Cartas de Amizade Verdadeira

Cerca de 2189 cartas de Amizade Verdadeira

Chapeuzinho EMO

Esta é a verdadeira história nunca contada que começa assim:

Certo dia em sua casa enquanto se maquiava na frente do espelhoem seu quarto e arrumava sua franja emo,chapeuzinho Emo ouviu sua mãe chamar:
Filha vá até a casa da sua avó, a Amy,e leve esse Mp9 para ela ouvir as novas músicas do Strike,Fresno e Nx-Zero!.
Obdecendo sua mãe ela saiu reclamando:
Infortúnio!.Minha mãe só me manda fazer o que eu odeio,visitar minha avó Amy é chato;ela só pensa em ficar bebendo,se drogando e ouvindo rock!
No meio da floresta,enquanto segui a seu caminho para casa de sua avó.A Emo,encontrou o Chitãozinho & Xororó,que queriam de qualquer maneira pegar seu novo Mp9,já que eles não tinham um para eles ouvirem.Agindo rápido a chapeuzinho Emo,pega seu novo I Phone e liga para seu grande amigo,o “Lucas” da Fresno,o qual destraiu os dois sertanejos,tocando com eles uma música no meio da floresta,a música se chamava “Evidências”.
Aproveitando a distração a chapeuzinho Emo continuou seu caminho até a casa de sua avó.
Chegando na casa da sua avó,ela abre a porta, e se depara com uma cena inusitada,que ela nunca poderia imaginar na vida.Ela vê sua avó Amy se enbebedando e cantando com o “Di Ferreiro” do Nx-Zero, que estava só de cueca dançando “Créu” na boca de uma garrafa de vodka.Ela não acreditava no que estava vendo;Ver sua avó se enbebedando e cantando era normal;Mas ver o Di dançando Créu,era demais para ela.
Então ela pensou:
Meu grande sonho de encontrar o Di, agora se vai !
Não acredito que minha vó faria isso comigo!
Em um ataque de ciúmes,Chapeuzinho liga para seu outro amigo o “Marcelo” do “Strike” e pede para ele dar com o skate na cabeça do Di,mas quando ele foi bater no Di,a avó da chapeuzinho Emo em um de seus ataques de loucura diário,pega o Mp5 que sua neta tinha trazido junto com uma garrafa de wisque,e dá com ele na cabeça do Marcelo,que caindo no chão com a força da pancada perde a memória.
Chapeuzinho se conforma com o namoro de Di e sua avó a Amy;Que no final acabam se casando no Rio de Janeiro em um show da Pitty.
A chapeuzinho hoje namora com o Marcelo;que até hoje não se lembra de quem era,ou o que ele tava fazendo naquela casa naquele dia.
Lucas e Chitãozinho & Xororó,gostaram tanto da música que cantaram juntos que agora fazem Shows por todo Brasil,inclusive o sucesso foi tanto que eles até participaram do VMB 2008 na MTV.
Essa história virou um livro. Que agora já foi copiada por muitos escritores invejosos, e passou a se chamar “Chapeuzinho Vermelho”.
Chapeuzinho vermelho ficou tão famosa por essa história que até já participou do programa do “Gugu”,no quadro “Aconteceu Comigo”,e hoje por sua fama ela virou cantora e vive uma identidade secreta.
Seu nome... Mallu Magalhães!!!

Wellington Emanoel Rosa de Sá

A VERDADEIRA BELEZA..

É o brilho no olhar de uma pessoa,
É o sorriso, o riso, a simpatia, o respeito e a alegria que sai da sua boca.
É a bondade dos seus atos.
É como seu coração trata a si mesmo e aos outros com amor.
É a autenticidade que sua própria mente inventou.

Essa beleza vem de dentro pra fora.

e TRANSFORMA.
Não só a pessoa mas também todos que passam por sua vida.

Não é alguém que te conquista pela sua aparência,

MAS SIM alguém que faz seu coração associar AS COISAS MAIS LINDAS a uma aparência. =)

Fernanda Faggioni

Todos e poucos*


Todos querem ser recebidos com um sorriso
Mas poucos se importam em verdadeiramente sorrir

Todos se preocupam em ser aceitos pelos grupos
Mas poucos superam seus irracionais preconceitos

Todos querem ser compreendidos
Mas poucos se doam em compreender

Todos querem uma família feliz
Mas poucos são capazes de tornar uma feliz

Todos admiram alguma beldade da mídia
Mas poucos veneram verdadeiros heróis da vida.

Todos querem uma amizade sincera
Mas poucos preservam na lealdade seus amigos.

Todos querem apertar a mão de grandes famosos
Mas poucos estendem a mão para um necessitado

Todos querem surpreender as pessoas
Mas poucos surpreendem a si mesmos com altruísmo

Todos querem ser lembrados com saudade
Mas poucos constroem relações inesquecíveis

Todos querem ajudar alguém que precisa
Mas poucos encontram esse “alguém”...

Todos odeiam desculpas esfarrapadas
Mas poucos são sinceros em suas explicações

Todos em algum momento “falam bonito”
Mas poucos no dia a dia “agem bonito”

Todos são vítimas de injustiças diversas
Mas poucos repensam seu modo injusto de ser

Todos se definem como seres humanos
Mas poucos seres se tornam “humanos”

Todos querem ser amados
Mas poucos estão dispostos a construir o amor.

Jacqueline Campos Rojas

A PAZ passa a reinar dentro de nós, no momento em que, realmente começamos a nos conhecer verdadeiramente. A conhecer nossas limitações diante dos problemas, as nossas fraquezas diante das lutas. Entendo o que é na verdade a diferença entre uma fantasia e uma realidade, prestando mais atenção onde colocamos os nossos pés.
Para obter tudo isso sem ondas de frenesi, é preciso acalmar a mente, serená-la buscando bons pensamentos, positividade e paciência.
A paciência é um dom DIVINO! Basta busca-la em seu íntimo, para sua mente e alma, ficarem em PAZ! E a PAZ sendo ela um dom DIVINO, veio para ser concedida a todos. Basta estar de bem consigo e em compartilhamento sábio com o seu próximo.

Suzana Vidigal Feixes

A vida é uma verdadeira obra de arte e como tal necessita de P A U S A S, para ser analisada e admiridada pelo seu principal artesão : V O C Ê!!! ... Pausas para rever o passado e extrarir dele lições que te engrandeçam; pausas para semear o presente e sentir que o seu trabalho está sendo bem esculpido, detalhado, caprichado; pausas para pensar e desejar o melhor sobre o futuro, pois tolo é o homem que diz a frase " eu vivo só o meu presente e o futuro a Deus pertence e o que tiver de ser , será". E esquece de planejar... ( Me lembra a fábula da cigarra e a formiga)...
Hoje estou precisando dessa pausa, e uma pausa por um tempo indeterminado, mas antes te convido para tomar uma dose diária de amor comigo. Aceitas uma xícara?

Mychele Magalhães Velloso

- O que é uma verdadeira oração?
- Imagino que seja como num primeiro amor: não há o que dizer, só o olhar diz tudo, o ser amante ama o ser amado com tudo o que é e sem esforço algum; é algo natural. O olhar é o limite do que se possa fazer e é o que basta, tudo se fala no silêncio, o toque não se faz mais necessário pois a certeza do outro fazer parte de você é mais que física. E assim, se vai.
Orar é Amar.

Rogério Medeiros

Quando os olhos da minha alma encontram os seus
Sinto a verdadeira magia do amor
Abraço-o sob as ondas imaginárias
Beijo-o com o pulsar do meu coração
Amo-o infinitivamente com minha alma
Sem dor.
Mas não está sendo fácil viver sem você.
Em minha mente somente uma certeza
Nunca vou te esquecer
Perdoe-me se ainda te amo
Mas tem que ser assim
Para eu ser feliz!

Yonne Moreno

Palavras

Não existem palavras que possam expressar da forma mais verdadeira e sincera o que sinto. Todo e qualquer ato de carinho e afeto é insignificante demais para lhe provar meu amor. Meus olhos te procuram incessantemente tentando te mostrar quanta falta você me faz. E quando não se há mais o que dizer, um simples sorriso quebra o silêncio e traduz o desejo de sempre querer está perto, por mais que seja apenas para ouvir a sua voz e sentir o seu cheiro . ]
Não importa o tempo que leve para que esse amor se fortaleça, o que realmente importa é que ele viva eternamente... t amo BB

Gabriella Mendes

PARA QUEM É MÃE.....

A verdadeira Mãe, protege sua cria com unhas e dentes contra tudo e todos.......
Compartilha a dor, as alegrias as conquistas, trabalha debaixo de sol da chuva mas não deixaras sentir a fome o encomodar.
Quando Deus lhe tira precocemente aquele que amou desde o ventre, junto consigo vai metade do seu coração, esta metade que so com seu ultimo suspiro, sentiras o reencontro o recomeço.......Celso Barbosa.

Celso Barbosa

Fico a pensar... Quando a pessoa é correta, séria, sincera e verdadeira... É julgada, criticada, rotulada de chata, antipática e/ou metida, etc!!!
E sabe o que realmente é valorizado e elogiado no mundo??? Ser falsa, hipócrita!!!
Típico daquela pessoa 100% meiguinha, sorridente, brincalhona, mas que está sempre pronta a prejudicar alguém.
Mas, se tem uma coisa que eu sou é transparente e me orgulho disso!!! Não estou neste mundo para agradar ninguém. Mas, gosto de gente, gosto de viver bem com as pessoas que eu amo e/ou com as que simplesmente sou obrigada a conviver... Observo pessoas, situações e respeito o meu próximo independente de qualquer coisa, mas exijo respeito também.
Sei ser meiga, sei brincar, amo sorrir, mas o meu sorriso tem quem faz por merecer!
Dou o meu melhor sempre em todas as relações e situações. Sou do bem e amável apesar do meu jeito sistemático de ser...
Mas, embora tenho aprendido com a vida e a maturidade a pensar antes de falar e busco ser comedida em muitos pontos, sou verdadeira, autêntica e é isso que incomoda muita gente!
Muitas pessoas reclamam tanto do que é falso, mas não dão conta de viver com quem exala autenticidade.
Sinto muito...!!! Mas, cada um tem de mim exatamente o que merece...!!!
Nunca vou desejar o mau à quem me faz mal ou tentar fazer... Pelo contrário, desejo é que a pessoa seja muito feliz, mas é um direito meu querer a mesma bem longe de mim... Pois, o que não me agrega, não me faz falta!
E o que não me mata, me fortalece!

Deise Barreto

A pessoa que amei é corajosa

sincera, amiga, companheira...

É pura, é verdadeira...

Que nunca me deixou só...

Dizia que ficaríamos juntos ate o fim...

Me dizia palavras de conforto e admiração...

Ela me abraçava com a mesma intensidade

que dizia que me amava...

Ela dizia que pra sempre ia me esperar...

Ela era doce, ás vezes quase ingênua...

Ela era inteligente, sedutora...

O pessoa que eu amei...

Me acalmava, estava sempre do meu lado...

Mas ela se cansou , não é mas esta pessoa...

Mas eu a amei

Eu ainda amo essa pessoa...

Mas, hoje ela não é

a pessoa que eu amei!

Por isso hoje me encontro: Com o coração livre!!!

Nilson Matos F. Junior

Não importa se você é pobre ou rico, a verdadeira riqueza está em ser feliz e entender o significado da vida.
Muitas pessoas dizem que sua vida está um inferno, mas pare e reflita, a maioria dos infernos quem cria somos nós mesmos.
Haja sempre com otimismo, por que a vida é só uma. Procure sempre viver com pensamentos positivos por mais que sua vida pareça um inferno;

Tiago persan

Ser mãe


Ser mãe é ser uma estrela a brilhar,
É ser guerreira, pura e verdadeira,
Uma rainha do lar

Ser mãe é ser a mais perfeita poesia,
Beleza singela que irradia
O nosso caminhar

Ser mãe é dom dado por Deus,
Que escolhe com amor e carinho,
Quem vai cuidar dos seus

Ser mãe é chegar a perfeição,
Do cuidado, carinho e atenção,
É ser luz, em qualquer situação.

Dan Lemes

Ser mãe

Ser mãe é ser uma estrela a brilhar,
É ser guerreira, pura e verdadeira,
Uma rainha do lar

Ser mãe é ser a mais perfeita poesia,
Beleza singela que irradia
O nosso caminhar

Ser mãe é dom dado por Deus,
Que escolhe com amor e carinho,
A quem, de nós irá cuidar

Ser mãe é chegar a perfeição,
Do cuidado, carinho e atenção,
É ser luz, sempre a brilhar.

Dan Lemes

Vivemos em mundo de maldades, pessoas que não sabem a verdadeira importância de viver, amar, cuidar, ajudar ao próximo. Eu faço minha parte, eu sou diferente, eu ajudo. A cada dia sinto que estou melhorando, e isso me faz bem.

Experimente viver bem! Multiplique sorrisos! Compartilhe sua alegria!

Jefferson Alan

A Verdadeira Culpa é Rara

Por John Piper

Meu pai sempre me disse que no seu trabalho como evangelista, o grande problema não é levar as pessoas à salvação, mas sim fazê-las sentirem-se perdidas. Pessoas que se sentem realmente perdidas alcançam o evangelho. Mas hoje existem outros que dizem justamente o contrário. Eles dizem que a culpa é uma moléstia tão difundida em nossa sociedade que nenhum pregador precisa dizer as pessoas que elas são pecadoras. Tentar fazer as pessoas se sentirem culpadas é desnecessário e inútil como secar gelo, elas dizem. Todo mundo já se sente tão oprimido pela culpa, que tudo o que o pregador precisa é pregar boas novas de libertação. Agora quem está certo? Meu pai, que diz que é difícil levar as pessoas a ver sua verdadeira culpa perante Deus? Ou os pregadores de psicologia famosa, que dizem que as pessoas já se sentem tão culpadas que você só precisa ser positivo o tempo todo?
Meu pai está certo, porque sua visão da culpa é muito mais profunda do que a visão dos outros. Há um mundo de diferença entre a miséria de uma autoimagem ruim causada pela masturbação e o profundo e terrível remorso de ter desprezado Deus através da incredulidade. A razão pela qual a mensagem da psicologia secular (e dos cristãos que a imitam) é tão superficial é que sua visão da culpa é muito superficial. Se você acha que a culpa que nos leva a receber o evangelho é meramente um sentimento ruim que vem de uma autoimagem ruim ou baixa auto-estima, então o evangelho que você prega será exatamente o tipo antropocêntrico, um evangelho egocêntrico que tem emasculado os púlpitos da nossa terra e obscurecido a glória da misericórdia de Deus.
A culpa que leva uma pessoa a aceitar o grande Evangelho da glória de Cristo é tão rara quanto a conversão que pretendemos. Dificilmente alguém experimenta a dor da verdadeira culpa! Nós temos falhado em ver que o que normalmente se passa por culpa, na verdade é só mais pecado, porque o sentimento ruim que temos, não vem da nossa falha em acreditar nas promessas de Deus, mas da nossa falha em preservar nossa imagem como pessoas legais e autossuficientes. A maioria do que se passa por sentimento de culpa é uma expressão de orgulho. Nós fazemos algo impulsivo, que machuca alguém, e sentimos remorso. Mas nosso remorso vem de um profundo pesar espiritual pelo fato de nós termos desprezado Deus por não confiar em suas promessas e não esperar pela sua sabedoria e ajuda? Ou geralmente isso vem do fato de nós não termos preservado nossa imagem como legais e autossuficientes? A verdadeira culpa é muito rara!
Satanás é astuto. Ele não só pode imitar a verdadeira virtude com legalismo; como ele também pode imitar a verdadeira culpa com baixa autoestima. Ele tem conseguido uma vitória surpreendente, seduzindo a igreja numa batalha contra a falsa culpa que tem transformado o evangelho em uma mensagem que não tem poder contra o verdadeiro inimigo. A verdadeira culpa é a sensação esmagadora de temor e remorso em pensar ter desprezado o Deus Todo-Poderoso por um voto de não-confiança contra sua palavra de promessa e conselho. A verdadeira culpa é radicalmente centrada em Deus. Os substitutos de Satanás são sentimentos ruins que temos de um ego ferido. Ah sim, é doloroso. Esse é o porque de nós acharmos que estamos pregando o evangelho quando tentamos aliviá-los. Mas eles são baseados precisamente no orgulho. Os sentimentos de culpa causados pelas acusações de Satanás não são remorso por orgulho, mas o remorso do orgulho. Sim, existe uma epidemia disso em todo o país. Mas esse tipo de culpa não produz arrependimento (2 Coríntios 7:10). Não prepara o caminho para o evangelho; ele endurece o evangelho.
A verdadeira culpa é muito rara. É por isso que meu pai pode dizer: O trabalho realmente difícil do evangelismo não é levar as pessoas a salvação, mas sim fazê-las sentirem-se perdidas.. E você? Você enfrenta a verdadeira culpa com um evangelho glorioso, ou sua culpa é o que o orgulho produz quando você não tem sido legal?
Por amor ao evangelho,
Pastor John

John Piper

Comentário de João 1.9

Por João Calvino

“a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem.” (João 1.9)

“Pois a verdadeira luz”. O evangelista não tinha a intenção de contrastar a luz verdadeira com a falsa, mas distinguir Cristo de todas as demais, para que ninguém pudesse imaginar que o que é chamado de luz pertence a ele em comum com os anjos ou homens. A distinção é, que tudo o que é luminoso no céu e na terra toma emprestado o seu esplendor a partir de algum outro objeto; mas Cristo é a luz, brilhando em si e por si mesmo, e iluminando todo o mundo por seu brilho; de modo que nenhuma outra fonte ou causa de esplendor é para ser achada em qualquer lugar. Ele deu o nome de verdadeira luz, por conseguinte, Àquele que tem por natureza o poder de dar luz.
“Que ilumina a todo homem”. O evangelista insiste principalmente sobre este ponto, a fim de mostrar, a partir do efeito que cada um de nós percebe nele, que Cristo é a luz. Ele poderia ter fundamentado mais engenhosamente, que Cristo, como a luz eterna, tem um esplendor que é natural e não o trouxe de qualquer outra parte; mas em vez de fazer assim, ele nos remete à experiência que todos nós possuímos. Porque, assim como Cristo faz de nós todos participantes do seu brilho, deve ser reconhecido que somente a ele pertence estritamente esta honra de ser chamado de luz.
Esta passagem é geralmente explicada de duas maneiras. Alguns restringem a frase, a cada homem, àqueles que, tendo sido renovados pelo Espírito de Deus, se tornam participantes da luz que dá vida. Agostinho emprega a comparação de um mestre que, se acontecer de você ser a única pessoa que tem uma escola na cidade, será chamado de o mestre de todos, embora haja muitas pessoas que não vão à sua escola. Eles, portanto, entendem a frase em sentido comparativo, que todos são iluminados por Cristo, porque nenhum homem pode se orgulhar de ter obtido a luz da vida em qualquer outra forma que não seja pela sua graça. Mas desde que o evangelista emprega a frase geral, “todo homem que vem a este mundo”, eu estou mais inclinado a adotar outro significado, que é, que a partir desta luz os raios são difundidos sobre toda a humanidade, como já tenho dito. Porque sabemos que os homens têm esta excelência peculiar que lhes eleva acima de outros animais, porque são dotados de razão e inteligência, e carregam a distinção entre o certo e o errado gravada na sua consciência. Não há nenhum homem, portanto, a quem alguma percepção da luz eterna não chegue.
Mas como há fanáticos que imprudentemente forçam e torcem esta passagem, de modo a inferir a partir dela que a graça de iluminação é igualmente oferecida a todos, lembremo-nos de que o único assunto tratado aqui é a luz comum da natureza, que é muito inferior à fé; porque nunca será qualquer homem, por toda a agudeza e sagacidade de sua própria mente, que entrará no reino de Deus. É o Espírito de Deus somente quem abre a porta dos céus para os eleitos. Então, vamos lembrar que a luz da razão que Deus implantou nos homens tem sido tão obscurecida pelo pecado, que no meio da grande escuridão e da ignorância, e do golfo de erros, há apenas algumas faíscas brilhantes que não são totalmente extintas.

Traduzido e adaptado por Silvio Dutra.

Calvino

Amiga verdadeira ,
Aquela amiga diferente , e que ao mesmo tempo é tão parecida comigo .
pouco tempo de amizade , mais o suficiente pra saber que vc é uma pessoa especiial e que foi Deus que fez nossa amizade . que antes mesmo da gente se conhece sabia q ia ser essa amizade louca que é nós duas juntas . Que te faço rir , e vou fazr de tudo pra vc nao chorar , que em qualquer situação vc poder conta comigo .
Nossa amizade é um plano de Deus , e o que ele faz ninguem poder mecher , ninguem separa . amizade é isso amar incondicional , divide as tristezas e multiplica as alegrias .. é ter ciumes , brigar por besteira , divide o lanche .. éeh tudo isso faz parte de uma boa amizade !
em 5 meses posso dizeer que ganhei uma amiga nova , uma cumplice Aquela irmã de outra familia da qual tenho orgulho de fazer parte da sua vida e de ser sua amiga.
Amoo muitoo tu viss (ll Lally Silva

NilzaB

Verdadeira Conversão



Por João Calvino

A Conversão não é um produto conjunto de Deus e do Homem.

A todos estes testemunhos interpretam cavilosamente os mais sutis, insistindo em que nada impede que nós próprios apliquemos nossas forças e Deus traga ajuda a nossas fracas tentativas. Adicionam, ademais, passagens dos profetas em que a operação de nossa conversão parece ser dividida meio a meio entre Deus e nós: “Convertei-vos a mim e eu me converterei a vós” (Zac 1.3).

Que tipo de ajuda nos traga o Senhor que foi citado acima, tampouco aqui se faz necessário repeti-lo. Desejo ao menos que isso me seja concedido: em vão se procura em nós a capacidade de cumprir a lei pelo fato de que o Senhor no-la ordena à obediência, quando é evidente que, para se cumprir todos os preceitos de Deus, a graça do Legislador não só é necessária, mas ainda nos é prometida, pelo que daí se evidencia que, no mínimo, se exige de nós mais do que sejamos capazes de executar.

Na verdade, não se pode diluir de quaisquer falsas razões essa afirmação de Jeremias: que foi sem efeito o pacto de Deus firmado com o povo antigo, porque o era apenas da letra; nem ser além disso estabelecido de outra maneira, que é o Espírito quem inclina os corações à obediência (Jr 31.32).

Também de nada lhes serve para firmar seu erro esta injunção: “Convertei-vos a mim e eu me converterei a vós” (Zac 1.3). Pois aí por conversão de Deus se denota não aquela em virtude da qual o coração nos renova para o arrependimento, mas aquela mediante a qual se atesta benévolo e propício pela prosperidade das coisas, assim como pelas coisas adversas às vezes indica seu desagrado. Portanto, uma vez que o povo, atormentado de muitas formas, de misérias e calamidades, se queixava de que Deus se afastara dele, responde que não lhes haveria de faltar sua benignidade, se volvessem à retidão de vida e a ele próprio, que é modelo de justiça. Esta passagem, pois, é indevidamente torcida quando é arrastada a este ponto: que a obra da conversão parece estar repartida entre Deus e os homens. Por isso, temos abordado estes tópicos mais sumariamente, porque o lugar deste assunto será mais propriamente na parte em que se procederá à consideração da lei.

Tampouco o Livre-arbítrio reabilita as promessas da Escritura.

A segunda classe de argumentos se assemelha à anterior. Citam as promessas nas quais o Senhor estabelece um pacto com nossa vontade, que são: “Buscai a bondade e não a maldade, e vivereis” (Amós 5.14); “Se quiserdes e ouvirdes, comereis as boas coisas da terra; se, porém, não quiserdes, a espada vos devorará, porque a boca do Senhor falou” (Is 1.19, 20). Ainda: “Se removeres tuas abominações de minha face, não serás lançado fora” (Jer 4.1); “Se deres ouvido à voz do Senhor teu Deus, e fizeres e guardares todos os seus mandamentos, o Senhor te fará mais exaltado que todos os povos da terra” (Dt 28.1). E outras afins. Julgam que as bênçãos que o Senhor oferece nas promessas nos são delegadas à vontade; se não estivesse em nossa mão e vontade fazê-las ou deixá-las sem efeito seria uma zombaria. É bem fácil amplificar esta matéria com eloquentes recriminações, tais como: somos cruelmente enganados pelo Senhor, quando declara que sua benignidade depende de nossa vontade, se nossa vontade não fosse algo de nossa própria alçada; esta liberalidade de Deus será mui eminente, quando ela nos propõe assim suas bênçãos, e não tem qualquer capacidade de usufruí-las; admirável seria a certeza de promessas que dependam de uma coisa impossível, de sorte que nunca se cumpram. Acerca das promessas desta espécie que têm uma condição anexa, falaremos em outro lugar, de modo que fique evidente que nada há de absurdo em seu impossível cumprimento.

No que diz respeito a esta consideração, nego que Deus nos engane de forma desumana, quando a nós, que sabe sermos de todo desprovidos de capacidade para fazê-lo, nos convida a merecer suas bênçãos. Mas uma vez que as promessas são oferecidas igualmente a fiéis e a ímpios, sua aplicação se refere a ambos. Da mesma forma que, mediante os preceitos, Deus punge a consciência dos ímpios, para que não se deliciem nos pecados de forma tão deliciosa, sem nenhuma lembrança de seus juízos, assim nas promessas lhes faz de certo modo testificar quão indignos são de sua benignidade. Pois, quem haja de negar que é mui justo e próprio que o Senhor cumule de bênçãos aqueles de quem é honrado, mas, na medida de sua severidade, castigue aos que desprezam sua majestade?

Portanto, Deus age retamente e em ordem quando aos ímpios agrilhoados pelas peias do pecado, nas promessas enuncia esta lei: que finalmente receberão então suas bênçãos, caso se apartem da depravação; ou, só por isto: que compreendam ser com razão excluídos daquelas bênçãos que se devem aos verdadeiros adoradores de Deus. Por outro lado, porque diligencia de todos os modos estimular os fiéis a que implorem sua graça, de maneira alguma será inconsistente se o que mostramos em relação a eles operar com muito fruto mediante os preceitos, isso também tente por meio das promessas. Ensinados pelos preceitos acerca da vontade de Deus, somos advertidos de nossa miséria, nós que, de todo o coração, dela tanto discordamos.

Ao mesmo tempo, somos instigados a invocar-lhe o Espírito, por quem somos dirigidos pelo reto caminho. No entanto, uma vez que nossa displicência não é suficientemente estimulada pelos preceitos, acrescentam-se as promessas para que, por um certo dulçor, a seu amor nos aliciem. Mas, de quanto maior desejo de justiça somos possuídos, tanto mais fervorosos nos tornamos em buscar a graça de Deus.

Eis como, por estas injunções, “se quiserdes”, “se ouvirdes”, o Senhor não nos atribui a livre capacidade de querer ou ouvir, nem ainda zomba de nós em razão de nossa falta de poder.

Nota do Pr Silvio Dutra: Considerando que a conversão é o ato de se voltar para Deus e associar-se a Ele pela fé, não se pode sequer imaginar que pessoas ímpias, perdidas, pecadoras, mortas espiritualmente, inimigas de Deus, possuidoras de uma natureza corrompida pelo pecado, como somos todos nós neste mundo antes de sermos revivificados por Cristo, possam produzir de si mesmas qualquer ação conjunta com Deus para operar esta aproximação inicial que lhes conduzirá à salvação de suas almas.
Ai de nós se não fosse a graça do Senhor que nos aproxima dEle, por Sua própria escolha e iniciativa! Estaríamos perdidos para sempre! Isto pode ser visto claramente em todos aqueles que resistem bravamente a qualquer tentativa de lhes expormos a graça do evangelho de Jesus Cristo. Estão cegos e cheios de si mesmos, de justiça própria em seus egos dilatados que consideram a graça de Deus como coisa desprezível e barata, e não digna portanto de qualquer apreciação.
Ora, à vista desta realidade prática que perdura ao longo dos séculos, como poderíamos sustentar que haja no próprio homem a capacidade de escolher a Deus, se Deus não o amar primeiro? “Não fostes vós que escolhestes a mim, eu que vos escolhi...” afirma nosso Senhor Jesus Cristo, e ainda assim, mesmo entre os que têm sido eleitos serão achados aqueles que, por causa desta cegueira que é remanescente neles por causa da dureza do pecado, afirmam que foram salvos porque decidiram um dia buscar a Deus, como se tal desejo tivesse partido de suas próprias naturezas mortas e caídas, e não do Deus que ressuscita os mortos.
Se até para o nascimento natural que nos trouxe ao mundo não houve qualquer escolha da nossa parte, quanto mais esta não existe naquele novo nascimento que não é natural deste mundo, mas celestial, espiritual e divino, que recebemos por meio da fé em Jesus Cristo!
Nossa parte é apenas receber pela fé o que nos está sendo dado gratuitamente.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Comentário dos livros do Velho Testamento:
http://livrosbiblia.blogspot.com.br/

Comentário do Novo Testamento:
http://livrono.blogspot.com.br/

Mensagens:
http://retornoevangelho.blogspot.com.br/

Escatologia (tempo do fim):
http://aguardandovj.blogspot.com.br/

Calvino

A Verdadeira Obediência

Por Thomas Watson

I. A obediência verdadeira deve seguir a regra correta. Obediência deve ter como regra a Palavra, pois este é o fundamento: "À lei e ao testemunho!" (Is 8.20). Se nossa obediência não estiver de acordo com a Palavra, será uma oferta de fogo estranho, nós adoraremos e Deus nos dirá: "Quem requereu isto das tuas mãos?" O apóstolo condena a adoração prestada humildemente a anjos (Cl 2.18) e os judeus se diziam relutantes em ir a Deus diretamente, pois seria mais humilde se prostrar diante dos anjos, desejando que fossem mediadores para com Deus. Nesses dois exemplos, temos uma demonstração de humildade na adoração a anjos, entretanto era algo abominável porque não havia a Palavra de Deus validando tal ato. Não era uma obediência, mas uma idolatria. A obediência de filhos é aquela que condiz com a vontade revelada do Pai.

II. A obediência verdadeira deve ser iniciada pelo princípio correto, que é o princípio nobre da fé: "Para a obediência por fé" (Rm 16.26). "Todas as obras aceitáveis procedem da fé", disse Agostinho. Uma macieira brava pode dar frutas agradáveis aos olhos, mas são amargas porque provêm de uma raiz que não é boa. Uma pessoa de boa conduta pode obedecer externamente a Deus, o que aos olhos dos outros pode parecer glorioso, mas sua obediência é amarga, porque não provém da raiz doce e agradável da fé. O filho de Deus lhe obedece pela fé e, com isso aprimorando seu serviço, torna-se agradável, além de muito mais aprazível. "Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim" (Hb 11.4).

III. A obediência verdadeira deve ser para finalidade correta. A finalidade determina o valor da obra. A finalidade da obediência é a glorificação de Deus. O que tem estragado muitos dos serviços gloriosos é o fato de que a finalidade estava equivocada. "Quando, pois, deres esmola, não toques trombetas diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens" (Mt 6.2). As boas obras deveriam brilhar, não queimar. "E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará" (ICo 13.3). Devo dizer o mesmo quanto a um objetivo sincero. Se nem sempre eu obedeço e não tenho um objetivo sincero, de nada me aproveitará. A obediência verdadeira contempla Deus em todas as coisas: "Será Cristo engrandecido" (Fp 1.20). Embora um filho de Deus erre o alvo, mesmo assim está olhando para o alvo certo.

IV. A obediência verdadeira deve ser uniforme. Um filho de Deus tem consciência de um mandamento, assim como de outro. Todas as coisas feitas para Deus devem ser feitas com o mesmo zelo. Todos os mandamentos de Deus têm o mesmo selo da autoridade divina sobre eles. Se eu obedeço a um preceito porque meu Pai celestial me mandou, pela mesma razão devo obedecer todos os outros. Assim como o sangue corre por todas as veias do corpo e o sol no firmamento percorre todos os signos do zodíaco, a obediência verdadeira de um filho de Deus segue tanto a primeira tábua quanto a segunda da Lei. "Então, não terei do que me envergonhar, quando considerarem todos os Seus mandamentos" (SI 119.6). Obedecer a Deus em algumas coisas na vida cristã e não em outras revela um coração doente, como o de Esaú que obedeceu a seu pai ao lhe buscar carne de caça, mas não agiu da mesma maneira em questões superiores, como na escolha de sua esposa. Obediência de filho aponta para cada um dos mandamentos de Deus, assim como a agulha aponta na direção da magnetita. Se Deus nos chama para fazer coisas que para nós são como a cruz, se somos filhos, mesmo assim obedeceremos nosso Pai.

Essa exigência de plena obediência nos leva a uma pergunta: Quem pode obedecer a Deus em todas as coisas?

Podemos responder que: conquanto um herdeiro adotivo do céu não possa obedecer todos os preceitos perfeitamente, ele o faz zelosamente. Ele atesta cada mandamento: "Ora, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa" (Rm 7.16). Ele se alegra em cada um dos mandamentos: "Quanto amo a tua lei!" (SI 119.97). Seu desejo é obedecer cada mandamento. "Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos" (SI 119.5). Quando ele falha, olha para o sangue de Cristo para que corrija seus defeitos. Essa é uma obediência zelosa que, ainda que não seja para satisfação, é para aceitação.

V. A obediência verdadeira deve ser constante: "Bem-aventurados os que guardam a retidão e o que pratica a justiça em todo tempo" (SI 106.3). A obediência de filho não é como uma figura para se colorir, que logo esta acabada, mas é como a corrente sanguínea que sempre continua, é come fogo no altar, sempre queimando (Lv 6.13).

Thomas Watson