Corrida

Cerca de 239 frases e pensamentos: Corrida

Talvez um dia eu não possa mais correr, nesse dia então caminharei e quando nao mais puder caminhar, rastejarei, mas nunca desistirei.
Talvez um dia adoentando antes de ir me para sempre eu lá tenha que na cama ficar, nesse dia então sonharei com o vento em meu rosto, com o suor no meu corpo, o com o tiro da largada, com os aplausos da chegada.
Talvez quando finalmente eu me for, para amenizar essa dor, eu só peço uma coisa, deixe me ir de tênis por favor.
Talvez quando do outro lado eu lá chegar, uma maratona haverá, com uma linha de chegada para eu cruzar.
Talvez quando essa corrida da vida terminar, eu seja recebido por corredores amigos e Deus para me abraçar!
Serio Fornasari

Sergio Fornasari

... E brincando eu ficava, a atenção no pega-pega agitado, na corrida desenfreada, e o coração parecia que saltava.

Mirna Rosa

Por quê correr? .... por ser exatamente como a vida. .. onde as dificuldades surgem, as influências interferem negativa e positivamente e a vontade de desistir as vezes perece prevalecer . . Porém se mantermos o foco chegamos do resultado almejado . Melhorar sempre quem se acostuma com pouco para no tempo!

Grazielle Dias

Em certas ocasiões da corrida desenfreada da vida, não costumamos parar para pegar fôlego e com isso somos atropelados por nós mesmos, o que pode nos causar muitos males por querer chegar à frente de nossos passos que tem sua própria velocidade controlada

Jader Amadi

Corredores já nascem amigos, só precisam de uma corrida juntos para se reconhecerem!
Sergio Fornasari

Sergio Fornasari

31 de Dezembro - Dia de São Silvestre

Embora seu nome se confunda com a própria história da corrida de rua mais famosa do país, poucas pessoas sabem quem foi o santo, cuja festa acontece no último dia do ano. Natural de Roma, São Silvestre foi papa e governou a Igreja de 314 a 355 d.C, ano em que morreu, exatamente no dia 31 de dezembro. A Igreja Católica escolheu esta data para canonizá-lo.

Dia da Corrida Internacional de São Silvestre - realizada desde 1925 na cidade de São Paulo-SP.

A Corrida de São Silvestre é a mais antiga, tradicional e prestigiosa corrida de rua no Brasil. Reconhecida como o principal evento internacional do atletismo de Rua na América Latina, realiza-se anualmente na cidade de São Paulo no dia 31 de dezembro.
Numa viagem à França, em 1924, Cásper Líbero assistiu a uma corrida noturna em que os corredores carregavam tochas de fogo. Entusiasmado, resolveu promover, naquele mesmo ano, algo semelhante em São Paulo. Assim, à meia-noite de 31 de dezembro, daquele ano foi instituída a Corrida de São Silvestre que reunia os atletas da cidade e ganhou o nome porque esse era o santo do dia.

A prova passou, em mais de 70 anos consecutivos de realização, por inúmeras transformações e cresceu: dos apenas 60 participantes da primeira edição, a corrida passou a registrar mais de 10 mil inscrições nos últimos anos, incluindo a presença das maiores expressões do atletismo mundial.

A São Silvestre tornou-se internacional a partir de 1945, quando abriu espaço aos atletas de todas as partes do mundo. Quando a ONU instituiu o Ano Internacional da Mulher, em 1975, a competição passou a incluir a participação das mulheres.

Atualmente, tanto a largada quanto a chegada da prova de 15 km, acontecem à tarde em frente à sede da Fundação Cásper Líbero, no número 900 da Av. Paulista. Os milhares de atletas dividem-se nas categorias masculina e feminina e por faixas etárias, dentro dos critérios de regulamento estabelecido pelo jornal, patrocinador do evento. (http://lproweb.procempa.com.br)

Rádio Mongaguá

“Você pode correr usando apenas as pernas, no entanto, para ir mais longe, precisará também da cabeça.”

Marcio Dederich

Par de dois para correr
Acorda e tudo começa. Abre os olhos e tudo devagar vai se descurtinando, ainda embaçado vai firmando aos poucos. Estica um braço e o outro busca encontra-lo no alto. Apruma o corpo e as pernas adormecidas se despertam. Os pés tocam o chão. Tudo acontece em par. O coração pulsa mais forte e o corpo se ergue. Segue-se a preparação, o ritual diário. Veste-se o uniforme para partir no caminho da geração do químico viciante que ira dopar o corpo. E tudo que é único segue seu par. Tudo se acelera, o sangue aumenta a velocidade e o coração pulsa. O pé esquerdo corre atrás do direito e o direito atrás do esquerdo. E o tempo passa e tudo acaba. Respiração ofegante, coração na boca, pés juntos, alegria própria da endorfina descarregada. Própria da relação dos pares que levaram àquele estado. O esquerdo e o direito. O de cima e o de baixo.

Alexandre Scaldaferri

Guerreiro Maratonista
O guerreiro não se ilude pensando conhecer o caminho. Segue confiante na sua capacidade. Não se furta a tomar decisões. Sacrifica-se pela lua no fim da estrada. Sabe que seu destino é passar pela chegada. Percebe-se diferente sujeito daquele que começou nos primeiros passos rápidos. Compreende os momentos de agir e de pensar. Controla a respiração, ritmiza os passos e enxuga o suor. Mantem a mente focada. Sente a pulsação do coração. Quarenta e duas vezes, quarenta e dois momentos. Quarenta e duas vitorias.

Alexandre Scaldaferri

Correndo minha primeira meia maratona (21.097,5 metros) no Rio de Janeiro em julho de 2010

Como cheguei aqui poderá ser um dia contado. O fato é que, enquanto escrevo, os 21,1K (K = Km) já se foram e deixaram uma sensação de felicidade, satisfação e de capacidade de superação (sempre me achei um vencedor,um sobrevivente e a corrida resgatou em mim este sentimento de uma forma muito profunda)

Chegando ao Rio o tempo estava fechado, frio e chuvoso, prenuncio de uma corrida debaixo de muita água. A princípio estava tudo bem, pois gosto de correr na chuva que lava minha alma. Depois dos percalços ocorridos desde janeiro, ali estava eu a menos de um dia da minha tardia primeira meia maratona. A ansiedade apareceu já no desembarque e ao chegar ao saguão de entrega dos kits ela aumentou e se misturou com uma sensação incrível de pertencimento àquele lugar. Com tudo resolvido, encontrei amigos antigos, recentes e alguns novos. Como é bom ter amigos! Infelizmente alguns não puderam ir e não encontrei todos que deseja. Retornei ao hotel e o sábado foi de passeios, descontração e “relaxamento”, mas a ansiedade teimava em não me deixar e a cada minuto que se aproximava o momento da largada ela aumentava. Fui dormir cedo, pois a jornada começaria de madrugada no dia seguinte.

O despertador toca às quatro da manhã e começa o necessário ritual de preparação para a corrida naquela madrugada fria e chuvosa. O ônibus da prova me leva até o ponto de partida na Barra. Lá, o frio foi me acompanhar com uma chuva fina e muito vento. Ao meu lado se aquecia a ansiedade que dizia que correr iria.

O tempo de espera passou e deu-se a largada, momento em que comecei a caminhar, pois até chegar ao pórtico não era possível correr devido a tanta gente que lá estava assim como eu. Ao passar debaixo do portal da largada não sei o que se deu, mas a ansiedade parece ter ido tomar banho de mar e desapareceu.

Largada na praia do Pepê e logo uma subida pela ponte que me leva a uma vista linda (No RJ saindo da Barra e indo para o Flamengo só se pode olhar para a direita) e a cada Km percorrido aproveito a vista, observo os corredores e tenho insights sobre minha vida. O primeiro momento de euforia se dá no final da subida da Niemeyer que subitamente chegou e eu nem percebi. Simplesmente passei direto e pronto. Seguindo para onde meus pés me levavam fui passando por todas as praias, e em Ipanema logo pensei que mais da metade já havia ido e que faltava agora menos do que o que eu já havia percorrido.

Passo por Copacabana e Botafogo sem prestar muita atenção, pois estava concentrado demais para me distrair e surge então a placa do Km 18. Alegria vem forte e me lembro da volta da Pampulha, olho o cronômetro e meu tempo esta abaixo daquela prova, mas ai também aparece o fantasma da câimbra assim como lá. Diminuo o ritmo, mas também como lá me recuso a parar e sigo em frente.

A chegada, ao contrário, parece ficar mais distante. Mantenho o ritmo, insisto, cada pé puxa o outro e começam a aparecer as tendas e as pessoas no meu campo de visão. Não tenho mais como parar. Vou me aproximando da chegada e uma sensação inexplicável de felicidade, bem estar e superação vai tomando conta de mim. Os últimos metros corro sorrindo quase rindo e ao cruzar a linha de chegada sou uma pessoa diferente, mudada onde se fez necessário, mantendo os valores fortes e que vislumbra uma vida cheia e plena de felicidade e desafios. Não sei explicar o sentimento que isto representa, mas posso garantir que vale a pena percorrer o caminho para encontrá-lo.

Alexandre Scaldaferri

Bom dia!
Uma pequena homenagem as equipes de corrida de rua e seus organizadores que nos proporciona tanta alegria e novos amigos a cada prova.

Hoje " Sócorro" eu e os meus "Amigos Runners" ficamos " Viciados em corridas de rua" são " Atletas suando a camisa" uma verdadeira equipe "Sem juízo, maluco do asfalto" .
A cada km conquistado somos alegremente fotografados por nossos queridos " O Corretor Corredor​, Rafael Fotográfico​, Daniel Rodrigues Vieira​ e muitos outros talentosos amigos.
Próximo a linha de chegada sentindo o vento no rosto, o suor pelo corpo os " Robertões" gritam abre espaço que as " Divas que correm" querem passar e elas gentilmente respondem " Corre Brasil" mas " Sem Boleto"
Sergio Fornasari

Sergio Fornasari

Quando alguém disser que eu nunca ganhei nada na vida
eu vou pode fala que ganhei uma corrida e nasci ;)

JesuelAndrade

Corrida Para a Liberdade

Deus:
-Acredito em Você...
Seu Interior:
-Não Consigo
Deus:
-Respire
Sinta o Ar
Sinta o Vento no Rosto
Sinta o Chão,Seus Pés te levantando,mandando
para Frente como um raio.
Sinta Esse Poder.
A Liberdade pulsando nas Suas Veias,Estalando
em Você,Viajando por todos os seus Nervos
como um choque.
Você não é mais Você
Você é parte de algo maior
É A Corrida da Sua liberdade.

Rafael Araújo

Uma corrida para o futuro é tudo que queremos. Mas não pense que seja para chegar lá. Na verdade, é para saber por onde não passar.

Jakson Trindade

Minha vida anda tão corrida, que nem de me chatear mais dá tempo...

Liandra Morais

Quando durmo acho que minha alma sai do corpo e corre a São Silvestre e volta, por que eu só acordo mais cansado.

Rodrigo Santos R3

"mais vale uma caminhada na direção certa do que uma corrida na direção errada,melhor chegar devagar do que se afastar depressa."

Douglas Henrique

Corremos, corremos e corremos e se mesmo assim não conseguimos chegar foi porque pegamos a direção errada...

Jairo Mello

Corra para realizar seus sonhos, mas cuidado para não atropelar os sonhos dos outros!

Adriano Reis

Minha religião é minha consciência, meu templo é a orla e as montanhas por onde corro e pedalo.

Kalil Félix Júnior