Contos Engraçados

Cerca de 150 frases e pensamentos: Contos Engraçados

Sabe os contos de fadas, que ouviamos quando criança? Onde os principes e as princesas viviam "Felizes para Sempre"?
Infelizmente, hoje em dia, não existem mais o "Felizes para Sempre", pois o "sempre", um dia acaba.
Desculpe se acabei com as suas pequenas ilusoes, de encontrar o seu par perfeito, o principe ou princesa de sua vida, mais algum dia alguém teria que te contar toda a verdade.
Porém nao fique triste, pois voce podera nao encontrar o principe ou a princesa; mais poderá escrever o seu proprio conto de fadas, onde poderá contar, sobre seu principe ou princesa, e descrever como foi e ate onde foi o seu "Felizes para Sempre."

Jéssica Rodrigues

Eu queria que fosse tão normal quanto respirar .
que fosse tão normal quanto acreditar em contos de fadas quando nós sonhamos ...
Queria poder sentir,cada toque,cada respiração,cada molécula de calor que passa pelo teu corpo .
Eu só queria que acredita-se no amanhã como eu acredito ... que visse o que eu vejo sobre nós !! (um futuro)

Mayhara Fidelis

Alice

Maravilhoso mundo do amor
Fantasias na vida de alguém
Nos lindos contos que vivemos
Você é a mais bela personagem do bem
Mundo cheio de alegrias
Pois o belo em você é poesia
Alice tu és a mais linda
Nos livros de contos isso já se dizia
Pois o teu mundo do amor
É mais lindo...
Do que o mundo da fantasia.

Reff Carvalho

...:: Contos ::...

Eu conto um tanto quanto eu conto com você
Sem-contar que em cada canto, eu canto sem tiver
Contando quanto tempo que me resta sem você
Enquanto conto os minutos contando pra tiver
Me encanto com seu rosto que desejo no meu ombro
Quando te noto de canto, me aproximo um tanto quanto
Para que esteja presente na minha vida e nos meus sonhos.

W. Iazzetta

Se o tempo contasse,
Ele não usaria números,
Não escreveria contos,
Nem abraçaria palavras...

Se o tempo contasse,
Teria como suas variáveis:
Gestos, atos e emoções.
Não nesta ordem talvez...

Se o tempo contasse,
Quem tem experiência
Não falharia, não cairia
E por tristeza não choraria...

Se o tempo contasse,
O inevitável seria evitável
Morreriam-se as surpresas,
E o amor seria mensurável...

Rodolpho Moraes

Contos de fadas - Versão Atualizada - Coisas que aprendi na infância...

Os pais passam a vida inteira ensinando os filhos a serem pessoas melhores, afinal são responsáveis por sua formação.
Ao longo de nossa infância aprendemos nos contos de fadas que a princesa sempre encontra um príncipe, e que através de um beijo um mero sapo se transforma em um. Aprendemos que no final de cada arco íris tem um pote de ouro.
As moças tem que ser magras e lindas como a Barbie, e almejar um namorado como o Ken.
Aprendemos que existe bem e que existe mal, porém o bem sempre vence. Aprendemos que o papai Noel leva presentes para crianças obedientes, e que se deixarmos ninhos embaixo de nossas camas o coelho da páscoa passará e levará um delicioso ovo de chocolate.
Aprendemos que devemos respeitar os mais velhos, afinal olha a carinha de inocente que os velhinhos tem.

Coisas que aprendi na vida real...

O príncipe não vem em um cavalo branco, e nem sempre os bandidos terão cara de bandidos, afinal, existem bandidos de terno e rostinho de bebê.
Casamento nem sempre traz felicidade. Você pode se casar e ter que conviver com uma pessoa totalmente oposta de você. E que cresceu com princípios e valores diferentes dos seus.
Você vai conhecer o real significado de “Lua de Mel”, quando você ter a primeira noite de núpcias, quando seu companheiro aparentar parecer mais um “Shrek” do que um príncipe.
Se você é mulher, passará a vida lutando contra seus atributos físicos reais, incluindo progressivas nos cabelos e luta constante com a balança.
Aprendemos depois que existe a Barbie divorciada, que já vem com o carro do Ken, a casa do Ken e a pensão do Ken.
Aprendemos que as comemorações de Natal e fim de ano são hipócritas, e que nem sempre quem te dá um abraço na virada do ano realmente gosta de você.
Percebemos que coelhos não botam ovos, muito menos de chocolate.
E por final, aprendemos que “Os canalhas envelhecem”.

Vanessa

Eu sempre acreditei em contos de fadas ..
até hoje eu me pergunto: por que isso acontece apenas em filmes , teatros , e não em vida real ?
sou aquela menina boba e apaixonada que acredita que um dia poderia ser abduzidas por ET's e levada á um planeta totalmente diferente desse ,
em um lugar onde não existiria sofrimento , em que as guerras não atormentariam mais os sonhos de crianças , no qual não existiriam guerras ;
e que nada , nada mesmo causaria conflitos ;
em que o amor , não machucaria ninguém :/
as vezes eu pergunto pra mim mesma , como eu posso te amar tanto ?
como é possível amar o que nunca sentimos ? sentir o que nunca tocamos ? como é possível sentir a magia de um beijo que nunca deu ?
eu só queria entender, como eu posso amar uma pessoa que eu nunca vi ?
eu só busco essas explicações pois por tantas vezes , imaginei, sonhei..
Mais nem sempre sonhos se tornam realidade *--*
eu tenho medo de não ser aquela menina que você sonha , aquela Linda menina com sonhos de crianças que te encanta :/
meu maior medo é te decepcionar !
não sou perfeita, você não é perfeito, ninguém é perfeito !
nos seus sonhos eu posso ser uma pessoa , mais na realidade sou outra ;
nos meus sonhos , nem sempre são flores , mais comparando com nossa realidade é ali onde buscamos felicidades :D
E se me perguntarem se eu deixarei de sonhar
eu irei responder ..
JAMAIS !
mesmo que muitos de meus sonhos sejam impossíveis e meus amores irreais
eu sempre estarei sonhando cada vez mais ..
Amando cada dia mais,
e encontrando em uma Ilusão a minha Felicidade.
e assim eu vo seguir até o fim dos meus dias...

Flávia M. C. Parreira .

Quero para mim...
A dose de um românce de contos de fada
Uma pitada de amor para recordar todos
os dias de nossas vida
Quero ligar só para ouvir a voz
Quero sentir frenesi a vez primeira que fitar em você
Quero a certeza que estou sendo amada
Hoje vivo tudo isso...
E sinto que de fato a vida é muito mais fascinante
Quando estamos apaixonados.

Edjane Mendes

A Vida pode até ser baseados em contos de fadas,mas contos de fada sempre tem um final feliz.
Ninguém sabe como é que isso termina mas na vida real ela se acaba na morte,nada é pra sempre.
Nessa vida aprendi que,a sociedade menos preza aquela que não tem dinheiro.
A vida é uma caixinha de surpresas,e uma coisa eu te digo
é uma viagem da qual jamais sairemos vivos,ou levando algum bem material eu peço a você para jamais se apegar a bens materiais ele nunca te trará salvação e muito menos paz.Então pense bem,você pode até achar que é louca que eu estou dizendo,mas não é eu vivo a realidade do sofrimento do rancor,do odio eu sou apenas mais uma adolescente cheia de problemas,mas concerteza eu sou cheia de ideias que mudaria muito a opinião der vários.

Kelen

O que só as fadas sabem?
[...]
- Sabem algo essencial: que só podem viver nos contos.
- E isso só as fadas sabem?
- Sim, porque nós, os outros, consumimos a vida esperando seres maravilhosos que nunca aparecerão.
- E o que você me diz do jardim secreto? - acrescentei. - Ainda estou procurando por ele.
Marta riu suavemente antes de dizer:
- Com os jardins secretos acontecem a mesma coisa que com as fadas: você nunca os encontra quando precisa deles.
Depois de dizer isso, fez-se um silêncio que não era incômodo. Então ela perguntou:
- Quando você vai voltar?
- Ainda não sei. Qual é a cor do céu?
- Se esperar um pouco poderei lhe dizer.
Ouvi seus passos descalços se afastando. Uma persiana rangeu ao subir antes que Marta voltasse para dizer.
- Azul.
- Que tipo de azul?
- Aquele que você só pode ver nos dias em que está muito contente.
- Quando sabe que vai se viver para sempre jamais?
- Algo assim.
- Gostaria muito de vê-lo.
- E a mim que o visse - suspirou - Queria que você estivesse aqui.

("Queria que você estivesse aqui")

Francesc Miralles

Talvez aqueles horríveis contos de terror em que todos morrem no final não sejam tão terríveis assim, pelo menos é o que parece pra mim, que já vivi isso, mesmo que talvez tenha sido apenas uma alucinação da minha cabeça, que confesso já não estar mais tão sã assim... E talvez, os monstros que vivem dentro da minha cabeça sejam mais temíveis que aqueles que ouço arranhando embaixo da cama.
É, minha historia não começa com "5 amigos numa viagem", mesmo porque nunca tive amigos, segundo porque minhas viagens ocorriam apenas dentro de mim. Essa história começa simplesmente comigo, e uma dose insana de comprimidos que levei com o intuito de me matar, ali, naquele vagão de trem abandonado... Porque? Apenas queria morrer ali, marcar eternamente o local onde uma jovem garota loira se matou, queria que jovens inventassem histórias sobre meu fantasma e me temessem... enfim, apenas para ser dramática, mas o que me esperava era um pouco mais de drama do que eu poderia suportar.
Me sentia até confortável naquele vagão, era gelado, achei q era o lugar perfeito pra eternizar minha alma, que também já tinha se tornado fria. Tomei 1 vidro e meio de um comprimido tarja preta qualquer que roubei da minha mãe, mas como nada é tão bonito como na tv, logo vieram os vômitos, um atrás do outro, e com aquele liquido nojento também se esvaia minha dignidade, ali, se contorcendo e se afogando em vomito dentro de um vagão de trem abandonado, onde ninguém poderia me ouvir, ou pelo menos era isso que eu achava.
Acho que tinha desmaiado, acredite em mim quando digo que quando as pessoas dizem que foi tudo muito confuso, é porque é verdade. Eu juro que quando abri os olhos novamente, preferia ter visto o diabo, mas eram aqueles malditos caras da escola, sequer os conheço mas parece que me odeiam, sempre me ofendendo, me chamando de estranha, me assediando, nojentos. Eles não deixaram eu me afogar no vômito, eu já tinha posto pra fora praticamente todos os comprimidos e meu suicídio já tinha ido por agua a baixo, mas estava extremamente fraca, meu estomago doía e minha cabeça estava pesada. De repente, me senti totalmente controlada por algo, talvez fosse a morte, e do nada recuperei as forças que tinha e as que não tinha, e ai aconteceu.
Enquanto André e seus amigos riam de mim, rasgavam meu vestido,e "decidiam" o que iam fazer comigo, um ódio demoníaco se apoderou de mim. Peguei um estilhaço de vidro, provavelmente de uma garrafa de algum bêbado que esteve ali, rasguei a garganta de André, os outros dois tentaram fugir, mas estranhas criaturas os seguraram, eram sombras negras e, seu eu pudesse dar um palpite do que elas eram, eu diria que eram o próprio medo, a maldade e o ódio ganhando forma. E eu, movida por algo que até hoje não sei, matei todos eles, um por um, os gritos eram musica para meus ouvidos, a cada vez que eu enfiava aquele pedaço de vidro em seus estômagos, me sentia uma artista, criando sua obra prima. Uma obra de arte chamada morte, feita a pinceladas de sangue e terror.
Aquelas terríveis sombras, encheram o vagão, estavam por todo o lado e sussurravam coisas que eu não entendia, levaram os corpos, acho que era como um sacrifício, não sei... Uma força se apoderou de mim novamente, e dentro da minha cabeça ouvi claramente:
"ESTAMOS TE DANDO UMA CHANCE PRA VIVER NOVAMENTE, MOSTRE AS SOMBRAS AO MUNDO, DÊ A ELES O TERROR QUE SÓ UMA PESSOA A QUEM ELES AMAM SERIA CAPAZ DE DAR, FAÇA ISSO, E CONSEGUIRÁ SUA ETERNIDADE"
Quando voltei a mim, estava diferente, não sei explicar... apenas não era mais eu, eu não tinha mudado em nada, porém estava mais bonita, mais confiante, eu era como uma estrela, era impossível não olhar pra mim. Nunca mais fui a mesma, a partir daquele dia todos passaram a me amar, tinha amigos, ia a festas, era tratada como uma rainha. E como as criaturas me disseram, eu dei a todos o terror que só os amantes da superficialidade mereciam, os humilhei, os tratei como lixo, apenas retribui o desprezo que eles tanto me ofereceram quando eu ainda não era o que eles queriam que eu fosse. Confesso, me divirto com isso, estúpidos inúteis, cuspo em seus rostos e ainda fazem tudo o que eu quero, não prezam pela própria dignidade, humanos são todos assim, foi por isso que quis tanto morrer antes disso tudo começar...
As vezes, quando o vento me fala que eu devo, vou ao velho vagão abandonado, os meninos que matei sempre estão lá, eles gritam e gemem porque as sombras os torturam, eles pedem pela mãe e então eu rio como o próprio diabo. As criaturas me falam o que devo fazer, e eu tenho um longo caminho pela frente, o líder deles disse que eu ainda serei muito importante no mundo, terei muita influencia e farei muitas pessoas sofrerem com meu poder, todos acreditarão nas minhas mentiras porque os farei se apaixonarem por elas, mas no final de tudo, lembrarão de Catanduva como sendo a cidade em que o mal nasceu.
Muitas coisas tão poderosas quanto as sombras tentam me parar, dizem que eu tenho que morrer para que não haja sangue derramado no futuro, mas elas moram apenas na minha cabeça, e conversam comigo em meus sonhos, por isso não durmo mais, não em casa. Toda noite vou ao vagão e durmo ouvindo o arranhar do caco de vidro no chão. As vezes ouço André sussurrar "Você vai morrer Alana" então eu respondo:
-Isso foi tudo que eu sempre quis.

Alana Bueno

Você foi mais que um simples rolo, um simples namoro, foi como mágica, como uma história de contos de fada. a historia mais linda que já vi, ouvi e li, uma historia que nem o tempo, nem mesmo a morte será capaz de apagar, não me vejo sem voce nunca, não quero te perder novamente, já sofri demais por isso. Tantas coisas voce me ensinou, me ensinou a amar, a respeitar, a ser paciente, a sentir saudade, e a dar valor naquilo que eu realmente queria,

Eu te amo acima de tudo

Bia Bandeira

"Sabe aquela historia dos contos de fada em que o sapo vira um príncipe e desperta o amor da linda princesa?
Pois é isso pode ser real, sabe aquele carinha ou mesmo aquela menina porque não? os homens também esperam por uma princesa, podem se tornar tudo que você sempre sonhou sabe como? amor, atenção, confiança e perseverança...
Talvez seu príncipe ou sua princesa sempre esteve ao seu lado e por algum motivo ou por estar com a pessoa errada você ainda não percebeu...
Ei psiu acorda, a felicidade pode estar bem ai na sua frente ou ao seu lado e você ai colhendo migalhas, aprenda a observar que atos valem mais do que algumas palavras, tem algo maior a sua espera você só precisa buscar.....

18/01/12

By Leandro Fagundes (Corpus)

Frio lá fora, café quentinho aqui dentro, páginas em branco esperando para serem escritas, contos e poemas emaranhados em minha cabeça.
Sinto-me tão bem, é assim que vou dar sentido a minha vida, é dessa forma que aproveitarei meu tempo.
Quantos livros lidos, quantos textos salvos no note?
É hora de deixar meus pensamentos comungarem com os pensamentos dos antigos.
Escritores, sábios, poetas sejam pacientes ensinem-me a escrever, ajudem-me a descortinar minhas melhores idéias.
Quero a clareza e a simplicidade em minhas frases, quero escrever de um jeito novo e original, quero pensar o que ninguém pensou, se é que isso é possível, enfim quero evadir-me, extraviar-me entre as linhas, transmutar-me em palavras para assim ganhar sentido.
Para trás deixo as intrigas do mundo, o medo, o fracasso, as preocupações, e avante sigo, avante escrevo.
Talvez a literatura tenha como principal objetivo esse: olvidar as amarguras, vencer as decepções. Talvez todos os escritores soubessem disso e conservassem esse segredo a sete chaves para que o mito não fosse quebrado e banalizado.
Desde a antiguidade grega, desde os escribas egípcios, desde os místicos e profetas judeus, que as palavras vêm sendo exaltadas e depuradas, e todos descobriram o poder que emana de cada sentença. No princípio era o verbo, e o verbo estava com Deus e o verbo era Deus, isso resume muita coisa, e hoje, para além de Saramago, de Freud, de Nietzsche, de Shakespeare o verbo ainda é o verbo e ainda encanta, elucida e exerce a potencia de ser verbo.
Estou sendo obscuro? Nesse ponto prefiro ser obscuro mesmo.
Céus, montanhas, horizontes, oceanos, pássaros, sonhos, almas, gramática, descortinai o mistério, rompei o véu do enigma, o sentido da parábola. Kafka abra as portas de seu mundo hermético. Joyce mostre-me as nuances mais secretas de seu mundo onírico, de modo que eu venha a entender o que cada símbolo traduz...

Idenir Ramos

E como nos contos de fada, vivo a parte dos dramas e dos caminhos difíceis, ansiando por dias melhores, pessoas especiais, momentos mágicos, e tudo que seja possível e que esteja ao meu alcance... Mas não me esqueço que vivo no mundo real, com pessoas de carne e osso repletas de sentimentos confusos, ações enigmática e palavras vazias...
A diferença crucial entre esses dois mundos que desde criança fui obrigada a me conformar é que nada pode me fazer feliz para sempre... mas pode ser eterno e perfeito enquanto durar... só depende de mim...

Letícia Aline Rossi

Era uma vez uma menina, que acreditava em todos os contos de fadas que ouvia para dormir.
Acreditava no amor verdadeiro e em felizes para sempre, ela tinha viva a esperança de que algum dia todos seus sonhos se tornariam realidade.
Ela acreditava em fadas, que um dia o toque magico de uma varinha realizaria todos os seus sonhos e a tornaria uma princesa, e que ela por fim encontraria seu principe encantado.
A menina cresceu, mas ainda crê em fadas, e abraçada a sua almofada.
Ela sonha acordada, com seu príncipe azul, em seu cavalo branco.
Pensa como seria quando o encontraria, os sonhos são o mais belo dos tesouros que podemos carregar. E essa magia que um dia pode nos encontrar brilhando como uma estrela azul, entrando pela nossa janela, tudo que você tem que fazer é acreditar, que cedo ou tarde eles irão se realizar. E você ira encontrar seu ” Felizes para sempre”.

Gabriela Marques

ESTOU GRÁVIDA

'De livros abortados
De leituras interrompidas
De contos inacabados
De remédios ingeridos
De poemas iniciados
De amores mal resolvidos
De palavras mal pronunciadas
De versos não construídos
De rascunhos rasgados
De noites mal dormidas
De crônicas não anunciadas
De acrósticos obstruídos –
Sinto-me enjoada, pesada,
Preciso parir.'

Denair Inês Guzon

Incompatível

Quantos contos de fadas são precisos para escrever um final feliz
Nenhuma maquiagem é capaz de esconder do coração uma cicatriz
Quantas verdades se perdem no medo da escuridão
E quantos passos são dados no caminho da solidão
De quantas ilusões é preciso se inventar pra sobreviver
Apenas uma, mas esta ilusão é capaz de me fortalecer
Essa ilusão é você

Quanto barulho cabe no silêncio de um coração apaixonado
Quanta esperança morre em cada amanhecer de mais uma noite acordado
Quanta saudade some na poeira de uma estrada sem fim
Quantos beija-flores cercam a mais bela flor do jardim
De quantos sonhos é preciso desistir pra não sofrer
Apenas de um, mas este um é o maior sonho que se pode ter
Esse sonho é você

Quantas apostas são precisas pra se ganhar um coração
Quantos inocentes morrem presos dentro dessa prisão
Quantos gigantes caem por subestimar a força do oponente
Quantas lutas são vencidas sem desferir um golpe somente
De quantos verbos eu preciso pra falar e alguém entender
Que por mais incompatível que possa parecer
O meu amor é você

Djalma Alves de Souza

Na Europa, nas antigas civilizações, os contos de Fadas constituíam uma forma de entretenimento tanto para crianças como para adultos, contadas principalmente entre as comunidades agrícolas, na época do inverno, chegando a dizer-se que "os contos de Fadas representam a filosofia da Roda de Fiar".
> (Marie-Louise Von Franz em "A Interpretação dos Contos de Fadas"; citada por Bárbara Vasconcelos de Carvalho em "A Literatura Infantil - Visão Histórica e Crítica")

Marie Louise Von Franz

Não espere que eu seja sua princesa, como nos contos de fadas, que esperam por um grande amor, por um homem perfeito em seu cavalo branco, que vem não sei de onde e nem quanto tempo vai demorar, mas que vai chegar... Porque eu não espero.
Eu faço o meu próprio conto de fadas, e acredite, não sou eu que espero por ninguém, alguns tem uma vaga sorte de poderem esperar por mim, mas nem todos dão valor a essa oportunidade.
Por isso o meu primeiro maior e único amor é o que tenho por mim mesma, e quanto a príncipes, existam ou não, duvido que sejam dignos de tanto amor assim.

Juliana Reis