Coleção pessoal de Felicity-secret2010

1 - 20 do total de 317 pensamentos na coleção de Felicity-secret2010

A noite
O silêncio da noite
A escuridão da noite
Passos arrastados, pelo peso dos fantasmas
A noite é o abrigo da solidão
Copos cheios de amargura
Goles lentos, saboreando a saudade
Batons borrados
De dia pessoas vazias, correndo a favor do vento
Na noite pessoas tão cheias de dores, desamores…
O bêbado a essa altura chora, falando o motivo dessa amargura
Algumas mentes gritam, outros grafitam
A rebeldia na noite
Todos somos testemunhas das dores um do outro
Olhares vazios, mãos trêmulas
Alguns fogem da realidade, acendem a morte e a inspiram, uns voltam, outros não
As sirenes rompem o silêncio
Avisa que essa vida não é pra sempre…
Tem sangue no chão, as vezes tem sangue nas mãos
A noite é testemunha dessa vacilação
Muda consente
Vê toda essa gente vagar por pura solidão
Mas ela espera o raiar do dia
Para que possamos voltar de onde viemos
Ou nos esconder atrás de máscaras
Na janela do apartamento tem uma luz fraca acesa, tem gente que não sai na noite, mas fica presa nela…
Insônia é o veredito de toda essa gente, presa ou não…
A rapariga beija o amante
O bêbado adormece com seu copo
Eu acendo mais um cigarro
A noite é companheira desses mortais sem sorte…

felicity Secret

A dor amarga a alma, mas adoça as palavras de um escritor…

felicity Secret

Chega um momento, na sua vida que imploramos para esquecer, pedimos como se fosse uma prece, para esse sentimento desaparecer. É tanta agonia por quem não merece, são tantas lembranças, a saudade martelando…
Queria esquecer aquele dia que me fez sorrir, queria nem ter o começo, assim sem lembranças, não sofreria. Eu estava tão acomodada no meu canto, no meu mundo tão só meu, eu era feliz de um jeito diferente, eu sei, a solidão não incomodava , tudo era tão só eu…
Mas ele veio e saiu plantando Girassol, me enchendo de sonhos, planos, fez várias promessas, até a de nunca partir, foi justamente essa a primeira que ele quebrou. Matou o jardim de girassóis, matou também os planos… Lembro que me devastou…
Foi como uma bomba em um campo minado por desamores passados, explodiu, estilhaçou, meu peito e por castigo eu sobrevivi…
Para ver ele com outra, sorrindo o sorriso que me negou, para ver que ele nunca quebrou, que comigo nunca foi amor
Não entendo esse sentimento ter sobrevivido, a saudade ficou intacta como se não tivesse sido atingida, tanta coisa morreu aqui dentro, e o que mais me tortura permaneceu vivo…
Te amar deve ser uma maldição…

felicity Secret

Viva o hoje da melhor maneira, pois podem ser as lembranças de "hoje" , que no futuro lhe sustentarão de pé.

felicity Secret

Ela abriu a porta
Libertou receios,medos…
Abriu seu velho baú
Vestiu-se de uma coragem absurda
Pegou o seu telefone discou
Caixa postal foi a resposta
Parou
Pensou
E resolveu correr atrás dos seus velhos medos…

felicity Secret

Pequena diante do mundo
Temia ser devorada por ele
Em sua pequenez sabia amar
Amava as coisas pequenas, amava em detalhes
Porém o amor dela era profundo e quente
Nunca soubera amar de outra maneira
O mundo sempre gigante, cinza e frio
Ela temia ser congelada por ele
Fora rotulada de rara, espécie em extinção
A pequena amava, e isso não tinha explicação
Ninguém mais sabia o que era amor
Não o amor de verdade
Amor se tornara banal
Dito vulgarmente, como frase corriqueira
Virou o amor apenas palavras ao vento
Dita, mas não sentida
Mas com a pequena era diferente
Amava verdadeiramente
Um corpo pequeno e frágil
Que trazia no peito o maior sentimento do mundo
(….)ela tinha consigo o dom de amar sem medida

felicity Secret

Bailarina

As velhas sapatilhas de quando ela ainda era bailarina
Empoeirada pelo tempo, pelas lembranças agora longínquo
Do tempo plié ,jeté ...Fondu …
Treino até a exaustão a menina sonhava em ser o Cisne na apresentação
Porém tudo mudou na manhã daquele mês….
O peso da vida, o peso do tempo, dos acontecimentos…
Pesou sobre seus joelhos…
Não se apresentou, não foi o tão sonhado cisne, nem recebeu os aplausos
Ela não mais as usa, porém as guardou, era o sonho da menina ser bailarina
Um sonhos que se desfez
Depois de anos, está as sapatilhas em seus pés, os joelhos ainda não suportam o peso dos acontecimentos
Mas a menina vai ao espaço, onde a gravidade não existe
Quem sabe ela possa dar seus antigos passos
Tendo o infinito como plateia, as estrelas como testemunhas
E sonhar mais uma vez, que ainda é a menina bailarina
Que ela possa dançar somente mais uma vez….

felicity Secret

Prefiro a música
Ela é a minha máquina do tempo
Meu jardim secreto
Meu diário imaginário
Prefiro aquela velha melodia
Blues, country, romântica …
Ouço canções que ninguém mais escuta
Aos meus ouvidos são atuais
Me transportam para o ontem
Lá eu era feliz, tinha você
Éramos nós
Ensaio uns passos desajeitados
Tentando acompanhar a música
Acredita que ainda me atrapalho
Se estivesse aqui…
Se estivesse aqui, estaríamos escutando música eletrônica, toda ou quase toda canção fala de amor, o ritmo se altera
Eu continuo falando do amor
Só mudei o tom é melancólico
Você também ainda fala de amor
Mas agora são outros ouvidos que
Congelam com a frase…
Por isso eu danço mesmo que seja sozinha, desajeitada …
Danço para tornar o pesar de ainda te amar leve…
Mesmo que seja por breves momentos, enquanto a música ecoa…

felicity Secret

Não!

O que eu sinto não está nos livros
Tão pouco no que escrevo, eu escrevo o que transborda
Não a causa dos meus medos
O essencial fica retino na nascente de todos os problemas
O problema é todo esse a escrita não é o caminho da cura
Ela liberta o que sobra, não cura a ferida do que fica
E a cada página é mais uma vez que a dor transbordou, mas não passou
Olha essas páginas cheias de feridas que transbordaram
Não vês eu estou transbordando, mas não curando
Esvaziando para novamente encher, é uma nascente que não se extingue
Ainda é aquele mesmo motivo, ainda é todas aquelas perguntas sem respostas, ainda são aqueles sonhos frustrado, pedindo para serem reais… É o peso de um passado que ainda não se desfez
Eu estou tentando com todas as forças, sei que preciso cuidar da ferida onde ela nasce…
E mexer dói por isso eu vivo, a transbordar em papéis
Não me julgue, ajude!

felicity Secret

Ela se olhava e não se reconhecia
Por dentro era linda, colorida vibrante
Por fora era “estranha”
Isso a torturava…
Por não se reconhecer diante do espelho
Se fechou num casulo
Então o tempo passou…
Transformações ocorreram, de dentro para fora
No seu corpo surgiam transformações, cores, formas, aos quais ela desconhecia, mas a cada novo detalhe , se deslumbrava…
Suas asas surgiram, o desejo de voar também
O primeiro voo foi tímido, mas aos poucos foi ganhando força!
Ouviu alguém comentar: “Que linda borboleta!”
Descobriu naquele momento o que era, ela era Borboleta
Agora fazia sentido, ela ter sido lagarta, ter passado pelo casulo
Para se torna Borboleta
Enquanto passeava pelo jardim, Sorria, pensando no que mais ela poderia ser!

felicity Secret

Quando tudo for silêncio
Grite!
Não deixe morrer,
Renasça!
Não deixa o cinza sobressair
Pinte e borde com todas as cores!
Não perca o tom
Vire melodia
Quando os olhos fecharem
Abra a mente!
Quando tudo for deserto
Faça de ti seu Oásis!
Se estiver tudo escuro
Use o tato!
Chegou ao fim do túnel?
Escale!
Então caiu do precipício?
Cade as suas asas? Voe!
Descubra novas saídas, só não pare
Não pare
De
Viver!

felicity Secret

Sempre gostei de dias ensolarados, a brisa do mar, os passeios nos finais de tarde, as chuvas das tardes de verão…

Porém, eu sou filha do furacão, sempre que anunciar uma empestada, o céu escurece, o barulho do trovão, os raios clareando aquela escuridão. Sinto o seu chamado, nas minhas mãos sinto pequenos ciclones que se eu permitir ganharam forças e tomaram o meu corpo inteiro. O meu corpo pede, grita, sinto uma dor devastadora aqui dentro, desejando a liberdade de ser que eu sempre fui, furacão.

Tento com todas as forças me conter, sei o poder da destruição que causaria se eu me tornasse furacão. Os raios e trovões se tornam cada vez mais fortes, tentando chamar a minha atenção. Posso ouvir o vendo pedindo que eu me liberte.

Porém eu olho a minha volta e vejo as pessoas correndo, procurando abrigo, temendo a tempestade, noto em alguns rosto, olhares desesperados. Não posso aceitar o convite, cerros os meus punhos para conter a vontade crescente por liberdade, a minha liberdade pode causar muita destruição …

Já os meus instintos, explodem por dentro, eles querem a liberdade, que eu estou negando a eles, então eles lutam e lutam por sua liberdade. Eu tenho vontade de me libertar, juntar a tempestade, destruir tudo a minha frente, puxar com minha força tudo, fazer subir e girar conforme a minha vontade, juro eu tenho essa vontade presa aqui!

No entanto, fujo da tempestade e do seu chamado cada vez mais constante, me escondo no subterrâneo, a única forma de não ceder ao convite. Penso naquelas pessoas, assustadas procurando abrigo, mesmo que muitas vezes, essas mesmas pessoas me façam tão mal. Elas me julgam frágil tola, burra … Se elas soubesse o poder que tenho em minhas mãos, se eles soubessem o poder da destruição que carrego comigo, mas eles não sabem, e se eu conseguir controlar meus impulsos, eles nunca saberão…

Aqui embaixo o chamado é mais distantes, aqui eu tenho o chamado das águas, que escorrem por entres tubos dessa velha tubulão, quando minhas mãos tocam essas águas, surgem pequenas ondas, que facilmente poderiam se torna um tsunami. Fico aqui até a tempestade cessar. Quase sem forças por não me libertar. Eu fico enjaulada para proteger essas pessoas, que passaram a vida toda a ferir-me.

Eu carrego comigo o poder da destruição, só não sei se chamo isso de dom…

felicity Secret

Entre Linhas

Entre uma frase e outra, te deixo nas entre linhas
Que poucos conseguirão ver
E quem ver, saberá que ainda habita aqui no meu peito
E vai notar que entre um sorriso e outro ali está você
Vai te ver nos meus olhos, quando meu olhar se tornar distante
Ao meu lado na foto terá outra pessoa, a vida continua…
Mas na minha playlist entre uma música e outra terá a nossa
Nas entre linhas da vida, vou procurar o seu olhar, na esperança de cruzar com o meu
Nas minhas noites de insônia, nos meus momentos de isolamento
Nas entre linhas do meu silêncio, será você nem que seja por um só momento
Com o passar do tempo, talvez esses momentos se tornem momentos meus...
E quem sabe um dia, nas suas entre linhas o motivo seja eu…

felicity Secret

O vazio é infinito
Abstrato, escuro, algumas vezes sem cor mesmo
Mas nele cabe toda a dor
Cabe também as lágrimas represadas, o nó na garganta
E vai arrumando lugar para o adeus sem despedida
Para as palavras não ditas
No vazio e seu tamanho infinito, cabe aquela saudade sem jeito
Cabe aquele amor não correspondidos, as cartas escritas que nunca chegaram em mãos
Cabe o remendo das fotos rasgadas, as músicas que ficaram para serem ouvidas e não foram
Neste vazio cabe a angustia do não saber, e vai assim arrumando espaço para tudo aquilo e deveria ser e não foi…
Quanto mais ele arrumar espaço, mas espaçoso ele fica...
No vazio, Ah! No vazio deveria também ter o amor, mas AMOR é universo e um universo inteiro não cabe dentro de um vazio...

felicity Secret

Quando eu já não mais me bastava
Transbordei e escorri pelo rosto
Cheguei até uma folha em branco
Transformei em palavras escritas
Que inundaram a folha em branco
Virei páginas…
Na metamorfose das palavras, surgiu as histórias
Evolução foi tomando espaço
E o que já não me bastava
Virou arte
Cheguei as telas e ganhei formas, algumas abstratas, ganhei cores
Ganhei outros olhares que admiravam, tudo que o já não me bastava
Quando já não me bastava eu tirei a pele, deixando exposta a minha alma
Deixei o coração falar em todas as línguas, inclusive falar com o olhar
E o que não mais me bastava, transbordou, para deixar espaço para o novo
E quando eu não mais bastar, sei por que caminhos transbordar….

felicity Secret

Erro meu


Não existe nada de errado aqui
Fui eu que escolhi os caminhos tortos
Eu que escolhi ficar, mesmo sabendo que era hora de partir
Tomei decisões erradas
Esperei muito de quem não tinha nada a oferecer
Não fechei a porta, então entrou porque eu permitir
O erro é meu
Eu escolhi amar sozinha, amor não correspondido
Resolvi parar e esperar que o amor acontecesse
Mas amor é movimento mutuo
A errada fui eu, queria algo que não era para ser
Exatamente isso, não era para ser, nunca foi
Pois nunca foi para ambos
Pior que um desamor, é se enganar que existiu um amor
Quando na verdade foi uma ilusão
Enquanto recolho o que restou
Admito que eu causei tudo isso...

felicity Secret

Estação

Nunca fui morada
Chegada e partidas
Mas nunca morada
Talvez eu não seja um bom lugar

Talvez seja isso
Sou apenas uma plataforma para algo melhor que esta por vir
Chegam mas não ficam
Os que ficam, não permanecem

Eu não sou morada
Não sou um bom abrigo
Sou boa em cuidar, não em manter
Fico assistindo esse vai e vem, tão constante

Hoje resolvi pegar uma trilha
Cansei de ficar a espera de alguém que fique…
Construirei meu forte, serei o melhor lugar que eu quero estar
Serei minha morada!

felicity Secret

Pergunta

Hoje eu te olhei e não vi o meu reflexo
Então percebi que a música havia parado
Que o verbo já não era mais conjugado
A poesia estava no fim…
Olhei em seu olhos e as portas estavam fechadas
As borboletas que trazia no estômago, tinhas alçados novos voos
Enquanto você fazia as malas
Com os olhos marejados
Eu fiquei com essa pegunta presa na garganta…
É assim que o pra sempre acaba?

felicity Secret

Fotografia

Todas as vezes que olho sua fotografia
Descubro um novo detalhe
Uma nova descoberta
A cada novo detalhe
É um presente, por admirar tanto a sua fotografia
Olho tanto para não perder nenhum detalhe
Para te desenhar perfeitamente na minha mente
Onde nos meus sonhos, sua imagem ganha vida….

felicity Secret

Acumuladora

Minha parede parece uma exposição, com fotos suas por toda a parte
Pelo quarto folhas soltas, das nossas conversas…
Na cama o cheiro do perfume dele
No banheiro sua loção pós-barba
Tudo aqui é para manter vivo aquele passado

Não consigo, desfazer de quaisquer lembranças
No som uma playlist que só aumenta o número de músicas, todas me lembram você.
Caixas com presentes de cada vitória sua, que eu não pude participar
Cada nova vitória, mais um objeto entra na caixa, as vezes dois, três…
Na gaveta os seus desenhos, todos eles, inacabados ou não, guardei-os

Sua voz levo no celular, para quando a saudade chegar, e tornar qualquer lugar insuportável
Terei sua voz para me acalmar “boa noite, chata”,sua voz no meu ouvido é nirvana!
Não desejo tratamento, não esses tradicionais, que te colocam no passado
Quando no meu coração você se faz presente, constantemente…
Não sou uma acumuladora, não guardo nada desnecessário
Sou uma colecionadora de momentos, preciosos… Nosso.

felicity Secret