Carta de São Paulo a Coríntios

Cerca de 87 carta de São Paulo a Coríntios

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,
não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos;
mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado.
Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

Paulo de Tarso

A OUTRA NOITE

Outro dia fui a São Paulo e resolvi voltar à noite, uma noite de vento sul e chuva, tanto lá como aqui. Quando vinha para casa de táxi, encontrei um amigo e o trouxe até Copacabana; e contei a ele que lá em cima, além das nuvens, estava um luar lindo, de lua cheia; e que as nuvens feias que cobriam a cidade eram, vistas de cima, enluaradas, colchões de sonho, alvas, uma paisagem irreal.

Depois que o meu amigo desceu do carro, o chofer aproveitou o sinal fechado para voltar-se para mim:

-O senhor vai desculpar, eu estava aqui a ouvir sua conversa. Mas, tem mesmo luar lá em cima?

Confirmei: sim, acima da nossa noite preta e enlamaçada e torpe havia uma outra - pura, perfeita e linda.

-Mas, que coisa...

Ele chegou a pôr a cabeça fora do carro para olhar o céu fechado de chuva. Depois continuou guiando mais lentamente. Não sei se sonhava em ser aviador ou pensava em outra coisa.

-Ora, sim senhor...

E, quando saltei e paguei a corrida, ele me disse um "boa noite" e um "muito obrigado ao senhor" tão sinceros, tão veementes, como se eu lhe tivesse feito um presente de rei.

Rubem Braga

Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará. O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará; Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.

Paulo de Tarso

O amor é paciente, é bondoso; o amor não é invejoso, não é arrogante, não se ensoberbece, não é ambicioso, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda ressentimento pelo mal sofrido, não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

Paulo de Tarso

1 corintios 13:4 a 7--Leer a biblia é uM bom ExercícioO!!

downloade_alk@hotmail.com

O amor é Paciente e bondoso. O amor não é ciumento e nen orgulhoso nem vaidoso. Nao é grosseiro nen egoísta. Nao se Irrita nen fica magoado. O amor nao se alegre quando alguem faz alguma coisa errada mas se alegra quando alguem faz o que é certo . O amor nunca desanima, porem suporta tudo com fé, esperança e paciência.

Michael bezerra de Souza

O Morumbi será um excelente palco para abrir a Copa, e o Maracanã outro ótimo palco para o encerramento. Em curto espaço de tempo, o Brasil precisa ter competência para fazer reformas e construir estádios. Mas não é só isso. Precisamos melhorar na cultura, infra-estrutura, transporte, saúde, educação. Estádio podemos construir. Gente é difícil corrigir. Espero que as pessoas encarregadas pelo planejamento sejam dignas.

Rogério Ceni, goleiro do São Paulo Futebol Clube

Ninguém se engane a si mesmo. Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio.
Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia.
E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são vãos.

(1 Coríntios 3, 18-20)

São Paulo

O amor
"O amor é muito paciente e bondoso
Nunca é invejoso ou ciumento
Nunca é presunsoso nem orgulhoso
Nunca é arrogante nem egoísta, nem tão pouco rude
O amor nÃo exige que se faça o q/ ele quer
Não guarda rancor e dificilmente notará o mal que os outros lhe fazem
Nunca esta satisfeito c/ a injustiça
Mas se alegra quando a verdade triunfa
Se você amar alguém será leal para com ele
Custe o que custar
Sempre acreditará nele
Sempre esperará o melhor dele, e sempre se manterá em sua defesa
Há três coisas que perduram : a FÉ, A ESPERANÇA E O AMOR
E a maior destas coisa é O AMOR."

Epístola do amor segundo São Paulo

O POMBO



Um homem sentado numa praça
de Curitiba, São Paulo, Recife, Londres...


Aquele homem é o mesmo
em todas as praças do mundo?


Um homem pousa num banco
e seus pensamentos voam igualmente
como o pensamento de todos os homens
sentados numa praça qualquer


Eis um homem pousado voando
pelo mundo


Esse homem é um pombo
Esse homem é a paz


Será por isso que existem praças
para os homens pousarem
e soltarem as suas asas?

Hideraldo Montenegro

Amor e perdão


Das passagens bíblicas temos o exemplo de São Paulo que antes de ser Paulo era só Saulo de Tarso e perseguidor dos cristãos. Antes da visão que teve na estrada para Damasco, matou inúmeros seguidores de Jesus. Mesmo sendo assassino, tornou-se um dos maiores seguidores de Jesus e cumpriu sua missão pregando o Evangelho de Jesus ao mundo, em especial aos pagãos.
Pois é temos um santo que antes fora assassino e a nossa visão hoje dos criminosos? Como pode ser termos um santo que antes de sua conversão havia matado milhares de fies e não aceitarmos que alguém que já cumpriu sua pena tenha convívio na nossa sociedade.
Paulo de Tarso teve numa mesma existência a oportunidade de nos mostrar que é a mudança é possível, uma vida de crime passou a ser uma vida de amor. Ninguém sequer cita o passado de Paulo, todos são falam do amor que ele transmitiu em suas mensagens.
Porque então não podemos perdoar aqueles que cumpriram sua pena?
O que há de errado em nossa criação? Porque não conseguimos esquecer o erro alheio? Porque ficamos sempre indagando o porque, o motivo do que levou a fazê-lo?
Falta ainda muito amor em nossos corações. Incrível como o amor somente se manifesta em nossas relações mais próximas. Sabe aquela frase: “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã”? Pois achamos lindo, cantamos com toda força dos nossos pulmões. Mas acho que nunca paramos para questionar que pessoas? Amar a quem?
Pois é o que devemos fazer preciso amar a quem?
Precisamos aprender amar a todas as pessoas do mundo sem distinção. Não é nada fácil, porque temos uma coisa dentro de nos chamada preconceito, que precisamos eliminar esse sentimento para então dar vazão ao amor.
Amor é a única forma de perdoar, só consegue perdoar quem sabe amar!
Faça disso seu projeto de vida: aprender a amar!!!!!!!!!!!!!!!
Para quem sabe consiga perdoar!!!!!!!!

Tamy Henrique Reis Gomes

São Paulo, 03 de Outubro de 1992

Querido Maninho Cesar

É preciso uma canção, um som, talvez um barulho qualquer
um ruído estridente depois o silêncio da mente na calmaria total.
Escorre uma lágrima, outra e mais outra, embarga a voz
pela emoção, agita e entedia a mente ao mesmo tempo.
Dilata,dói, aperta, aflinge e atinge o super-égo.
É preciso uma razão, meditação, apenas um fato a toa
pra justificar a brecha emocional, entre um suspiro e outro há um transe real enexplicáel, contestável mais há...
é o q mais importa agora!!!
Acontecer é importante, ter um curso natural para as coisas acontecerem é fundamental.
Emotividade nem sempre é deixar o choro sair, a lágrima rolar, confusão da mente o essencial mesmo e poder existir infinitamente.

Sujeitar a interferir nos acontecimentos requer mais que ser racional é preciso sentir, derivar espaço, deliberar não se ver, ilimitar esforços, querer viver o instanteseguinte, acrescentar luz a penumbra, descobrir-se.
É preciso bem mais que uma canção envolvente,abstrata,
bem mais que os olhos observam, ainda mais que a pele sinta,
é preciso assumir o papel,o roteiro criado por você.
Basta deixar a alma vagar sem identidade, sem nome ou codi-nome.
O PRINCIPAL É SER FELIZ. E SER FELIZ É PRECISO!!!!

"SIGA SEU PRÓPRIO CAMINHO PRA SER FELIZ DE VERDADE"!!!

De sua Maninha que ti adora

"Crizinha"

G. Cesar Rodrugues S.

Ver e Sentir

(Voluntariado Jovem em São Paulo)



Levo no peito, a saudade de quem sorrir

A lembrança do abraço;

Quem sabe a humildade da Geni...

A experiência no Arsenal da Esperança, Abrigo Padre Batista, Recifran e Vivenda da Cidadania.


Vou simbora enquanto é cedo

Ate mesmo perguntando: Meus Deus, porque estive aqui.

Vi sorriso, alegria, tristeza e compaixão

Vi a flor nascer no lixo...E a plena comunhão



Me sentei pra aprender, levantei pra ensinar

Aprendi que ainda existe, muita gente pra sonhar...

Esqueci minha vida fútil, e deixei acontecer

Coração bateu mais forte...Chorei em mei aos prantos...

Vi Jesus falando: Seja bom samaritano



Talvez não exista palavras, pra demonstrar

O que realmente senti...

Mas sinto em meu coração, que vou partir

Mas de certa forma sempre estarei aqui...



E so pra curtir me pergunto: você vem sempre aqui? Graças a Dues.

Ronan Marcelino de Souza

São Paulo, 03 de Outubro de 1992

Querido Maninho Cesar

É preciso uma canção, um som, talvez um barulho qualquer
um ruído estridente depois o silêncio da mente na calmaria total.
Escorre uma lágrima, outra e mais outra, embarga a voz
pela emoção, agita e entedia a mente ao mesmo tempo.
Dilata,dói, aperta, aflinge e atinge o super-égo.
É preciso uma razão, meditação, apenas um fato a toa
pra justificar a brecha emocional, entre um suspiro e outro há um transe real inexplicáel, contestável mais há...
é o q mais importa agora!!!
Acontecer é importante, ter um curso natural para as coisas acontecerem é fundamental.
Emotividade nem sempre é deixar o choro sair, a lágrima rolar, confusão da mente o essencial mesmo e poder existir infinitamente.

Sujeitar a interferir nos acontecimentos requer mais que ser racional é preciso sentir, derivar espaço, deliberar não se ver, ilimitar esforços, querer viver o instanteseguinte, acrescentar luz a penumbra, descobrir-se.
É preciso bem mais que uma canção envolvente,abstrata,
bem mais que os olhos observam, ainda mais que a pele sinta,
é preciso assumir o papel,o roteiro criado por você.
Basta deixar a alma vagar sem identidade, sem nome ou codi-nome.
O PRINCIPAL É SER FELIZ. E SER FELIZ É PRECISO!!!!

"SIGA SEU PRÓPRIO CAMINHO PRA SER FELIZ DE VERDADE"!!!

De sua Maninha que ti adora

"Crizinha"

G. Cesar Rodrigues S.

Manuel Antônio Álvares de Azevedo.
São Paulo - SP, 1831 - 1852.
Obras Principais: Obras I (Lira dos Vinte Anos), 1853;
Obras II (Pedro Ivo, Macário, A Noite na Taverna, etc), 1855



Nascido a 12 de setembro de 1831 em São Paulo, onde seu pai estudava, transferiu-se cedo para o Rio de Janeiro. Sensível e adoentado, estuda, sempre com brilho, nos Colégios Stoll e Dom Pedro II, onde é aluno de Gonçalves de Magalhães, introdutor do Romantismo no Brasil. Aos 16 anos, ávido leitor de poesia, muda-se para São Paulo para cursar a Faculdade de Direito. Torna-se amigo íntimo de Aureliano Lessa e Bernardo Guimarães, também poetas e célebres boêmios, prováveis membros da Sociedade Epicuréia. Sua participação nessa sociedade secreta, que promovia orgias famosas, tanto pela devassidão escandalosa, quanto por seus aspectos mórbidos e satânicos, é negada por seus biógrafos mais respeitáveis. Mas a lenda em muito contribuiu para que se difundisse a sua imagem de "Byron brasileiro". Sofrendo de tuberculose, conclui o quarto ano de seu curso de Direito e vai passar as férias no Rio de Janeiro. No entanto, ao passear a cavalo pelas ruas do Rio, sofre uma queda, que traz à tona um tumor na fossa ilíaca. Sofrendo dores terríveis, é operado - sem anestesia, atestam seus familiares - e, após 46 dias de padecimento, vem a falecer no Domingo de Páscoa, 25 de abril de 1852.

Luciane Schneider

São Paulo é um exemplo de determinação e coragem, diante das tribulações:
“Estou cheio de consolação e transbordo de alegria, em todas as aflições.” (2Cor 7,4)
“Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo, espada? (...) Mas, em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou.” (Rm 8,35.37)

Dom Genival Saraiva

Muitas vezes tive medo de morar no centro de São Paulo
Do barulho que me conforta
Da noite que me faz companhia
Da música que me alegra
Das gargalhadas pomposas
Das histórias incríveis
Das pessoas inusitadas
Mas e o silêncio do amanhecer?
Percebo a paz de estar só
A luz que entra pela janela, já não me irrita mais
Como é bom estar de bem com a vida.

Geo Aoe

Sento na escrivaninha
Olho no papel escrito
Né Tón 'Agnoston
São Paulo convenceu uma nação
A aceitar suas ideias apenas com essa frase

São Paulo, hoje a cidade
Vive nela
Aquela, pela qual esse poema existe
Essa já não sofre mais por esse poeta
O que dela, em mim, vive ainda?
Apenas o choro q não choro

São paulo foi a Atenas
Pregar o amor do Deus desconhecido
O poeta tenta se livrar
Do amor conhecido...

Nicolas H. Lucas

A LEI SECA!!! EM SÃO PAULO

A lei seca em são paulo só não está mais molhada porque tem chovido pouco.

Moro na zona norte da cidade e nas ruas do bairro próximas da minha casa todos os dias e principalmente nos fins de semanas, é um vestival de morotistas bebados, e motos em alta velocidade, sem capacetes, alcolizados, menores, com 2, 3 e as vezes mais pessoas na mesma moto, sem o silencioso da moto e tudo isso acontece diante das viaturas das polícias CIVÍL e MILITARES, essas motos passam por eles em alta velocidade o dia todo e a noite também.

A polícia não possue contingente para dar conta da demanda de problemas e a seleção que é feita de quém se deve abordar, parece ter critérios extremamente equivocados, ainda não fui parado por eles e também evito ao máximo beber quando tenho que dirigir, mas seria hipocrisia dizer que nunca o fiz, mas certamente se fosse abordado por eles naquela região iria questionar essa postura. Mesmo que me custasse um bom peteléco. kkkk

leo poeta

são paulo
Esse é o meu monologo;
para mostrar-lhe o quanto amei pisar em seu solo;
dizer-lhe que todo esse tempo amei estar em seu colo;
por todo esse tempo ter sido meu polo;
meu lugar de repouso;
a minha al qaeda;
nas horas triste o meu consolo;
meu odre novo;
a única que apesar dos meus muitos podres;
nunca gelo;
sempre me amou,e tratou com o mais profundo anelo e desvelo;

Hisley Prisley

Quero conehcer o restante.. daqui de São paulo, quero andar entre os pontos que as pessoas colhem ouro, quero andar na terra seca do nordeste... caminhar com as gurias do sul...rs Ir num baile do Rio de Janeiro, ouvir eletronica em Minas Gerais... cantar musicas caipiras com os interioranos.Quero correr pelas dunas do Ceara,
Passear por Aparecida do Norte e ver nossa Santa Padroeira. Brincar com as pobres crianças do Espirito Santo. Pular nas chachoeiras de Foz do Iguaçu e sentir o gelado das aguas tomando meu corpo.
Chorar, olhando a Lua do na madrugada de PIAUI, e sorrir olhando o sol das praias litoranes do meu maior amor. São Paulo.

Bruno Lopes Maciel de Lima