Declaração de uma Mãe para seu Filho

Cerca de 375 frases e pensamentos: Declaração de uma Mãe para seu Filho

É fato que num certo dia os filhos nascem. Mas intuo que eles nunca saem de dentro da mãe.

Path Brito

Mãe,
a gente filho, não escolhe mãe...
é uma graça, um presente Dele.

Obrigado Deus,
por essa mãe maravilhosa!

André Aragues Lima (in memoria)
para mãe Nivalda Aragues Lima, via celular em 02/2005

André Aragues Lima

Dizem que depois do primeiro filho, mulheres não sentem mais cólica. Óbvio! Depois de experimentar a dor do parto, qualquer cólica é cócegas.

Cássio Guiot

Se minha mãe soubesse o que os jovens da minha idade fazem, ela agradeceria por ter um filho como eu

Deyvid Dias

Os braços da mãe são ninhos de ternura,
neles os filhos dormem e sonham;
e ambos jamais esquecem. AJMusskoff.

AJMusskoff

A maior bênção de ser filho único é que as pessoas perfeitas com quem se é comparado são do mundo lá fora.

Ludmila Clio

É preciso ter muita sabedoria para ser mãe e proporcionalmente muita gratidão para ser filho.

Ludmila Clio

Você, mãe, que cuida bem de seu filho, lhe dá carinho e amor, não é a mulher maravilha, mas é uma maravilha de mulher !

Marcos Alves de Andrade

Não culpe os filhos pelos pais que tem, nem os pais pelos filhos que tem, ambos não tem culpa.

Patricia Angel

Para mãe cada filho é um pedacinho de amor que juntos se formam um todo, não podendo faltar nenhum.

Elisangela Retamiro Bar

Mae é orgulhosa.Ta errada mas não admite,a ainda usa o titulo de mãe para o filho abaixar a cabeça e calar a boca quando sabe que ta errada e ainda faz o filho se sentir o pior do mundo.Não é porque é mãe que sempre esta certa.

Flavia Pereira

Para uma mãe, tão importante quanto um filho é o carinho e o reconhecimento dele ao amor dela.

Gil Veloso

Mãe! Tu és aquela fiel companheira
Mulher de fibra e coragem
Nós filhos hoje queríamos
Viver e ser sua imagem.
Com garra abraçou a luta
Em todos momentos da vida
Sempre esteve ao nosso lado
Em muitas horas sofridas.
Nós filhos hoje te saudamos
mãe, mulher nunca esquecida!
Se na intimidade permites
Um abraço. Oh! Mãe querida!
De seus filhos.

Lourdes P. Delmasso

Me disseram que eu sentiria um amor total por minha filha, não posso dizer que não fui avisada...mas nada poderia ter me preparado para tal intensidade.

marian keyes

Quem nunca passou noites acordadas, por um chorinho, uma febre, uma pilhazinha com carga maior...quem nunca experimentou a sensação de um alguém fazer xixi em você ou até coisa pior...quem nunca se viu rindo e comentando de bobagens que só a você interessa...quem nunca juntou um objeto jogado mil vezes sabendo que seria a milésima primeira vez a ir ao chão... quem nunca tirou de si pra dar a outro...... quem nunca sentiu a dor da agulhada de vacina, no bracinho que não era o seu...quem nunca sacrificou tempo...quem nunca disse um não titubeando e querendo dizer sim...quem nunca chegou a emprestar o próprio corpo como moradia, abrindo mão de toda a estética...ou quem nunca adotou como seu, o sangue de outrem...quem nunca, nunca...coisas de mãe!

Débora Fernandes

Há aproximadamente sete anos atrás minha vida ganhou um bônus. Eu queria muito, muito mesmo. Fiz cálculos de dias férteis, tomei coisas que falaram que ajudava 'a acontecer' e se tivessem me dito que dançar lambada, à meia noite, na lua cheia, no limite entre dois estados também garantisse o sucesso eu teria dançado. Com saia rodada e tudo.

Sempre quis ser mãe, parecia algo natural no processo da minha vida, mas quando cheguei aos 25 fui invadida por um desejo maior do que podia prever (e mais forte do que podia controlar). Entrava no supermercado e evitava a sessão de fraldas. O dia que me perdi entre as prateleiras e dei de cara com um pacote de Pampers tamanho G na minha frente desandei a chorar. Assim, na frente de todo mundo mesmo.
Andava pela rua e de repente todas as mulheres que passavam por mim tinham barriga redonda e pés em formato de bisnaguinha. Aquilo virou uma perseguição, concluí. Grávidas me perseguiam na rua! Chegava em casa aos pedaços, chorando pro marido, e o choro me dava ânsia. Maldita gastrite.

Que nada. Eu já estava grávida e não sabia.

A menstruação atrasou 1 dia e corri pra farmácia, para comprar um daqueles testes do xixi. Mentira. Eu já tinha uns três testes de marcas diferentes na gaveta da cômoda. Sou prevenida, tá? E não neurótica e absurdamente ansiosa como você está pensando aí.

Aqueles segundos entre o xixi e a bendita 'listrinha rosa adicional' duraram o mesmo tempo de uns dos filmes da trilogia do Senhor dos Anéis. Interessante observar como o tempo é relativo em casos de ansiedade - 1 minuto se transforma em horas, e ainda assim continua sendo 1 minuto.

Bingo. Ela apareceu! Sutil, num rosa pálido, mas estava lá. POSITIVO.

Esse ritual aconteceu na minha vida duas vezes, com 1 ano e 9 meses de diferença. Ambos planejados, ambos extremamente 'ansiados'. Ambos com finais felizes, graças a Deus.

Hoje sou mãe. Não que eu me sinta mais mãe do que quem não tem um positivo pra contar, até porque acredito que os filhos são gerados no coração e não no útero.

E o que eu posso dizer nesse dia cheio de corações, flores, "Como é grande o meu amor por você" e mensagens reaproveitadas ano a ano?
Que ser mãe não era nada disso que eu estava pensando.

Falam tanto em amor, mas de repente essa palavra ficou insuficiente pra definir o que eu sinto pelos meus dois pequenos. Sei lá... isso passa de 'amor'. É uma misto de loucura, paixão, intensidade e superlativos no meio, porque me vejo capaz de fazer coisas (e qualquer coisa) por esses dois seres. É uma conexão tão forte que, o que dói neles dói três vezes mais em mim.

Falam tanto em 'abrir mão', mas o fato de ter me tornado mãe não me anulou como mulher. Amo meus filhos. Mudei/adaptei/controlei muitas coisas depois que chegaram na minha vida. Mas continuo com minhas necessidades profissionais, românticas e fisiológicas (como dormir, fazer xixi de porta fechada e passar um final de semana sozinha com o marido). Querer tudo isso e ser assim não me torna uma mãe ruim ou egoísta. Sou mulher e justamente por isso tive o privilégio de ser mãe. Uma coisa não exclui a outra, aliás se complementam.

Só sei dizer, entre tantas teorias, que a prática tem me mostrado que ser mãe é ser eu mesma. Não me transformei em super mulher e nem em uma pessoa melhor que os outros.

No meu caso, ser mãe é ser exagerada, imperfeita, ansiosa, às vezes cansada, outras disposta, intensa, sonhadora, justa, injusta, esforçada, por vezes preguiçosa, preocupada e apaixonada.

Muito apaixonada.
Mais até do que cabe no meu coração.

Tainah Ferreira

As palmadas que eu deixei de levar na infância a vida se encarregou de me dar quando eu cresci. Garanto que foram bem cruéis, aliás são até hoje.

Amo demais os meus filhos pra deixar isso acontecer com eles.

Tainah Ferreira

A imagino ensinando-lhe os primeiros passos, as primeiras palavras, sua angústia a cada joelho ralado, os abraços apertados antes de dormir...
O imagino na fase dos "porquês", dizendo "mamãe!", a admiração a cada nova coisa aprendida, ao tocar a carpintaria pela primeira vez...
A imagino vendo-o cair sem poder ajudar-lhe nesses passos, tão ferido que não fala, joelhos em carne viva, sem poder abraçar-lhe...
O imagino vendo sua mãe e já aceitando todos os "porquês", sem poder falar "mamãe!", tão certo da missão que a admiração foi-se ficando no caminho, tocando a carpintaria pela última vez...
A imagino Mãe...
O imagino Filho...

Rogério Medeiros

Das mais belas criaturas da terra, Deus presenteou a raça humana com a mulher: das formas à perfeição; da criatura à co-criação. Mulher que se faz mãe, mãe que, em forma de amor, nos mostra a aproximação do "amar ao próximo como a si mesmo". Amor de Mãe não tem fim. Maternidade abençoada, que o Pai coloca como um dos mais belos autógrafos da natureza, iluminando o nosso orbe com a porta infinitamente bela para o renascimento humano.

Wladimir Spinelli