Crise de Casal

Cerca de 837 frases e pensamentos: Crise de Casal

Se a crise atingir os homens de altos ganhos, a saída de alguns é dar cabo de sua existência ou de suas famílias, confiando apenas na cor do seu dinheiro, e não no valor do patrimônio de suas vidas.

Helgir Girodo

A actual crise economica que enfrentamos está a ter um impacto muito significativo no sector, exercendo uma pressão considerável o impacto social destes meios é muito significativo : é a característica que melhor os define e, como tal, é central em qualquer política que lhes seja dirigida.

Otávio Conti

Ei psiu, ruivinha, é você mesma, garotinha do olhar encantador. Que papo doido é esse de crise existencial??? ACORDA!! Olhe pra ti, veja quanta beleza existe em você, e não digo só a beleza física, essa é totalmente notável, olhe mais fundo, veja detalhes, o quanto você é maravilhosa, o quanto sua presença faz bem para diversas pessoas. Se permita brilhar garota, dê aos que te querem bem, o prazer de contemplar sua luz, não a ofusque, esbanje sorrisos, seja e nos faça Feliz. Bom, aqueles que te causam essas sensações ruins, faça-os se sentirem fracos, pequenos perto da grandeza que há em você. Todos temos nosso momentos ruins, é claro, mas não admito que venha se por abaixo, não admita também. Chore, xingue, bata, esperneie, mas não deixe isso tomar conta de você. Na boa, olha aqui, dentro dos meus olhos, mesmo que haja lágrimas nos teus, SORRIA, eu, enquanto fizer parta da sua vida, mesmo que numa pequena parcela, não vou admitir que se deixe levar por isso, não mesmo, vou tentar sempre plantar uma sementinha da alegria, te trazer algo bom, mostrar que você é bem mais que esse sentimento fraco, e se mesmo assim insistir, arranco ele na porrada!! Pois bem, pela milionésima vez, vou dizer que te adoro, que te amo, que te quero muito bem, saber que está mal, me deixa mal, te ver sorrir, me faz sorrir, saber que me ama, me faz te amar ainda mais. Quero muito poder me dedicar cada vez mais a você, a nós, continuar escrevendo, mesmo que coisas bobas, sem tanta emoção como este, mas com uma bela inspiração. Perto ou longe, estarei no seu coração sempre, mesmo que não me sinta, vou estar lá, quietinho, só esperando você me chamar. Como apenas um artista reconhece uma boa obra de arte, um poeta palavras de amor, eu vejo você... Uma bela pintura, indescritível por palavras, sentida pelo amor.

E.C

A SUA GROSSERIA SÓ ME FAZ APAIXONAR-SE AINDA MAIS POR VC, POIS APÓS CADA CRISE SUA, SEU CORAÇÃO SE ARREPENDE E SENTE O VALOR QUE EU POSSUO PRA VC! PROMETO TE ENTENDER E AMAR ATÉ QUE DURE ESTE SENTIMENTO! VONTADE DE TE COLOCAR NO COLO E OFERECER TODO AMOR QUE VC NUNCA RECEBEU... BEIJAR SUA BOCA E FAZE-LO SE SENTIR VIVO POR DENTRO... ACALMAR SEU CORPO COM MEUS CARINHOS...

Paula Tavares

O Brasil vive uma crise de instituições, no qual faz falta o papel do poder moderador, exercido por um imperador. A maior parte das nações mais desenvolvidas do mundo tem regimes monárquicos como Inglaterra e Japão

Conde Von Noble

"O amor quando verdadeiro, enfrenta chuva e enfrenta pedra, enfrenta ate mesmo a crise de ciumes de uma histérica, porem, permanece intacto."

Ariane Camargo 20

Na vida foram as grandes crises que levaram homens simples a grandes fortunas, sua crise de hoje pode mudar sua sorte.

Luiz Vagner

Arlindo Vida’Boa

Arlindo Vida’Boa fugiu da crise econômica de seu país,
Veio tentar, outra vida boa, aqui pelo Brasil.
Fincou pé numa metrópole, de águas quentes e boa brisa,
Esqueceu-se de se abstrair da realidade convincente, das grandes capitais.
Os arredores são cruéis, não são pintados a pincéis.
Arlindo Vida’Boa!
Não é de brisa que se vive em terras de coronéis.

Maria da Penha Boina

Crise combina com crescer
perceber com compreender
navegar com perdoar

Ameliamaripassos

A ternura: a seiva da amor

Mesmo no coração da atual crise social não podemos esquecer da ternura que subjaz a todos os empreendimentos que envolvem valores e afetam o coração humano.

São misteriosos os caminhos que vão do coração de um homem na direção do coração da mulher e do coração da mulher na direção do coração homem. Igualmente misteriosas são as travessias do coração de dois homens e respectivamente de duas mulheres que se encontram e declaram seus mútuos afetos. Desse ir e vir nasce o enamoramento, o amor e por fim o casamento ou a união estável. Como temos a ver com liberdades, os parceiros se encontram inevitavelmente expostos a eventos imponderáveis.

A própria existência nunca é fixada uma vez por todas. Vive em permanente dialogação com o meio. Essa troca não deixa ninguém imune. Cada um vive exposto. Fidelidades mútuas são postas à prova. No matrimônio, passada a paixão, inicia a vida cotidiana com sua rotina cinzenta. Ocorrem desencontros na convivência a dois. irrompem paixões vulcânicas pelo fascínio de outra pessoa. Não raro o êxtase é seguido de decepção. Há voltas, perdões, renovação de promessas e reconciliações. Sempre sobram, no entanto, feridas que, mesmo cicatrizadas, lembram que um dia sangraram.

O amor é uma chama viva que arde mas que pode bruxolear e lentamente se cobrir de cinzas e até se apagar. Não é que as pessoas se odeiam. Elas ficaram indiferentes umas às outras. É a morte do amor. O verso 11 do Cântico Espiritual do místico São João da Cruz, que são canções de amor entre a alma a Deus, diz com fina observação: “a doença de amor não se cura sem a presença e a figura”. Não basta o amor platônico, virtual ou à distância. O amor exige presença. Quer a figura concreta que é mais mais que o pele-a-pele mas o cara-a-cara e o coração sentindo o palpitar do coração do outro.

Bem diz o místico poeta: o amor é uma doença que, nas minhas palavras, só se cura com aqulo que eu chamaria de ternura essencial. A ternura é a seiva do amor. “Se quiseres guardar, fortalecer, dar sustentabilidade ao amor seja terno para com o teu companheiro oua tua companheira”. Sem o azeite da ternura não se alimenta a chama sagrada do amor. Ela se apaga.

Que é a ternura? De saida, descartemos as concepções psicologizantes e superficiais que identificam a ternura como mera emoção e excitação do sentimento face ao outro. A concentração só no sentimento gera o sentimentalismo. O sentimentalismo é um produto da subjetividade mal integrada. É o sujeito que se dobra sobre si mesmo e celebra as suas sensações que o outro provocou nele. Não sái de si mesmo.

Ao contrário, a ternura irrompe quando a pessoa se descentra de si mesma, sái na direção do outro, sente o outro como outro, participa de sua existência, se deixa tocar pela sua história de vida. O outro marca o sujeito. Esse demora-se no outro não pelas sensações que lhe produz, mas por amor, pelo apreço de sua pessoa e pela valorização de sua vida e luta. “Eu te amo não porque és bela; és bela porque te amo”.

A ternura é o afeto que devotamos às pessoas nelas mesmas. É o cuidado sem obsessão. Ternura não é efeminação e renúncia de rigor. É um afeto que, à sua maneira, nos abre ao conhecimento do outro. O Papa Francisco no Rio falando aos bispos latinoamericanos presentes cobrou-lhes “a revolução da ternura” como condição para um encontro pastoral verdadeiro.

Na verdade só conhecemos bem quando nutrimos afeto e nos sentimos envolvidos com a pessoa com quem queremos estabelecer comunhão. A ternura pode e deve conviver com o extremo empenho por uma causa, como foi exemplarmente demonstrado pelo revolucionário absoluto Che Guevara (1928-1968). Dele guardamos a sentença inspiradora: ”hay que endurecer pero sin perder la ternura jamás”. A ternura inclui a criatividade e a auto-realização da pessoa junto e através da pessoa amada.

A relação de ternura não envolve angústia porque é livre de busca de vantagens e de dominação. O enternecimento é a força própria do coração, é o desejo profundo de compartir caminhos. A angústia do outro é minha angústica, seu sucesso é meu sucesso e sua salvação ou perdição é minha salvação e minha perdição e, no fundo, não só minha mas de todos.

Blaise Pascal(1623-1662), filósofo e matemático francês do século XVII, introduziu uma distinção importante que nos ajuda a entender a ternura: o esprit de finesse e o esprit de géometrie.

O esprit de finesse é o espírito de finura, de sensibilidade, de cuidado e de ternura. O espírito não só pensa e raciocina. Vai além porque acrescenta ao raciocínio sensibilidade, intuição e capacidade de sentir em profundidade. Do espírito de finura nasce o mundo das excelências, das grandes sonhos, dos valores e dos compromissos para os quais vale dispender energias e tempo.

O esprit de géometrie é o espírito calculatório e obreirista, interessado na eficácia e no poder. Mas onde há concentração de poder aí não há ternura nem amor. Por isso pessoas autoritárias são duras e sem ternura e, às vezes, sem piedade. Mas é o modo-de-ser que imperou na modernidade. Ela colocou num canto, sob muitas suspeitas, tudo o que tem a ver com o afeto e a ternura.

Daí se deriva também o vazio aterrador de nossa cultura “geométrica” com sua pletora de sensações mas sem experiências profundas; com um acúmulo fantástico de saber mas com parca sabedoria, com demasiado vigor da musculação, do sexualismo, dos artefatos de destruição mostrados nos serial killer mas sem ternura e cuidado de uns para com os outros, para com a Terra, para com seus filhos e filhas, para com o futuro comum de todos.

O amor é a vida são frágeis. Sua força invencível vem da ternura com a qual os cercamos e sempre os alimentamos.

Leonardo Boff

O homem só é eminentemente homem quando transcende a crise.

Mário Ferreira dos Santos

Minha primeira crise de Pânico.



Paralisada!
Não consigo gritar por socorro.
Meu corpo treme minha alma se desespera,
Perdida, em um mundo de angústia.
Tenho medo, estou tremendo

Mas esse não é um medo normal,
É um medo de não ser feliz,
Medo que me deixa fracassada ates mesmo de tentar.

Esse medo abre um buraco negro dentro do meu peito, e corroi minha alegria.

Não é um medo de morte é um medo de vida.
Tanto medo que me deixa sem voz, paralisada, medo de ser infeliz.

Sinto que estou caindo,
Em um buraco negro de dor e escuridão,
Sinto a garganta seca e me falta a respiração.



25 de Dezembro de 2009

Annh Cavalcante

"Em momentos de crise, evite proferir muitas palavras quando somente duas basta: Sim, senhor!"

Glauber Lima

A crise gerada por uma mentira leva o homem à ruína, mas a crise gerada por uma verdade é passageira e fortalecedora. No entanto, há de se ter muita coragem para dizer certas verdades.

Ludmila Clio

Crise existencial

Marionete! Marionete, era ou é a classificação correta para a palavra ``Povo!´´.
E apesar de queremos ostentar poses, falar diversas línguas, xingar ou esbravejar, querer ser o tal ou apontar e até mesmo acusar alguém ou algo somos levados pelo medo a sucumbir todas as nossas ideologias. Na realidade somos marionete nas mãos dos senhores do mundo.
Queremos ser senhor de nós e até impomos normas, relações, atitudes, mas sem sabermos já estamos enquadrados, manipulados por quem aplica as regras a milênios no mundo. E tudo acontece de modo calmo e tranquilo sem nos apercebermos através do rádio, tv, cartazes, redes sociais e até naquele simples bate papo informal por que já está repassando a velha programação mental recebida a séculos.
Somos levados involuntariamente a nos encaixar nos hábitos do outro onde a regra é ser comum, como uma regra de três onde o resultado já se sabe uma vez que já se aplicou a velha formula. É só analisar o sistema, ha milênios se ensina a velha e fatídica conta de somar, multiplicar, dividir e subtrair! Sim é nessa ordem mesmo. Primeiro é somado tudo, tira-se a parte boa, divide para o resto onde no final são subtraídos, fazendo-nos adequar as suas normas que no final é imposto à todos.
Nos manipulam desde o nascimento até a morte. E achamos que temos pensamento próprio oque não é verdade. Quando nos entendemos por ``Gente´´ encontramos já todas as formulas em forma de normas tudo pronto onde é facilmente absorvido. Aos mais rebeldes sobra a cadeia ou o inferno, que é quase o mesmo! Nos apresentam deus e o diabo, onde muitos seguem uma das duas opções, e veja que eles são compadecidos dizendo ``se não for pelo amor, vai pela dor – ou segue o sagrado ou segue o maldito´´.
Não acredite em bondade ou que te digam que sentem pena de você. Recuse-se ser um coitadinho, pois nada lhe será dado ao contrário; ai que lhe tiraram quem sabe até a vida. Herói ou bandido, Rei ou plebeu! Digamos que a medida do que lhe for facilitado é tudo farinha do mesmo saco.
E mais não pense que os atos adquiridos por você, sejam seus; não foi resquício de alguém por você adquirido! Seja de crença, ações, atitudes inclusive a formação de seus pensamentos foi imposto antes mesmo de você nascer; o qual será praticado até a morte. Cometemos os mesmos erros e acertos de todos. Observe o bebê ele olha para as pessoas que cuidam dele o tempo todo e como isso não bastasse ainda murmuramos coisas em seu ouvido para que aprenda mais rápido. Observe que há anos você ver uma mãe, pai ou qual seja a pessoa com a criança no braço ela balança o filhote o tempo todo e muitas vezes ele nem esta chorando, mas herdamos esse habito involuntário de nossos ancestrais. Somos sincréticos num ciclismo itinerante casual e irrevogável. Nunca seremos diferentes e quando o tentamos ser nos chamam de louco, nos internam.
Somos, Estamos fadados a velha rotina e oque é pior ansiamos tanto a tal felicidade mas não mudamos nossa conduta ou por medo de Deus ou do diabo e a vida segue insossa nos acovardamos. Dizem que só há duas portas a seguir, uma é a larga que leva a perdição, a outra a estreita que nos redime e apazigua e conduz ao sagrado também chamado de Deus.
Já pensou? Até ai invisivelmente as cordas do manipulador da marionete reconduzindo a mesmice. Ora se o nosso fim é fatídico, ou seja, a morte é tão certa quanto o calor do fogo; porque temer tanto isso ou aquilo? Se não há escapatória porque? Vai-se morrer mesmo ou de morte natural pelas doenças que iremos adquirir ou por qualquer outra tragédia mundana.
É preciso alterar as regras, viemos a este purgatório mundano por imposição cósmica mas não quer dizer que devemos abaixar a cabeça feito ovelhinhas a espera do porrete na nuca. Ouvi outro dia um relato de uma pessoa que dentro dos seus deveres necessitou de atitude urgente para modificar sua vida e oque ele consegui-o ouvir de que ele cobrava atitude foi um simples me desculpe não posso. A partir disso a atitude correta seria exigir mas a pessoa calou, concordou, sucumbiu.
As leis deveriam ser cumpridas, afinal foram inventadas pra isso, porem correm na contra mão do dia a dia, pagamos todos os impostos e o retorno é nada menos que zero e se insistirmos nos tiram até a vida. Por isso reclame, reivindique, cobre, exija, mas com calma sem nervosismo, pois tem como chegar a um denominador comum, sem contaminar seu sangue com o estresse da doença. E depois desabafe com uma bela gargalhada daquelas de tirar o folego que pode até causar repudio pelo assombro mas te deixará relaxado.
E nunca esqueça, diga a si mesmo sou marionete, mas sou consciente, sigo a risca oque ditam mas também apago a linha traçada de vez em quando só pra contrariar. E sigamos meio que egoístas porem consciente, não pudendo ajudar não atrapalhe. Devemos procurar nossa felicidade até no impossível e caso não encontre jamais nos cansemos de pelo menos tentar.
E devemos desabafar sempre seja rindo, cantando ou simplesmente com um grande grito em que muitos nem vá entender mas que causará grande alivio pessoal. Podemos ser marionetes sim senhor mas com estratégia e; como proferiu um dia o gloriosos Raul Seixas ``Viva a sociedade alternativa´´ . Por onde é que andam os ideologistas revolucionários desse mundo

Nilton Mendonça

Transforme sua crise em desafio e oportunidade de amadurecimento, permanecendo um ser humano íntegro mesmo diante do insuportável

Tania Queiroz e Marcus Vinícius

Pra ter um casamento em crise, basta não ter um namoro santo. Ter relações sexuais, não ter uma vida intima com Deus no namoro só vai trazer consequências se um dia vier a ocorrer o casamento.
Portanto, tenha um namoro SANTO, busque agradar a Deus e não a sua carne.

Clinton Ramachotte

Com a crise

Dança o pobre
que tem pouco,
rico por ser snob.

Paola Rhoden