Crente

Cerca de 154 frases e pensamentos: Crente

O crente tem que ser meio cego, meio surdo e meio mudo!

Adiel Ferreira Jr

Crente: "Porque você não acredita em deus?" Ateu: "Ué, porque ele não existe!" Resposta curta, grossa e direta, simples.

Jesus Bêbado

Não respeito crente que crê só por crer, achando que vai para um lugar melhor depois da morte e não faz jus aqui na Terra.

Jesus Bêbado

Para mim não existe o crente ou o ateu, o católico e o evangélico, para mim existe quem é justo e quem faz o bem na prática, ou você acha que o fato de você ir à missa todo domingo,, usar esse terno encardido, ir aos cultos e carregar uma bíblia na mão esconde suas perversidades?

Charles Canela

Não sou promiscuo,
Não sou bipolar…
Não sou louco,
Não sou demente,
Nem crente
E nem descrente.
Sou presente moral
Sou ausencia vergonhosa.
Não tenho pensamento lerdo,
Ou tenho?
Só sei que tenho ideias cabulosas.
Não penso só asneiras
Acredite nas palavras desse idiota.!

Axi Reed

JAQUELINE enviou 16/3/2008 00:57:
oi amor eu crente que vc iria entra
JAQUELINE enviou 16/3/2008 00:57:
pow
JAQUELINE enviou 16/3/2008 00:57:
esta fogo
JAQUELINE enviou 16/3/2008 00:57:
minha mãe esta cheia de cao
JAQUELINE enviou 16/3/2008 00:57:
talves eu entro
JAQUELINE enviou 16/3/2008 00:57:
ta xau
JAQUELINE enviou 16/3/2008 00:58:
pq vc não esta ol line
JAQUELINE enviou 16/3/2008 00:58:
xau

Poemas

Dentro de mim habita um homem
Que tem fome.
Sua luz é diferente...
Habita um homem “crente”,
Que sonha,
Que cresce a cada dia,
De uma forma sensacional.
Habita um homem que busca
A última gota de vida em cada dia.
Dentro de mim habita uma enorme esperança,
De que tudo seja ameno
E o menos doloroso possível.
Habitam inúmeras incertezas,
Habita um homem duro, reto,
Mas também sensível.
Dentro de mim habita um homem
Que chora, mas que também sorri.
Habitam inúmeros amores, que não escolhi.
Dentro de mim habita um homem
Que tem fome.
Um homem forte,
Que chora,
Que ama,
Que sonha,
Que sorri.
Dentro de mim habita uma alma,
Que voa alto
E executa rasantes espetaculares.

Italo do Amaral Moreira

Um Deus que coloca uma esclerose múltipla num crente, não merece minha adoração.

Hunaldo

E o homem indiferente,
nem sábio,
nem rico,
nem crente,
que não sabia
nem queria saber
de onde vinha,
onde estava
e para onde ia,
vivia mansamente,
ignorando ,contente
a origem da semente
da arvore e da raiz

ERA FELIZ.

João Batista de Oliveira - MG

É tanta gente se fazendo crente para manter status, proclamam o Nome de Deus e depois mergulham na privada do pecado.

Helenice Augusta da Cunha

Crente vive dizendo que quem morre se drogando ou cometendo crime, está no inferno. Será que aquele fato do criminoso morrendo na cruz e indo para o paraíso não passa de uma encenação teatral de paixão de Cristo para os crentes? Na verdade, não é que os drogados e criminosos estejam no inferno, mas, os crentes é que desejariam que estivessem porque não quiseram estar na igreja. Qual foi a igreja do ladrão da cruz? Em verdade os crentes não querem que o mundo seja salvo, mas, que o mundo esteja na sua igreja.

João Batista Alfaia Vasconcelos

EVANGÉLICO vulgo ''CRENTE'', vive tanto uma vida de RELIGIÃO, que quando lê a Bíblia e descobre que quase tudo que aprendeu é DOUTRINA de HOMENS... a primeira coisa que ele faz é acusar a ''Igreja e o Pastor'' por desinformação, e logo depois cai no mundão.

Lê a Biblia? ham! que nada... prefere aprender tudo errado, ensinado pelos outros.

#MaisDeusMenosReligião

Sam Clever

O Interesse do Crente na Plenitude de Cristo

“Porque todos nós temos recebido da sua plenitude e graça sobre graça.” (João 1.16)

Os escritores sagrados parecem nunca temerem que exaltassem muito a Cristo, ou lhe atribuíssem uma glória além de toda a medida. João, em particular, evidencia o desejo de magnificá-lo tanto quanto possível, e estabelece sua perfeita igualdade com o Pai em termos tão fortes e perspicazes quanto a linguagem pudesse expressar. No capítulo diante de nós ele declara que Cristo não era apenas coexistente com Deus perante o mundo, mas que ele próprio era Deus, o único Criador do universo, e nas palavras que acabamos de ler, ele o representa como a única fonte de todo o bem.
Jesus Cristo tem em si toda a plenitude da divindade. Mas esta não pode ser a plenitude à qual o apóstolo se refere, porque a divindade é absolutamente incomunicável à criatura. Há outra plenitude, a qual, de acordo com o desígnio do Pai, habita nele como nosso Mediador, ou seja, a plenitude de todas as coisas que o seu povo redimido possa ter necessidade.
Estamos imersos na escuridão, e sentados na sombra da morte? Ele é "a luz do mundo, e quem o segue não permanece nas trevas, mas terá a luz da vida.", João 8.12. Somos indizivelmente culpados, e incapazes de trabalhar uma justiça para nós mesmos? Ele é "o Senhor nossa Justiça", Jer 23.6; e "o fim da lei para justiça de todo aquele que nele crê", Rom 10.4. Estamos tão corrompidos pelo pecado a ponto de sermos "completamente imundos e abomináveis" e "insuficientes de nós mesmos, ainda que seja para pensar um bom pensamento?" Ele tem nele uma fonte de graça para "nos purificar de nossa imundícia" e para nos purificar para si um povo peculiar, zeloso de boas obras. Estamos expostos a males graves e múltiplas tentações? Nele há compaixão ilimitada para simpatizar conosco, e poder irresistível para nos socorrer e apoiar, Heb 4.15.
Assim, ele tem em si a plenitude de luz para instruir; de mérito para justificar; de graça para renovar; de compaixão para com piedade e poder nos salvar, mesmo para a maior de todas as nossas necessidades.
Esta plenitude, no entanto, não é a mesma que habita no seu povo crente.
Há uma plenitude com a qual os crentes são cheios, mesmo "toda a plenitude da divindade”, mas a deles é amplamente diferente da dele. A deles é limitada, sendo apenas "de acordo com a medida do dom de Cristo", mas a sua é sem limites, "o Pai não lhe dá o Espírito por medida", ele tem a plenitude do Espírito habitando e permanecendo nele, João 3.34. A deles além disso é derivada dele como sua boa fonte; mas a sua é essencialmente inerente a ele: "Nele estava a vida" originalmente; "como o Pai tem a vida em si mesmo, assim ele tem dado ao Filho ter vida em si mesmo". A deles é para eles somente, e não têm com comunicá-la a quaisquer outros; a sua é para o uso e benefício da sua Igreja; e sendo a Cabeça de todos, ele pode transmiti-la, e "preencher todas as coisas". A deles é perecível; apesar de estarem cheios de plenitude agora, podem ser destituídos da mesma num instante, se as comunicações do céu forem interceptadas ou retidas, mas a sua é imutável e eterna; ele é "o mesmo ontem, hoje e para sempre”.
Temos recebido de Cristo "graça sobre graça". Temos transmitida a nós, nesta nova dispensação, uma mais ampla medida da graça, e em sucessão constante e abundância mais rica; e o Seu objetivo ao nos conceder tal abundância da graça e o dom da justiça, é para que possam nos transformar à sua própria semelhança.
E este é o efeito que ele produz, como um pai gera um filho à sua própria semelhança, ou como um selo estampa a sua própria imagem na cera, por isso, o Senhor Jesus nos comunica as próprias graças que há nele, para que sejamos "transformados à sua imagem de glória em glória". Tudo isso ele faz puramente "de sua própria boa vontade", e para a honra do nome de seu Pai. Ele não vê qualquer coisa em nós que possa merecer tão indizíveis favores; mas porque o tem prometido: "terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão.”, Rom 9.15.

Parte de um texto de autoria de Charles Simeon, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.

Charles Simeon

Dar-lhe ao homem dinheiro e bens matérias e veras quem é ele se realmente ele é crente ou não...

Lucyyy

Crente brinca de ser Crente mais o diabo não brinca de ser diabo!

Bíblia

O Crente não Está Livre de Dores e Sofrimentos



Para vários e bons propósitos Deus permite que vivamos num mundo de grandes trevas onde a injustiça, a violência e toda forma de pecados predominam, e que, por conseguinte, causam grandes tristezas naqueles que procuram viver segundo a Sua santa vontade.
Isto não sucede por mera condição de serem vitimados por outros, e pelas circunstâncias adversas externas, mas pelo efeito do próprio pecado em suas constituições fracas e terrenas.
Quanto sofrimento não experimentamos deste outro lado do céu quando percebemos em nós mesmos toda a nossa insuficiência para conhecer de modo adequado a vontade de Deus e podermos viver segundo esta mesma vontade.
Considere-se também que o próprio Deus, em ocasiões específicas, permite que estejamos à mercê de nossas fracas habilidades e desprovidos da necessária assistência e fortalecimento da Sua divina graça, e Ele o permite para que possamos conhecer o quão fracos somos e quanto dependemos do Seu poder e amor.
Ao virar o Seu rosto de nós, por um só instante, logo ficamos perturbados em nosso espírito e sujeitos a sentimentos de derrota.
Quando chegamos, muitas vezes, até mesmo a nos desesperarmos da vida, o Senhor torna a nos animar e fortalecer, quando chegamos até mesmo ao ponto extremo de pensar que era o final da nossa carreira e ministério perante Ele.
A propósito, esta é a maior causa da nossa tristeza, a saber, considerarmos que temos sido de pouca ou nenhuma utilidade para os propósitos do Senhor, especialmente o de sermos bênção para as vidas dos nossos semelhantes.
Ai de nós, se não fosse pela Sua grande misericórdia que nos dá forças renovadas para clamarmos a Ele em meio aos nossos momentos de vale de escuridão.
Se não fosse pela Sua misericórdia, que sempre se renova, jamais poderíamos ser erguidos do nosso abatimento.
Isto pode ser visto de modo muito expressivo no terceiro capítulo do Livro Lamentações de Jeremias, do qual apresentamos a seguir um breve resumo baseado no comentário de Matthew Henry:

Lamentações 3

O fiel lamenta as suas calamidades e tem esperança nas misericórdias de Deus.

Vv. 1-20. O profeta relata a parte mais sombria e desalentadora de sua experiência, e como encontrou apoio e alívio. Durante a sua prova, o Senhor havia se tornado terrível para com ele. Foi uma aflição que era a própria miséria, porque o pecado faz amargo o cálice da aflição.
A luta entre a incredulidade e a fé muitas vezes é severa, mas o crente mais fraco estará equivocado se pensar que a sua força e esperança no Senhor se acabaram.

Vv. 21-36. Havendo expressado a sua angustia e tentação, o profeta mostra como foi levantado acima delas. As coisas são extremamente más; porém, pela misericórdia do Senhor, não são piores. Devemos observar o que Ele faz por nós, e em que está contra nós. As misericórdias de Deus não falham; e disto temos novos exemplos a cada manhã. As porções da terra são coisas perecíveis, mas Deus é a porção eterna.
O nosso dever é e será o nosso consolo e satisfação, ter esperança e esperar em silêncio a salvação do° Senhor. Aflições contribuem e contribuirão muito para o bem, e muitos concluem ser proveitoso ter levado este jugo na juventude. A aflição tem transformado muitos homens e mulheres em pessoas humildes e sérias, e tornado tais pessoas detestadas pelo mundo, pois caso contrário teriam sido orgulhosos e ingovernáveis. Se a tribulação produz a paciência, a paciência a prova, e a prova esperança, a esperança não envergonha. Pensamentos adequados sobre o mal do pecado e de nossa própria pecaminosidade, nos convencerão de que é pela misericórdia do Senhor que não somos consumidos. Se não pudermos dizer com firme voz: "o Senhor é a minha porção", será que poderíamos dizer "Desejo tê-lo como minha porção e salvação, e em sua Palavra tenho esperança"? Seremos felizes se aprendermos a receber a aflição, como sendo permitida por Deus.

Vv. 37-41. Enquanto há vida, há esperança; ao invés de nos queixarmos porque as coisas não vão bem, devemos nos estimular uns aos outros com a esperança de que ficarão melhores. Somos pecadores, e as coisas pelas quais nos queixamos são menores do que os nossos pecados merecem. Devemos nos queixar a Deus, e não dEle. Em tempos de calamidades somos propensos a refletir nos caminhos de outras pessoas e lançar-lhes a culpa; porém, o nosso dever é investigar e examinar os nossos caminhos, para tornar-nos do mal a Deus. Nosso coração deve estar posto em nossas orações. Se as impressões internas não concordarem com as externas, não estaremos enganando a Deus, mas a nós mesmos.

Vv. 42-54. Quanto mais o profeta olhava para as desolações, mais se entristecia. Aqui há uma palavra de consolo. Enquanto choravam, esperavam; e ninguém esperaria socorro de ninguém, somente do Senhor.

Vv. 55-66. A fé vem como vencedora, porque nestes versículos o profeta conclui com algo consolador. A oração é o alento do novo homem, que inala o ar da misericórdia nas petições e o exala em louvores; prova e mantém a vida espiritual. Ele silenciou os seus temores e aquietou os seus espíritos. Deus diz: "Não temas". Esta foi a linguagem da graça de Deus pelo testemunho do seu Espírito. E o que são todos os nossos sofrimentos comparados com os do Redentor? Ele livra o seu povo de todos os problemas, e renova as forças de sua Igreja diante de todas as perseguições. Ele salvará os crentes com salvação eterna, enquanto os seus inimigos perecerão com destruição eterna.

Silvio Dutra

VOCÊ QUER VER CRENTE LOTAR A IGREJA? DIZ QUE TEM UM PASTOR QUE FAZ REVELAÇÃO, CURAS E "MILAGRES", DAI O PASTOR CHEGA E FALA QUE O FULANO TA COM TRANCA-RUA... A FULANA COM MARIA-PADILHA, QUE ZÉ PILINTRA RECEBEU UM MARAFO, O SETE-CACHOEIRA UMA MORANGA, NUM TRABALHONA SEXTA FEIRA, MAS VOCÊ TEM CERTEZA QUE ELE É PASTOR MESMO, NÃO É PAI-DE-SANTO? E NO FINAL DO CULTO OS CRENTES FAZEM FILAS PRO PASTOR ORAR POR ELES( ISSO ME LEMBRA PASSE). TEM CRENTE QUE ACREDITA EM HOROSCOPO, DIZ: VIRGINIANO É ASSIM MESMO. NOSSA O ESCORPIANOS SÃO TODOS BARBOS. EM CONVERSA NA FRENTE DA IGREJA DIZ: SABE IRMÃ FIZERAM TRABALHO PRA MIM, MINHA VIDA TA AMARRADA... EITA LASQUEIRA SÃO ESTES OS IMITADORES DE CRISTO...

Don Rubens S. Soares

Alma quente! Confesso, não sou crente.
Mas respeitar é bom e conserva até os dentes.

Ricardo Limão

A Que se Compara o Crente Verdadeiro



Por Thomas Watson

“13 Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante,
14 prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus.” (Fp 3.13,14).

Um crente verdadeiro é uma maravilha; ele é o mais contente, e ainda o menos satisfeito; ele está contente com um bocado de pão, mas nunca satisfeito quanto à graça, porque ele a deseja sempre em maior medida.
Um crente verdadeiro cresce em força quando se submete ao trabalho da graça. Ele cresce tal como a árvore, que mais e mais esparrama sua raiz na terra.
O crente é uma planta divina, que quanto mais cresce, mais se incorpora em Cristo, bebendo da seiva espiritual dEle.
Um crente contente com as suas condições terrenas, mas que é sedento da justiça do reino de Deus e da Sua graça, é um anão quanto à humildade, mas um gigante em força e doçura, e será forte na realização dos seus deveres, suportará fardos e resistirá às tentações.
Realmente, às vezes a graça pode estar dormindo na alma, assim como a seiva na videira, não mostrando seu vigor, em frutificação, o que pode ser ocasionado por indolência espiritual ou por causa de algum pecado, mas isto é somente por algum tempo: a primavera da graça virá e as flores aparecerão e logo depois surgirão os frutos espirituais esperados e desejados por Deus. Por isso todo verdadeiro crente aspirará pela primavera divina, em seus invernos espirituais.
Um crente verdadeiro cultiva a graça em todos os seus variados tipos e graus, como vemos no dizer do apóstolo Pedro:
“5 E por isso mesmo vós, empregando toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência,
6 e à ciência o domínio próprio, e ao domínio próprio a perseverança, e à perseverança a piedade,
7 e à piedade a fraternidade, e à fraternidade o amor.
8 Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, elas não vos deixarão ociosos nem infrutíferos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo.” (II Pe 1.5-8).
O crente é comparado à videira porque ela é um emblema de fertilidade, que se carrega de frutos mesmo depois de ter vivido por séculos. O crente é chamado por Deus a dar frutos ainda na sua velhice:
“12 Os justos florescerão como a palmeira, crescerão como o cedro no Líbano.
13 Estão plantados na casa do Senhor, florescerão nos átrios do nosso Deus.
14 Na velhice ainda darão frutos, serão viçosos e florescentes,”(Sl 92.12-14).



xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Veja tudo sobre as Escrituras do Velho Testamento no seguinte link:
http://livrosbiblia.blogspot.com.br/

Veja tudo sobre as Escrituras do Novo Testamento no seguinte link:
http://livrono.blogspot.com.br/

A Igreja tem testemunhado a redenção de Cristo juntamente com o Espírito Santo nestes 2.000 anos de Cristianismo.
Veja várias mensagens sobre este testemunho nos seguintes links:
http://retornoevangelho.blogspot.com.br/
http://poesiasdoevangelho.blogspot.com.br/

A Bíblia também revela as condições do tempo do fim quando Cristo inaugurará o Seu reino eterno de justiça ao retornar à Terra. Com isto se dará cumprimento ao propósito final relativo à nossa redenção.
Veja a apresentação destas condições no seguinte link:
http://aguardandovj.blogspot.com.br/

Thomas Watson