Colcha de Retalhos

Cerca de 129 frases e pensamentos: Colcha de Retalhos

Minha vida é uma colcha de retalhos. Todos da mesma cor.

Mario Quintana

há colcha mais dura
que a lousa
da sepultura?

Millôr Fernandes

Se voce não criticar suas idéias negativas elas farão parte da colcha de retalhos da sua existencia

Augusto Cury

"Eu compreendo e aceito que a felicidade será sempre pequenos retalhos na colcha da vida."

Caio Augusto Leite

As vezes eu me sinto uma colcha de retalhos...

Acho que são os retalhos de cada momento, unidos um a um, que formam à "colcha vida" da gente!

Ninguém se faz inteiro,somos pedacinhos daqui,pedacinhos dali, pedacinhos que foram e que serão...

Temos que transformar todos os dias,os nossos cacos e retalhos,em arte.

A vida nada mais é do que uma reciclagem diária!

Day Anne

"Te mando retalhos de amor"

Caio Fernando Abreu

Ser avô e avó é como fazer uma colcha de retalho sim, como muitos dizem, é juntar pedaço por pedaço de cada quadradinho, de cada retângulo, de tamanhos diferentes, de cores diferentes mas sempre cores vivas, alegres, cheias de vida e transformando aqueles pequenos retalhos num ato de amor, mesmo que cada um tenha estilo próprio.

Ana Maria Pantaneira

Conquistar um coração de verdade dá trabalho,
requer paciência, é como se fosse uma colcha de retalhos, aplicar uma renda em um amor, tratar de um jardim, cuidar de uma criança.

davi a.

Por que me escondo tanto nelas? Ah palavras, vocês me servem como um cobertor de retalhos.

Anjo Poeta Igor Improta Figueredo

Muitas vezes, tento lembrar-me dos retalhos de beleza que também vi naqueles tempos. Revolvo minha biblioteca de histórias.
Na verdade, estou pegando uma agora.
Creio que você já sabe metade dela e, se vier comigo, eu lhe mostro o resto. Mostro-lhe a segunda metade de uma menina que roubava livros.
Sem saber, ela aguarda inúmeras coisas a que aludi há pouco, mas também espera por você.
Está carregando neve para um porão, imagine só.
Punhados de neve congelada são capazes de fazer quase qualquer um sorrir, mas não nos podem fazer esquecer.

Lá vem ela.

Markus Zusak

Não fui eu que mudei, você que se esqueceu de alimentar o meu amor que com o tempo morreu. A minha história continua só mudou a página, e nela por você não caí nenhuma lágrima.

Retalhos

- Feche os olhos.
- Fechei.
- O que você vê?
- Nada.
- Essa é a minha vida sem você.

Retalhos

De mil vidas, um trilhão eu daria pela minha mãe.

Retalhos

O nosso tempo acabou, não era pra ser assim mais enfim, to aí, por isso não morri. Pelo contrario aprendi que sem você talvez eu seja muito mais feliz.

Retalhos

Deus não falha, ele só espera o momento certo.

Retalhos

Foi a pior das traições, porque ela era a minha melhor amiga e ele o meu amor.

Retalhos

A minha vida é uma colcha de retalhos, cada quadro escolhido, ajustado... Costura firme, linha dez, rebarbas cortadas, descartadas, assim é a vida!

EstherRogessi.

"
Depois do amor meu sono extravia-se. Encontro-o atrapalhado entre as costuras da colcha de retalhos, resistente em voltar. "

Denair Inês Guzon

"Como uma colcha de retalhos, assim é a vida. Todo dia vivido é um pedacinho de nós, cada fato novo, somado as experiências boas ou ruins, constroem nossa história. Cabe a nós selecionar qual retalho usar... colorido, alegre, velho, manchado, o que realmente importa? Escolhas determinarão o resultado, a beleza da colcha está nas mãos do artesão... A historia esta sendo construída dia após dia, pedacinho por pedacinho, para obter bons resultados será necessário priorizar qualidade escolher com sabedoria, explorar criatividade, evidenciar cada detalhe, renovar as cores, permutar tonalidades, alterar formatos, modificar! Transformar um simples retalho numa obra de arte, eis o desafio! Capriche nas emendas, use a linha da fé, ela dará o destaque necessário para encher de alegria seu viver!" Gil Camargos

Gil Camargos

COLCHA DE RETALHOS


Vivemos em tempos de edredons e cobertores sintéticos, mas há quem conheça a artesanal e antiga “colcha de retalhos”.
Para quem não sabe, a colcha de retalhos era, pacientemente elaborada, a partir do aproveitamento de pequenas sobras de tecidos, num tempo em que as roupas eram feitas quase que exclusivamente por habilidosas costureiras.
O tempo andava mais devagar e as mulheres ainda não trabalhavam fora de casa. Ocupavam-se com a criação dos filhos, com afazeres domésticos e nas horas vagas se esmeravam em produzir belas e trabalhosas artes manuais, entre elas a colcha de retalhos que ainda sobrevive em velhos baús de umas poucas e saudosas vovós. Uma espécie de museu particular, no mesmo lugar onde, talvez, guardem lembranças de sonhos perdidos no tempo.
A vida da gente se assemelha muito a uma colcha de retalhos. É feita de pequenos pedaços presos um ao outro, cada um com sua cor, mais ou menos macios, alegres ou tristes. O resultado depende do acabamento que damos, de como aproveitamos cada pedacinho das sobras que a vida nos dá. Cada um contém uma história, com começo, meio e fim. Alegrias, tristezas, realizações e fracassos, horas de pouco, momentos de muito. São os nossos pedaços, a riqueza pessoal de cada um, a história que se construiu. E há os retalhos que se jogou fora por desperdício ou por não se saber que um dia nos fariam falta.
Depois de um tempo pode-se visualizar a colcha de retalhos que já se conseguiu montar. Umas são coloridas, com muito vermelho, efeito de muitas paixões ou quem sabe escuras, com muitas partes onde predominaram retalhos de cor preta, demarcando os momentos inevitáveis de tristeza e dor. Mas há os retalhos brancos, talvez sobras românticas do vestido de noiva, o azul do pequeno casaquinho de bebê do nosso primeiro filho, quem sabe o retalhinho cor- de- rosa da blusinha que nossa filha vestiu no aniversário de um ano. Em um canto está o amarelo-ouro lembrando o pé de bergamotas maduras, caindo às pencas e ao alcance de nossas mãos gulosas, retalhos de felicidade infantil.
Assim, dentro de cada um existe uma colcha de retalhos. Cada vez que vem à lembrança uma história vivida é um daqueles pedacinhos que aparece mais que os outros, que se impõe e nos faz falar dele às vezes com tristeza, mas sempre com saudade.
Pois vou tirar do baú minha colcha de retalhos. Quem quiser pode olhar, mas por favor , não toquem nela nem me peçam de presente e nem de herança. Não posso dá-la a ninguém nem me desfazer dela. Vai me fazer falta quando a velhice chegar. Vai me abrigar e aquecer meus últimos invernos, afinal não é todo mundo que pode olhar e dizer “minha colcha de retalhos foi tecida com minhas próprias mãos”. Deu muito trabalho , muitos pedaços foram deixados pelo chão, mas alguns usei para secar as lágrimas que não pude evitar que caíssem enquanto eu a tecia, mas agora , depois de pronta me orgulho dela. É linda! É minha!


Maria Alice Gumarães

Maria Alice Guimarães