Conto Popular

Cerca de 321 frases e pensamentos: Conto Popular

Estranho mesmo foi você me notar no meio de tanta gente...
Você era popular, eu esquisita.
Você foi expulso da escola, eu fugi dela pra ficar mais cedo com você.
Você fumava, eu reclamava do cheiro do cigarro.
Eu cantava, você me olhava.
Eu bebia, você cuidava de mim.
Você falava, eu me apaixonava.
Você ia embora, eu chorava.
Eu escrevia, você lia.
Eu reclamava, você sorria.
Você aparecia, eu chorava e sorria.
Você tocava baixo, eu te admirava.
Você me ensinava, eu desistia.
Eu de bota, você de coturno.
Eu gêmeos, você sagitário.
Você gostava de cemitério, de rpg, de vinho barato, de Metallica e do Wolverine.
Eu gostava da noite de lua cheia, de Pipermint, de Kiss, de cantar e de moda.
Você tinha 16, e eu 15.
Eu queria Zeppelin, você Chili Peppers.

Karla Beltrani

Uma mulher de verdade, não precisa sair com o cara mais bonito, mais popular, mais rico. Ela só precisa daquele que a faz sorrir, que a trata com carinho. A mulher de verdade não se importa com classe social, raça, crédulo, beleza. Uma mulher de verdade é capaz de transformar qualquer sapo em príncipe, porque ela sabe que o que tem por dentro, tem mais valor do que a carteira de um idiota que se acha.

-Andressa Escobar

Andressa Escobar

Paz!!!
Eu já acenei a minha bandeira da paz e só você não viu.
Será que o ditado popular que fala: "Que o amor é cego."
Faz sentido também na hora das nossas brigas, e você está tão cego que não consegue enxergar a minha humilde bandeira da paz. Será???
Eu não quero briga, eu quero amor.
A única guerra que eu queria ter com você, seria entre quatro paredes e em cima da cama, uma guerra de travesseiros juntamente com muitas risadas, e com direito á bombas de beijos estalados, armas de sedução, poder bélico de tirar o fôlego, e tréguas para descanso de corpos mortos e exaustos.
Está seria a nossa verdadeira guerra, e não está que estamos vivendo, por isto, eu te peço PAZ DE AMOR.
PORQUE EU TE AMO!!!!

Cláudia Leite S.

Cláudia Leite S

Jó, o Homem Justo, e a Estrela de Rock

Considerando o poder e a influência popular sobre os jovens

Por John Piper

Quando Jó perdeu seus dez filhos, mortos por um vendaval que os esmagou (como os furacões que devastam e destroem em nossos dias), ele rasgou seu manto, rapou a cabeça, lançou-se em terra e adorou. E disse: “Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o senhor o deu e o senhor o tomou; bendito seja o nome do senhor! (Jó 1.21) Depois, quando ferido de tumores em todo o corpo, Jó disse à sua esposa que amaldiçoava a Deus: “Temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal?” (Jó 2.10). Em ambos os casos, o autor do livro de Jó acrescenta que ele “não pecou” nestas afirmações ousadas a respeito da soberania de Deus sobre o vento, a enfermidade e Satanás (ver Jó 1.22; 2.10).
Neste sentido, quais são as principais influências para os jovens em nossos dias? Que mensagem está sendo transmitida a respeito do governo de Deus sobre todas as coisas, o direito de dar e tomar que Ele tem como Criador e sua autoridade para governar o mundo? Uma estrela de rock, filha de um pastor metodista da Carolina do Norte, sofreu aborto. À idéia de que este acontecimento doloroso estava na vontade de Deus, ela respondeu: “Se estava, então eu chutarei o traseiro dEle, porque não estou interessada em “seja feita a tua vontade”. Sendo mãe desta criança, eu quero a minha vontade e não a tua” (Foster s Sunday Citizen, 15 de novembro de 1998).
Posteriormente, Jó falou sobre pessoas como sua esposa e essa estrela de rock. Eles são prósperos, não compreendem que sua própria respiração é um dom da graça que eles não merecem (Deus não é “servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse; pois ele mesmo é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais” — Atos 17.25). Tais pessoas não têm uma vida de gratidão contínua para com a paciência e a tolerância de Deus (“Ou desprezas a riqueza da sua bondade, e tolerância, e longanimidade, ignorando que a bondade de Deus é que te conduz ao arrependimento?” — Romanos 2.4). Acham que o prazer é a norma da vida e interpretam o sofrimento como uma ocasião para blasfemarem do Altíssimo. Jó diz a respeito deles: “São estes os que disseram a Deus: Retira-te de nós! Não desejamos conhecer os teus caminhos. Que é o Todo-Poderoso, para que nós o sirvamos? E que nos aproveitará que lhe façamos orações?” (Jó 21.14-15)
Que é o Todo-Poderoso, para que nós o sirvamos?
Essa é uma pergunta excelente, dependendo do tom de voz. Eis uma parte da resposta.
• Ele é razão por que você chegou a existir. “Nele, foram criadas todas as coisas” (Colossenses 1.16).
• Ele é a razão por que você continua existindo. Ele sustenta “todas as coisas pela palavra do seu poder” (Hebreus 1.3).
• Ele decide por que você existe e o faz cumprir os seus objetivos. “Tudo foi criado por meio dele e para ele” (Colossenses 1.16).
• Ele governa todas as autoridades que parecem tão influentes na terra. “Jesus Cristo... o Soberano dos reis da terra” (Apocalipse 1.5).
• Somente Ele tem autoridade para perdoar pecados. “Quem pode per- doar pecados, senão um, que é Deus? ...o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados” (Marcos 2.7, 10).
• Opor-se a Deus é tolice em extremo. “Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo” (Hebreus 10.31).
• Amar a Deus e aproximar-se dEle é sabedoria plena. “Na tua [de Jó, o Homem Justo, e a Estrela de Rock 25 Deus] presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente” (Salmos 16.11). “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros” (Tiago 4.8).
Portanto, com regozijo e tremor, humilhemo-nos sob a poderosa mão de Deus. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã (Salmos 30.5). Os caminhos de Deus são, frequentemente, estranhos. Mas, quando esses caminhos são estranhos, Jó é um exemplo melhor do que uma estrela de rock.

John Piper

Doideras figurativas expressivas ou criticas popular pessoal q não tá preocupado com o pronograma avaliativo dos manifestantes ativos ou restritivos mais ou menos voce entendeu ou eu tambem não;

Estamos sempre nos preparando pra mudanças,tranformações e coisas assim em forma de atualização porem nunca esperamos q o inesperado seja bom ao contrario buscamos formar,estruturar as informações como queremos expressar ou até como se deve apenas mas dois componentes como a agua e o ar fora de sintonia nunca teremos um bom banho mesmo no melhor lugar pra alojar ou locar um espaço projetado ao dado.
Contudo é como um guarda roupa cheio de roupas a vida q podemos planejar,revirar até encontrar uma q encaixe com nossos olhares mas na verdade queremos pegar o inesperado e faze-lo o esperado inacreditavel,viavel e tranformavel pra ser comum aos outros e incomum pra integrar ao comum o incomum de ser mais um,..., com muitos mais um,-, mas q cada um sendo mais um ouh não-umh, ver q mais é parte de 1.Colega deo se nessa essa mistura de respondadeste com 3 t ou linha.Pipa arriada ou coiseras lançado.

Eron de Sousa Tavares

Um ditado popular diz com razão: Não existe ninguém tão pobre que não tenha algo para dar, nem ninguém tão rico que não preciso de algo. O problema é que tem muito pobre de coração fechado e muito rico no pedestal.
Ambos já vivem no inferno da dupla Egoísmo/Orgulho.
O céu que se pode viver aqui na Terra mesmo é lugar de gente humilde e de mãos estendidas.

JOSÉ CARLOS DE LUCCA

O Corpo


Ribeirão Preto - SP.
Grande Circo Popular do Brasil. 1995.


Masculino este meu corpo se heterogeniza, sexualiza,
revela e muta, descarna: deságua em feminino absoluto.

Fundidos, atados, corpo e alma solidificam:
unificam, purificam, autenticam.

Masculino, este meu corpo se rebela à mera função de macho
reprodutor,
consumidor de fêmeas,
de primata.

Minha alma feminina o guia e protege e ilumina;
ousa em asas, afirma: ascende rasgada, dissecada;
exposta, nada priva.

Livre, meu masculino corpo se dilui...
Ama, entrega: integra, desintegra, marca.

Semeia e segue.

Jodhi Segall

O livro mais popular
Há um livro cheio de relatos conflitantes o qual quase ninguém se atreve a contestar.
Os livros nos contam historias que aconteceram, mas este é especial,porque nos fala de um passado renovado,como um museu de coisas novas ou como adivinhar que um doente terminal ira morrer ,mas a família não aceita e toma a ilusão como consolo.
Tem diversos nomes entre eles livro sagrado.E de certa forma é uma auto-ajuda conhecer os pecados.Mas quem poderia a primeira pedra atirar se já nascemos pecadores.
Meu velhos companheiro,tem me ajudado,é um bom conselheiro,guarda meus segredos e esta sempre ao meu lado.
Conheçam então o novo melhor amigo do homem,para tudo ao longo dos séculos tem servido.
E para quem não gosta de ler,ai vai a dica,é só imaginar o que há gravado.É assunto para todo tipo de leitor,se você não acredita é só folhear até encontrar o que busca.
Das reflexões aos contos eróticos.
Digo que este é o livro do século,há séculos foi editado.
O livro mais popular.A Bíblia(Leia o livro sagrado).

Sophya Lispector

15 maneiras de ficar popular na sua sala de aula!!!

1º)Seja amigo(a) de todos e não seja nunca injusta.
2º)Conheça pelo menos 2 turmas inteirinhas.
3º)Não brige e não discuta so se realmente for necesario.
4º)Nunca seja mandada para o s.o.i .
5º)Não seja mal-educado.
6º)Não seja amigo de otários .
7º)E não seja otário.
8º)Não desobedeça os funcionários.
9º)Seja legal e CONSCIENTE.
10º)Não chegue nem um pouco perto de falar palavrões.
11º)Não seja invejosa(o).
12º)Não tenha nenhum dos sete pecados capitais.
13º)Não seja medroso.
14º)Seja boa(o) na educação física.
15º)Seja sempre firme.

SIGA ESSES EXEMPLOS PARA NÃO SE DAR MAL!!!

Fernanda Souza

Tudo na vida tem um sentido, já dizia a sabedoria popular. Sabe quando tudo parece conspirar contra sua felicidade? Sabe quando tudo que você faz parece ser insuficiente? Sabe quando seu mundo parece não ter nenhum sentido diante de um amor que você nunca viu? É assim que eu vivo, essas situações parecem ser um retrato de minha vida, e aí vou me acabando e me consumindo no mundo confuso que se estabelece em mim. Já pensei que seria mais fácil fugir, mas quanto mais eu corro, mais o sofrimento me persegue, e eu ainda brinco dizendo que a vida me deu problemas super atletas, sim, super atletas! Porque se eu dou a volta ao mundo pra fugir deles, eles ainda sim me alcançam e na mesma hora já estão prontos para me seguir novamente, impressionante isso! Mas como disse, isso é apenas uma brincadeira, pois a realidade é bem diferente!
Me pergunto porque a vida nos apresenta pessoas incríveis, se de uma forma ou de outra temos que abrir mão delas mesmo contra nossa vontade? Porque não temos o direito de amá-las e cativá-las e tê-las ao nosso lado? Vida confusa hein! Nada é tão simples quanto gostaríamos que fosse!
É injusto quando entramos em um jardim e encontramos uma flor, e mesmo nos esforçando por ela, temos que deixá-la para que não tenhamos que ver as mãos que virão colhe-la um dia!
O que realmente importa com isso tudo não é o que passo ou o que sinto, claro que machuca, mas é saber que de alguma forma aquilo que você passa adiante vai fazer bem p
a outra pessoa, afinal ninguém é perfeito e a vida não nos deu um manual dizendo quem deveríamos amar ou não!

João Af. Maia

... A sabedoria popular nos ensina que há sempre um aprendizado a ser recolhido depois da dor. É verdade. As alegrias costumam ser preparadas no silêncio das duras esperas. Não é justo que o ser humano passe pelas experiências de calvários sem que delas nasçam experiências de ressurreições.

Por isso, depois do cativeiro, o aprendizado. Ao ser resgatado, o seqüestrado reencontra-se com seu mundo particular de modo diferente. A experiência da distância nos ajuda a mensurar o valor; e o seqüestrado, depois de livre, mergulha nesta verdade.

Antes da necessidade do pagamento do resgate, da vida livre, sem cativeiro, corria-se o risco da sensibilidade velada. A vida propicia a experiência do costume. O ser humano acostuma-se com o que tem, com o que ama, e somente a ruptura com o que se tem e com o que se ama abre-lhe os olhos para o real valor de tudo o que estava ao seu redor. As prisões podem nos fazer descobrir o valor da liberdade.

As restrições são prenhes de ensinamentos. Basta saber parturiar, fazer vir à luz o que nelas está escondido.

A ausência ainda é uma forma interessante de mensurar o que amamos e o que queremos bem. Passar pela experiência do cativeiro, local da negação absoluta de tudo o que para nós tem significado, conduz-nos ao cerne dos valores que nos constituem.

O resgate, o pagamento que nos dá o direito de voltar ao que é nosso, condensa um significado interessante. Ele é devolução. É como se fôssemos afastados de nossa propriedade, e de longe alguém nos mostrasse a beleza do nosso lugar, dizendo: “Já foi seu; mas não é mais. Se quiser voltar, terá que comprar de novo!” Compramos de novo o que sempre foi nosso. Estranho, mas esse é o significado do resgate.

Distantes do que antes era tão próximo, recobramos de um jeito novo. Redescobrimos os detalhes, as belezas silenciosas que, com o tempo, desaprendemos a perceber. A visão ao longe é reveladora. Vemos mais perto, mesmo estando tão longe. Olhamos e não conseguimos entender como não éramos capazes de reconhecer a beleza que sempre esteve ali, e que nem sempre fomos capazes de perceber.

No momento da ameaça de perder tudo isso, o que mais desejamos é a nova oportunidade de refazer a nossa vida, nosso desejo é voltar, reencontrar o que havíamos esquecido reintegrar o que antes perdido ignorado, abandonado. O que desejamos é a possibilidade de um retorno que nos possibilite ver as mesmas coisas de antes, mas de um jeito novo, aperfeiçoado pela ausência e pela e pela restrição.


Depois do resgate, o desejo de deitar a toalha branca sobre a mesa, colocar os talheres de ocasião sobre mesa farta. Fartura de sabores e pessoas que nos fazem ser o que somos!

Refeição é devolução! Da mesma forma como o alimento devolve ao corpo os nutrientes perdidos, a presença dos que amamos nos devolve a nós mesmoss. Sentar à mesa é isso. Nós nos servimos de alimentos e de olhares. Comungamos uns aos outros, assim como o corpo se incorpora da vida que o alimento lhe devolve. A mesa é o lugar onde as fomes se manifestam e são curadas. Fome de pão, fome de amor!


Depois do cativeiro, a festa de retorno, assim como na parábola bíblica que conta a história do filho que retornou depois de longo tempo de exílio. Distante dos nossos significados, não há possibilidade de felicidade. Quem já foi seqüestrado sabe disso. Por isso, depois do seqüestro, a vida nunca mais poderá ser a mesmaaaa.

Pe. Fábio de Melo

- Ela: Nossa... Você é tão popular, porque anda com pessoas tão deselegantes, tão mal vestidas?
- Ele: Sempre ouvir dizer que o verdadeiro valor das pessoas não está do lado de fora; da maneira que ela se veste, do jeito que ela fala com alguém, nem como ela se comporta em uma sociedade. O verdadeiro valor das pessoas está internamente, onde somente um amor verdadeiro, e um olhar magnífico consegue enxergar.

Rênnath Patterson

DITADO NÃO MUITO POPULAR:
Sentei para almoçar na padoca da esquina, acabara de fazer meu pedido à já cansada garçonete, numa mesa ao lado amigos divertidos conversavam, quando um de seus integrantes bradou em alto e bom som: " Quem ri por ultimo ri melhor" .
Aquilo entrou muito rápido nos meus ouvidos, e mais rápido ainda saiu por todos os poros numa verdade arrepiante, como se alguém sussurrasse em meus ouvidos:

"MARCELO, QUEM RI POR ÚLTIMO PERDE A CHANCE DE SE EMOCIONAR NO FINAL!!"

Marcelo Cavicchioli

"Posso não ser o mais popular, o mais divertido, mais uma coisa eu posso lhe afirmar, sou aquele que vai te abraçar, te fazer sorrir quando a tristeza insistir em bater, sou aquele que diante de Deus vai te levar onde somente você vai estar: dentro do meu coração e diante de uma altar"

29/08/12.

By Leandro Fagundes (Corpus)

A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre.
Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.
É tão natural destruir o que não se pode possuir, negar o que não se compreende, insultar o que se inveja.

Professor Galvão

Analisando a história dos projetos de iniciativa popular, convertidos em lei, fica impossível refutar seu caráter de "instituto decorativo", abordado pelo professor Manoel Gonçalves Ferreira Filho. Primeiramente, pode-se dizer isso em face do número de leis oriundas da iniciativa popular: a maioria dos estudiosos fala em quatro leis. No entanto, em uma análise mais pormenorizada, percebemos que, de fato, apenas duas leis vigentes tiveram seu processo legislativo deflagrado nestes moldes: a Lei 11.124/2005 (lei que criou o fundo nacional para moradia popular) e a Lei Complementar 135/2010 (lei da ficha limpa). As outras duas leis consideradas como fruto da iniciativa popular (Lei 8.930/94, conhecida como Projeto Glória Perez; e Lei 9.840/99, conhecida como lei da captação de sufrágio) tiveram cogitação popular e recolhimento de assinaturas, porém, em ambos os casos, o legitimado para dar início ao processo legislativo não foi, efetivamente, a iniciativa popular, mas sim, respectivamente, o Presidente da República e um grupo de Deputados Federais.

Assim, percebe-se, claramente, que a experiência brasileira é pífia. Outro problema deste instituto é a possibilidade de emendas ao projeto inicial, por autoria de parlamentares, sem um mecanismo de controle popular posterior. Deste modo, por meio de emendas, não é raro vermos desnaturação do projeto inicial. Outro debate, talvez mais polêmico, é o que trata da possibilidade de emendas à Constituição por iniciativa popular. Numa análise literal, refuta-se esta possibilidade mediante a leitura do art. 60, da CF. Todavia, por uma análise ampliativa dos princípios fundamentais abrangidos constitucionalmente, pode-se aceitar esta tese. Partindo desta análise sistemática, José Afonso da Silva representa a gama de autores que entende ser possível que o processo legislativo de emenda constitucional seja deflagrado pela iniciativa popular.

Por tudo isso, não podemos aceitar discursos que elogiam nosso sistema democrático a partir de uma visão míope e estática do parágrafo único do art. 1° e do parágrafo 2° do art. 61, ambos da Constituição da República. Os avanços se fazem necessários, principalmente, no campo da elaboração de mecanismos e institutos que regulem melhor esta hipótese de iniciativa, impedindo a desvirtuação descontrolada dos projetos iniciais e permitindo uma maior clarificação dos contornos e limites deste instituto basilar de nosso sistema.

Luis Felipe Bonatto Francischini

" A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo.
Para ser popular é indispensável ser medíocre."
Oscar Wilde

Não é fácil assimilar essa máxima de Oscar Wilde.
Todos queremos causar a melhor impressão possível, todos gostamos de ser populares entre os amigos.
Não fora assim, ninguém estudaria, seria culto, teria boas maneiras e procuraria se apresentar bem vestido, limpo etc.
Estaria Oscar Wilde recomendando que fossemos medíocres?
Certamente não!
Ele quer dizer que jamais seremos unanimidade nas relações interpessoais de um grupo de pessoas, especialmente se esse grupo for heterogêneo.
Quanto mais brilhante você for mais inimigos terá!
E isso ainda ainda é muito bom e é válido, uma vez que a alternativa é ser medíocre.

Marinho Guzman

Você é Pequeno , Pois Cabe Em Meu Coração .

Me pediram para escrever popular, Eita parece ser fácil mas é tão quanto dificíl concilar, fascinante explicarei o meu verbo , este o de amar , palavra forte significativamente única , afável e construtiva , causante e justa , cujo propósito é direcionado á quem comprazo me e concede me a honra em falar , de seu gesto amigo , irmão , desconhecido , sem interesses ou motivos em ter ou não condições , se vai dar certo ou até onde isso pode dar , sua educação e humildade , já faz jus á mesma fé ,comunhão e paz, o julgo ainda pesado , mas unidos buscamos á luz, ao intuíto de sermos coroados , em um reino de glória , este o de Cristo Jesus , Para mim você é pequeno, pois cabe em meu coração, e para os demais voe é grande , pois não cabe no coração deles . Obrigado Majestoso Deus ! Por tornar minha vida fácil , ajuntou apenas os melhores ao lado deste fraco ser , minha amada esposa Marinalva , e meus filhos , Jefferson e Miguel , e um irmão inseparavel Jeovah Raony , E isto escrevo em um pergaminho de cristal , e de ouro esferográfico o pincel , e tinta magnífica de um fornecedor importante lá do céu .

Agradecido !

Gerson Basilio da Silva

Oásis
Conta uma popular lenda do
Oriente que um jovem chegou à
beira de um oásis junto a um
povoado e, aproximando-se de um
velho, perguntou-lhe:
– Que tipo de pessoa vive neste
lugar ?
– Que tipo de pessoa vivia no
lugar de onde você vem ? –
perguntou por sua vez o ancião.
– Oh, um grupo de egoístas e
malvados – replicou o rapaz –
estou satisfeito de haver saído de
lá.
– A mesma coisa você haverá de
encontrar por aqui –replicou o
velho.
No mesmo dia, um outro jovem se
acercou do oásis para beber água e
vendo o ancião perguntou-lhe:
– Que tipo de pessoa vive por
aqui?
O velho respondeu com a mesma
pergunta: – Que tipo de pessoa
vive no lugar de onde você vem?
O rapaz respondeu: – Um
magnífico grupo de pessoas,
amigas, honestas, hospitaleiras.
Fiquei muito triste por ter de
deixá-las.
– O mesmo encontrará por aqui –
respondeu o ancião.
Um homem que havia escutado as
duas conversas perguntou ao
velho:
– Como é possível dar respostas
tão diferente à mesma pergunta?
Ao que o velho respondeu :
– Cada um carrega no seu coração
o ambiente em que vive. Aquele
que nada encontrou de bom nos
lugares por onde passou, não
poderá encontrar outra coisa por
aqui. Aquele que encontrou amigos
ali, também os encontrará aqui,
porque, na verdade, a nossa
atitude mental é a única coisa na
nossa vida sobre a qual podemos
manter controle absoluto.

Desconhecido

Existe um dito popular que acentua, com propriedade: “mente sã, corpo são”. Verdadeiramente, apoiamos essa assertiva, por se fundamentar, com todos os rigores, na lei da justiça e do amor. O homem de amanhã, juntamente com o progresso, apresentar-nos-á os novos horizontes da mente, reconhecendo nela o energismo divino, de onde programa todo o comando para o corpo físico e todo equilíbrio para os centros de força, encravados no corpo espiritual. A auto-educação da mente é como portas que se abrem, ensejando à alma esperanças indescritíveis.

O complexo humano é cópia perfeita do universo, obedecendo às mesmas leis, de acordo com a sua estrutura, função e tarefa perante a vida. O espírito nunca sentirá paz na consciência, enquanto desconhecer a si mesmo, o que, de certa forma, é Deus frente a frente, convidando-o para as belezas da vida. A argamassa fisiológica se apoia em uma rede de glândulas, principalmente as de secreção interna que, por vias diretas, enriquecem o sangue de vitalidade, para que o espírito encarnado encontre a harpa afinada no sentido de dedilhá-la com desembaraço e, como maestro, harmonize todos os órgãos em uma só dimensão de ideal, com variados tons, para que a sinfonia orgânica alcance a plenitude do equilíbrio e da paz.

Contudo, os astros endócrinos, nos céus da forma física, têm profundas ligações com os chacras desenvolvidos no corpo espiritual, de alta função divina e terrena, pois eles são como duplicatas das sete glândulas de maior responsabilidade no corpo. E a mente se representa o comandante, o chefe no topo da cruz humana, pousada como pássaro celestial no maior computador do mundo, o cérebro, distribuindo ordens, analisando conceitos, ampliando e estimulando a química orgânica, encorajando altos interesses pelo progresso e por meios ainda desconhecidos da Terra, eternizando as leis de Deus nos escaninhos do próprio ser.

Eis que os horizontes da mente são inconcebíveis, por enquanto, perdendo-se na noite dos séculos e milênios, apoiando-se no grande ser que denominamos Deus.

A disfunção do mundo glandular provocará em vós inúmeras enfermidades, que a medicina, até hoje, procura debelar com poucos resultados; e estes, quase sempre nas pautas da transitoriedade. A ciência do futuro, no que diz respeito à saúde do corpo físico, está marcada para uma radical transformação de conceitos, de ética profissional e de diretrizes, no tocante aos métodos para os tratamentos.

Surge um novo sol na psiquiatria, com uma profusão de remodelações, tendo na mente a responsável direta por todas as enfermidades, o germe de todos os desequilíbrios do vaso físico. O problema fundamental, em primeiro plano, vai ser educar e, depois, instruir os indivíduos sobre como usar a faculdade de pensar, a maior força de todos os planos da existência.

O medo em demasia abaixa a vibração do energismo espiritual, retarda os centros de força e desequilibra a função glandular, que projeta veneno de todas as espécies no sistema nervoso e alcança todo o mundo celular. A ordem para a química do metabolismo é, igualmente, deturpada. A coragem com excesso, que sai das linhas da fraternidade, também é responsável por distúrbios maléficos ao organismos e, nesta seqüência, poderemos enumerar a maledicência, a vingança, o orgulho, a dúvida, a infidelidade, a maldade, o ciúme, etc.

Por isso, colocamos o Cristo como o sol das nossas vidas. Encontraremos no Evangelho os métodos mais simples e os meios mais fáceis, preceitos que nos levarão à verdadeira saúde do corpo e da alma. Já presenciamos pessoas melhorarem muito de saúde, pela concessão de um simples perdão. Vamos condicionar a nossa mente a bons pensamentos, para que estes tomem formas e levem a vitalidade a todo o organismo, sem queima do divino que nos liberta, revigorando todas as nossas atitudes no bem. Pensar e falar sempre na saúde. Pensar e comentar assuntos de alegria pura. O humorismo sadio é portador de esperanças e de paz. As boas maneiras, a decência, a cordialidade, o equilíbrio das emoções, tudo isto são toques de compensação funcional do corpo, que nascem na mente, passam pelos centros de força, ganhando amplitude nas glândulas que fornecem vitalidade hormonial a todos os departamentos somáticos.

A felicidade se inicia no pensamento. O trabalho é vosso. Começai e sereis ajudado por Deus

(extraído do livro Horizontes da Mente João Nunes Maia Espírito