Cartas de Amizade Verdadeira

Cerca de 2123 cartas de Amizade Verdadeira

ONDE ESTÁS AMOR?
São inóspitos os momentos, sem ti amor
São moedas girando sem face verdadeira
São guerras mortais, sortílegas de horror
Que ninguém ergue a bandeira

Onde desolado pernoito com as estrelas
E atordoado perco tutelas.
Leves palavras já não me cabem
Pois as pesarosas são as que me cobrem.

São beijos perdidos, sem ti amor
São lágrimas inadiáveis, caldeando a dor
São nevoeiros macabros que não afugentas
Pois, no fadário meu, a cada dia te ausentas.

Sabino João Chilengue

"Às vezes num tropeço, esbarramos em verdades que trazem à tona a nossa verdadeira ligação com tudo à nossa volta.
Nessa hora dá para perceber que marcas estamos deixando em tudo o que tocamos... Triste é não se ver em nada e assim não existir.
Agora é um momento de parar para refletir...
Que marcas ando deixando por aí???
Ou será que ando colaborando para estragar as marcas que outras pessoas tentam deixar de si?"

Paula Dhana de Gaia

A verdadeira evolução está na superação,
É preciso compreender que existem obstáculos dispensáveis,
Impostos muitas vezes pela vaidade ou egoísmo,
Causadores somente de grande perda de tempo.
Retroceder, mudar o trajeto, olhar além...
A primeira analise indica covardia,
Mas na realidade,
Pode ser a maneira mais inteligente e rápida de se obter êxito,
O que importa não é a opinião dos espectadores a sua volta,
É somente o seu foco,
Seu bem estar...
Dando certo ou errado os frutos de seus planos sempre serão colhidos,
Colhidos por você e mais ninguém,
A vida oferece companheiros durante a jornada,
Uns amigos, outros nem tanto...
Uns seguem contigo um longo tempo,
Alguns passam como suave brisa,
Outros como violenta tempestade...
O fato é que tudo e todos passam, demore ou não.

Saboreie os momentos,
Se delicie com a vida,

Sem expectativa maior,
Sem culpa,
Sem cobrança,
Sem ressentimento,
Sua evolução como Ser Humano depende de cada um deles,
Respeitando seu semelhante nada mais é importante,
Seja feliz a sua forma,
A sua maneira,
Ao seu tempo,
Só acorde,
Porque para ser feliz não há sorte,
Nem suporte,
Só você possui o passaporte!

Crystiane Bagatelli

Uma historia verdadeira de amor ...
Todos os dias um senhor muito velhinho acordava cedo ,colhia rosas e saia para ver sua esposa em um centro de tratamento , ele pegava sua bicicleta de manha e saia....
passava pela padaria, comprava dois pães e um suco de laranja pra viagem...
e isso acontecia todos os dias ...
ele saia alegre...cantarolava na sua pequena bicicleta simples aonde havia uma cestinha:
com rosas...
dois pães e um suco de laranja...
certo dia ele sofreu um acidente...uma moto bateu em sua bicicleta e ele teve um corte grave e fundo no braço...foi levado ao hospital mais próximo...chegando lá ele reclamava que iria chegar atrasado....e o medico vendo o senhor muito preocupado com o atraso perguntou:
- pra que tanta pressa?
e ele respondeu:
todos os dias de manha, eu vou visitar a minha esposa que esta em tratamento, ela tem alzheimer , esta no estado avançado da doença e ja nem lembra mais quem sou eu , mas eu preciso chegar lá logo, todas as manhas nós tomamos café juntos....
o medico estranhou aquela atitude e perguntou:
mas por que tanta pressa se ela ja nem lembra mais de você ??
e ele responde com um sorriso simple no rosto:
-Ela pode até não se lembrar quem eu sou, até porque isso nem é tão importante quanto o bem que ela ja me fez , o quanto ela me amou , o quanto ela cuidou de mim....e o tanto que eu a amo...ela pode não se lembrar de mim mas eu lembro dela e tudo de bom que ela me trouxe...
O medico sorri, e diz:

- é um amor desses que eu quero para minha vida...

Maria Gabriela Dias

Acreditar no inacreditável, este é meu maior defeito!
Crer que posso receber a recíproca verdadeira de um
sentimento no qual jamais será real.
Passar horas me revirando no travesseiro pensando
no quanto posso ter sido rude, injusta!
Me deixar reprimir e chorar por momentos que desencadearam
tantos pensamentos ruins comigo mesma.
Entender o impossível, não é capaz de me deixar infeliz por sofrer
imaginando fazer você sofrer.
Me envergonho, me enojo, me reprimo...
Mas, continuo muito mais humana do que você pensa ser esperto.
Sabe porque? Porque posso até sofrer, ser enganada, magoada...
Mas continuo com um coração que sabe de verdade o que é AMAR.

Érwelley C. de Andrade ALB

Verdadeira beleza é a do coração.

Olha tem pessoas que entra em nossa vida, que pensamos
que sera apenas mais uma amizade,
mas quando mais o tempo passa, mais nós conhecemos essa pessoa,
e essa pessoa acaba nos conquistando com seu jeitinho de ser, seu carisma,
sua simpatia, e sua amizade.
porem tem muitas pessoas que olhão as outras pela beleza,
como num relacionamento, muitos só querem pessoas bonitas, lindas.
porem o que importa é o que cada um tem dentro de seu coração,
O que adianta fica com uma pessoas linda por fora e por dentro ela ser ruim;
SÓ FIQUE COM UMA PESSOA SE VC TIVER REALMENTE SERTESA QUE ELA GOSTA DE VOCÊ.
Por que tem muitos que falam que amão da bota pra fora só para conseguir o que querem.

Julio.5

Só o amor dura o bastante para vermos que nada somos e nunca saberemos como é a verdadeira felicidade;
É preciso chegar a algum lugar e sei que existe sempre um jeito de fazermos isso, pois a felicidade está em nossas mãos;
Não desperdiçaremos as chances que temos, pois somos a beleza perdida entre multidões no silêncio ensurdecedora;
Mesmo gritando aos quatro cantos do mundo não nos achamos sem a seriedade de um amor real;

Julio Aukay

Olhos de mel

O sentimento é uma verdadeira incógnita, quando volta, essa volta parece vir, com uma força bem maior da de antes, as lembranças saem do passado e vêem na velocidade do momento no presente, trazendo de volta, o sorriso o olhar.
Percebemos então que esta marcado em nós, somos sim frágeis ao tal amor ou a paixão, nem ao menos é fácil distinguir, pois a intensidade do sentir, nos confunde ate mesmo em compreender.Mas o amor é assim mesmo chega de repente e faz agente se perder,
Uma mistura gostosa de sentir, um sorriso meio de lado, simplesmente pelo fato de saber que ainda temos nosso espaço reservado no coração daquele que um dia foi tudo em nossa vida. Confusão?Certezas?Amor ou simplesmente, carinho e amizade, não importa, na verdade quem é que não gosta de se sentir amada, sentir presente na vida de alguém?
Acredito que tudo em nossa vida tem uma razão e um sentido cronológico de toda seqüência de nossos dias, uma eterna transformação de momentos antes não entendidos e que na medida em que os dias, os anos passam vamos respondendo todas aquelas duvidas do passado.
Em relacionamentos, principalmente aqueles aos quais existe uma real entrega, uma cumplicidade no casal, jamais morre, em um momento ou outro nos pegamos lembrando aquela pessoa que se faz presente mesmo sem estar.
Uma pessoa que possuiu esse espaço reservado em nossa vida é e sempre será eterna em diversos momentos, e a cada reencontro seja ele qual for, um encontro o qual o pensamento voa na direção do que se deseja será pra sempre especial.

Geiziane Pereira

E eu o amava, ele nem chegou a me enganar mas com ignorância mostrou sua verdadeira forma de ser, foi ai que caiu a fixa Então passou aquela fantasia de que ele era o garoto perfeito, não e por não poder lutar, não e porque ele não me quer
.E só um fato , ele e absolutamente um nada
mas Hoje vejo que ele nunca merecera alguém igual a mim.

Mayara Stefanne

Ruas sem flores...
São páginas especiais
que narram a vida,
de forma mais verdadeira,
mas sem enfeites
para amenizar,
os capítulos mais tensos.
São ruas sem flores,
esgotos fétidos
e detalhes
que resgatam sequências,
inconfessáveis.
São pedaços rasgados
e maquiados, escondidos,
quase banidos por todos nós,
nesse faz de conta
que ninguém deseja mostrar.
by/erotildes vittoria

erotildes vittoria

Pela Paz!

Com o sorriso estampado no rosto,
ensaiva uma paz verdadeira,
ensinando com muito carinho,
era o orgulho da nossa bandeira.

Quantos Alexandres terão que morrer?
Quantos ainda existem conosco?
Quantos sozinhos terão que sofrer?
Quantos receberão aplausos só depois de morto?

quando vamos nos concientizar e,
nos convencer que nos tornamos uma geração de frouxos?
Quando vamos entender que para ter Paz,
precisamos amar uns aos outros?

Mauro Mesquita

A verdadeira tradução do amor, não se encontra na felicidade
A felicidade e simplesmente a literal satisfação da auto-suficiência
Talvez uma noite escura não pode ser base satisfatória para uma vida;
Mais e a certeza de uma manhã! Pode ter certeza, isso e muito mais que um sonho.
Porque é a Verdadeira tradução da Felicidade, é o Amor,
E a Tradução de Amor é Deus!

George Huxcley

Porque eu ♥ ela ...


Quando verdadeira, este sentimento tão nobre,
É envolvente quanto o ar que respiramos,
Ele não ajusta qual a uma peça de um sistema qualquer,
ou da mesma forma que a pupila obedece automaticamente
a intensidade de luz que nela é projetada.
É como a raríssima flor que nasce num solo árido
e depois, sem nenhuma recompensa,
oferece a singularidade de seu perfume,
Ao vento inquieto,
Ao viajante apressado...
Aos amantes apaixonados...
A amizade...
Este substantivo fecundo que ladeia a alma
e o coração dos seres humanos
não surge apenas pela confiança...
É infinitamente mais doce que o melhor dos vinhos...
Se verdadeira não se limita entre fronteiras,
É carinho e sorriso no olhar,
É presença para todos os momentos,
O calor nas palavras que superam uma carência,
É estar sempre com as mãos estendidas,
Amizade é poder abraçar,
Ter amizade é o prazer de ouvir:
Obrigado por você existir!

Te amo...você sempre aqui no meu <3

Marya de Nazaré

Sua verdadeira personalidade começará a se desenvolver quando você, através da intuição profunda, for capaz de sentir que não é este corpo sólido, mas sim a divina e eterna corrente de Vida e Consciência que flui dentro do corpo.

Quando você olhar a criação, que parece tão sólida e tão real, lembre-se sempre de que são ideias na mente de Deus, cristalizadas em formas físicas.

Não é necessário viver todo tipo de experiências humana para se alcançar a sabedoria suprema. Você deve ser capaz de aprender com a experiência dos outros. Por que envolver-se em um panorama de infindáveis experiências para enfim descobrir que nada neste mundo jamais poderá fazê-lo feliz?

O mais sábio é aquele que busca a Deus. O mais bem-sucedido é aquele que o encontrou.

Paramahansa Yogananda

Paramahansa Yogananda

Amor e Respeito!
A conscientização do ser humano, precisa ser verdadeira. Não adianta criticar, bater e depois afagar! Vamos deixar para trás, todo ódio e rancor que ainda guardam em seus corações e pregar o amor em toda sua plenitude. Amar faz tão bem! Deixem fluir em cada um vocês, o amor aos seus semelhantes e verão que a felicidade é consequência dos nossos atos e sentimentos verdadeiros para com o próximo! Um bom dia para todos! Amo vocês! Wallace Barbosa O Poeta do Povo!

Wallace Barbosa

“A prova da vossa fé." (I Pedro 1.7)

A fé inexperiente pode ser a verdadeira fé, mas certamente é pouca fé, e é provável que se mantenha assim enquanto estiver sem provações. A fé nunca prospera tão bem como quando todas as coisas são contrárias a ela: as tempestades são seus treinadores, e os relâmpagos são seus iluminadores.
Quando reina a calmaria no mar, coloque as velas como quiser, mas o iate não se moverá, pois num oceano adormecido a quilha dorme também. Mas deixe os ventos soprarem e então o barco será levado em direção a seu porto desejado.
Nenhuma flor é de tão lindo azul como aquelas que crescem ao pé da geleira congelada, nem estrelas brilham tão brilhantemente como aquelas que iluminam o céu polar; a água não é tão doce como a que brota no meio da areia do deserto; e nenhuma fé é tão preciosa como a que vive e triunfa na adversidade.
A fé provada traz experiência. Você não poderia ter crido em sua própria fraqueza caso não tivesse sido obrigado a passar através dos rios; e você nunca teria conhecido a força de Deus se não tivesse sido apoiado no meio das tempestades.
A fé aumenta em solidez, segurança e intensidade, mais ela é exercitada com a tribulação. A fé é preciosa, e sua provação é preciosa também.
Não deixe isso, porém, desencorajar aqueles que são novos na fé. Você vai ter provações suficientes, sem procurá-las: a porção completa será medida para você na época devida. Enquanto isso, se você ainda não pode reivindicar o resultado de uma longa experiência, seja grato a Deus pela graça que você tem; louve ao Senhor pelo grau de confiança santa que tiver alcançado; ande de acordo com essa regra, e você deverá ter ainda mais e mais a bênção de Deus, até que sua fé remova montanhas e conquiste impossibilidades.

Texto de autoria de Charles Haddon Spurgeon, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.

Charles Haddon Spurgeon

A Verdadeira Culpa é Rara

Por John Piper

Meu pai sempre me disse que no seu trabalho como evangelista, o grande problema não é levar as pessoas à salvação, mas sim fazê-las sentirem-se perdidas. Pessoas que se sentem realmente perdidas alcançam o evangelho. Mas hoje existem outros que dizem justamente o contrário. Eles dizem que a culpa é uma moléstia tão difundida em nossa sociedade que nenhum pregador precisa dizer as pessoas que elas são pecadoras. Tentar fazer as pessoas se sentirem culpadas é desnecessário e inútil como secar gelo, elas dizem. Todo mundo já se sente tão oprimido pela culpa, que tudo o que o pregador precisa é pregar boas novas de libertação. Agora quem está certo? Meu pai, que diz que é difícil levar as pessoas a ver sua verdadeira culpa perante Deus? Ou os pregadores de psicologia famosa, que dizem que as pessoas já se sentem tão culpadas que você só precisa ser positivo o tempo todo?
Meu pai está certo, porque sua visão da culpa é muito mais profunda do que a visão dos outros. Há um mundo de diferença entre a miséria de uma autoimagem ruim causada pela masturbação e o profundo e terrível remorso de ter desprezado Deus através da incredulidade. A razão pela qual a mensagem da psicologia secular (e dos cristãos que a imitam) é tão superficial é que sua visão da culpa é muito superficial. Se você acha que a culpa que nos leva a receber o evangelho é meramente um sentimento ruim que vem de uma autoimagem ruim ou baixa auto-estima, então o evangelho que você prega será exatamente o tipo antropocêntrico, um evangelho egocêntrico que tem emasculado os púlpitos da nossa terra e obscurecido a glória da misericórdia de Deus.
A culpa que leva uma pessoa a aceitar o grande Evangelho da glória de Cristo é tão rara quanto a conversão que pretendemos. Dificilmente alguém experimenta a dor da verdadeira culpa! Nós temos falhado em ver que o que normalmente se passa por culpa, na verdade é só mais pecado, porque o sentimento ruim que temos, não vem da nossa falha em acreditar nas promessas de Deus, mas da nossa falha em preservar nossa imagem como pessoas legais e autossuficientes. A maioria do que se passa por sentimento de culpa é uma expressão de orgulho. Nós fazemos algo impulsivo, que machuca alguém, e sentimos remorso. Mas nosso remorso vem de um profundo pesar espiritual pelo fato de nós termos desprezado Deus por não confiar em suas promessas e não esperar pela sua sabedoria e ajuda? Ou geralmente isso vem do fato de nós não termos preservado nossa imagem como legais e autossuficientes? A verdadeira culpa é muito rara!
Satanás é astuto. Ele não só pode imitar a verdadeira virtude com legalismo; como ele também pode imitar a verdadeira culpa com baixa autoestima. Ele tem conseguido uma vitória surpreendente, seduzindo a igreja numa batalha contra a falsa culpa que tem transformado o evangelho em uma mensagem que não tem poder contra o verdadeiro inimigo. A verdadeira culpa é a sensação esmagadora de temor e remorso em pensar ter desprezado o Deus Todo-Poderoso por um voto de não-confiança contra sua palavra de promessa e conselho. A verdadeira culpa é radicalmente centrada em Deus. Os substitutos de Satanás são sentimentos ruins que temos de um ego ferido. Ah sim, é doloroso. Esse é o porque de nós acharmos que estamos pregando o evangelho quando tentamos aliviá-los. Mas eles são baseados precisamente no orgulho. Os sentimentos de culpa causados pelas acusações de Satanás não são remorso por orgulho, mas o remorso do orgulho. Sim, existe uma epidemia disso em todo o país. Mas esse tipo de culpa não produz arrependimento (2 Coríntios 7:10). Não prepara o caminho para o evangelho; ele endurece o evangelho.
A verdadeira culpa é muito rara. É por isso que meu pai pode dizer: O trabalho realmente difícil do evangelismo não é levar as pessoas a salvação, mas sim fazê-las sentirem-se perdidas.. E você? Você enfrenta a verdadeira culpa com um evangelho glorioso, ou sua culpa é o que o orgulho produz quando você não tem sido legal?
Por amor ao evangelho,
Pastor John

John Piper

O Modo de se Obter a Verdadeira Sabedoria

“Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento.” (Tg 1.5,6)

A sabedoria é necessária para o devido desempenho de cada atividade da vida, mas é mais particularmente necessária para um cristão, em razão das muitas dificuldades às quais ele está sujeito por motivo de sua profissão cristã. Porque nada lhe faz se afastar mais cedo do serviço do seu Deus, do que seus amigos e familiares que o incentivam a voltar ao mundo.
Todo tipo de tentação aparece em seu caminho, para que de alguma forma possam alcançar seu propósito, e afastá-lo do caminho que ele tem escolhido. Elas não falham em lhe apresentar, a injúria que se levantará contra a sua reputação e interesses mundanos, e a dor que este seu novo curso ocasiona àqueles cuja felicidade ele é obrigado a compartilhar. Não raro também a autoridade dos familiares se interpõe para deter o seu progresso, e impedir o uso dos meios, que ele tem achado propícios para o seu bem-estar espiritual. Aqueles livros que melhor informam a sua mente, a companhia que mais fortalece o seu coração, e aquelas ordenanças que mais edificam a sua alma, são proibidos pelos pais, e nenhuma alternativa lhe resta, senão abandonar a sua busca das coisas celestiais, ou incorrer no desprezo e ódio de seus amigos mais queridos. O que deve ser feito agora? Ele deseja manter uma consciência sem ofensa, mas como isto pode ser feito? Se ele é fiel a seu Deus, ele ofende o homem, e, se ele agrada o homem, ele viola o seu dever para com Deus. O princípio que ele deve adotar é em si mesmo puro e simples; ou seja, ele deve obedecer a Deus, e não ao homem. Mas aplicar este princípio é uma dificuldade que frequentemente o envolve num maior embaraço. Se ele não relaxar em nada, ele parece absurdo ao extremo; se sua obediência a Deus for levada longe demais, ele põe em perigo a sua paz de espírito e bem-estar de sua alma.
Também, na maneira de realizar o que a sua consciência dita, ele também está em perda. Ele pode ser muito ousado, ou demasiado tímido; muito fiel, ou muito obsequioso. As diferentes disposições de todos aqueles com quem ele tem que tratar, devem ser consultadas, e a sua conduta deve ser adaptada a eles em todas as situações diversificadas em que ele é chamado a agir. Mas "quem é suficiente para estas coisas?" Muitas vezes ele deseja um conselheiro experiente para orientá-lo, e quase se sente no desespero de nunca alcançar tal medida de sabedoria, conforme é necessária para ele.
É às pessoas em tais circunstâncias que o apóstolo Tiago dirige as instruções do nossos texto. Ele supõe que eles tenham "caído em várias tentações", e que estão trabalhando para "possuir suas almas com paciência", para que "a paciência possa ter a sua obra perfeita, e que ele possa ser perfeito e completo, sem nada faltar." Mas como é que tudo isso é efetuado? Qualquer marinheiro pode dirigir um navio em um mar calmo, mas como alguém tão inexperiente agirá numa tempestade, sem correr o risco de ser desviado do seu curso? Para estas questões ansiosas o apóstolo dá uma resposta; quando ele nos ensina,

I. Como buscar a sabedoria

A verdadeira sabedoria é dom de Deus

Mesmo a sabedoria terrena deve, em realidade, ser atribuída a Deus como seu autor. As pessoas que construíram o tabernáculo e todos os seus utensílios receberam toda a sua habilidade de Deus (Êx 36.1,2), e mesmo aqueles que se movem numa esfera que pode ser suposta que seja devida à sua própria capacidade, não podem ser mais hábeis em seu trabalho, se não forem instruídos pelo próprio Deus (Is 28.23,29).
Mas a sabedoria espiritual está ainda mais longe do alcance da nossa mera razão, porque é conhecimento sobre as coisas que, "nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano” (I Cor 2.9), e que somente podem ser reveladas pelo Espírito de Deus (I Cor 2.12). É enfaticamente "a sabedoria que vem do alto" (Tg 3.17), e que pode vir somente do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. O Espírito de Deus, cujo ofício é o de comunicá-la aos homens, é chamado de "o Espírito de sabedoria e de entendimento, espírito de conselho e de poder, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor” (Is 11.2), e a ele somos direcionados "para abrir os olhos do nosso entendimento", e "nos guiar em toda a verdade” (Jo 16.13), uma vez que é apenas pela unção derivada dele, que podemos obter discernimento espiritual.

Devemos buscá-la em oração fervorosa,

Estudando, sem duvidar, o estudo das próprias Escrituras Sagradas, é necessário, porque é somente pela palavra escrita que o nosso curso é regulado. Mas para estudar devemos acrescentar humilde e fervorosa súplica; de acordo com essa direção de Salomão, “Filho meu, se aceitares as minhas palavras e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido e para inclinares o coração ao entendimento, e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz, se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus. Porque o SENHOR dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos; é escudo para os que caminham na sinceridade, guarda as veredas do juízo e conserva o caminho dos seus santos. Então, entenderás justiça, juízo e eqüidade, todas as boas veredas. Porquanto a sabedoria entrará no teu coração, e o conhecimento será agradável à tua alma.” (Prov 2.1-10)
Assim , encontramos o apóstolo Paulo clamando a Deus em nome da Igreja de Éfeso, “para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele,” (Ef 1.17), e, para os Colossenses ele orou para que também eles, pelo mesmo Espírito “transbordassem de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual;” (Col 1.9).
E procurando a sabedoria desta forma todos nós seremos encorajados, tanto para uma visão geral da bondade de Deus, quanto para uma compreensão de uma promessa particular.
"Deus a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto", "ele abre a mão, e enche todas as coisas que vivem com abundância", ele "dá tanto para os maus e para os bons, para os justos e para os injustos." Se então ele dá tão abundantemente àqueles que não o buscam, ele vai recusar o seu Espírito Santo àqueles que lho pedem? É verdade que eles não são dignos de tão rica bênção? e, assim como Jefté censurou aqueles que solicitaram sua ajuda para lutar contra os amonitas, dizendo-lhes: "Porventura, não me aborrecestes a mim e não me expulsastes da casa de meu pai? Por que, pois, vindes a mim, agora, quando estais em aperto?” (Jz 11.7); de igual Deus poderia nos dizer: "Vós tendes resistido ao meu Espírito, e se rebelaram contra a luz, vezes sem conta, e como podem esperar que eu deveria lhes ajudar ainda?" Mas ele não vai deixar de atender ao choro suplicante, mas certamente irá abençoar os seus desejos.
Isso ele nos assegura por uma promessa expressa: "peça-a a Deus, e isso lhe será dado" (Tg 1.5,6). Esta promessa pode ser invocada, conforme muitas outras que ele nos deu para o mesmo efeito, e na forma, e na medida em que ela deve ser cumprida, deve ser deixada ao cuidado de Deus, porque ele a concederá plenamente a todos os que esperarem nele. Não que um homem será considerado infalível, ou terá tal sabedoria transmitida a ele que o impedirá de cometer erros em todos os graus; e assim tanto quanto suas necessidades o exijam, Deus certamente satisfará a todos os que o buscarem com sinceridade e verdade.
Para que nenhum homem busque sabedoria em vão, Tiago acrescenta uma advertência, a partir da qual podemos aprender,

II. Como garantir a realização da mesma

"Devemos pedir com fé, em nada duvidando". Aqui será bom que eu mostre,

1. O que é a fé que somos chamados a exercer,

Ela não diz respeito àquela coisa individual, que podemos estar procurando, porque podemos possivelmente estar procurando por algo que Deus vê que seria prejudicial para nós, ou, se revelaria prejudicial, por ser incompatível com os fins que ele tem determinado realizar. Quando nosso bendito Senhor orou para a remoção do amargo cálice e Paulo para a remoção do espinho na sua carne, nem uma nem outra oração foi atendida literalmente, embora ambas tenham sido respondidas da maneira mais satisfatória para os suplicantes, e de modo mais propício para a honra de Deus.
Assim, a coisa específica que pedimos, poderá ser retida, mas nós devemos ter a certeza de receber algo melhor em seu lugar, e é com essa dimensão somente que a nossa fé deve ser exercida, exceto onde haja uma promessa expressa para invocarmos, e, em seguida, podemos seguramente esperar que o que pedimos será concedido para nós.
Devemos "pedir com fé, em nada duvidando", se nós duvidarmos no final, a nossa dúvida se erguerá, a ponto de não sermos mais totalmente convencidos do poder de Deus para nos ajudar, ou termos alguma suspeita relativa à sua vontade. Mas, limitar o seu poder é pecaminoso ao extremo, e duvidar de sua vontade é, como o apóstolo João o expressa, "fazer de Deus um mentiroso", porque a promessa do texto é para toda criatura debaixo do céu, que pede com fé. Eu bem sei que as pessoas fingem justificar as suas dúvidas na sua própria indignidade, mas isto é uma mera falácia, porque cada homem é indigno, e, se indignidade fosse uma desqualificação para privar o homem de todo o direito de esperar a bênção em resposta a suas orações, então nenhum homem vivo tem o direito de esperar pela bênção, e a promessa de Deus é uma mera nulidade. Nossa necessidade de sabedoria é pressuposta na própria petição que é oferecida a ele, e quanto mais profundamente sentimos a nossa necessidade, mais de boa vontade e mais amplamente a vontade de Deus nos concederá a bênção. Oramos para ter sabedoria, embora estejamos pedindo, não com base em qualquer merecimento imaginário nosso, mas pelo simples fato de ter sido livremente prometido por Deus para nós; e, nesse ponto de vista, devemos levantar as nossas mãos, "sem ira, e também, sem dúvida".

2 . Isto certamente alcança o fim pretendido

Em algumas circunstâncias, o cumprimento da promessa parece exceder toda a esperança razoável, senão os limites da possibilidade. Mas, na proporção em que parece exceder a esperança, devemos "crer na esperança", assim como fez Abraão, quando a promessa foi dada a ele de ter uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu. Nosso Senhor nos ensinou isso de uma forma muito marcante. Para seus discípulos, que expressaram sua surpresa com a figueira, que ele tinha amaldiçoado, e murchou no mesma hora, ele disse: "Ao que Jesus lhes disse: Tende fé em Deus; porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele. Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco.” (Marcos 11.2-24).
A verdade é que Deus, se assim posso dizer, sente a sua própria honra implicada no cumprimento de sua palavra, e, portanto, não por nossa causa, mas por causa do seu próprio nome, ele vai cumprir a coisa que hoje tem saído de sua boca. No entanto, não somente para seu próprio bem ele fará isso, mas por nossa causa também, pois, "os que o honram ele honrará".

ENDEREÇO

1 . Àqueles que são inconscientes de sua necessidade de sabedoria

Embora os homens sejam sensíveis o suficiente de sua ignorância em relação às ciências humanas, eles quase universalmente julgam-se competentes para decidir todas as coisas relacionadas com a sua fé ou prática. Mas muito apropriada é a declaração de Salomão: “O que confia no seu próprio coração é um tolo." (Prov 28.26).
Com respeito às coisas espirituais, somos todos por natureza cegos, e precisamos aprendê-las, pois as ignoramos, para que tenhamos nosso entendimento aberto para compreendê-las. Em todos nós falta sabedoria excessivamente e a todos nós se aplicam igualmente estas palavras de Salomão, "Confia no Senhor de todo o teu coração e não se apoie na tua própria compreensão, em todos os teus caminhos reconhece-o, e ele endireitará as tuas veredas.”

2 . Aqueles que estão desanimados por sua falta de sabedoria

Se você olhar para a grandeza de suas dificuldades, ou de sua insuficiência para enfrentá-las, você pode muito bem enfraquecer e falhar, mas se você olhar para Deus, não há motivo para ficar desencorajado. Pois, ele não pode "colocar força na boca de pequeninos e crianças de peito?" E "ele não colocou o seu tesouro em vasos de barro de propósito para que a excelência do poder seja vista como dele? (2 Cor 4.7). Veja como ele reprovou Jeremias por seus pensamentos desanimados, e que ficasse contente por ser "fraco, para que sua força pudesse ser aperfeiçoada em sua fraqueza". Veja como ele repreendeu Pedro também por ter duvidado, e assim tome cuidado para você não duvidar.
Se você está duvidando, ele o repreende claramente, que "você não deve esperar receber qualquer coisa do Senhor" (Tg 1.7), mas, se você crer, de acordo com a sua fé isso lhe será concedido (Mat 9.29).

Tradução e adaptação de um texto em domínio público, de Charles Simeon.

Charles Simeon

A Noção Correta Sobre a Verdadeira Bem-Aventurança



Tradução e adaptação de citações extraídas do sermão de Thomas Manton, baseado no Salmo 119.1, elaboradas pelo Pr Silvio Dutra.

SERMÃO I

“Bem-aventurados os retos nos seus caminhos, que andam na lei do Senhor” (Salmo 119.1)

O Salmista começa com uma descrição do caminho para a verdadeira bem-aventurança, como Cristo começou seu Sermão do Monte. Bem-aventurança é tudo o que almejamos, apenas somos ignorantes ou imprudentes quanto ao caminho que a ela conduz, por isso o salmista define primeiro o verdadeiro conceito de um homem abençoado: "Bem-aventurados os retos em seus caminhos, que andam na lei do Senhor. "
Nestas palavras você tem:
1. O privilégio, abençoado.
2. A maneira e a forma de ser considerado, não tanto na natureza e na sua formalidade, quanto ao caminho que a ele conduz. Ou,
Em primeiro lugar, aqui está se falando de uma forma geral.
Em segundo lugar, temos esta forma especificada - a lei do Senhor.
Em terceiro lugar, a qualificação da sinceridade das pessoas, a irrepreensibilidade, e constância, com que se caminha.

1. Todos desejam isto, os cristãos, pagãos, todos concordam nisto. Quando Paulo estava lidando com os pagãos, ele apresentou duas noções sobre Deus pelas quais pode ser reconhecido. Esta é a primeira causa: “contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria.” (Atos 14.17)
“para buscarem a Deus se, porventura, tateando, o possam achar, bem que não está longe de cada um de nós;” (Atos 17.27)
“Há muitos que dizem: Quem nos dará a conhecer o bem?” (Salmo 4.6).
Bom... bom, é o clamor do mundo. Isto está enraizado na própria natureza do desejo, pois tudo o que é desejado é desejado como bom. Ninguém, em são juízo, se disporia a buscar para si o estragado, o ruim.
Isto sucede porque Deus implantou em nós sentimentos de aversão para evitar o que é mau, de modo a termos sentimentos para buscar o que é bom. O que há é um sentimento de preservação, de amor próprio, e não de destruição ou de auto-desprezo ou ódio.
Por isso, todos os homens buscam felicidade e contentamento. Perguntar entretanto se os homens desejariam de um outro modo ser felizes ou não, equivale a perguntar se eles amam a si mesmos. Pode ser sim ou não. Mas se desejariam ser santos, isto é outra coisa.
2. Tudo que está sem a graça divina está muito errado em si mesmo. Alguns erram no final. Eles desejam comumente o que é bom, não o que seja de fato o verdadeiro bem, pois eles buscam a felicidade em riquezas, honras, prazeres, e assim eles flutuam nestas coisas que buscam, enquanto as procuram. Eles pretendem ser felizes, mas escolhem a miséria: Lucas 16.25 – “Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro igualmente, os males; agora, porém, aqui, ele está consolado; tu, em tormentos.”; e Salmo 4.7: “Mais alegria me puseste no coração do que a alegria deles, quando lhes há fartura de cereal e de vinho.”
O trigo, o vinho e azeite, não somente possuídos por eles, mas por eles escolhidos como sua felicidade e porção. Eles falham quanto aos meios. Eles não se conhecem ou não se amam. Eles discernem isto, mas fracamente, como uma torre, à distância: é assim que o veem, como o cego que viu os homens como árvores que andavam. A luz da natureza, sendo tão fraca, eles consideram esta realidade, mas fracamente, a mente está sendo desviada para outros objetos, eles os desejam, mas fracamente, os afetos sendo sobrepassados e interceptados por coisas que vêm junto ao lado de veleidades e inclinações frívolas, mas não há vontade séria ou firmeza de coração.
Ou suponha um homem sob alguma convicção, tanto quanto ao que se refere à finalidade e aos meios, mas seus esforços são muito frios e frouxos; eles não a perseguem com aquela seriedade, exatidão e uniformidade do esforço que é necessário para obter a sua felicidade.
São como crianças que parecem desejar uma coisa com paixão, mas ficam logo de mau humor: "A alma do preguiçoso deseja, e nada tem, porque as suas mãos recusam trabalhar.” Quando a verdadeira felicidade está suficientemente revelada, nós gostamos disto mas não nos termos de Deus, João 6.34 – “Então, lhe disseram: Senhor, dá-nos sempre desse pão.” Os judeus disseram isto quando nosso Salvador lhes falou sobre o pão de Deus que desceu do céu para dar a vida ao mundo. Mas ao ouvirem as condições de obtê-lo, “murmuravam, voltaram para trás e já não andavam com ele." (v.66). Todos iriam viver para sempre, mas quando viram que eles deveriam seguir ao Cristo desprezado por todo o mundo, e incorrerem em censuras e perigos, eles não gostaram disso: 'Sim, eles desprezaram a terra aprazível, e não acreditaram na sua palavra." (Salmo 106.24). A terra era uma terra boa, mas o caminho para isso foi através de um imenso deserto. Quando ouviram falar da força e estatura dos homens e, suas fortificações, caíram em paixão e murmuração, e desistiram de conquistar Canaã. O céu é um lugar bom, mas como os homens têm que chegar a ele com muita dificuldade, então eles ficam relutantes em calcular o custo.
Os homens ficariam felizes com esse tipo de felicidade que é a verdadeira felicidade, mas não da maneira que Deus a tem proposto, porque estão predispostos para fantasias carnais. É considerado uma coisa insensata esperar em Deus em meio de tribulações, conflitos e tentações: 1 Coríntios 2.14 - "O homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura, e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente." Mais prejudica mentir contra os meios do que contra o fim; portanto, sem desespero, eles se acomodam com uma escolha carnal, como pessoas desapontadas numa partida de tomar a próxima oferta. Uma vez que não podem ter a felicidade de Deus, eles resolvem ser seus próprios escultores, e tornam-se tão felizes quanto possível, no gozo das coisas presentes.
3. Nossos erros sobre isto nos custarão caro. Deus é muito zeloso quanto ao que nós fazemos ser a nossa felicidade, e, portanto, fica irado com a escolha carnal. Aqueles que vão fazer experimentos, sejam inteligentes pois nesta questão. Salomão chegou em casa chorando: Eclesiastes 1.14 - 'Eu vi todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito." Ele tinha provado isto com as próprias mãos. Ele tinha um grande coração e uma grande condição, e se entregou aos prazeres, para extrair a felicidade das criaturas, para buscar satisfações mundanas de uma maneira mais artificial do que beberrões brutais, que apenas agem de acordo com luxúria e apetite: Ec 2.1 - "Disse comigo: vamos! Eu te provarei com a alegria; goza, pois, a felicidade; mas também isso era vaidade.” Ele se entregou aos prazeres, e não apenas aos sensuais, mas também em busca de curiosidades e coisas artificiais, e ainda assim encontrou seu coração secretamente afastado de Deus.
Vamos estudar bem este ponto.
1. Que não podemos nos elevar com uma falsa felicidade, ou criar o nosso descanso em prazeres temporais, como honra elevada, abundância de riquezas, favor dos grandes homens, etc; coisas úteis em sua própria esfera, e benéficas para adoçar e confortar a vida do homem, que colocou sua felicidade em Deus. Prazeres que estão sendo apreciados, não satisfazem; sendo amados, eles contaminam; sendo perdidos, aumentam a nossa tribulação e tristeza.
[1] Eles não podem satisfazer, por causa de sua imperfeição e incerteza. Eles não respondem a todos os desejos do homem, e não possuem qualquer relação com a consciência. O que faz um homem feliz deve ter uma proporção completa para atender todas as necessidades, desejos e capacitações da alma, assim como a consciência e o coração e todos possam dizer que é o suficiente. Mas, infelizmente! estas coisas não podem nos dar uma paz sólida e contentamento: Isaías 4.2 - "Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? e do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer?”
Até que a consciência seja provida, não podemos ser felizes. Mas, além de sua baixa utilização, considere a incerteza do prazer. Nada pode nos dar paz sólida, senão aquilo que nos faça eternamente felizes. Nada além do favor de Deus é de eternidade a eternidade. Nós não temos uma posse eterna dessas coisas do mundo. Elas são incertas e são possuídas com temor. 1 Coríntios 7.30,31. Este é o conselho do apóstolo "mas também os que choram, como se não chorassem; e os que se alegram, como se não se alegrassem; e os que compram, como se nada possuíssem; e os que se utilizam do mundo, como se dele não usassem; porque a aparência deste mundo passa.”
Um homem deve esperar por mudanças, e passar por várias situações no mundo: Salmo 39.11 - “Quando castigas o homem com repreensões, por causa da iniquidade, destróis nele, como traça, o que tem de precioso. Com efeito, todo homem é pura vaidade.”
[2]. Sendo incomumente amadas, elas contaminam. Não existe apenas uma vesícula, mas veneno nelas. Elas não podem nos tornar melhores, mas podem facilmente nos tornar piores, escravizando-nos aos nossos próprios desejos: 1 Tim 6.9,10 - 'Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na ruína e perdição. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males, que, enquanto alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores."
[3] Sendo perdidas, aumentam a nossa tribulação e tristeza. Um homem que não tem aprendido a ser humilhado, bem como a ter abundância, a sua abundância torna o seu caso o mais miserável. É difícil voltar um ou dois degraus. Elas são capazes de trazer muitos problemas no coração daquele que é versado sobre elas: "Tudo é vaidade e aflição de espírito." Quanto mais nós fazemos delas a razão da nossa felicidade, quando perdidas aumentam a nossa tribulação.
2. Em segundo lugar, na abordagem detalhada do assunto, não podemos ser preconceituosos contra a verdadeira felicidade. Os homens pensam que é uma felicidade viver sem o jugo da religião de Cristo, para poderem falar, pensar, e fazer o que quiserem, sem restrição. Salmo 2.3 - “Rompamos os seus laços e sacudamos de nós as suas algemas.”
Ao estudar este ponto – “Não te estribes no teu próprio entendimento". “Não te fatigues para seres rico; não apliques nisso a tua inteligência.” (Prov 23.4), mas busque a direção de Deus através da Sua Palavra e do Espírito Santo. Somente Deus pode determinar quem é o homem bem-aventurado, porque está somente em suas mãos nos fazer bem-aventurados. Trazidos à luz da fé; o senso e a razão carnal lhe decepcionarão. A bem-aventurança é um enigma que só pode ser descoberto pela fé , “que é a prova das coisas que se não veem" (Hebreus 11.1).
Que um homem piedoso pobre, que é reputado como sendo a sujeira e a escória de todas as coisas, seja o único homem feliz, e que os grandes homens deste mundo, que têm todas as coisas à sua vontade, seja "pobres, cegos, miseráveis, e nus", é um paradoxo que nunca entrará no coração de um homem natural, que tem apenas a luz do bom senso e da razão carnal para julgar as coisas, porque a visão e a razão não são nada para tal propósito.
Espere a luz e a força do Espírito Santo para inclinar o teu coração a Deus. Muitas vezes estamos doutrinariamente corretos quanto ao que seja a bem-aventurança, mas não na prática; nos contentamos com a mera noção, mas não a colocamos sob o poder dessas verdades, que é a obra do Espírito. É fácil provar que isto é a felicidade dos animais que desfrutam de prazer sem remorso; é fácil provar a incerteza das riquezas, e que são fundamentos instáveis para a alma para descansar; mas retirar do coração essas coisas é a obra de Deus, a obra do Espírito Santo: Salmo 49.13 - "Tal proceder é estultícia deles; assim mesmo os seus seguidores aplaudem o que eles dizem." Muitos homens que estão sobre o túmulo de seus antepassados vão dizer: Ah! quão tolos foram em desperdiçar o seu tempo e força em prazeres, e na caça de grandeza e estima mundana e favor com os homens, que proveito há nisso agora? E contudo a sua posteridade aprova o mesmo, isto é, vivem pelos mesmos princípios, são tão gananciosos sobre satisfações mundanas como aqueles sempre foram antes de partirem, que negligenciaram a Deus e as coisas celestiais, e desceram à sepultura, e sua honra foi colocada no pó.
Até que o Senhor tire o nosso coração com a luz e o poder da sua graça, permanecemos como ébrios, insensatos e mundanos como eles. Assim, você vê em que se baseia a noção correta da verdadeira bem-aventurança.
A sincera, constante e uniforme obediência à lei de Deus é o único caminho para a verdadeira bem-aventurança.
Isto é chamado de um caminho, e deste caminho é dito ser a lei de Deus, e este caminhar deve ser sem mácula, o que não implica absoluta pureza e perfeição legal, mas a sinceridade do evangelho; e neste caminho devemos andar, com uniformidade e constância; isto deve ser o nosso curso, e nele devemos perseverar.
Três coisas que precisam ser abertas:
1. Falar sobre a regra.
2. A conformidade com a regra; que deve ser sincera, uniforme e constante.
3. Como este é o caminho para a verdadeira felicidade; quanto ao que respeita ter a verdadeira bem-aventurança.
Em primeiro lugar, a regra é a lei de Deus. Todos os seres criados têm uma regra. A natureza humana de Cristo foi a mais elevada de todas as criaturas, e ainda assim está em sujeição a Deus; ele está sob uma regra: Gál 4.4 - “nascido de mulher, nascido sob a lei".
Os anjos têm muitas imunidades em relação ao homem; eles são livres da morte, das necessidades de comida e bebida, mas eles não estão livres da lei, não são sui juris, do seu próprio direito; eles obedecem aos seus mandamentos, ouvindo a voz da sua palavra – Salmo 103.20. Seres Inanimados, o sol, a lua, as estrelas, estão sob a lei da providência, sob um pacto de noite e de dia. Eles têm os seus cursos e movimentos designados. Todas as criaturas estão sob uma lei, segundo a qual elas se movem e agem. Muito mais agora está o homem sob a lei, porque ele tem vontade e escolha. Mas se a lei não fosse uma regra para um cristão (como alguns Antinomianos têm essa opinião), se ela não estivesse em vigor, então não haveria nenhum pecado ou dever, pois "onde não há lei, não há transgressão”; porque a natureza do "pecado é a transgressão da lei" - 1 João 3.4 ; Rom 4.15. Certamente a lei como uma regra é um grande privilégio, e, certamente, Cristo não veio para diminuir ou abolir os privilégios de seu povo: Dt 4.4 “Não há nenhuma nação com tais estatutos” – Sl 147.20: "Ele deu a conhecer os seus estatutos a Israel", foi sua prerrogativa.
Se a lei pode ser anulada pelos que são tornados novas criaturas em Cristo Jesus, então por que o Espírito de Deus a escreve com caracteres tão legíveis em seus corações? Isto é prometido como a grande bênção do pacto da graça - Hebreus 7.10. Agora, aquilo que o Espírito grava no coração, Cristo veio para desfigurar e abolir? A lei foi escrita em tábuas de pedra, e a grande obra do Espírito é escrevê-la sobre a tábua do coração, e a arca era um baú onde a lei foi mantida e, com alusão ao que Deus diz, “eu porei a minha lei no seu coração.” Claramente, então, há uma regra, e esta regra é a lei de Deus. Agora, essa regra deve ser consultada em todas as ocasiões, se quisermos obter a verdadeira bem-aventurança, tanto para nos informar (instruir), quanto para gerar temor a Deus em nós.
Em primeiro lugar, para nos informar, para que não ajamos aquém ou além.
1. Não aquém. Existem muitas regras falsas com que os homens agradam a si mesmos, e são muitos os caminhos que nos levam para longe da nossa própria felicidade. Por exemplo, boas intenções, isto é uma regra falsa, o mundo vive de palpites e objetivos devotos. Mas se boa intenção fosse uma regra, um homem poderia se opor ao interesse de Cristo, destruir seus servos, e fazer tudo isso com boa intenção: João 16.2 - "Aqueles que matarem vocês acharão que estão fazendo um bom serviço a Deus." Os homens podem errar grosseiramente ao seguirem uma consciência cega.
Costume, é outro exemplo. Não importa o que os outros fizeram antes de nós, mas o que Cristo fez diante de todos. Se o costume fosse relevado, a maioria das instituições de Cristo estariam fora das portas.
Exemplo dos outros; também não é boa regra. Não é para nós irmos onde outros foram antes, mas no que é o verdadeiro caminho: Mat 7.14 – “O caminho largo, que conduz à perdição, e muitos andam nele." O caminho para o inferno é mais percorrido; não estamos sempre seguindo a corrente, pois eles são peixes mortos que nadam para baixo seguindo a correnteza: não estamos sendo conduzidos por costumes e exemplo, e fazendo o que os outros fazem. Nossos próprios desejos e inclinações não são a nossa regra. Oh, quão miseráveis seríamos se o nosso desejo fosse nossa lei, se a inclinação de nossos corações fosse nossa regra! Judas 16 – “andando segundo as suas próprias concupiscências," é a descrição daqueles que eram monstros, que haviam superado todos os sentimentos de consciência. As leis dos homens não são a nossa regra. Isto é muito estreito e curto para nos recomendar a Deus - ser apenas observadores das leis dos homens e nada mais: Salmo 19.7 - "A lei de Deus é perfeita, e refrigera a alma." Para nos convencer do pecado, para humilhar o coração e nos trazer de volta a Deus, não existe uma regra para isso, mas a lei de Deus. Os homens fazem as leis, como alfaiates fazem roupas, para atender os corpos curvados que as vestirão, de acordo com os temperamentos das pessoas a serem regidas por essas leis, certamente elas não são uma regra suficiente para nos convencer do pecado e para nos guiar para a verdadeira felicidade. Um homem ordeiro civilmente é uma coisa, e um homem renovado e piedoso é outra. É prerrogativa de Deus dar uma lei para a consciência e para renovar as inclinações do coração. As leis humanas são boas para estabelecer uma conversa com o homem, mas breve demais para estabelecer a comunhão com Deus e, portanto, devemos consultar a regra, que é a lei do Senhor, para que não fiquemos alijados da verdadeira bem-aventurança.
2. Vejamos agora, para que não ajamos além. Há uma santidade supersticiosa e apócrifa que é contrária a uma verdadeira e bíblica santidade, sim, destrutiva por causa disso: isto é como a concubina em relação à esposa: isto afasta o respeita devido à verdadeira religião. Agora, o que é este tipo da santidade? É uma religião temporária de satisfação da carne, que consiste em um acordo com os ritos e cerimônias exteriores e mortificações externas, como é praticado pelos formalistas "segundo os preceitos e doutrinas dos homens:" Col 2.23 – “coisas, com efeito, que têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade.”
Deus não lhes agradecerá por lhe darem mais do que ele tem requerido. Estas coisas têm uma aparência de sabedoria. Como o dinheiro de bronze pode ser mais reluzente do que verdadeira moeda, embora não seja de tal valor, então esta adoração baseada na própria vontade, e santidade supersticiosa podem parecer justas, mas são destrutivas para a verdadeira piedade e santidade bíblica, que nos guiam à comunhão com Deus. Quando o zelo dos homens ferve mais numa santidade fingida, isto apaga o fogo e destrói a verdadeira fé e piedade. O excesso é enorme, bem como o defeito. Portanto, ainda temos que consultar a lei e a regra, para que não ajamos aquém ou além.
Em segundo lugar, como a lei deve ser consultada, para que nos informe, assim ela pode gerar temor em nós e nos manter sob um senso de nosso dever para com Deus: "Pela lei vem o pleno conhecimento do pecado." - Rom 3.19. Geralmente, a maioria dos cristãos vive de forma mecânica, e não estuda a sua regra. Será que um homem adoraria a Deus com tanta frieza e habitualmente, se ele tivesse observado a regra que exige diligência de alma, fervor de espírito, diligente obediência a Deus em seus juízos? Será que um homem permitir-se-ia a liberdade de discursos vãos, conversação ociosa, e usar a língua para brincadeiras, se ele se consultasse com a regra, e lembrasse que estas palavras serão pesadas na balança de Deus? Estes são condenados pela lei da liberdade: Tiago 2.12 – “Então, falai, e assim procedei, como aqueles que devem ser julgados pela lei da liberdade." Seria um homem tão superficial nas coisas celestiais? tão desordenado e imoderado no uso do prazer e da busca do lucro mundano, se ele tivesse considerado a regra, e qual é a santa moderação que Deus tem exigido de nós em todas as ocasiões? Esta é a primeira coisa, a saber, a regra, que é a lei de Deus.
Em segundo lugar, há uma conformidade a esta regra. Se você quiser ser bem-aventurado, deve haver uma sincera, constante, e uniforme obediência. A vontade de Deus não somente deve ser conhecida, mas praticada. Muitos vão concluir que a lei de Deus na teoria é a única direção para a verdadeira felicidade; mas agora, ter isto como a sua regra, para manter-se perto da mesma, nem mesmo um entre mil o tem feito.
1. Então, a obediência sincera é necessária: "Bem-aventurado é o irrepreensível no caminho." À primeira audição destas palavras, um homem pode responder, Oh, então, ninguém pode ser abençoado, se isto é a qualificação, "porque quem pode dizer, meu coração está limpo?" Prov 20.9. Eu respondo – esta pureza, esta irrepreensibilidade deve ser entendida de acordo com o teor da segunda aliança feita no sangue de Jesus, que não exclui a misericórdia de Deus e a justificação dos pecadores arrependidos: Sl 133.3,4 – “Se tu, Senhor, observares as iniquidades, quem subsistirá? Mas há misericórdia contigo.” Não há como escapar da condenação ou da maldição, se Deus nos tratar de acordo com a estrita justiça, e exigir uma irrepreensibilidade absoluta. Bem, então, esta qualificação deve ser entendida, como eu disse, no sentido do segundo pacto, e o que é isso? Sinceridade de santificação. Quando um homem cuidadosamente se esforça para manter suas vestes livres da corrupção do mundo, e para ser aprovado por Deus; quando este é o seu o exercício constante para evitar qualquer ofensa, tanto para com Deus quanto para com os homens - Atos 24.16, e é cauteloso e vigilante para que não se contamine; quando ele é mais humilhado por suas corrupções; quando está sempre purgando o seu coração, e se esforçando, e que, com sucesso, anda no caminho de Deus, aqui está o irrepreensível no sentido do evangelho: Sl 84.11 – “Porque o SENHOR Deus é sol e escudo; o SENHOR dá graça e glória; nenhum bem sonega aos que andam retamente.” Para quem? "Para aqueles que andam na retidão." Isto é bastante possível; aqui não há motivo para desespero. Isto é o que vai nos levar à bem-aventurança, quando estivermos perturbados por nossas falhas, e haverá um exercício diligente na purificação de nossos corações.
2. A obediência constante. Os homens maus têm os seus bons modos e devotos sofrimentos no caminho para o céu, mas eles não são duradouros. Eles vão com Deus, um passo ou dois. Mas é dito: "Aquele que anda na lei do Senhor." Um homem perverso ora cansado da oração, e se professa cansado da santidade. Um homem é julgado pelo teor de sua vida, e não por uma ação – “Deleitar-se-á o perverso no Todo-Poderoso e invocará a Deus em todo o tempo?” Jó 27.10 . Muitos correm bem por um tempo, mas em breve param. Enoque andou com Deus 365 anos.
3. A obediência uniforme e completa: Êxodo 20.1 – “Falou Deus todas estas palavras." Ele ordenou uma coisa, assim como outra, e a consciência se deu conta de todas.
Um servo não escolhe seu trabalho, mas o mestre. Um filho de Deus é uniforme tanto num lugar, bem como em outro, em casa e no exterior, em todas as passagens de sua vida, na prosperidade e na adversidade, "quer quando é honrado, quer quando é humilhado" Fp 4. Ele não é como Efraim como "um bolo que não foi virado," mas há uma uniformidade. Porventura teria consciência de piedade e adoração, e não teria consciência de honestidade e justiça no trato com os homens? Será que ele teria consciência de seus atos, e não teria de suas palavras? Ele não daria a si mesmo um discurso ocioso e fútil. Um hipócrita se sente melhor quando ele é tomado em pedaços, mas um homem sincero se sente melhor quando ele é tomado por completo. Um cristão é sempre o mesmo. É notável na história da criação que Deus vê o trabalho de cada dia, e Deus viu que isso era bom; “E Deus viu todas as coisas que ele tinha feito, e eis que era muito bom", ele as considerava por completo. Assim, um cristão está mais feliz em examinar o seu caminhar segundo o mandamento.
Em terceiro lugar, qual é a relação disto com a verdadeira bem-aventurança? Isto é o caminho para isto: 'Bem-aventurados os retos em seus caminhos, que andam na lei do Senhor." Isso aparecerá em dois aspectos:
(1) É o início da bem-aventurança. Semelhança com Deus é o fundamento da glória. Conformidade com ele será realizada "de glória em glória", 2 Coríntios 3.18. E, como conformidade para a comunhão com Deus na beleza da santidade é o começo da felicidade: "Quanto a mim, contemplarei a tua face na justiça, e estarei satisfeito quando eu acordar com a tua semelhança", Sl 17.15.
(2). Obediência sincera e constante é a prova do nosso direito à bem-aventurança futura. Um homem tem algo para demonstrar isto, Mat 5.8. É uma evidência inclusiva: "Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus”, e é uma evidência exclusiva: Heb 12.14, "Sem santidade ninguém verá o Senhor." Bem, então, quando este é o nosso caminho e curso, podemos esperar a felicidade futura.
As Aplicações são-
1. Para mostrar que os homens carnais vivem como se procurassem miséria ao invés de felicidade: Prov 8.36, "Aquele que pecar contra mim fará mal à sua própria alma, todos que me odeiam amam a morte" Se um homem estivesse viajando para York, diria que seu objetivo era chegar a Londres? Será que esses homens que andam de tal modo profano buscam a felicidade? Isto é, o caminho da lei de Deus que conduz à verdadeira bem-aventurança?
2. Para incentivá-lo a andar de acordo com esta regra, se você quiser ser abençoado. Para este fim, deixe-me encorajá-lo a tomar a lei de Deus como a sua regra, o Espírito de Deus como o seu guia, as promessas como o seu encorajamento, e a glória de Deus como o seu fim.
[1] Tome a lei de Deus como a sua regra. Estude a mente de Deus, e conheça o caminho para o céu, e se mantenha exatamente no mesmo. Isto é uma prova de sinceridade, quando um homem tem o cuidado de praticar tudo o que ele sabe, e ser curioso para saber mais, mesmo que seja toda a vontade de Deus, e quando o coração está debaixo do temor da palavra de Deus. Se um mandamento surge no caminho, isto é mais para o coração gracioso do que se mil ursos e leões estivessem, mais do que se um anjo estivesse no caminho com uma espada flamejante: Prov 13.13, "Aquele que teme o mandamento será recompensado." Será que você quer as bênçãos de Deus? Tema o mandamento. Isto não significa aquele que teme a ira, a punição, inconveniências, os problemas do mundo, assédios da carne, não, mas aquele que teme transgredir um mandamento. Como em Jer 35.6: Vá, traga uma tentação, coloque potes de vinho diante dos recabitas. Oh, não se atreviam a beber deles. Por quê? "Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, nos ordenou, dizendo: não beberão vinho.” Assim, um filho de Deus, tem razão quando o diabo vem e apresenta uma tentação diante dele, e zeloso de Deus, não se atreve a cumprir com os desejos e humores dos homens, embora eles possam lhe prometer paz, felicidade e abundância
[2] Tome o Espírito de Deus para ser o seu guia. Nunca podemos andar no caminho de Deus, sem a direção do Espírito de Deus. Devemos não somente ter um modo, mas uma voz para nos dirigir quando estamos andando: Isa 30. 21: "E os teus ouvidos ouvirão atrás de ti uma palavra, dizendo: Este é o caminho, andai por ele." Ovelhas têm um pastor, e as crianças que aprendem a escrever devem ter um professor, e por isso não é o suficiente ter uma regra, mas termos um guia, um monitor, para nos colocar na mente o nosso dever. Os israelitas tinham uma coluna de nuvem durante o dia e uma coluna de fogo à noite. A igreja evangélica não é destituída de um guia: Os 37.24 - “Tu me guias com o teu conselho, e depois me receberás na glória." O Espírito de Deus é o guia e diretor para nos alertar sobre o nosso dever.
[3] As promessas para o seu encorajamento. Se você olhar ao redor, viverá por sentido, e não pela fé, você terá desânimos suficientes. Como um homem deve se conduzir através das tentações do mundo com honra a Deus? 2 Pedro 1.4 - "no qual são dadas a nós preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção que há no mundo pela concupiscência.” Quando temos promessas para nos guardar, isso vai nos conduzir puros através das tentações, e nos fazer agir com generosidade, nobreza e nos manter perto do Senhor.
[4] Fixar a glória de Deus como o seu objetivo, senão isto será um curso carnal. A vida espiritual é viver para Deus, Gál 2.20 , quando Ele é tido como o fim de cada ação nossa. Você tem um caminho a tomar, e se você dormir ou acordar, sua jornada ainda é um curso. Como em um navio, se os homens sentam, deitam, estão de pé, se comem ou dormem, o navio mantém seu curso, e vai para o seu porto, de modo que todos estão indo para um outro mundo, ou para o céu ou para o inferno, no caminho amplo ou no estreito.

E, então considere quão confortável será o final da sua viagem, na hora da morte, ter sido sem mácula no caminho; então os homens maus que estão contaminados em seu caminho desejarão que eles tivessem se mantido mais próximos de Deus. Os homens terão então outras noções, de santidade do que tinham anteriormente. Oh, então eles desejarão que tivessem sido mais cautelosos.
DOCT 3 Como será abençoado aquele que anda em conformidade com a regra de Deus?
1. Ele está livre da ira. Ele tem a sua quitação, e a bem-aventurança de um homem perdoado: João 5.24, "Aquele que crê em Cristo tem a vida eterna, e não entrará em condenação, pois já passou da morte para a vida." Ele está fora do perigo de perecer, o que é uma grande misericórdia.
2. Ele está debaixo do favor e amizade de Deus: João 15.14, 'Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. " Há uma verdadeira amizade estabelecida entre nós e Cristo, não somente no ponto de harmonia e concordância de espírito, mas prazer mútuo e comunhão uns com os outros.
3. Ele está sob os cuidados especiais e conduta da providência de Deus, que ele jamais perderá: 1 Coríntios 3.23 , "Todas as coisas são vossas, e vós sois de Cristo e Cristo é de Deus." Todas as condições de sua vida são anuladas para o bem; suas bênçãos são santificadas, e suas misérias extintas: Rom 8.28: "E sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito."
4. Ele tem a certeza de um pacto para a glória eterna: 1 João 3.1: "Eis que agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser," etc. Um título nada é antes que se venha a desfrutar uma propriedade? Reputamos um herdeiro mundano feliz, tanto quanto aquele que já se encontra na posse do bem, e não somos herdeiros felizes de Deus?
5. Ele tem experiências doces da bondade de Deus para com ele aqui neste mundo: Sl 17.15: "Quanto a mim, contemplarei a tua face na justiça, vou estar satisfeito quando eu acordar com a tua semelhança." A alegria da presença e do sentido do amor do Senhor contrabalançará todas as alegrias do mundo.
6. Ele tem uma grande paz: Gál 5.16: "E a todos quantos andarem conforme esta regra, a paz esteja com eles, e misericórdia, e sobre o Israel de Deus.” Obediência e caminhar santo trazem paz: "Grande paz têm os que amam a tua lei, e neles não há tropeço", Sl 119.165, como há paz na natureza, quando todas as coisas mantêm o seu lugar e a ordem. Esta paz os outros não podem ter. Há uma diferença entre um mar morto e um mar calmo. Eles podem ter uma consciência estúpida, não uma consciência tranquila. A virtude deste ópio em breve acabará; e a consciência voltará a ser despertada.
APLICAÇÃO. Oh então, deixe-nos tomar parte nesta bem-aventurança! Há dois estímulos no serviço de Cristo - nossas tribulações e nossas recompensas. Nossas recompensas devem ser suficientes, o gozo eterno em si mesmo. Mas, oh! clamamos do tédio do caminho. Temos também nossas aflições, que não são desprezíveis. Se um homem oferecesse um senhorio ou fazenda para outro, e este dissesse: O caminho é sujo e perigoso, o clima muito problemático, eu não vou cuidar dela, você não iria acusar este homem de loucura, que ama a sua facilidade e prazer? Mas agora, se este homem tivesse a garantia de um caminho agradável e bom, mas se ele tivesse que fazer um pouco de esforço para vê-lo, não seria de fato uma loucura irracional recusá-lo. Nosso Senhor tem feito uma bendita herança nos termos do evangelho, mas estamos cheios de preconceitos, porque pensamos que cumprir a regra poderá trazer problemas, e nos privar de muitas vantagens de ganho, e pensamos que nunca mais teremos um boa dia. Mas temos a certeza de que há uma grande bênção andar junto com o jugo de Deus; e temos a promessa do gozo da presença de Deus, onde há prazeres para sempre, isto deve fazer-nos despertar na obra do Senhor.
Thomas Manton

Thomas Manton

Terra da incoerência

Qual a verdadeira diferença
entre uma e mil e quinhentas
vidas nesse sistema?

Onde encontro assistência
quando tenho mais carência
mesmo em meio aos irmãos meus?

De que vale toda essa insistência
se o evangelho não é vivência,
é discurso e julgamento?

Como se vive pela experiência,
vidas se perdem, se machucam, se despedem,
nessa terra de incoerência.

Angela Natel