Cativas

Cerca de 29 frases e pensamentos: Cativas

Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

Antoine de Saint-Exupéry

Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E serei para ti única no mundo.

Antoine de Saint-Exupéry

Minha vida é monótona. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente de outros...

Antoine de Saint-Exupéry

“Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros me fazem entrar debaixo da terra. Os teus me chamarão para fora da toca, como se fossem música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim não vale nada. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos dourados. Então será maravilhoso quando tiveres me cativado. O trigo, que é dourado, fará com que eu me lembre de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...”

O Pequeno Príncipe

“Mas se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro.
Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo.
Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.”

O Pequeno Príncipe

Tu não és ainda para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposas igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...

Saint-Exupêry

Tu te tornas eternamente responsável por tudo o que tu cativas, me cativastes e agora és responsável por mim... pois o tempo e o carinho que dedicas a mim é o que mostra o quanto sou importante para você.

Anitaa

Aquele que cativas

Me concedo o direito de não me sentir responsável por aquele que cativo. Me sinto grata, mas responsável é demais

Devia ter uns 14 anos. Estava na sala de aula, olhar compenetrado no quadro-negro, quando de mão em mão chegou até mim um bilhete de uma colega que costumava ser esnobada pela turma e com quem conversara algumas poucas vezes na hora do recreio. Ela me convidava para ir a sua casa à tarde. E concluía com uma sentença: És eternamente responsável por aquele que cativas.

Eu não tinha a menor intimidade com aquela colega e não estava a fim de ir a sua casa. Mas ela havia recorrido a Saint Exupéry. Me impressionou.

Fui à casa dela, conversamos, emprestei uns cadernos, mas nunca ficamos íntimas e nunca mais ouvi falar da garota. Hoje deve ser uma ótima advogada, já que desde menina conhecia as manhas para se convencer alguém.

O que ficou daquela tarde foi o argumento. “És responsável por aquele que cativas.” Acabei rezando por essa cartilha por um longo tempo. Bastava a pessoa simpatizar comigo e eu me sentia na obrigação de ser atenciosa a ponto de fazer coisas que não queria. Até que um dia dei um basta nesse trelelé.

Com todo o respeito ao autor de O Pequeno Príncipe, a terceira obra mais publicada e traduzida no mundo, presença constante nas listas dos mais vendidos mesmo 68 anos depois de ter sido lançado, me concedo o direito de não me sentir responsável por aquele que cativo. Me sinto grata e envaidecida, mas responsável é um tantinho demais.

A frase, que não deixa de ser um bonito verso, ganhou ares de reprimenda e punição. Cuidado: se alguém gostar muito de você, se passar a depender de você, danou-se, será obrigatório adotá-lo. O que era pra ser espontâneo virou um dever.

Reconheço as melhores intenções do livro, que é belo e merece continuar sendo lido por muitas gerações. Mas a frase, quando usada como ameaça, cria um mal-estar entre cativantes e cativados. Será mesmo que você é responsável por quem se encantou por você?

Sei que há pessoas de má-fé que seduzem os outros por diversão e depois desaparecem, deixando o seduzido chorando abraçado às suas ilusões. Maldade. Não se deve brincar com os sentimentos de ninguém, aprendemos isso antes mesmo de aprender a ler. Mas nos casos em que a sedução se deu de forma não proposital, ninguém deve sentir-se amarrado.

E mesmo quando houve sedução intencional e essa foi retribuída, virando um relacionamento, quem desama primeiro não precisa se sentir culpado se resolver ir embora. Que seja educado, gentil, amável com aquele que tanto o preza ainda, mas está liberado para tocar sua vida de outra forma e à distância. Quem fica deve aprender a fazer o mesmo. Não é fácil ser rejeitado, mas transferir a responsabilidade do seu bem-estar para outra pessoa tampouco é uma atitude cativante.

Nada pessoal, pequeno príncipe. Apenas um contra-argumento.

Martha Medeiros

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que tu cativas."

A. Saint-Exupéry.

"Tu és responsável por aquele que cativas"

Saint-Exupêry

Tu te tornas eternamente responsavel por aquilo que cativas.

Antoine de Saint-Exupéry

" Tu te torna eternamente responsável por aquilo que cativas"

O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint Exùpèry

“Tu és eternamente responsável por aquilo que cativas”
Então quem dera eu ser capaz de cativar teu coração :)

As pessoas esqueceram o que é conquista, o que é cativar.
Vejo garotos idiotas, agindo como incríveis idiotas, porque estão acostumados a terem garotas idiotas atraídas por eles :)
E no fim, essas garotas idiotas, são as primeiras a reclamarem dos homens *---*, pelo pseudo sofrimento que estão passando, mais pobre coitada nem sabe o quanto merece o "sofrimento".......
E também temos os rapazes idiotas, que por terem a capacidade de se graduar cada dia mais em idiotice, não sabem agir com mulheres de verdade... Que não são conquistadas por sua idiotice... Mas de nada adianta eu escrever o que é que vai conquistar aquela maravilhosa mulher de verdade, se o idiota deve ter lido isso, e deve ter pensando que não é para ele...... :)

Matheus Andrean

Você é mais que especial.
Com palavras sábias...
Cativas e conquista mundão
à fora.

Francine Friedrich

Um pouco do que se preza
Das tão sonhadas alegrias
Que cativas um belo sorriso
Dentre dias e mais dias

Robson Nery

Tu Te Tornas Eternamente Resposável Por Tudo Aquilo Que Cativas

João Paulo Silva de Sá

Menina sonha pequenina!
Vá! Cultive essa inocência que cativas!
Todo teu ar ingênuo,
Faladeira,
Que não se acostuma com silêncio.
Fruto de um grande amor ou não,
Ainda é puro teu coração!
Carregada de obediência quando se deve,
Ao seu anfitrião,
Seu guardião.
Sabes que tem um anjo da guarda que sempre te dará à mão.
Fase de amigos imaginários,
Encantos em seus melhores estágios...
Nunca vítima de coração despedaçado.
Pelo contrário,
É hora de construção.
Dança cheia de graça,
Passeia pela praça,
Tem um brilho no olhar que embaraça,
Algo tão profundo quanto o da estrela Dalva.
Pele de algodão doce,
Tão nova e tão suave,
Que nem tem idéia do que lhe espera na terceira idade...
Não tem problemas pra se preocupar,
Pra sua mente estressar.
Pula corda,
Sem noção de hora.
Pula amarelinha,
Não ficará mal falada se sair da linha.
Pique esconde,
Ainda não sabe como é a realidade do mundo,
E já tenta se afastar.
Sem saber o quanto pode ir longe,
Vive restritamente,
Tranquilamente,
Sem o conhecimento de quem são os habitantes do universo paralelo,
Que pra tudo tem um mistério,
Que o caráter de muitos vive submerso.
Vive um amor fraterno,
Que nem cogita a hipótese de amar e se magoar ao achar que será eterno,
Mas se souber lidar quem sabe até será?!
Não estranha ninguém,
Trata bem sem importar a quem.
Sorriso sincero,
Rosto singelo,
Com traços da infância.
Ah! Como é bom ser criança!

Pabline Bomfim

Sabe o que é ser forte? É ver tudo aquilo que tu cativas lhe destruir, como se fosse algo insignificante, e mesmo assim, SORRIR.

Gustavo Gantes

Tu sabes perfeitamente o quanto eu te admiro, o quanto és importante em minha vida, tu me cativas , tu me contém, tu me convem, mas não sabe o que tem.

Douglas De Souza

Das mãos do príncipe do mundo retira Deus as almas cativas, por meio da unção do Espírito Santo, para transferi-las às mãos do Príncipe da paz -- Jesus.

Helgir Girodo