se hospeda eternamente.
Feliz da mãe que se faz desnecessária com o tempo.

hellowlu

Uma mãe lutadora tem sempre filhos com pouco percentagens de aceitação na sociedade.
Uma mãe lutadora, nunca erra da porta certa,
uma mãe lutadora vence sempre quando for a hora certa.

JOMAKI

Toda mãe protege e guia seus filhos à procura da calmaria como um navio em alto mar, sem âncora e sem bússola, até passar toda a tempestade.

Helgir Girodo

Uma mãe indigna é aquela que não devota o seu amor aos seus filhos.

Helgir Girodo

A mãe que garante a existência dos seus filhos pela amamentação e luta pelo seu crescimento físico e espiritual deve merecer a coroa mais sublime da vida.

Helgir Girodo

Dizem que depois do primeiro filho, mulheres não sentem mais cólica. Óbvio! Depois de experimentar a dor do parto, qualquer cólica é cócegas.

Cássio Guiot

Mãe,
a gente filho, não escolhe mãe...
é uma graça, um presente Dele.

Obrigado Deus,
por essa mãe maravilhosa!

André Aragues Lima (in memoria)
para mãe Nivalda Aragues Lima, via celular em 02/2005

André Aragues Lima

Quem nunca passou noites acordadas, por um chorinho, uma febre, uma pilhazinha com carga maior...quem nunca experimentou a sensação de um alguém fazer xixi em você ou até coisa pior...quem nunca se viu rindo e comentando de bobagens que só a você interessa...quem nunca juntou um objeto jogado mil vezes sabendo que seria a milésima primeira vez a ir ao chão... quem nunca tirou de si pra dar a outro...... quem nunca sentiu a dor da agulhada de vacina, no bracinho que não era o seu...quem nunca sacrificou tempo...quem nunca disse um não titubeando e querendo dizer sim...quem nunca chegou a emprestar o próprio corpo como moradia, abrindo mão de toda a estética...ou quem nunca adotou como seu, o sangue de outrem...quem nunca, nunca...coisas de mãe!

Débora Fernandes

Me disseram que eu sentiria um amor total por minha filha, não posso dizer que não fui avisada...mas nada poderia ter me preparado para tal intensidade.

marian keyes

A sociedade, tão moderna e tão incrivelmente despreparada e inclinada ao machismo como sempre foi. Diz-se uma sociedade reformada, onde a mulher revoluciona, tem seu espaço, compete profissionalmente, faz 1001 coisas ao mesmo tempo. Mas ainda esperam que vivamos presas à um casamento, um relacionamento, um macho, para sermos felizes. Concordo que algumas se tornam iscas perfeitas, cuidam do corpinho e do visual (ou ressaltam sua personalidade), e esperam ser o objeto perfeito de consumo de caras esbanjadores ou ainda a musa dos sonhos dos inspirados sonhadores. Agora tente vc, mulher, dizer que está bem sozinha. Inicia-se uma campanha de moralização, de correção dos seus valores. Não entendem a ausência de necessidade em uma mulher, de "precisar ter" (assim, gerúndio mesmo) um HOMI do seu lado. Querida sociedade, enfie seus conceitos onde lhe convier, menos na minha cabeça! rs... Quando eu sentir falta de um HOMI eu procuro um. Enquanto eu não sentir falta, me desculpem... Mas como muitos HOMENSSSS que priorizam momentos da sua vida, conquistas especiais, e se focam (aquele emprego, aquele concurso, aquela promoção, aquele projeto, o chopp com os amigos, etc), eu tbm nesse momento tenho um projeto de vida, um foco especial, e sinto muito mas nada vai ser mais interessante nesse momento: MEU FILHO!
Sou mãe solteira, não escolhi isso, mas já que aconteceu, então eu terei orgulho!
Mas por favor, não me atrapalhem achando que me falta "relacionamento" quando na verdade quando eu quis, eu não tive... Agora, eu não preciso mais.
Ahhhh... e não se trata de medo, receio, mágoa, tristeza... nada disso, nada ruim!
Quando aparecer alguém que me interesse, tenham certeza que eu pularei em cima com toda vontade. Mas, nesse momento, não sinto a menor falta e prefiro mil vezes ser 'feliz solteira" do que qualquer outra coisa que não seja "feliz".

Bjo no ombro! Me superei! kkkkkkkkkkkkkkk

Bianca I. N. Ben

Das mais belas criaturas da terra, Deus presenteou a raça humana com a mulher: das formas à perfeição; da criatura à co-criação. Mulher que se faz mãe, mãe que, em forma de amor, nos mostra a aproximação do "amar ao próximo como a si mesmo". Amor de Mãe não tem fim. Maternidade abençoada, que o Pai coloca como um dos mais belos autógrafos da natureza, iluminando o nosso orbe com a porta infinitamente bela para o renascimento humano.

Wladimir Spinelli

Há aproximadamente sete anos atrás minha vida ganhou um bônus. Eu queria muito, muito mesmo. Fiz cálculos de dias férteis, tomei coisas que falaram que ajudava 'a acontecer' e se tivessem me dito que dançar lambada, à meia noite, na lua cheia, no limite entre dois estados também garantisse o sucesso eu teria dançado. Com saia rodada e tudo.

Sempre quis ser mãe, parecia algo natural no processo da minha vida, mas quando cheguei aos 25 fui invadida por um desejo maior do que podia prever (e mais forte do que podia controlar). Entrava no supermercado e evitava a sessão de fraldas. O dia que me perdi entre as prateleiras e dei de cara com um pacote de Pampers tamanho G na minha frente desandei a chorar. Assim, na frente de todo mundo mesmo.
Andava pela rua e de repente todas as mulheres que passavam por mim tinham barriga redonda e pés em formato de bisnaguinha. Aquilo virou uma perseguição, concluí. Grávidas me perseguiam na rua! Chegava em casa aos pedaços, chorando pro marido, e o choro me dava ânsia. Maldita gastrite.

Que nada. Eu já estava grávida e não sabia.

A menstruação atrasou 1 dia e corri pra farmácia, para comprar um daqueles testes do xixi. Mentira. Eu já tinha uns três testes de marcas diferentes na gaveta da cômoda. Sou prevenida, tá? E não neurótica e absurdamente ansiosa como você está pensando aí.

Aqueles segundos entre o xixi e a bendita 'listrinha rosa adicional' duraram o mesmo tempo de uns dos filmes da trilogia do Senhor dos Anéis. Interessante observar como o tempo é relativo em casos de ansiedade - 1 minuto se transforma em horas, e ainda assim continua sendo 1 minuto.

Bingo. Ela apareceu! Sutil, num rosa pálido, mas estava lá. POSITIVO.

Esse ritual aconteceu na minha vida duas vezes, com 1 ano e 9 meses de diferença. Ambos planejados, ambos extremamente 'ansiados'. Ambos com finais felizes, graças a Deus.

Hoje sou mãe. Não que eu me sinta mais mãe do que quem não tem um positivo pra contar, até porque acredito que os filhos são gerados no coração e não no útero.

E o que eu posso dizer nesse dia cheio de corações, flores, "Como é grande o meu amor por você" e mensagens reaproveitadas ano a ano?
Que ser mãe não era nada disso que eu estava pensando.

Falam tanto em amor, mas de repente essa palavra ficou insuficiente pra definir o que eu sinto pelos meus dois pequenos. Sei lá... isso passa de 'amor'. É uma misto de loucura, paixão, intensidade e superlativos no meio, porque me vejo capaz de fazer coisas (e qualquer coisa) por esses dois seres. É uma conexão tão forte que, o que dói neles dói três vezes mais em mim.

Falam tanto em 'abrir mão', mas o fato de ter me tornado mãe não me anulou como mulher. Amo meus filhos. Mudei/adaptei/controlei muitas coisas depois que chegaram na minha vida. Mas continuo com minhas necessidades profissionais, românticas e fisiológicas (como dormir, fazer xixi de porta fechada e passar um final de semana sozinha com o marido). Querer tudo isso e ser assim não me torna uma mãe ruim ou egoísta. Sou mulher e justamente por isso tive o privilégio de ser mãe. Uma coisa não exclui a outra, aliás se complementam.

Só sei dizer, entre tantas teorias, que a prática tem me mostrado que ser mãe é ser eu mesma. Não me transformei em super mulher e nem em uma pessoa melhor que os outros.

No meu caso, ser mãe é ser exagerada, imperfeita, ansiosa, às vezes cansada, outras disposta, intensa, sonhadora, justa, injusta, esforçada, por vezes preguiçosa, preocupada e apaixonada.

Muito apaixonada.
Mais até do que cabe no meu coração.

Tainah Ferreira

As palmadas que eu deixei de levar na infância a vida se encarregou de me dar quando eu cresci. Garanto que foram bem cruéis, aliás são até hoje.

Amo demais os meus filhos pra deixar isso acontecer com eles.

Tainah Ferreira

MINHA FRASE 0574
Alguns humoristas são tão distraídos, tão incompetentes, tão injustos, tão mal humorados - ou tudo isso junto - pois só sabem fazer "humor" esculhambando os outros, a mãe dos outros, os filhos dos outros... Nunca os próprios!

Horlando Halergia

Bem da maneira que teu amor me cerca e me abriga, só assim meu coração descansa em tua beleza

Lucy Helen Salles

Porque você é um menino e eu ainda posso ser o seu remédio, mas a vida vai lhe mostrar que não sou perfeita, que tenho falhas, desvios e manias, que não possuo varinha de condão nem respostas pra tudo, que a dipirona tem propriedades maiores que minha presença, que não sou digna de ser seu espelho porque meus erros serão fatalmente identificados por você no futuro para que não os repita com seus próprios filhos.
Mas não tem importância, hoje trato de aproveitar cada segundo ao seu lado, gravando na pele a sensação de seu corpo arredondado, sua risada farta e barulhenta, o toque de suas mãozinhas no meu cabelo, seu cheiro, sua respiração profunda quando adormece. Essas são minhas relíquias, tesouros escondidos numa porção extensa do coração, consolo para os dias ruins e saudades futuras...

Fabíola Simões

O amor universal é tão simples e traz uma sensação tão incrível! Quando você passar a olhar um adulto e se ligar que este adulto já foi um inocente um dia, já foi uma criança, você passa a tolerar muitas coisas e até mesmo perdoa-lo... Aceita-lo do jeito que é... Faça este exercício gente é maravilhoso e a alma agradece. Desperta um sentimento maternal, - e mãe sempre perdoa um filho.

Alexia Garcia

A imagino ensinando-lhe os primeiros passos, as primeiras palavras, sua angústia a cada joelho ralado, os abraços apertados antes de dormir...
O imagino na fase dos "porquês", dizendo "mamãe!", a admiração a cada nova coisa aprendida, ao tocar a carpintaria pela primeira vez...
A imagino vendo-o cair sem poder ajudar-lhe nesses passos, tão ferido que não fala, joelhos em carne viva, sem poder abraçar-lhe...
O imagino vendo sua mãe e já aceitando todos os "porquês", sem poder falar "mamãe!", tão certo da missão que a admiração foi-se ficando no caminho, tocando a carpintaria pela última vez...
A imagino Mãe...
O imagino Filho...

Rogério Medeiros

Mãe não tem diploma ou certificado. Nem carteira de habilitação, fórmula matemática ou contrato de letras miúdas. Mesmo que ser mãe não seja para qualquer uma. Por isto, não haverá mãe por decreto judicial, por lei irrevogável ou por receita médica. Não mãe de verdade. Nem basta se declarar mãe apenas por se achar que é. Não há presunção de maternidade. É preciso ser, simplesmente ser. Mas, antes de tudo, é preciso saber ser mãe.

Oscar Bessi Filho