Carta de Filho que Morreu de Cancer

Cerca de 979 carta de Filho que Morreu de Cancer

ENCONTRO COM A PALAVRA


"Aqui jaz Fernando Sabino. Nasceu homem, morreu menino". A frase poética escolhida pelo autor de "O Encontro Marcado" para a sua lápide expõe de maneira sucinta, mas explícita, um pouco da personalidade, dos desejos e anseios de um protagonista da palavra. Um autor cuja pena produziu, desde a mais tenra juventude, textos fundamentados na sensibilidade capaz de captar a angústia humana como poucos de sua geração souberam fazer. Sobre ele, um dos maiores críticos literários brasileiros, Antonio Cândido, avalia: "Fernando tinha um olhar infalível para os pormenores expressivos e uma capacidade prodigiosa de invenção verbal". Com a morte de Sabino, encerra-se um tempo singular que, por um desses desígnios inexplicáveis, teve o mérito de reunir, em uma mesma época e em um mesmo cenário - a cidade de Belo Horizonte -, o famoso quarteto de escritores mineiros composto por Sabino e pelos amigos Hélio Pellegrino, Otto Lara Resende e Paulo Mendes Campos. Sabino foi o único dos quatro a chegar aos 80 anos. O único a sentir a ausência corrosiva provocada pela perda das grandes amizades. Suas dezenas de romances, crônicas, novelas, correspondências e relatos de viagem trazem em sua essência o cerne de um dom raro: o de fazer dessas histórias uma ponte entre a ficção e a reflexão. Um elo entre o eu e o outro. Entre o particular e o universal. A narrativa de Sabino instiga os leitores à realização de uma busca rumo ao autoconhecimento - virtude característica dos grandes mestres da palavra. Foi assim com o personagem Eduardo Marciano que, desde 1956, com a publicação de "O Encontro Marcado", prossegue arrebatando corações e mentes. A escrita fluente e a leveza que dava a textos de temáticas muitas vezes angustiantes nasciam de um cuidado extremista de Sabino com a palavra. O mesmo que dedicou à música. Eclético, como todos que possuem espírito inquieto, Sabino era baterista de uma banda de jazz - estilo caracterizado pelo predomínio do improviso sobre a técnica. Assim também era Sabino na literatura: artista cujo compasso ritmado era marcado pela junção da técnica e da sensibilidade. A perda do escritor mineiro já seria motivo suficiente para que o reino das palavras ostentasse luto por prazo indefinido. Entretanto, dois dias antes, o mundo das letras, da filosofia, do pensamento dava adeus ao filósofo Jacques Derrida, famoso pela teoria da "desconstrução", cujo princípio era desfazer o texto do modo que foi previamente organizado para revelar significados ocultos. Suas pesquisas apontavam que, tanto na literatura como nas demais formas de arte, é possível observar - por meio de análises detidas - numerosas camadas de significados não necessariamente planejados pelo criador da obra. Assim como Sabino, Derrida era o único sobrevivente de um grupo ímpar de personagens que ajudaram a compor a história de uma geração. Juntos, Althusser, Barthes, Deleuze, Foucault, Lacan e Derrida tornaram-se conhecidos como "os pensadores de 1968". Desde então, o filósofo contribuiu sobremaneira para o entendimento de questões essenciais à compreensão do século 20. O autor de "Espectros de Marx" não se furtava, mesmo já muito doente, o direito de viajar pelos continentes lançando luzes sobre temas variados e polêmicos como a literatura, a política, a ética, os conflitos árabe-israelenses, a luta contra o aparthaid, os últimos atentados em solo americano, a rapidez dos processos tecnológicos. Derrida era um cidadão do mundo, um homem que viveu apaixonadamente e defendeu sua ideologia e seus propósitos de todos os modos. A justiça, os direitos humanos, a conquista da cidadania e a dignidade da pessoa humana eram, invariavelmente, bandeiras que empunhava em favor da edificação de um tempo mais pacífico e igualitário para povos e nações. Foi ele, também, o criador, em 1983, do Colégio Internacional de Filosofia, a que presidiu até 1985. Sem dúvida, as vidas de Sabino e de Derrida são exemplos de entusiasmo e de dedicação. Convites a uma existência mais pró-ativa, passional, conectada à nossa verdade interior e à procura da felicidade individual que se expande para o coletivo. Foram-se dois grandes homens. Ficam duas grandes lições. Que todos tenhamos sabedoria para apreender os ensinamentos que deixaram em seus livros e que os manterá, para sempre, vivos. Afinal, como afirmou Derrida em uma das tantas entrevistas que concedeu: "(...) a vida é sobrevida. Sobreviver no sentido corrente quer dizer continuar vivendo, mas também viver após a morte".


Publicado no jornal Diário de S. Paulo

Gabriel Chalita

Hoje o Brasil perdeu muito de sua graça. Morreu Chico.
Poderia ser mais um dos tantos Chicos desse pais carente. Poderia ser um Chico sem expressão, um Chico sem graça, um Chico qualquer.
Mas não, esse era o maior dos Chicos.
O Chico que nos deleitou com suas mil faces durantes anos. O Chico que paraninfou vários momentos de puro estase, de pura graça.
Um Chico regado a humor, a sacanagem saudável, a transigência dos palhaços.
Vai meu amigo, meu conterrâneo. Vai alegrar o outro lado pois por aqui a alegria está de luto.

Professor Galvão

Ontem alguém me disse: O Twitter já morreu. Só que as pessoas ainda não perceberam.

Dá para se notar que o Facebook passou o carro no Twitter e depois da compra do Instagram deu a ré em cima do mesmo. Os efeitos disso se repercutem num espaço de tempo e será visto ao longo dos meses.

Deus chama Josué para a liderança sendo direto: Moisés, meu servo, morreu! Levanta que é tua vez! (Josué 1:2). As pessoas objetivas e com propósito vão ter que aperfeiçoar a "arte de deixar". Josué, para agarrar seu chamado, tinha que deixar o luto de Moisés.

Para entrar em Canaã, vai requerer deixar o antigo e aceitar caminhar sem mapa e sem o GPS dos antepassados. Na essência, Deus chamou Josué a intimidade: Se você aceitar o desafio, estarei contigo e você levará este povo a Canaã. Temo que aceitar o fato que há estruturas que já morreram, paradigmas que já morreram, preceitos humanos que já morreram, métodos que já morreram. Nossa única resposta: intimidade com Deus que nos levará a escutar diretamente do Espírito Santo e da Bíblia.

Nem todo mundo pode ir para onde você deve ir. Quanto antes entendermos isso mais rápido entraremos em intimidade e na rota certa.

Teofilo Hayashi

Minha homenagem a Eduarda Mello Queiroz, minha doce e amada aluna que morreu jovem sem dizer adeus.
Morrer jovem é muito esquisito. É de uma ironia sem graça. De um espanto em que não cabem argumentos. Morrer jovem é muito estranho. Mesmo porque juventude é coisa relativa, num mundo em que Einstein já não está aqui para explicar.
Morrer jovem é como interromper uma música. É como cortar um filme ao meio, rasgar as páginas de um livro pra não se saber o final. É roubar de cena um ator em seu momento mais fantástico, em seu grande ato, sua cena mais brilhante. Porque morrer jovem é injusto. Injusto com as leis da natureza. Injusto com os que partem. Muito mais injusto com os que ficam. Pois saudade é morte lenta, passo-a-passo, emudecida, olhos cerrados, quase sem respirar.
Quem morre jovem não tem o que dizer. Vai calado, sem dizer palavra, num silêncio intrigante. Não tem quase história pra contar, não tem quase passado, não terá futuro. Quem morre jovem, seja qual for a forma, tem morte súbita. Porque é de repente se morrer jovem. Fica aquela sensação de poder ter feito mais. Poder ter dito mais. Aquela frustração de quem perdeu o jogo de sua vida.
Morrer jovem é contabilizar ao contrário. É descontar, é subtrair somente. É contar os abraços que deixou de abraçar, os beijos que não deu, as obras que não realizou, os sonhos que não viveu, a formatura que não aconteceu, o carro que queria e não veio, o namorado que amava demais da conta e que não deu conta de que você se foi. Morrer jovem é mais triste, porque a velhice é o que se espera e a juventude apenas vai acontecendo e a gente sempre se achando bem, se sentindo forte, audaz, capaz, feliz. Quando se morre jovem, se desdiz tudo o que tinha de haver. É a contramão da história. A volta de uma viagem que nem sequer chegou a existir.
Morrer jovem é não ter tempo. Não conseguir conhecer a beleza, não dar satisfação, não explicar, não dar até logo, ir direto ao adeus. Morrer jovem é mal educado, é nem pedir licença para levantar e sair. Morrer jovem é não aparecer no compromisso, é marcar a reunião e não ir. É fazer todo mundo de bobo. Dar um drible nos amigos, nos parentes, no cachorro. Morrer jovem é faltar a tudo que estava na agenda e se perdeu no ar. Morrer jovem é deixar para trás. É uma ida sem volta. Uma deslealdade. É ir a uma guerra e nunca mais voltar. É esperar por quem não vem. Morrer jovem é uma traição da vida em conluio com a morte. É uma armação para desesperar mães. É um desafio. Um fustigo. Morrer jovem é um deboche abominável.
Uma sacanagem sem noção.

Professor Galvão

O sorriso que outrora estampei em meu semblante, hoje morreu.
Esse sorriso de agora, nasce e repousa em outra face.
Ele vem e se demora. Despido de qualquer disfarce.

Sorriso que vem repentinamente no improviso,
Com um lápis na mão desenha meu riso.
Contorna-o sem prévio aviso.

Sorriso que transforma o meu lado preto e branco.
Luz e paz ele me trás. O que eu sempre quis.
Colorido que reflete em minha íris.

Sorriso que me envolve, muda, quando desnuda.
Afastando de mim, o medo, o frio, a dor.
Fazendo-me sentir seu intenso calor.

Sorriso pulsante que me faz sentir viva. Querer viver.
Faz-me sentir especial. Simplesmente feliz assim.
Sentimento que nasce e morre em mim.

Leandro M. Cortes

A cantora e atriz Whitney Houston morreu na noite deste sábado (11), de acordo com informações do jornal New York Times. Ela tinha 48 anos e causa e local da morte ainda são desconhecidos, segundo a agente Kristen Foster declarou à imprensa norte-americana.

Houston foi uma das artistas mais vendidas no mundo da música nos anos 1980 e 1990. Seu sucesso musical a levou até o cinema, com seu filme mais famoso sendo "O Guarda-Costas", com Kevin Costner. Dentre seus maiores hits estão "How will I know", "Saving all my love for you" e "I will always love you", trilha do filme "O guarda-costas".

No final da carreira, no entanto, Houston começou a mergulhar no mundo das drogas e o número de hits da cantora foi diminuindo. Ela confessou que usava cocaína, maconha e medicamentos controlados, o que acabou prejudicando sua tão famosa voz.

Somente nos EUA, Houston vendeu mais de 55 milhões de álbuns.


Houston deixa uma filha, Bobbi Kristina, do seu conturbado casamento com o cantorBobby

Linartt Vieira

Tive um amigo e morreu
Trago no coração e na mente, a emoção pungente
Daquele último telefonema do Adeus
Uma sensação diferente
Depois que deixastes de ser meu
Tantas ilusões me escaparam
Nas lágrimas que derramei
As lembranças que por fim ficaram
São na verdade,o que herdei
O silêncio supremo que veio depois
Cortou-me a alma, já dilacerada
Resta a impressão de que nós dois
fomos tudo...agora sem ti não sou nada!
O tempo não vai curar esta amargura.
Puras foram as nossas velhas recordações
Recordações de outrora, vezes sem conta uma loucura
Que só torturou nossos corações...
AD

Chitas

HOMENAGEM A MISSIONÁRIA QUE COM POUCOS DIAS NA ÁFRICA, MORREU DE MALÁRIA.

Sob a asa do amor,
por aqui ela passou;
exalando perfumes,
da mais singela flor!

Com apenas poucos dias,
trouxe-nos alegria;
e, sem muito se esforçar,
nos ensinou o verbo amar.

Ama, o teu próximo como a ti mesmo;
sem guardar algum segredo;
Ela mostrou e praticou,
o que Jesus nos ensinou.

Também como uma ama,
à alimentar filhos alheios;
o peito ardendo em chamas,
ao ver tão triste espelho.

Disse ela: vou tentar sedar,
o mundo vil a sofrer;
com arma do amor, chego lá;
do meu Jesus, fazê-los conhecer.

Das agruras quis esquecer;
as barreiras lançou ao mar.
Com viva esperança no seu ser;
partiu para África evangelizar.

Mesmo sendo em poucos dias;
aos ares lançou a semente;
com o coração repleto de alegria;
sonhava já com outras gente.

Estávamos juntos a ela,
em súplicas e oração;
da semente esperando o meda,
com o seu fixar-se naquela nação.

Mas o Soberano Deus, por tempo provisório
permitiu que fosse o seu passaporte;
pois, já estava por se cumprir,
a sua tarefa e sorte.

Ao seu descanso eterno,
convidada fôra a entrar;
consciente no amor puro e terno,
que a semente, outro irá regar.

De corações sinceros; o nosso adeus.
Sua virtude lançaremos aos ares;
seu amor, dedicação; vida pelo reino de Deus.
Heroina... Todos de pé; aplausos a DAMARES.

Marivaldo Nunes

- Sacolas Voadoras

Conta a história milenar
Que o homem imortal morreu de amor,
E aquele que nunca chorou por se ferir
Chora ao ver da vida a grande dor.

Deus fez o homem
Pensando em fazer anjos sem asas
E quis nos dar liberdade e opção;
Mas voar nos faz tanta vontade
Que compensamos nossa realidade
Com a ganância e a ambição.

O desejo de voar sem asas nos fez diferentes,
Nascemos como sacolas voadoras, somente.
Levadas por ventos que não conhecemos
Nós próprios não sabemos onde estamos
Tão pouco sabemos o que queremos.
Não sabemos nossos fins,
- Sacolas Voadoras

Nem mesmo se chegaremos;
Somos sacolas voadoras
Inconseqüentes e sonhadoras.

Somente quando a ultima árvore for derrubada,
Somente quando o ultimo animal perder seu nome,
Somente quando a ultima maçã da ultima macieira for comida
O homem entenderá que o dinheiro não se come.

F Otávio M Silva

A morte
O amor que nasceu no olhar, morreu nele mesmo. Por que ele nem se criou, só destruiu o que tinha se iniciado a aparecer.
Este amor que morreu, renasceu novamente, mas com um nome; ódio.
Ele se tornou mais forte, pois agora ele não precisaria chorar por mais ninguém. Agora ele fazia as pessoas chorarem.
O olhar ficou no mesmo lugar onde estava, pois ficou traumatizado com a dor que sentiu quando o amor foi destruído.
Ai por isso deve se dar para concluir, que o amor não serve pára alegrar, serve somente para fazer sofrer.
Pois quem ama de mais, so cria uma ilusão caótica e uma expectativa inútil de achar que o amor e bom. O tempo vai passando e as pessoas vão percebendo que cultivando ele dentro de si, estão criando algo muito mais poderoso que o amor; que e o ódio.

Robert Lemes

5-A morte da felicidade

Hoje o dia não amanheceu
A felicidade morreu
O meu amor se foi, desapareceu.

Meu coração está em pedaços
Minha visão está turva
Minha boca não sente mais o doce gosto da uva

Nossos sonhos agora estão no passado.
Meu encanto está despedaçado
Ao passo que, por ti, não sou mais amado.

Agora, só me resta a solidão.
Devolva minha vida!
Para que eu não morra na desilusão

Sergio Zamproni

Nosso sonho morreu. Devagarinho,
Rezemos uma prece doce e triste
Por alma desse sonho! Vá… baixinho…
Por esse sonho, amor, que não existe!

Vamos encher-lhe o seu caixão dolente
De roxas violetas; triste cor!
Triste como ele, nascido ao sol poente,
O nosso sonho… ai!… reza baixo… amor…

Foste tu que o mataste! E foi sorrindo,
Foi sorrindo e cantando alegremente,
Que tu mataste o nosso sonho lindo!

Nosso sonho morreu… Reza mansinho…
Ai, talvez que rezando, docemente,
O nosso sonho acorde… mais baixinho…

Florbela Espanca

MERCEDES: GRACIAS A LA VIDA!

Morreu Mercedes Sosa, a voz das veias abertas da América morena.
Cantora que fez os corpos de tantos amedrontados se mobilizarem para resistência.
Nos pesados anos de chumbo, os que optaram pela força do fuzil entenderam, e com razão, que suas músicas lhes eram mais perigosas que a luta armada. Por isso, trataram de prendê-la , e deportá-la.
Erraram ao perceber que ela se tornaria ícone de “una Hermana mas hermosa que se chama liberdade”
Erraram também ao não imaginarem que quanto mais as botas pesadas lhe espezinhasse, tanto mais forte ela deixava sair de sua voz e de seu bumbo-engajado, os versos e a alma do poeta :
“Os poderosos podem matar uma, duas ou três flores, mas não podem impedir a chega da primavera”.
Assisti “ la Negra” no teatro Guaíra, quando ela voltava de seu exílio em Paris e Madri. Período de redemocratização do Brasil. Período que estavam voltando as flores. O teatro veio abaixo quando ela cantou

Yo tengo tantos hermanos
Que no los puedo contar
En el valle en la montaña
En la pampa y en el mar
Cada cual con sus trabajos
Con sus sueños cada cual
Con la esperanza delante
Con los recuerdos detrás
Yo tengo tantos hermanos
Que no los puedo contar

Morreu Mercedes Sosa nessa primavera. Sua voz está mais florida que nunca!
Algumas de suas utopias se concretizaram. Outras ainda nascerão de suas canções pois estas não podem morrer jamais.
Eu que um dia a vi esta guerreira ao vivo, continuo ouvindo-a quando empunho meu violão para cantar a canção que traduz o nome de Mercedes: “Gracias a la vida que me há dado tanto...”!

Carlos Alberto Rodrigues Alves

Jesus morreu aos 72 anos e não criou nenhuma religião, e o que diz um post no Diário de S.paulo,cometem!?
Jesus morreu aos 72 anos e não criou nenhuma religião, e o que diz um post no Diário de S.paulo,cometem!?





No post anterior, abordamos a teoria que Jesus não morreu na cruz, embora tenha sido crucificado. Há duas correntes entre os que defendem essa versão da história. A primeira é a de que Ele viveu num mosteiro dos essênios em Monte Carmelo até os 72 anos de idade, quando ocorreu sua transição para outro plano. A outra vertente diz que ele se retirou para a Caxemira, na Índia, onde também viveu até o fim de sua vida. Na primeira versão, não há menções a que ele tivesse constituído família, como existe na segunda versão e foi até mencionado por internautas. A alegação de que o filho de Deus tenha casado e constituído família é outra idéia que, ainda hoje, choca alguns. Mas vale insistir, como defendem os que acreditam na morte muito tempo depois da cruz, que o fato de Ele não ter perecido na ocasião não diminui em nada a importância do trabalho feito por Ele em prol da humanidade e o brilho de uma personalidade excepcional, mesmo entre os grandes mestres e iniciados.







Vale lembrar, também, que não foi Jesus quem criou as religiões cristãs, como a católica. Embora Jesus tenha preparado seus discípulos para continuar propagando suas palavras, ele não defendeu a existência de uma religião, no sentido de se estabelecer uma instituição com dirigentes, deveres, dogmas etc. Tudo isso foi criado depois, o que poderia fazer com que se "ajustassem" os fatos. E muitas coisas envolvendo a vida do Mestre foram estabelecidas muito tempo depois.







Aliás, não só Jesus como os outros três grandes Mestres - Moisés, Buda e Maomé -, cujas palavras e vidas inspiraram o surgimento de religiões, também não defenderam a criação de uma nova religião. Os homens se encarregaram disso.

wilson de Oliveira Vieira

Não quero morte natural. Tipo, ele dormiu e morreu, morreu de gripe, infarto fulminante, morreu aos 80. Quero morte marcante, quero morrer trabalhando ou fazendo amor, e se possível, fazendo os dois juntos.

Por certo, ainda depois de morto, hão de falar de mim. Piadas talvez, cochichos...
Outro talvez é que descubram alguns segredos. Mas nessa altura do campeonato, eu já não estou mais nem aí, juro! Prova disso, confesso que fui eu quem matou o gato da vizinha... Bem que no olhar do danado, tinha mesmo uma promessa de vingança.

Aproveito também para declarar meu testamento,
deixo o que sobrou do bolo de ontem para minha querida sogra.
No meu último suspiro, Charles revelou que a história do veneno não era uma brincadeira.

E faço um único pedido - a todos!
Depois do velório, parem imediatamente de encenar,
vocês ficam horríveis chorando, desse jeito não consigo apresentar ninguém pra Deus.

No mais, sigam em frente,
ao chegarem em casa, haverão cartas da caixinha dos correios... Contas á pagar.

Kléber Novartes

Depois que aconteceu,
não quero nem lembrar.
Você pra mim morreu,
Tenho que acustumar
E depois, é normal
Não pode ser tão ruim
Não quero falar mal mais, talvez melhor assim!
Achar um outro alguém
não vai ser fácil não,
Mas ficar sem ninguém
é a pura solidão
Não quero a solidão
Prefiro ate morrer
A furia do meu coração
Não me trará você
Mas, pra que eu vou viver
Se não for, se não for por você
E não dá ja tentei esquecer
Ilusão pra mim é você

Juliana Fernandes

Quanto mais eu tento fazer o bem
mais decepção vêm,
minha esperança morreu,
e eu digo fudeu!

Sem você sou nada;
falar que não me amava
era o que eu desejava,
para descansar em paz
pois,
não fui um bom rapaz

Quem errou afinal?
Culpa do destino banal?

Sinto seu perfume em todo lugar
lembro de você e começo a sonhar
nesse sonho eu gostaria
falar tudo o que eu sentia

Tudo acabou de repente
e ainda falam que eu não sou homem decente...
continuar, eu queria,
mais assim é a vida.

Matheus dos Santos Silva

Nunca mais deixe o medo consumir sua energia...

Quantas vezes você já morreu por dentro ao permitir que o medo falasse mais alto em sua vida? Quantas portas você está deixando de abrir por medo de se arriscar? E as oportunidades perdidas, heim!

Enfrente todos os seus medos pois essa é a melhor maneira de vencê-los. E enfrentar significa abrir as portas, abaixar a guarda.... Significa viver, respirar... Significa se permitir, experimentar, sonhar...Significa ter de volta o desejo de ter planos e sonhos! Enfrentar os medos talvez signifique apenas ouvir a voz que vem do coração!

Até quando os seus fantasmas ficarão te impedindo de ter uma vida inteira, completa, digna?

Encare de frente a sua realidade, os seus desafios, os seus medos. Nunca mais permita que o medo de fracassar seja maior do que os seus sonhos! E quanto ao desconhecido, ao futuro, deixe-o em seu devido lugar, acalmando os pensamentos que projeta insegurança e pessimismo. Pare de sentir medo do novo, do desconhecido! Pare de sentir medo de errar! Você bem que poderia viver mais livre, né? Não dê tanto poder assim aos medos que você carrega. Você sempre será muito mais poderoso, muito mais forte do que qualquer coisa, viu?

O medo tem o poder de inferiorizar as pessoas. O medo é como um veneno que paralisa, bloqueia, desgasta, cansa e pode impedir você de buscar os seus sonhos. Nunca mais se sinta inferiorizado, tá? Nunca mais deixe o medo consumir sua energia, seu tempo, sua esperança, sua vida! E se o medo é um "bicho papão", lembre-se que quem tem medo de "bicho papão" são os pequeninos, as crianças. Exatamente por serem crianças e por terem vivido muito pouco. Mas você não é mais criança! Pare de ser derrotado antes mesmo do início da luta, ok?

E se o medo contagia e se multiplica, então você já sabe que tem uma missão de ajudar aqueles que estão colocando tudo a perder por causa dos seus fantasmas, dos medos, por causa do imaginário.

Faça tudo para ser feliz! Faça tudo por você! E tudo com emoção! Sem medos!

Bom Dia! Bom Divertimento! Conte sempre com o Amor de Deus por você, tá?

"De agora em diante, não permita mais que qualquer medo prejudique a sua vida, deixando de fazer as coisas como precisam serem feitas"

Luis Carlos Mazzini

Parte de Mim que Morreu


Há uma parte de mim,
um mistério, impropério em mim
que me flui como água,
onde o teu corpo nada
e acaba se misturando ao meu.

Há um bocado de mim,
multidão, uma confusão em mim
protestando pelas praças,
deixando um eco por onde passa;
por causa do teu adeus.

E não há sentido maior;
não há covardia maior.
do que se esconder em palavras,
mas quando os gestos viram farsas
não há nada mais vivo que o amor que morreu.

Moisés Bentes

Ela Morreu de amor, e eu de que?

Parece-me que vou morrer de amor, quais sentimentos abatem-me desde já.
Procuro dentro e fora a razão obvia do amor matar.
Morrer de amor!
O Amor também mata.
O Amor parte... O amor criou a dor indelével
Queu não queria amar você assim, com esse nó, e essa prece sem fé, como a noite que rouba a cidade do dia com sua imensa escuridão, como quem pernas usam, correndo do medo do nada da imaginação, como quem dorme sem sono pro corpo sonhar, como quem usa o inusavel pra chamar atenção, como quem rir na aflição pra não chorar.

Parece-me que vou morrer
De amor
O amor vai me matar. e sempre será o amor e nunca deixará de ser amor, mesmo se o amor me matar, eu vou amar-lo.

Renato Lima