Crise de Casal

Cerca de 802 frases e pensamentos: Crise de Casal

Mais do que uma época de crise, estamos vivendo a crise de uma época.

Antonio Carlos Gomes da Costa

Nem Tudo é Espinhos

Nos momentos de crise odiamos o supérfluo e vemos o quanto ele nos afasta do que mais importa.

Gildean Magalhães Ferreira

Num País com tamanha crise de identidade, LIVRO deveria ser item obrigatório NA CESTA BÁSICA!

Marcus Deminco

Quando estamos em crise, angustiados, saimos do envoltorio de algum papel que assumimos na vida e,nesse estado, estamos livres...o contrário é manifestar aquele sorriso de prazer por estarmos fixamente representando o ato de sermos algo.

Elisabeth Triinidad Mena

Nunca é tarde para descobrir o que é importante na vida, porém, procure não esperar por uma crise, assim dizia platão.

Marcel Piva

O silêncio de muitos diante de uma crise política demonstra complacência ou apoio por haver similitudes diante do ato imoral político.

Érico Teixeira

É uma crise apenas e vai passar, talvez amanhã, talvez mês que vem, mas vai passar. Crise existencial não era o que você dizia? Crise de identidade? Mas hoje sei que não é crise existencial o que eu tenho é a crise de não mais existir, hoje sei que não é crise de identidade o que me afeta, e sim crise de quem não tem mais no espelho familiaridade, crise de quem não se reconhece. Hoje cheguei em casa e mesmo um caco eu não queria está ali mais, eu não queria olhar aquelas paredes, eu não queria estar naquele quarto frio, seco, isolado de mim, eu não queria sentir sono, eu não queria sentir nada... talvez andar por aí sem rumo, reconhecer em algo simples um motivo, um motivo sequer pra seguir nessa montanha russa que é a vida, sem vomitar diante de tanta hipocrisia. Sentir, nada mais ridículo que sentir, a gente não poderia apenas viver? Acordar cedo, trabalhar, faculdade, um cineminha quem sabe, levar os filhos a escola, atender o telefone e pronto. Porque diabos a gente precisa sentir? Quantas vezes critiquei pessoas vazias, ocas sem saber que só é feliz quem finge, só é feliz quem não vê com esses olhos de alma que poucos parecem ter. Hoje me sinto como uma criança que se acha estranha de todas por ter medo do papai Noel que todos dizem que é o bom velhinho, hoje me sinto como uma adolescente que se descobriu grávida sem nem saber que era mulher, hoje eu sou como um relógio quebrado que sempre marca o mesmo ponto e nunca sai do mesmo lugar, que insiste em um tempo que não volta mais. Hoje eu queria o colo de alguém que não me afetasse, hoje eu queria falar pra alguém que apenas ouvisse mas não me escutasse, hoje eu queria uma condenação que me desse um prazo, uma sentença qualquer que eu pudesse vislumbrar algo de digno no fim que pudesse me libertar de mim.

Kamylla Cavalcanti

Você é minha crise existencial. Eu te mato ou não te mato ?

Damon Salvatore

Felicidade humana num mundo em crise.
Percebi que tal problemática está na pauta de vida das pessoas de modo geral.

Ceila Maria Freitas

Resumo: A Crise da Extensão Rural no Brasil
A crise da extensão rural no Brasil surgiu nos primeiros anos da década de 80 num período de abertura, onde não se tinha clareza da gravidade do que estava acontecendo. Com as eleições livres tinha-se no imaginário que as dificuldades seriam superadas, tudo isto logo depois de um período de regime militar.
Com o passar do tempo as instituições de extensão foram sofrendo com a falta de incentivo, cortes nos salários, mostrando um futuro incerto para a extensão rural, chegando a atitude de no final da década de 80 o governo cortar a verba que mantinha a extensão rural, proclamando o fim da Embrater.
Os extensionistas ficaram perplexos ao verem o que tinha acontecido, atribuindo a decisão governamental a um ato de perseguição política e ideológica esquerdista por não aceitar as práticas dos princípios da extensão rural.
A extensão rural sofreu profundas modificações principalmente no Norte e Nordeste, onde só alguns estados mantiveram incentivos a extensão rural; em melhor situação encontra-se as regiões Sul e Sudeste do Brasil.
Entre os fatores fundamentais da crise da extensão rural no Brasil temos a crise do Estado brasileiro que optou por um modelo desenvolvimentista que foi unido com a crise do capitalismo mundial, canalizando à adoção da alternativa neoliberal. Temos também a modernização da agricultura integralizada ao setor da indústria diminuindo a importância das instituições de extensão rural.
Com a crise o Brasil optou pelo sistema neoliberal que cortou muitos gastos do Estado e passou muitas das suas atribuições e obrigações para o setor privado e filantrópico.
A crise do Brasil é identificada como a sua origem no II PND, utilizando crédito exterior para sua implementação em uma taxa de juro que aumentou substancialmente, saltando a dúvida externa brasileira, obrigado ao Brasil dentro das políticas neoliberais a implantação do Estado mínimo e do Mercado Soberano.
A crise tem suas origens externas e internas, as decisões norte-americanas no final dos anos 70 trás consigo grandes conseqüências ao Brasil como o crescimento da dívida externa, elevação do preço da energia, ... e internamente foi feita reformas liberalizantes e privatizantes.
O Brasil passa por uma crise econômica política, ideológica e a crise do Estado, sendo chamada crise estrutural. A descentralização passou a ser discutida já que agora tínhamos o mercado aberto. Como motivo para estas medidas vemos a natureza puramente política destinada a enfraquecer o poder central, evitando a instalação novamente de um regime ditatorial, passando cada vez mais a ser discutida a descentralização dos serviços prestados pelo Estado, que com o processo de privatização foram passados à prestadoras de serviços ou outras empresas.
O governo Sarney iniciou o processo de extinção da extensão rural no Brasil cortando as verbas da antiga Embrater, que foi confirmado com o governo do Presidente Fernando Collor.
O crédito rural disponível aos agricultores foi reduzido substancialmente dificultando o trabalho dos extensionistas que tinha no crédito rural um recurso metodológico de trabalho. Com a dificuldade dos agricultores em conseguir crédito rural os extensionistas estavam incapazes de criar uma nova metodologia de trabalho, pois todas eram alicerçadas no financiamento rural, contudo é notório observar que não houve a completa extinção do crédito rural, mas foi priorizado as grandes culturas e monocultivos como a laranja, cana de açúcar, café entre outras, paralelamente incentivando a exportação e a industrialização.

Thales Pantaleão

Análise da Década de 80 para a Extensão Rural Brasileira
A crise da extensão rural no Brasil surgiu nos primeiros anos da década de 80 num período de abertura, onde não se tinha clareza da gravidade do que estava acontecendo. Com as eleições livres tinha-se no imaginário que as dificuldades seriam superadas, tudo isto logo depois de um período de regime militar.
Com o passar do tempo as instituições de extensão foram sofrendo com a falta de incentivo, cortes nos salários, mostrando um futuro incerto para a extensão rural, chegando a atitude de no final da década de 80 o governo cortar a verba que mantinha a extensão rural, proclamando o fim da Embrater.
Os extensionistas ficaram perplexos ao verem o que tinha acontecido, atribuindo a decisão governamental a um ato de perseguição política e ideológica esquerdista por não aceitar as práticas dos princípios da extensão rural.
A extensão rural sofreu profundas modificações principalmente no Norte e Nordeste, onde só alguns estados mantiveram incentivos a extensão rural; em melhor situação encontra-se as regiões Sul e Sudeste do Brasil.
Entre os fatores fundamentais da crise da extensão rural no Brasil temos a crise do Estado brasileiro que optou por um modelo desenvolvimentista que foi unido com a crise do capitalismo mundial, canalizando à adoção da alternativa neoliberal. Temos também a modernização da agricultura integralizada ao setor da indústria diminuindo a importância das instituições de extensão rural.
Com a crise o Brasil optou pelo sistema neoliberal que cortou muitos gastos do Estado e passou muitas das suas atribuições e obrigações para o setor privado e filantrópico.
A crise do Brasil é identificada como a sua origem no II PND, utilizando crédito exterior para sua implementação em uma taxa de juro que aumentou substancialmente, saltando a dúvida externa brasileira, obrigado ao Brasil dentro das políticas neoliberais a implantação do Estado mínimo e do Mercado Soberano.
A crise tem suas origens externas e internas, as decisões norte-americanas no final dos anos 70 trás consigo grandes conseqüências ao Brasil como o crescimento da dívida externa, elevação do preço da energia, ... e internamente foi feita reformas liberalizantes e privatizantes.
O Brasil passa por uma crise econômica política, ideológica e a crise do Estado, sendo chamada crise estrutural. A descentralização passou a ser discutida já que agora tínhamos o mercado aberto. Como motivo para estas medidas vemos a natureza puramente política destinada a enfraquecer o poder central, evitando a instalação novamente de um regime ditatorial, passando cada vez mais a ser discutida a descentralização dos serviços prestados pelo Estado, que com o processo de privatização foram passados à prestadoras de serviços ou outras empresas.
O governo Sarney iniciou o processo de extinção da extensão rural no Brasil cortando as verbas da antiga Embrater, que foi confirmado com o governo do Presidente Fernando Collor.
O crédito rural disponível aos agricultores foi reduzido substancialmente dificultando o trabalho dos extensionistas que tinha no crédito rural um recurso metodológico de trabalho. Com a dificuldade dos agricultores em conseguir crédito rural os extensionistas estavam incapazes de criar uma nova metodologia de trabalho, pois todas eram alicerçadas no financiamento rural, contudo é notório observar que não houve a completa extinção do crédito rural, mas foi priorizado as grandes culturas e monocultivos como a laranja, cana de açúcar, café entre outras, paralelamente incentivando a exportação e a industrialização.

Thales Pantaleão

Porque provocarmos a crise, se poderia nos bastar a simplicidade de uma vida prazerosa e destituída de luxo e desperdício? Esta vida de opulência é que vai ditar a sorte dos mais necessitados, pois o excesso de alguns é a carência de muitos outros.

Ivan Teorilang

Roda Viva ( o pq da crise em nossa vida)
.
Pode escrever, minha flor, que hoje está tranqüilo. Tem épocas em que a vida da gente vira uma roda viva, não é?
É o jeito de vocês mudarem os padrões mentais.
Quando vocês começam a controlar demais a vida, e este controle começa a amarrar o progresso, a solução que a vida encontra é escapar do controle da pessoa, sendo mais rápida que ela.
Isto é um tormento pra quem é muito metódico, mas a evolução não pode parar.
Por isso, aquelas pessoas que sabem relaxar, aceitar a incerteza como componente da viagem, e não como imprevisto, são as que sofrem menos com estas arrancadas da vida. Como elas já estão acostumadas a contar com isto, a vida não judia delas, neste ponto.
A vida tem jeito de ensinar todo mundo. Ninguém sai da escola sem aprende a lição, de uma maneira ou de outra. Antigamente, na Terra, se diria:
- Se não vai por bem, vai por mal.
Não é o caso aquí, porque Deus sempre transforma tudo em bem. Então, as pessoas sempre aprendem por bem, mas algumas vão do jeito mais difícil. E como a lei não tem dó de ninguém, como Deus sabe o que cada um tem dentro de sí, tem horas em que a vida peleja na mão da pessoa, até que a pessoa vê o controle sair de suas mãos.
É aí que ela se desespera, mas a maioria acaba se rendendo ao poder de Deus sobre tudo.
Isso faz com que a pessoa tenha que procurar idéias novas, tenha que construir pensamentos novos, que sirvam pra nova situação.
Isto está acontecendo na sua vida? Parece que virou tudo de perna pro ar? Seu marido foi embora? Seu dinheiro acabou? O emprego foi pro espaço?

.É... porque a maior segurança das pessoas está no dinheiro, no emprego e na família (nesta ordem). É uma segurança de mentira, mas é aquilo em que vocês acreditam. Então alguma destas coisas, de repente, não vai bem, no seu modo de entender.
Ah! Tem também a saúde, mas vocês quase não se lembram da saúde, a não ser quando ficam doentes.
De qualquer maneira, seja o que for, pode ter certeza de que, no entendimento de Deus, você está mais do que pronta pra enfrentar estes desafios. Está na hora de passar de ano, minha filha!

CalungaRita Foelker

A noite é para sonhar.
Como posso dormir bem se a crise não deixa.
Como posso dormir bem se devo muito na praça.
Verdadeiramente cair no marasmo do destino.
A minha vida se torna sem graça.

Eliane Nepomuceno

Para mim nunca existiu e nunca existirá crise econômica,e sim, apenas uma grande manobra mal intencionada, que se espalhada de forma avassaladora por nossos meios de comunicação!!!

Jandrey

mesmo que seja em momentos de crise e de instabilidade, as coisas aparecem sim.. não para dar duvida,, mas para provar nosso potêncial..

EdivaldoJr

"Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida!"

cidasilva