Decidi

Cerca de 575 frases e pensamentos: Decidi

E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar...
Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de as superar.
Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tivesse sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde.
Agora me importa simplesmente saber melhor o que fazer.
Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de"amigo".
Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, "o amor é uma filosofia de vida".
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma tênue luz no presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas...
Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornarem-se realidade.
E desde aquele dia já não durmo para descansar... simplesmente durmo para sonhar.

Walt Disney

Mas chega. Hoje decidi que estou prestes a assumir meu coração vazio. Não decidi isso movida por uma grande coragem ou por um momento de iluminação. Nada grandioso aconteceu. Apenas sinto que dei um pequeno, quase imperceptível, passo para uma vida mais madura. Eu simplesmente não suporto mais pintar o céu de cor-de-rosa para achar que vale a pena sair da cama.

Tati Bernardi

Eu decidi, desde muito cedo, apenas aceitar a vida incondicionalmente. Eu nunca esperei que ela fizesse nada especial por mim, apesar de eu conseguir alcançar muito mais do que cheguei a imaginar. Na maioria das vezes essas coisas só aconteceram sem que eu procurasse por elas.

Audrey Hepburn

Decidi não ficar mais triste. Certas coisas não valem minha dor.

Cazuza

Como um jovem com grande parte de minha vida ainda pela frente eu decidi bem cedo dar minha vida por algo absoluto e eterno. Eu não vou colocar minha a base de minha fé nos pequenos deuses que podem estar conosco em poucos momentos de prosperidade, mas no Deus que caminha conosco através do vale da sombra da morte, e nos motiva a não temer mal algum. Este é o Deus.

Martin Luther King

Decidi então tomar como guia de minha nova análise a atração que eu senti por certas fotos. Pois pelo menos dessa atração eu estava certo. Como chamá-la? Fascinação? Não, tal fotografia que destaco e de que gosto não tem nada do ponto brilhante que balança diante dos olhos e que faz a cabeça oscilar; o que ela produz em mim é exatamente o contrário do estupor; antes uma agitação interior, uma festa, um trabalho também, a pressão do indizível que quer se dizer. Então? Interesse? Isso é insuficiente; não tenho necessidade de interrogar minha comoção para enumerar as diferentes razões que temos para nos interessarmos por uma foto; podemos: seja desejar o objetovo, a paisagem, o corpo que ela representa; seja amar ou ter amado o ser que ela nos dá a conhecer; seja espartamo-nos com o que vemos; seja admirar ou discutir o desempenho do fotógrafo, etc.; mas esses interesses são frouxos, heterogêneos; tal foto pode satisfazer a um deles e me interessar pouco; e se tal outra me interessa muito, eu gostaria de saber o que, nessa foto, me dá estalo. Assim, parecia-me que a palavra mais adequada para designar (provisoriamente) a atração que sobre mim exercem certas fotos era "aventura". Tal foto me advém, tal outra não.
O princípio da aventura permite-me fazer a Fotografia existir. De modo inverso, sem aventura, nada de foto. Cito Sartre: "As fotos d eum jonal podem muito bem 'nada dizer-me', o que quer dizer eu eu as olho sem pô-las em posição de existência. Assim as pessoas cuja fotografia vejo são bem alcançadas através dessa fotografia, mas sem posição existencial, exatamente como o Cavaleiro e a Morte, que são alcançados através da gravura de Dürer, mas sem que eu os ponha. Podemos, aliás, deparar com casos em que a fotografia me deixa em um tal estado de indiferença, que não efetuo nem mesmo a 'colação em imagem'. A fotografia está vagamente constituída como objeto, e os personagens que nela figuram estãos constituídos como personagens, mas apenas por causa de sua semelhança com seres humanos, sem intencionalidade particular. Flutuam entre a margem da percepção , a do signo e a da imagem, sem jamais abordar qualquer uma delas".
Nesse deserto lúgrube, me surge, de repente, tal foto; ela me anima e eu a animo. Portanto, é assim que devo nomear a atração que a faz existir: uma animação. A própria foto não é em nada animada (não acredito nas fotos "vivas") mas ela me anima: é o que toda aventura produz.

Roland Barthes

Decidi que não quero mais entender,
não quero mais encenar,
não quero mais que me expliquem essa bagunça,
já não preciso ser conduzida a nenhuma espécie de iluminação.
Atravessei paredes.
Estou do lado de fora.

Martha Medeiros

"Mas chega. Hoje decidi que estou prestes a assumir meu coração vazio. Não decidi isso movida por uma grande coragem ou por um momento de iluminação. Nada grandioso aconteceu. Apenas sinto que dei um pequeno, quase imperceptível, passo para uma vida mais madura. Eu simplesmente não suporto mais pintar o céu de cor-de-rosa para achar que vale a pena sair da cama."

Tati Bernardi

Hoje decidi que estou prestes a assumir meu coração vazio. Não decidi isso movida por uma grande coragem ou por um momento de iluminação. Nada grandioso aconteceu. Apenas sinto que dei um pequeno, quase imperceptível, passo para uma vida mais madura. Eu simplesmente não suporto mais pintar o céu de cor-de-rosa para achar que vale a pena sair da cama.
Não posso mais emprestar mistério ao vazio, vida ao oco, esperança ao defunto, saliva ao seco. Não posso mais emprestar meus desejos para que pessoas se tornem desejáveis. E, finalmente, não posso mais inventar amor só para poder falar dele!

Tati Bernardi

Adoro aquele que não posso amar. Apaixonei-me sem querer, mas sigo com ele porque decidi aproveitar a beleza de momentos mágicos onde somos um só. Já não tenho receio que não dure, ou que não haja juras de amor eterno. Não quero falar de futuro. Vivo apenas ao som dos ponteiros do relógio, esperando por dias diferentes, com ele ou sozinha, não importa, desde que esteja feliz. De que adianta esperar por acções que talvez nunca aconteçam? Ou por situações que nunca cheguem? A culpa não chama por mim e a consciência é minha cúmplice na luta que travo com ele. Pergunto-me todos os dias porque continuo a desejar ardentemente aqueles beijos em que ele me barra o ar e me faz sentir especial. Detesto todas as despedidas, e tenho sempre medo que seja a última oportunidade para sentir aqueles abraços no meu contorno. Estremeço se pensar que vamos acabar por compreender a dimensão do desacerto que estamos a praticar connosco, e com terceiros. Permaneço inquieta, à espera de um indício dos meus escrúpulos, que parecem não viver no léxico do que vivo com ele. Todos os ensejos são especiais, únicos e incomparáveis. Não nos absorvemos por nada ou por alguém, nem esperamos nada um do outro. Realizamos a nossa peça normalmente, como se tudo fosse perfeito. Talvez seja, e a única imperfeição seja criada por nós. Agora, depois e após, sinto um temor exíguo, uma angustia que não esgota e estou a deprecar, com toda a energia, para que tudo corra bem. Para que ele volte seguro para mim, não para sempre, mas até o sentimento resistir. Não sou dele, mas também não pertenço a ninguém. Sou apenas quem sempre fui, na luta de uma paixão constante e verdadeira. Não posso pensar que o quero, que é a pessoa perfeita por quem sempre esperei. Seguirei apenas, o caminho que me esta desenhado, talvez ele queira caminhar a meu lado…

Paula Fernandes e Sousa

“Se eu decidi que eu sou a garota que poderá mudar o mundo, posso fazê-lo quando quiser.”

Demi Lovato

RECOMEÇAR

Percebi finalmente
de qual material seu coração é feito
e decidi que desse jeito
não me interessa mais tê-lo ao meu lado.
O material que o reveste está contaminado
encontra-se em lastimável estado.
Você nem sabe mais o que é afeição
muito menos consideração.
Nossos corações estão em lados opostos
batem diferente.
O meu é sincero e o seu inconseqüente.
Por isso não o quero mais junto de mim
melhor eu sofrer um pouco agora
mas nisso tudo dar um fim.
Se vai ser bom para nós, não sei
mas vai ter que ser assim.
Reconstruo a minha vida
coloco ao meu lado alguém que possa me merecer
e quanto a você, tento esquecer.
Sei que fácil não vai ser
mas também sei que posso tentar
afinal a vida só vale a pena
porque é um eterno recomeçar.

Silvana Duboc

Decidi não me preocupar mais com aquilo que as pessoas pensam à respeito de mim mesmo. O que vale é eu estar bem comigo, com a minha essência, e se isso me faz bem e feliz, é o que importa.

Tumblr

Como um jovem com grande parte de minha vida ainda pela frente eu decidi bem cedo dar minha vida por algo absoluto e eterno. Eu não vou colocar a base de minha fé em um deus que pode nos dar alguns carros Cadillacs e Buicks conversíveis, embora eles sejam lindos, que estão na moda hoje e ficarão fora de moda depois de três anos, mas em um Deus que criou as estrelas para ornar os céus como faróis tremeluzentes de eternidade.

Martin Luther King

Como um jovem com grande parte de minha vida ainda pela frente eu decidi bem cedo dar minha vida por algo absoluto e eterno. Eu não vou colocar a base de minha fé em um deus que pode construir alguns edifícios arranha-céus, mas em um Deus que criou as gigantescas montanhas, beijando o céu, como se banhassem seus picos no imponente azul.

Martin Luther King

Como um jovem com grande parte de minha vida ainda pela frente eu decidi bem cedo dar minha vida por algo absoluto e eterno. Eu não vou colocar a base de minha fé em um deus que pode nos dar alguns rádios e aparelhos de TV, mas em um Deus que criou a grande luz cósmica que se levanta cedo de manhã no horizonte leste, que pinta seu technicolor através do azul, algo que o homem nunca pode fazer.

Martin Luther King

E eu decidi. Prometemos segredo, não é? Até a gente ser feliz e ninguém ter mais nada a fazer, senão, engolir a crítica e aceitar que pessoas de origens diferentes podem ser do mesmo mundo, sim!
Eu queria explicar tudo o que passa aqui dentro, todos esses dias e anos de espera, todo esse Universo que sempre nos rodeou. Porque, a nossa sabedoria é loucura pro mundo.
Bom... Nada de texto dramático dizendo tudo, né? Eu sempre me entrego em textos assim.
Mas você veio pra se arrumar na minha confusão, pra acender a luz que apaga a solidão, pra refletir os seus olhos nos meus e o seu sorriso no meu.
Antes de você chegar eu não sabia mais sofrer, eu não sabia mais o que pensar e foi exatamente por isso que tomei a decisão de não pensar em nada. E foi quando eu estava assim, com a mente vazia de sentimento, que você encheu ela com seu bom humor, seu jeitinho de olhar a vida e sua mania de me fazer sorrir até chorando.
Sabe como é entregue uma carta de suspiros? Pelo vento...
E as minhas são entregue a você todas as manhãs, enquanto toma seu café que mais parece um almoço.
O meu caminho continua doce porque você veio caminhando naquela via paralela, o tempo todo, sem eu saber que você estava ali. Pensando encontrar em qualquer outro a emoção que eu tenho com você.
Só com você. Meu bem querer.

Mayara Freire