Cruzeiro

Cerca de 37 frases e pensamentos: Cruzeiro

E me rio do que já vi.
Do que já me assustou, e venci!
Daquilo onde sofrendo, aprendi.

Urutú Cruzeiro

O Cruzeiro do Sul resplandecerá sobre os gramados
E tomará do pássaro negro a glória passada
Surpreendendo quem ia ao leme
E quem se preparava com pó de arroz...

29/11/2010

Augusto Branco

O Cruzeiro do Sul resplandecerá sobre os gramados
E tomará do pássaro negro a antiga glória...

29/11/2010

Augusto Branco

Tudo que é fácil,
É difícil!
E o que é seguro,
Pode ser bem perigoso.
Tudo é divino.
Tudo é...
Ma-ra-vi-lhoso.
Tudo é tudo,
Quase nada,
Paladar delicioso.
Petit Gateaux,
Com sorvete cremoso.
E vida vem
E roça e vai,
Como um gato dengoso.
Passos insinuantes,
Garras sem repouso.
E o gato caiu ! Caiu ?
Em um pulo cauteloso.
O que parece fácil
Pode ser bem doloroso.
Tranqüilidade, segurança, repouso.
Ansiedade apreensão, tic - tique nervoso.

Urutú Cruzeiro

Paixão é uma forma de assalto.

De repente : PÃ, NOCAUTE!

Uma imagem, um gesto, um perfume, a simples admiração e vc se vê tomado, admirado, desarmado.

APAIXONADO!

Os objetos de minha paixão podem ser uma causa, profissão, uma pessoa, familia... sei lá.

Gozado... eu não escolho minhas paixões, é simples instinto.

Gosto de sua forma mais pura, e me faz bem querer bem.

Minhas paixões conseguem tudo comigo. Tudo!

Mas nem sempre a paixão é segura e ai vc tem de saber qual é a sua.

Paixão rima com intenção, e nem todas são iguais.

Qual a primeira intenção?

Qual a segunda intenção?

Qual o motivo?

Tenho me indagado sobre os "Motivos".

Qual é o motivo?

Por que?

Qual o meu motivo de fazer certas coisas, o seu, o nosso nessa dança louca que é a descoberta de si e do outro, com passos de ida e vinda, onde nem sempre o cavalheiro conduz.

Acho que se elege um alvo especial para poder ser especial.

O motivo de querer bem depende de bem se querer porque quem se anula não quer bem a ninguém.

Urutú Cruzeiro

Naquele momento nada mais importava e não havia um par, havia um só.
Isso, se correspondido, para mim é perfeito.
A unidade em dois.
A unidade que traz cumplicidade, identidade, que enlaça.
O par para ser perfeito deve ter esse poder, se não vira conveniência ou ¨amigão¨.
E isso não é par.
Par é complemento do que não pode ser singular, fazendo em dois um só.
Um exemplo bobo, um par de sapatos que formam o calçado e que nada vale se separadas as unidades.
Bacana isso não é?
Mas quando se trata de associação de pessoas com características individuais, o par para ser ¨perfeito¨ tem haver com o que você quer para a sua vida.
Para que não se plante cobranças futuras e frustrações.
Para que um não puche para um lado e o outro para o outro, o que destroi qualquer paixão.
Par, para ser perfeito, deve ter limite de doação calculado dentro do viável

Urutú Cruzeiro

Teimar com quem não quer,
Pelejar com quem não pode,
E querer sem ser querido,
São três tempos perdidos!

Urutú Cruzeiro

Sociocracia

Você já pensou em uma sociedade que tenha capacidade relativa de autogerenciar-se? A Democracia se reinventa e com o advento da tecnologia será o homem, ser social, um dia capaz de criar estruturas diretas de autogestão?

A Sociocracia (Socio = sociedade; kratos = poder), onde o poder emana da sociedade de forma direta e participativa. Imaginem caros leitores, uma sociedade que os dirigentes de órgãos da Administração Direta e Indireta, todos os agentes públicos Comissionados e representantes Políticos fossem escolhidos por processo de concurso público, onde a valorização do conhecimento tornaria os mais aptos para a função de gestão do governo apenas pelo período de tempo do exercício dos Processos de votação democrática, não superior a quatro anos consecutivos.

No sistema democrático atual o excesso de Agentes Políticos faz com que a eficiência do aparato estatal diminua sensivelmente, pois a verba pública acaba por se perder no meio dos processos intermediários até a chegada ao ponto final demandante da verba específica necessário ao atendimento popular. O certo é o fato que o interesse particular tende a prevalecer sobre o público, porque os políticos brasileiros, com raras exceções, estabelecem estruturas de patriarcais no comando dos seus atos, em que o objetivo não é o bem comum, mas a continuidade do poder que seu núcleo de interesse, seja familiar ou oligárquico, mantém sobre a sociedade.

Muitos países ainda não saíram da estrutura patriarcal que é transmitida aos herdeiros de geração a geração. A democracia ainda não existiu na maioria dos países que compõem a ONU. O problema é que o setor privado torna-se refém do monopólio público das estruturas necessárias ao desenvolvimento de uma nação. As condições necessárias para a manutenção estatal poderiam se condicionar apenas as formas mais genéricas de resolução de conflitos entre particulares e diretrizes estabelecidas por pessoas qualificadas cientificamente, conforme descrito no primeiro parágrafo, para melhor gerir a população como um todo.

Não existe economicidade na atual estrutura Política das nações periféricas. Grande parte dos recursos públicos é canalizada para o pagamento de Agentes Políticos e Comissionados. A estrutura global partidária é orientada atualmente pela partição ideológica da forma de pensamento não permitindo uma organização funcional da sociedade como um tudo.

A divisão de pensamento por ideologia proporciona o fracionamento das ações que movem um país criando sempre forças antagônicas aos pensamentos de outras correntes ideológicas que não querem determinada ação num sentido. Qual o real interesse em dividir o “modus pensare” do povo pela crença distinta do rumo em que uma nação deve seguir? Este modelo de partidos ideológicos já perdura institucionalizando-se no globo por 300 anos e foi responsável por inúmeras guerras e conflitos internos e externos às nações.

Será racional a utilização de um modelo de gerenciamento tão antigo face às transformações que, sobretudo a iniciativa privada ou individual proporcionou à sociedade? Quando de fato a Democracia será implementada? Por que os governos tentam sempre apropriar-se de informações que lhes conferem o continuísmo de seus Agentes Políticos no poder?

O que impede a atual globalização é a dicotomia entre interesses governamentais divergentes e a partilha econômica dos particulares que a representam. Os Políticos são os grandes responsáveis pelos desequilíbrios econômicos por suas políticas de subsídio, impostos e taxas para criação de privilégios de natureza interna e favorecimentos econômicos as suas próprias oligarquias. Então se cria o vício de culpar o próprio sistema produtivo pela falta de investimento nos setores que tornam os produtos gerados não competitivos. Ou pela disparidade do lucro que onera os produtos tornando-os mais caros em relação a outros mercados ditos mais “racionais”.

O mundo atual vive numa Oligodemocracia. Porque, na maioria dos casos, os próprios políticos são os donos dos meios de produção ou os representam. Os gestores dos Órgãos públicos são meros representantes Oligárquicos sem compromisso com as instituições ao qual representam e buscam obter vantagens pessoais enquanto perduram os efeitos de sua permanência no cargo em que ocupam, ora pela elevação indiscriminada dos salários, ora pela criação de novas representações nos órgãos tutorados com a finalidade de ampliar a esfera de influência sobre a administração. Onde fica a eficiência e a economicidade da ação governamental sobre o particular?

É certo que se todo o processo fosse realizado pela representação baseada sobre o conhecimento a exteriorização egoica do ser humano sobre a Administração Pública seria atenuada. Não resolveria o problema, porque seres humanos são falhos, mas a carga somática contenciosa que ele carrega sobre si estaria restrita à manifestação de suas habilidades técnicas e não oligárquicas.

Max Diniz Cruzeiro

Estatiquês

Vou fazer uma média dos teus beijos,
Calcular os desvios de sua atenção,
Colocar você como moda dos meus gráficos,
Fazer correlação entre a sua libido e o meu amor.
Calcular a distância entre os infinitos pontos de volúpia.
Gerar momentos e encontrar elementos de estimação não tendenciosos do meu amor.
Não vou tratar você como um ponto extremo,
mas como uma medida de tendência central.
Vou relativizar o meu amor por você!
Te chamar de ponto, reta, seguimento ou métrica.
Predizer os bons momentos,
Verificar as tendências por onde nosso amor deverá percorrer...
E quando o índice equalizar você para cima,
serei dependente de seus caprichos e independente em meu amor por ti.
Vou gerar hipóteses que se realizadas irão te fazer feliz.
Gerar uma distribuição uniforme de sentimento verdadeiro por toda vida.
Serei normal como a maioria.
Minha probabilidade será a certeza do amor correspondido.
E toda amostra de desejo meu será a manifestação de todo o meu corpo, por ti.

Max Diniz Cruzeiro

Freud correlacionado à Neurociência

Estudando fisiologia cerebral descobri que se comparamos com a divisão proposta por Freud temos que a psique é:

Id: as partes ativas do Telencéfalo (regiões somatossensoriais)
Ego: a parte do Diencéfalo onde fica a Hipófise (controladora das funções endócrinas)
Superego: a parte do Diencéfalo onde ficam o Hipocampo (Tálamo, Hipotálamo e Hipófise)

Para Freud
Id: estímulos que percorrem o interior do indivíduo sem critérios de parada estabelecidos.
Ego: solução encontrada para o organismo de controlar a intensidade dos estímulos no corpo.
Superego: solução encontrada pelo organismo para geração de equilíbrio entre as partes somáticas presentes no cérebro e o sistema nervoso periférico.

Fraternalmente,

Max Diniz Cruzeiro
LenderBook®

Max Diniz Cruzeiro

RMOA ORP. científicos. métodos totalmente Utilizamos na Úmbria. instrumentos captarem nossos de a gentiliza Pedimos seu presente. em utilizada cientificamente seja para que criptografada mensagem estará Esta seu presente. em ser utilizado a de material gravação a indicado para mais meio ser o deve A transcomunicação contato. facilitar o para em livros legado Deixarei meu equipamentos. através de captá-las estamos tentando Já nosso tempo. em chegam constantemente eletromagnéticas As ondas.(21/05/2010)

Max Diniz Cruzeiro

Fim do papel moeda

O papel moeda está tornando-se obsoleto à medida que novas fontes de pagamento se consolidam no mercado. Ele é frágil, necessita de constantes demandas de reposição, deteriora-se com rapidez, é fonte de transmissão de patógenos e também de difícil localização, facilitando o tráfico, o contrabando e o descaminho em relação às fontes de recolhimento de impostos.

E por que não adaptar as tecnologias existentes para reduzir ainda mais a emissão de papel moeda? Que tal o disque 888 + “SEU CPF/CNPJ” do seu celular em seguida a quantia a ser transferida para outra Pessoa Física ou Jurídica + “CPF/CNPJ do receptor do pagamento”?

Para a utilização do serviço bastaria que o usuário cadastrasse a permissão diretamente num agente bancário, bem como o número do seu celular e você estaria apto a comprar e vender produtos e fazer transferências de forma fácil. A comprovação, a título de impostos, seria mais transparente, uma vez que as remessas e transferências de dinheiro estariam registradas automaticamente.

Os serviços públicos, como o transporte público, quando o usuário de transporte ligasse para o código do serviço, receberia um código numérico, que servirá para destravar a catraca e liberar o passageiro. Por sua vez o código poderia servir para 1 ou mais passagens dependendo do ticket comprado pelo usuário.

Ninguém iria mais precisar sair do banco com remessas em dinheiro ou ter o problema de ter seu acesso ao banco clonado num caixa eletrônico. O uso do cartão de crédito seria apenas para pagamentos futuros diminuindo o risco de roubo/furto do cartão/clonagem. O pagamento de contas, via celular, seria através de um código simples de no máximo 6 dígitos, uma vez que está atrelado ao CPF/CNPJ do usuário.

O Estado, por sua vez, ganharia com diminuição de custos com a baixa impressão de papel moeda. Pois aqui não se fala em restringir a liberdade de escolha para aqueles que querem ainda “ter o gosto” de poder manusear o papel dinheiro. Com a elevação da segurança da rede bancária e consequente diminuição dos custos do sistema bancário. Pois a substituição pelo novo modelo seria um processo gradativo.

Max Diniz Cruzeiro

Sonho - dia 16/01/2010 - tive um sonho em que eu via o rosto de um ator de televisão que me dava conselhos sobre diversos assuntos. Eu não sabia o seu nome. E já tinha um bom tempo que não o via na tv (a última vez foi uma reportagem sobre adoção de crianças), pois na minha casa não é transmitido o canal em que ele trabalha. O tempo todo eu tinha consciência de que estava dormindo e a voz do ator dizia que era uma telepatia. "Qual é o seu nome?": perguntei, então a voz me disse para procurar por ANTONINE no google: Marcelo Antonine, então pesquisei e encontrei seu nome verdadeiro Marcello Antony. Em resumo, a mensagem que deixou era para que eu fosse mais reservado ao falar de experiências metafísicas / extrasensoriais.

Max Diniz Cruzeiro

De FHC a Dilma

O Brasil na era FHC limitou o aparato estatal a três vertentes básicas: economia, educação e saúde. Eram muitos os problemas sociais. Nos governos anteriores não haviam controle sobre a inflação e quem não tinha muitos recursos via corroído seu capital em poucos dias. Já a classe média dispunha de mecanismos bancários de correção monetária no sistema financeiro. A era FHC serviu para equacionar este problema com uma solução simples que apagava da mente do cidadão comum o fenômeno da inflação. A educação era limitada a núcleos de conhecimento isolados. Com a melhora dos programas educacionais foi possível organizar e traduzir em números o desempenho de cada instituição de ensino, principalmente as de nível superior. Houve uma explosão de novos centros superiores de ensino com as facilidades de credenciamento de instituições universitárias. Depois era preciso medir a qualidade das antigas e novas instituições. E foi implantado o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio – Sob a gestão de Maria Helena Guimarães de Castro). E foi implantado o Provão (Exame Nacional de Cursos – 1996). As estatísticas educacionais por força do PNUD (Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento) junto com o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) passaram a estar em dia pela primeira vez na história do país com as diretrizes da ONU. Os recursos para a área de saúde foram concentrados sobre os problemas emergenciais. Houve uma melhor alocação de recursos. A saúde no país foi organizada em números para melhor planejamento e ação do governo.

Coube ao governo Lula seguir em frente com o aparato estatal já enxuto. Livre do monstro da inflação e de grandes empresas, que não atendiam mais as necessidades de investimento, sucateadas pela falta de investimento e uma classe trabalhadora defasada em relação aos profissionais no exterior que passaram a competir em pé de igualdade com a abertura de mercado promovida pelos governos anteriores. O desemprego era elevado. A inflação baixa. Era necessário ajudar os mais necessitados através da elaboração de programas sociais emergenciais de massa. Os programas sociais extensos vieram em bom tempo. O governo passou a investir também em infraestrutura. Para aderir há alguns programas sociais as populações mais carentes das classes econômicas D e E tiveram que conciliar o recebimento da ajuda estatal à freqüência escolar de seus filhos e filhas. Os investimentos estrangeiros vieram em grande porte. O país começou a funcionar. Cada vez mais, mais empregos e elevação das classes econômicas para os mais necessitados tornaram-se um dínamo. O Presidente Lula na esfera econômica soube aproveitar seu prestígio externo, o que resultou numa enorme quantidade de acordos bilaterais entre vários países traduzido no aumento das exportações brasileiras. Houve um processo de anistia relativo ao período militar opressivo, mas que não resultou em justiça de fato, pois privilegiaram apenas os opositores guerrilheiros do regime esquecendo de parte dos militares perseguidos na época da ditadura cujo processo de anistia já havia começado na era de FHC. Os países ricos do ocidente entram em crise. O governo brasileiro toma uma série de medidas de isenções de impostos para não prejudicar as indústrias brasileiras. O governo quita a dívida com o FMI e se torna país credor. Ao final do mandato Lula, os índices de desemprego foram os mais baixos registrados no período democrático após a ditadura.

No governo Dilma iniciou-se com uma forte valorização do real frente ao dólar, o que prejudicou o volume de exportações que o Brasil havia desenvolvido na era Lula, porém o superávit primário é alto. O salário mínimo teve um ganho real e a mão de obra qualificada começa a ficar escassa em diversas partes do país. O governo começa a incentivar a vinda de profissionais de alta qualificação do meio científico para trabalharem no Brasil. A economia, bastante aquecida, dá sinais de elevação da inflação, fato este que não se concretiza ao final do primeiro semestre, pois a entrada da safra barateia o custo da cesta básica, porém o índice medido de 6,31% de inflação anual pelo mercado supera a projeção do governo de 4,5% ao ano. Em algumas regiões existem tendências para uma pequena deflação nos preços dos produtos primários. Os subsídios à cana-de-açúcar nos EUA caem o que eleva a expectativa da elevação das exportações do subproduto etanol para aquele mercado. Os investimentos de infraestrutura continuam acelerados, só que agora mais voltados para atender as obras emergenciais da Copa do Mundo em 2014. O PAC (Plano de Aceleração do Crescimento – Era Lula) continua, mas sem a mesma projeção na mídia dada pelo governo anterior. Medidas distributivas começam a delinear os primeiros 6 meses de governo Dilma, como por exemplo a revisão das aposentadorias que não tiveram correção em governos passados em relação ao teto do INSS. Com os problemas externos nos países petroleiros os combustíveis apresentam uma elevação no mercado internacional. Logo, este aumento é refletido internamente – o que elevou bastante os preços. Com a entrada da safra da cana-de-açúcar e a intervenção do governo sobre os preços da Petrobrás o preço abaixa, mais uma razão para a queda da inflação para o segundo semestre de 2011. As classes sociais estão se deslocando cada vez mais para cima e se continuar esta tendência em breve a classe E não terá mais representantes (grau de otimismo do brasileiro elevou-se enormemente – segundo pesquisa – o país mais feliz do mundo).

Max Diniz Cruzeiro

CARRO ROBÓTICO versus MENTE ROBÓTICA

Esta semana (25/09/2011) foi divulgado que cientistas alemães desenvolveram um carro capaz de locomoção sem a necessidade de motorista. Outro ponto chave da pesquisa é que os mesmos aparelhos são capazes de ser adaptados para que o veículo possa se locomover com comandos dados diretamente pelo cérebro humano através de sensores.

Desde 1999 eu tenho afirmado que é possível que já exista tecnologia para a leitura de pensamentos que, segundo estudos, funcionam na faixa vibratória de 9 miliHertz. Tais equipamentos estariam a disposição do meio militar e científico desde 1950.

O fato de não serem públicos, não significa que a instrumentação seja utilizada para fins bélicos, mas sim uma reserva estratégica tecnológica, a fim de dar continuidade às pesquisas sem a censura popular que poderia ser "indigesta".

Imaginem os avanços para a Psicologia e Psiquiatria. Os pacientes destas áreas seriam tratados com uma melhor precisão. Já na economia poderiam orientar pessoas ao consumo de modo que o maximizasse diminuindo o endividamento nas famílias. Na segurança poderia ajudar na solução de crimes, como também em sua prevenção.

Em fases mais avançadas, neurogramas (programas neurais) poderiam ser instalados no cérebro humano para aperfeiçoar o aprendizado, quando em estado de sono, sem causar efeitos colaterias como fadiga ou cansaço. A memória poderia ser ampliada. Fatores de distúrbios como a insónia controlados. Problemas de conexão entre as partes do corpo facilmente corrigidos. Seria de grande avanço para a medicina. Os neurogramas poderiam estar programados para comunicar ao indivíduo a necessidade de suprir vitaminas e sais minerais pelo corpo. Tais avanços poderiam elevar a expectativa de vida.

Um futuro tão próximo e breve estará ao nosso alcance se reconhecermos nossos limites dentro da liberdade, igualdade e fraternidade.

Max Diniz Cruzeiro

Legend


Jasmines are flowers of paradise…

an absolute work of God…

sense of the splendid inheritance…

omniscience of God to his servants…

nutrient for the pure of heart.




Nobody can be absolutely…

album, which sets no time…

the love for resemblance does warm the soul…

harmonic songs echo in the life of love audible noise…

actors are like living shadows…

nugget, voice and feelings of those who want to hear…

igneous flame that all travel

exercise for the imagination of those who observe…

living is not for everyone - only the strong survive.




Birthdays are acts that comprise only a single contemplation…

equivalent to the jasmine garden of the Lord…

host for the coming...

real, for those who know how to love.

Max Diniz Cruzeiro

Hoax[boato]: de 04/08/2008 à 03/08/2009 o mercado de ações na bolsa de valores irá premiar ainda mais quem adotar o seguinte comportamento: 4 altas consecutivas numa ação com crescimentos crescentes, ou seja, crescimento[Dia2 - Dia 1] < crescimento[Dia3 - Dia 2] < crescimento[Dia4 - Dia 3] venda a ação e compre uma que o decrescimento[Dia2 - Dia 1] < decrescimento[Dia3 - Dia 2] < decrescimento[Dia4 - Dia 3]. Somente venda ou compre a ação dentro deste ciclo. A escolha de sua carteira é fundamental para que este ciclo funcione.

Max Diniz Cruzeiro

Conto: Pães e Peixes

Morávamos em Amman 30 anos antes de Cristo. Tínhamos por hábito participar no primeiro solstício da primavera da tradicional reunião Judaica de Asaph onde coletávamos de todos um pouco de alimento para depois que um ilustre homem da palavra nos abrilhantava com seu conhecimento e dom profético.

A cada novo solstício éramos orientados a levar cada vez menos alimentos com o intuito de fazermos um jejum para purificar a carne. E ocorreu que neste ano havíamos conseguido reunir apenas 5 pães (1 kg cada pão) e dois peixes (tamanho grande para uma família cada um). A multidão era enorme. Ao todo se calculavam algo em torno de 4.000 pessoas. Foi aí que um grande mestre da palavra nos fez refletir desta vez sobre nossa própria saciedade em receber a palavra e não compartilhar com os demais.

Pode o homem se ausentar do seu dever? Pode o homem receber a palavra e não compartilhar o ensinamento? Pode o homem alimentar uma multidão apenas com estes pães e estes peixes que trouxeram? Ninguém sabia a resposta. Ninguém conseguia ver o que estava por trás de tanta sabedoria. Então o homem ordenou que dividissem entre todos e em comunhão a partilha das oferendas.

Os murmúrios de que o mestre da palavra estava insano prosperaram... Ninguém queria acreditar... até que ele ordenou que de Amman viesse um caldeirão cujo uso era para grandes celebrações de casamento.

E ao chegar, ordenou que ralassem os pães e desse cozimento ao peixe, para depois depositá-lo em 600 litros de água dentro do recipiente. Pediu para que as crianças entrassem na relva e colhessem ervas. E foram mais 10 kg de ervas. Ao final havia bastante alimento para todos. O caldo alimentou enquanto a palavra fora compreendida.

E todos se regozijaram... se fartaram em bonança, e permanecem sem fome até que a hora da partida levaram todos de volta a Amman.

Max Diniz Cruzeiro
www.lenderbook.com
LenderBook Company

Max Diniz Cruzeiro

Clusterização de Objetos para antever eventos de alta velocidade

Este poderoso sistema de processamento de informações permitirá no futuro o gerenciamento de sonares para espaçonaves de alta velocidade.

This powerful information processing system will allow in the future management of sonars for spacecraft high speed.

Dieses leistungsfähige Informationsverarbeitungssystem wird in die künftige Verwaltung der Sonarsysteme für Raumfahrzeuge mit hoher Geschwindigkeit zu ermöglichen.

Informo que este sistema é capaz de reduzir uma Clusterização de 10 horas para menos de 30 minutos de processamento computacional.

Report that this system is capable of reducing a clustering of 10 hours to less than 30 minutes computational processing.

Berichten, daß dieses System in der Lage, die Reduktion einer Clusterbildung von 10 Stunden bis weniger als 30 Minuten Rechenverarbeitung.

300. Dimensionando Clusters
Resumo: Com este artigo você terá um método de segmentação de áreas para
facilitar o monitoramento de uma massa de dados.
Chaves: Artigo; estatística; georreferenciamento; mapa geográfico; medida
de nivelamento.
Summary: With this article you will have a method of targeting areas for
facilitate monitoring of a mass of data.
Keys: Article; statistical; measure of geographical map georeferencing
leveling.
Autor/Author: Max Diniz Cruzeiro
Link: http://www.lenderbook.com/pagina.asp?IdMenu=308

Note: on the main page of the site there is a LenderBook abstract with the
summary of all the topics page.

Obs.: na página principal do site LenderBook existe um Sumário com o
resumo de todos os tópicos da página.

Max Diniz Cruzeiro
LenderBook Company
Os números são transformações da realidade que definimos em termos de métrica para avaliar os fenômenos de um universo.

Max Diniz Cruzeiro

O perdão das Dívidas

As dívidas aprisionam a psique dos endividados e dos credores. A mente através do intelecto se oprime pela ruptura da palavra em quitar o débito. Limita a vida de pessoas, transforma em caos a memória do endividado. Por isto pensei? Por que aprisionar sua mente em torno de uma dívida financeira que não podes arcar com seu custo? Nada irá me abrilhantar te carregar de angústia, sentimento de opressão ou culpa. Por isto para deixar sua alma em paz eu perdoo sua dívida se fores capaz de também perdoar a dívida de outra pessoa contigo. Expressa desta mesma forma em que me comunico contigo. Seu débito estará quitado em 30/08/2014. Devolvo-te seus pensamentos. Vá em paz!

Max Diniz Cruzeiro [Troque pelo seu nome]
LenderBook Company

Max Diniz Cruzeiro