Carta de Despedida

Cerca de 338 carta de Despedida

LIVRE DE VOCÊ

Demétrio Sena, Magé - RJ.

Resolvi me despedir
Da despedida;
Ficar próximo do perto;
Desertar-me do deserto;
Só viver do que tem vida.
Já me calo pro silêncio
Da fala morta,
Que não diz enquanto fala,
Pois deixei de fazer sala
Atrás da porta.
Consegui me desatar
De quem se ata
Ou não ata nem desata,
Só mata o tempo
De ser ou ser...
Entendi que a solidão
É solidária,
Que nem mesmo a solitária
Será prisão
Pra quem é livre.

Demétrio Sena - Magé-RJ.

A despedida.
Ei, não se assuste ao se dar conta de que desta vez é para sempre...
Confesso que agi premeditadamente. Que calculei cada passo, e que desta vez não quis me dar demais... É que esse sentimento está me arrebentando por dentro...
Tá tudo tão estranho e confuso. Sou limão e você laranja, ambos pela metade, mas até que gosto da sua acidez que de certa forma me completa.
Mas ficou complicado, ser metade em tudo. Já me basta que você ser limão e eu laranja...
Dividir noites, finais de semana... Dividir você com ela é complicado.
Então meu amor, estou indo...
Desta vez para sempre, sem despedidas...
Como disse antes agi premeditadamente... Quis me despedir de você... Quis deixar registrado o nosso melhor momento, as trocas de olhar, as palavras sussurradas enquanto nos amávamos e depois aquele silêncio de dois seres que de certa forma se completam.
Talvez você nem sinta a minha falta, ou talvez sinta, eu sei que sentirá...
Mas um de nós teria que tomar essa atitude, a de deixar que o outro seguisse em frente...
Faço isso por você... Fiz por nós!
Jamais imaginei que teria que lhe dizer adeus para que pudesse vê-lo feliz!
Acho que o verdadeiro amor assim não é... Liberta!
Adeus.

Alessandra Benete

UMA CARTA DE DESPEDIDA***ESQUECI VOCÊ***

PORQUE VOCÊ, ESTÁ ME OLHANDO ASSIM,
SE TEM AO LADO QUEM VOCÊ PROCUROU?
EU CONSEGUI, O QUE É MELHOR PRA MIM
EU ESQUECI VOCÊ, QUE ME MALTRATOU,QUE ME HUMILHOU
VOCÊ NÃO QUIZ, O MEU AMOR
ACHOU POBRE DEMAIS, SEM VALOR
VOCÊ PRECISA, ME ENTENDER
EU CONSEGUI, POR VOCÊ NÃO MAIS SOFRER
VOCÊ UM DIA FOI, TODA A RAZÃO
QUE TIVE EM MINHA VIDA PARA SORRIR
MAS EU NÃO PENSEI QUE SEU CORAÇÃO
NÃO CONHECIA O AMOR, SÓ SABIA FINGIR,
SÓ SABIA MENTIR.
VOCÊ NÃO QUIZ, O MEU AMOR, ACHOU POBRE DEMAIS. SEM VALOR.
VOCÊ PRECISA ME ENTENDER, EU CONSEGUI,
POR VOCÊ NÃO MAIS SOFRER,
EU CONSEGUI, LHE ESQUECER.....

COMPOSIÇÃO DE DIVANIL GARCIA.

divanilgarcia

Talvez...

Amahã...
Quando o lirismo do verso
E a rima já desmaiada,
Partirem em despedida.
Na sua incansável afã,
Sobrevoando o universo
No final desata jornada,
Far-se-á bem nais luzida.

Um dia...
Na leveza de um suspiro,
Deixarei a lapidosa
Sob o clarão de uma vela.
Da estrada rude e sombria
E da masmorra me retiro
para surgir grandiosa,
No esplendor de uma estrela.

Talvez...
Surjam novos poemas
Angelicais, quem sabe alados,
Luzentes de felicidade
Como jamais alguém fez...
serão carícias supremas
Mensageiras da saudade,
a te afagarem outra vez.

Sonia Ripoll

A Despedida
E dolorosa
E melancolica
E um procurar e não achar mais
E o fim pra uns e recomeço para outros
Ela sempre está presente ou vai estar em nossas vidas
O fim sempre chega de formas invariaveis
Mas faz parte do percurso
Sempre ficam lembranças boas ou ruins
A despedida fica gravada sempre em nossos corações

Paulo Vinicius Garcez

Eu te digo Adeus!

Com os olhos marejados na despedida...
Com a alma carregada de lembranças...
Mas levarei na memória.. Momentos em que eu te amei!

O tempo parou porque eu te amava...te queria para minha vida
Mas sempre soube que partirias...

Escuta-me amor...
Eu te amei, mas você nunca foi meu!

Hoje tu és apenas uma imagem sem cor... Neste silêncio
que ficou depois de tua partida...dividindo o sofrimento e a dor
com este amor que morre lentamente!

Celina Vasques

Outra Despedida


Essa lágrima eu vou carregar
Sem esconder, mas sem deixá-la escorrer
Essa lágrima eu vou guardar
Pra no seu ombro deixar morrer.

Saudade é sombra que projeta
E faz doer, é egoísmo a crescer
É te recriar em mente, pra não sofrer
É me doar, amor, nos aquecer.

Sei de devemos amar a pessoa,
Eu mais que você. amor,
Meu coração está perdido a te procurar.
“se o achar, segure-o!” – te amando.

Emiliano Lima de Araújo

Era a sua ultima poesia, uma triste despedida.
As suas ultimas letras tornavam-se quase inelegíveis diante de suas lagrimas.

Sobre a melodia de um piano triste, ele escrevia suas ultimas estrofes.
Era a despedida de um poeta.

Em cada canto do seu quarto arquivos tumultuados
Lembranças de toda uma vida.
Taças de vinho espalhadas pelo chão.
Sobre o seu velho cinzeiro, as cinzas de cada trago.

As lembranças davam lugar a um imenso silêncio
É triste ver que seus escritos hoje são apenas arquivos em papeis mofados.
Ele que já não quer mais chorar escrevendo versos tristes.
Sobre a sua já tão surrada rede, o descanso de um poeta.

Não te assustes de mim,
Um dia eu também fui feliz!
É apenas um desabafo,
Que leva em cada letra,uma triste gota de lagrima.
Foi assim que escrevi...
A minha ultima poesia.

Mary Veloso

A despedida fora um dar de mãos... o casal ao lado soube expressar bem o momento: um beijo molhado e demorado como se não houvesse mais amanhã a ser vivido (e quão bom é essa sensação, de quando o tempo não é influenciador de suas emoções, quando o agora fica por dias naqueles minutos; quando o pôr-do-sol para, apenas para dar mais clima ao momento, quando o vento passa aconchegando e faz das pessoas meros vislumbres animados);

[...]

A despedida fora um dar de mãos... mas se os olhos falassem (ora, e pois se não falam!? Gritam as alegorias do coração. Berram os distúrbios da mente. Induzem indelicadamente um profanar de palavras desanexas a sua alma), diriam: fica comigo mais tempo. (Desencontrei-me ao seu encontro)

L. Vyn

No dia em que eu morrer...


No dia em que eu morrer
Desejo uma despedida
Desta vida
Deste mundo
Que seja especial
Marcante, memorável
Uma despedida de verdade.

No dia em que eu morrer
Eu desejo uma tempestade
Muita água caindo
Pra lavar a alma de todos.
Desejo que o medo se vá
E haja muita celebração.
Sim, porque muitos pedem chuva
Mas poucos saem pra se molhar.

No dia em que eu morrer
Desejo que se escreva
No lugar onde eu for colocada
‘Se eu quisesse agradar a homens
Não seria serva de Cristo.’
Porque perdi muito tempo
Tentando agradar pessoas
Superar expectativas
Mostrar resultados
Não decepcionar.
Mas descobri
Que nunca é suficiente
Nem todas as minhas lágrimas
Nem todo o meu trabalho
Nem todo o meu suor
Nem todo o meu sangue
Nem todo o meu esforço
Nada nunca será suficiente
Nada nunca estará bom.
Eu me comprometo com todos
Ninguém tem compromisso comigo.

Se esperei, não esperei o bastante.
Se chorei, ainda foi pouco.
Se trabalhei, ainda há muito por fazer.
Se busquei, não foi da maneira certa.
Se sofri, tem coisa pior.

Mas no dia em que eu morrer
Irei para os braços dAquele
Para quem eu nunca precisei provar nada
A quem eu agradei dormindo
De quem tirei um sorriso com uma piada
Que me entendeu e não me condenou por isso.
Ele nunca me exigiria
O que as pessoas me exigem.
Ele nunca me condenaria
Pelas escolhas que me forçam a evitar
Mesmo que eu não saiba como buscá-lO
Ele sabe como me encontrar.

Por isso
No dia em que eu morrer
Não quero agradar ninguém.

Angela Natel

ABENÇOO

Saúdo o dom da vida
Aquela que me trouxe aqui
Quando chegar a hora despedida
Vou testemunhar o que vivi!

Foram anos tentando acertar
Mas o mistério da vida fora mais forte
Há mais beleza em seguir e confiar
Do que tentar a sorte!

Apenas existe um lugar
Aonde eu possa tudo descobrir
O segredo está em realizar
A Suprema vontade poder cumprir

Abençoo aquele que conseguiu me iluminar
Abrindo seu coração para que pudesse compreender
A grandeza manifestar
Com carinho e atenção entender

Trouxe-me para bem perto
Comigo conversou enfim
Apresentou o correto
E disse que tudo tem começo e fim

Transbordando de felicidade
Revelou toda sua coragem e saber
Coração de ouro em bondade
Energia e poder!

Ao meu Pai agradeço
Não sei se mereço
Essa graça receber
Tanto amor e bem querer!

Ao meu Pai agradeço
O valor que não tem preço
Caminho para a vós eu chegar
Um cantinho no meu coração para vós eu amar!

Samuel Ranner

Despedida

Amor... Não se despediu ao ir embora
Talvez soubesse que um abraço evitaria a despedida
Que ouviria aquelas palavras que esperara
Tanto tempo para ouvir, que nunca foram ditas.

Uma despedida sem olhar para trás
Sem um beijo no rosto, se cuida, fica bem...
Talvez soubesse que qualquer gesto evitaria a despedida
Que uma lagrima surgiria nos olhos.

Foi embora, sem dizer uma palavra, sem hesitar.

A.J.Hilzendeger

Soneto de Despedida

Da primeira vez ocorreu impetuoso
oprimiu a calma feito um louco
violentando meu ser pouco a pouco
fez dos meus olhos secos aquoso.

Da segunda vez ocorreu a esmo
resumiu o caminho eterno a colisão
assassinou friamente a paixão
fez dos meus olhos amantes ermo.

Enquanto teus olhos brilhavam aos meus
o choro, a sofreguidão, o impeto que ocorreu
era claro meus olhos ainda eram teus

Quando meus olhos se perderam aos teus
a morte, a colisão, o ermo que ocorreu
era claro teus olhos não eram mais os meus

Julio Leoncini

Mensagem de despedida aos amigos
Até aqui viajamos juntos.
Passaram vilas e cidades, cachoeiras e rios, bosques e florestas...
Não faltaram os grandes obstáculos.
Freqüentes foram as cercas, ajudando a transpor abismos...
As subidas e descidas foram realidade sempre presente.
Juntos, percorremos retas, nos apoiamos nas curvas, descobrimos cidades...
Chegou o momento de cada um seguir viagem sozinho...
Que as experiências compartilhadas no percurso até aqui sejam a alavanca para
alcançarmos a alegria de chegarao destino projetado.
A nossa saudade e a nossa esperança de um reencontro aosque, por vários
motivos, nos deixaram, seguindooutros caminhos.
O nosso agradecimento àqueles que, mesmo de fora, mas sempre presentes, nos
quiseram bem e nos apoiaram nos bons e nos maus momentos.
Dividam conosco os méritos desta conquista, porque ela também pertence a
vocês. Uma despedida é necessária antes de podermos nos encontrar outra vez.
Que nossas despedidas sejam um eterno reencontro

Tomás Sansão Muianga

JOVEM DESPEDIDA

Todos os dias vejo sua foto empoeirada
E como um relâmpago lhe vejo sentada
O passado me vem à tona, emancipada
Você levanta, corria e me abraçava, caída

Alguns minutos depois, ao meu lado estava
Com um lindo sorriso, tudo intimidava
Mesmo as flores mais belas quando caminhava
Se possível curvariam-se enquanto as fitava

Sua pele branca refletia a luz do entardecer
Seu jeito tão delicado ia desaparecer
Com todo o meu sofrimento, antes de conhecer

Você, eu era totalmente vazio, preenchido
Estava, mas com um beijo, e longe um aceno
Ela se foi, e com tão carinho eu lhe disse “te amo”

Matheus Balbi Gonçalves

CARTÂO POSTAL

Pra que
Sofrer com despedida?
Se quem parte não leva, nem o sol, nem as trevas
E quem fica não esquece
Tudo o que sonhou eu sei
Tudo é tão simples que cabe
Num cartão postal
E se a história de amor não acaba tão mal
O adeus traz a esperança escondida
Pra que sofrer com despedida?
Se só vai quem chegou e quem vem vai partir
Você chora se lamenta, depois vai dormir
Sabe, alguém quando parte é porque outro
Alguém vai chegar num raio de lua, na esquina, no vento ou no mar
O adeus traz a esperança escondida
Pra quê?
Sabe, alguém quando parte é porque outro
Alguém vai chegar num raio de lua, na esquina, no vento ou no mar
Pra que querer ensinar a vida?
Pra que so...frer?

Rita Lee e Paulo Coelho

Despedida

Eu sou um de muitos que já passaram, e que ainda vão passar por esta terra,
Deixando pra trás um rastro de existência.
Um louco tentando escapar do absurdo coletivo.
Mais um medíocre aos olhos da humanidade.
Caminho sem rumo, sem direção a procura de uma ilusão, ao qual eu possa,
Chamar de amor.
Assim vou vivendo, queimando pouco a pouco, os sonhos que ainda me restam.
Digerindo a falsidade que me rodeia, rindo sozinho da demência humana.
Meus amigos são poucos, minhas conquistas menos ainda.
Mas minha coragem ainda triunfa, escondida na minha misericórdia.
E o corte da minha espada ainda se faz presente, dilacerando a altivez de quem ousar atravancar o meu caminho.
Vou-me assim vivendo, apenas com a pureza de um recém nascido.
Comprarei uma casa na montanha, distante de tudo e de todos.
Onde quem sabe em uma tarde fria de inverno ver-te-ei meu rosto refletido.
Em uma pequena poça de água formada pelas lagrimas que chorarei pela manha,
Ela me mostrara todos os anos que já se foram embora, darei meu ultimo suspiro, e um sorriso simples cansado pelo tempo, um estrondo ira cortar o silêncio quase angelical.
Logo após depois de uma imensa espera, finalmente irei acordar do sonho da vida.

Anjo de Galochas

Galope da despedida

Disse a sua princesa:
Logo voltarei, logo estarei aqui
Mas a sua tristeza
Não a deixava permitir


Quero que me leve
No galopar do seu cavalo
E me dizer que a mim tu queres
De estar, pra sempre do meu lado
Meu bem


Eu sei que feliz tu não estais
Leva o meu sabor, o meu clamor
Comigo fica a ausência e nossa dor
Mas o meu coração contigo vai

Halany Gomes

Estigma
Daqui, parto só, para as sobras que me aguardam algures.
Aceita minha despedida pobre Mãe,
Não mais verás a face algoz de teu intruso uterino,
Não mais penarás nos degraus da Santa Morada, onde,
De estômago fraco, concebeste-me a embriaguez,
Que por muitas e muitas eras, fizeste-me crer a ilusão.
E me fui inteiro fiel às tuas pragmáticas salabórdias.
Grande besta é o que fui, ainda que menos malogrado, porque cego.
Mas eu te peço, aceita meu insólito adeus,
Garanto-te, minha Mãe, será o último, e o último há de ser.
Cansei-me das indulgências, e das lágrimas derramadas
Por Madalenas inexistentes.
Hoje dou a face às pedradas, pagarei pelos cuspes não dados,
E cantarei os ensinamentos de Blake na terra da posteridade.
Benditos sejam os sacrossantos Provérbios do Inferno,
E amaldiçoados os que não os creem, pois estes são tão lineares
Quanto a própria existência imunda.

Manolo

O coração do poeta precisa de alguém
Que não queira despedida
Que seja pro fim da vida
Que tranque todas as saídas
E lá dentro só nós dois e Deus

O coração do poeta precisa de um amor
Que seja singular na trilha
Que seja sem armadilha
E no momento em turbulência
Seremos nós dois e Deus

Barquinho de papel no riacho a bailar
Seremos o nosso alguém
Depois que o meu Deus confirmar o amor
Então seremos felizes poetas

Irmão Lazaro e Danilo Souza