Carta de Despedida

Cerca de 274 carta de Despedida

Dessa vez eu quero escrever uma carta para você.
Mas não é uma carta de despedida
É uma carta te desejando boas vindas ao que eu sempre te dizia que iria acontecer.
Você realmente pode me ver? Eu estou ferida, insegura, desprotegida,
Pensando em todas as coisas que nunca serei capaz de esquecer
Você era tudo o que eu conhecia e quando você me dizia: Amor é capaz de tudo
Eu pensava que poderiamos ser.

Karol Amorim

Despedida

Despeço-me então de ti
Cidade querida onde um dia nasci
E rumo para um rio que não corre
Voa
Entregar-me aqueles que não amam
Zoam
Entregar-me a mim

Tudo a frente é incerto
Vejo um vasto deserto
Se apresentar e confesso
Que não estou triste
Mas posso ficar

Seu perfume me motiva
E me intriga
Não sei se vou suportar
Deixar-te aqui
Entregue a quem quiser
Ou aqui ficar sem poder me entregar

Se eu vou
Eu me mudo
Mudo de mundo
Mas volto pra cá
Para rever-te então
Com toda a amizade
Por minha querida cidade
Que sempre me acolherá

E encontrarei nas ruas e vielas
Moças bonitas
Mulheres belas

E já estarei sorrindo
Por motivos mesquinhos.
Mas voltarei talvez, triste.
Com alguém que insiste
Em num erro acertar

Lucio Medina

Desencontro

Sempre que um chega o outro dá a partida
Não quero ser o encontro dessa despedida
Quando acontece assim agente perde a vida
O coração vive pensando que o outro quer
Mais é uma ligeira vontade só fingida
O coração do homem precisa da mulher
Pense no que você ainda pode ter
Lembre-se se não quer perder
Amor não se joga fora
Ande venha logo não demora
Pois o meu coração chora
De saudade de você.
Quase perco o dia e sempre perco as noites
Não faça assim comigo
Dentro desse coração
Existe um sentimento que você criou.
Não me faça desistir de amar você
Mesmo que um chega o outro dá partida
Meu coração não já não pode te perder.

Reff Carvalho

Último dia do Ano... Preparativos prontos pras festas de despedida de 2012, saudosismos e expectativas explodem como os fogos dentro de cada um de nós... Um novo ano, os sonhos esquecidos são trazidos pelos pensamentos, e sonhos novos borbulham como a champanhe que teima em fazer parte da nossa comemoração.
Este ano quero mais do que isto, mais que os sonhos são a metas, e o esforço do trajeto até alcança-las... Traçar esta meta é uma atitude de coragem, sacrificaremos finais de semanas, ou realizações de desejos supérfluos. É tornar-se responsável pela própria sorte que trabalhará junto com seu empenho.
2013 será um ano intenso.
Conhecer e esquecer pessoas...
Desfazer e obter, dar e receber, conhecer e reconhecer...
Máscaras vão cair... Desejos não serão mais o combustível do moinho da vida, mas os OBJETIVOS... Desejos são vulcões, Objetivos são montanhas fixas e inabaláveis.
Desejo aos meus amigos e familiares, uma Meta nova, persistência, gratidão, e paz...
Maturidade, serenidade, e sagacidade...
Desejo um simples, mas realizado ano, com coragem de ler a si próprio e respeitar o outro.
Deus está Conosco, Ele é fé, É Amor, e quem tem fé tem paz, quem tem amor não faz guerra.
Felicidades! Saúde! Prosperidade! Sucesso!
São meus sinceros votos a todos vocês e também a mim...

Rizza de Morais

Ao voltar de Juiz de Fora,
sempre sou outra:
redescubro no olhar
o rosto da última despedida.

Não estar perto dos meus entes querido
me torna uma mulher forte, pois
posso aguardar nos meandros do tempo,
enquanto não os vejo; refaço
os contornos dos olhos de cada um
e espero a imagem se dissolver
e se recompor novamente.

E assim vou seguindo:
Com o relógio se detendo
sobre as horas vivas
quando colho o calor
e me aqueço em silêncio.

Rosemary Chaia

Sufocado por essa falta de entendimento, tendo o maior desconforto no fim do caminho;
A despedida pode não ser tão dolorosa, sem ensaios na frente do espelho que possam criar um teatro tão dramático;
Impenetrável são os sentimentos que ao início se fez com tão frágil promessas, pensamentos confusos que resultou em frustração;

Julio Aukay

CORDEL DE NOVELAS

Belíssima Despedida de solteiro
A próxima vítima O rei do gado
O profeta Roque santeiro
Sassaricando O bem amado

Cabocla Da cor do pecado
A favorita Estrela guia
O astro Cordel encantado
A padroeira Eterna magia

Alma gêmea As três Marias
A sucessora Vereda tropical
Mulheres de areia Maria Maria
Selva de pedra Lua de cristal

Olho no olho Pecado capital
O amor está no ar
Salomé Fera radical
Escrava Isaura Livre para voar

Aquele beijo Toma lá da cá
Carinhoso Sabor da paixão
Corpo a corpo Direito de amar
Final feliz Explode coração

Pedra sobre pedra O casarão
Terra nostra O mapa da mina
Dancin days A próxima atração
Cambalacho Negócio da China

Feijão maravilha Gina
A gata comeu Marron glacê
Anjo mau gente fina
Tiêta Voltei pra você

Roda de fogo Bambolê
Laços de família Esplendor
Começar de novo Renascer
Amor eterno amor

Mandala Vila Madalena
Torre de babel Escalada
Deus nos acuda Helena
Minha doce namorada

Eu prometo A viagem
Viver a vida Um sonho a mais
Vida nova Irmãos coragem
A sombra dos laranjais

América Pátria minha
Paraíso Tropicaliente
Gabriela a Moreninha
Por amor A vida da gente

Chega mais cama de gato
Beleza pura felicidade
Mico preto Bicho do mato
O dono do mundo celebridade

Um anjo que caiu do céu
Fina estampa sete pecados
Dona Xepa Barriga de aluguel
De corpo e alma Coração alado

Baila comigo Estúpido cupido
O amor é nosso Passione
O noviço O homem proibido
Tempos modernos O clone

Quatro por quatro Locomotivas
Louco amor Pecado rasgado
Como uma onda Água viva
Sol de verão corpo dourado

Sinhá moça Meu bem querer
Perigosas peruas Vira lata
Senhora do destino Quem é você
Zazá Rainha da sucata

Fogo sobre terra Bang bang
Porto dos milagres Araguaia
Jogo da vida Pacto de sangue
Era uma vez Saramandaia

De quina pra lua Brilhante
Marina Meu bem meu mal
Pai herói Coração de estudante
Cubanacan Paraíso tropical

Sinhazinha flô Desejo proibido
O primeiro amor Hipertensão
Partido alto Sétimo sentido
Vale tudo insensato coração

O outro Anjo de mim
Morde e assopra Padre Tião
Pé na jaca terras do sem fim
Meu pedacinho de chão

O cravo e a Rosa Duas vidas
Te contei Que Rei sou eu
O semiDeus fera ferida
As três irmãs Sonho meu.

Guibson Medeiros

A Despedida

É necessário que eu me prepare para a despedida...
Você me conquistou e me ensinou a te amar.
Porém eu não posso ser egoísta, prefiro te ter longe, mas feliz conquistando teus sonhos.
Quando o seu coração quiser saber do meu não existe em me procurar.
A separação já vem acontecendo há algum tempo, nossas atitudes foram todas para nos prevenir da dor da separação, mas mesmo assim ela foi em vão, pois ainda consigo sentir a dor da ausência embalada na saudade.

Rosicler Ceschin

A despedida

Afinal tudo aconteceu como eu previa, só não podia acreditar. Aquela mesma história triste se repetiu. Bastou que eu fexasse os olhos por um único instante pra ver você partir assim tão fácil, da mesma forma como apareceu. Foi só eu soltar tuas mãos por um segundo pra ter que te ver caminhando em outra direção. Naquele dia eu ia te dizer como você era perfeito, mas não havia mais tempo. Não, eu não estou triste, eu sei que você também me quis, talvez não com tanta intensidade, mas quis. Eu queria te falar como as coisas passaram a ser tão claras depois que você surgiu, mas você não pôde me ouvir. Não se preocupe, todas as palavras que eu falei naquele dia com certeza serão esquecidas. E eu não estou falando de amnésia. Só vão restar as cicatrizes, estas nunca somem. Você não terá mais que ouvir minhas palavras, no final não vai restar mais nada. Eu só queria uma história diferente pra construir.

Jullie Alves

Não era uma simples despedida, ali havia amor.

-Luci, você vai ficar bem?
-Sim (olhos cheios d'água)
-Boa sorte pra você, torço para dar tudo certo.
-Obrigada! Bem... Ton, eu queria te dizer, que, pode me visitar quando quiser.
-Irei só se você quiser.
-Então se eu pedir você vai me visitar?
-Sim.
-Por que você não vai junto comigo? Assim não precisarei te ligar amanhã pedindo pra que vá me vê.
-Era isso que eu queria ouvir... (ela o interrompe)
-Mas você não viu isso em meus olhos?
-Vi, mas queria ter certeza, antes de largar tudo pra ficar com você. Eu te amo Luci.
-Eu te amo Ton.

Deixou de ser uma despedida pra ser uma decisão de amor.

Gabriela Stacul

Lições na Despedida de Jacó e José

Quando José foi notificado que Jacó, seu pai estava enfermo, ele partiu imediatamente para a terra de Gósen conduzindo consigo seus filhos Efraim e Manassés.
O fato de ter levado seus filhos é indicador de que a notícia que lhe foi dada informava que a enfermidade de seu pai era para morte.
Quando Jacó soube que José viera visitá-lo ele se esforçou e se assentou no seu leito de enfermidade para recepcionar o seu filho.
Ele se esforçou e foi fortalecido por Deus para abençoar com bênçãos proféticas que lhes foram dadas naquela ocasião pelo Senhor, não somente a José e seus filhos, como a todos os seus demais filhos.
A graça elegeu os dois filhos de José para serem considerados como filhos do próprio Jacó, para que tivessem herança na terra de Canaã (48.5).
A grandeza de hoje amanhã já não o será.
A honra de José duraria por um tempo no Egito, mas os descendentes de seus filhos viriam a compartilhar do cativeiro dos israelitas juntamente com todos os demais descendentes dos irmãos de José, pois este, apesar de estar em honra no Egito, continuava sendo um hebreu, e assim também seriam considerados os filhos que ele havia gerado.
A glória do Egito seria submetida aos juízos de Deus, cerca de quatrocentos anos depois de José, e os descendentes de seus filhos Efraim e Manassés estariam sendo livrados do cativeiro pela poderosa mão do Senhor para retornarem a Canaã, juntamente com as demais tribos de Israel.
Assim, o que parecia fraqueza na pessoa de Jacó e sua condição no Egito, e o que parecia grandeza no governo e honra de José, viria a ser invertido com o passar do tempo, e assim, as bênçãos de Jacó para José e seus filhos eram muito preciosas e melhores do que a presente condição deles no Egito.
Quem não contempla o futuro poderia se perguntar qual o valor da bênção de um homem velho e doente para o seu filho rico e poderoso?
Por que precisariam seus netos da sua bênção, sendo filhos de um pai que tinha a importância de José?
Mas o grande fato é que José não andava por vista, mas por fé, e ele contemplou a grandeza das promessas de Deus sobre a vida de seu pai e de seus descendentes.
Sendo governante sobre toda a terra, ele vem à presença de Jacó em sua fraqueza e velhice, e se inclina em terra perante ele (48.12).
Na verdade, como disse Jesus, o valor de uma pessoa não consiste na quantidade de bens que ela possui.
José sabia que era a seu pai que as promessas pertenciam, e eles seriam participantes daquelas bênçãos pelo que havia sido prometido por Deus a ele, e a Isaque e a Abraão, antes dele.
Por isso Jacó foi diretamente ao assunto com José, sabendo que estava às portas da morte, dizendo que Deus lhe havia aparecido em Luz, que é Betel, em Canaã e o havia abençoado e feito a promessa de torná-lo fecundo, e de multiplicá-lo, tornando-o uma multidão de povos, e que daria por possessão perpétua à sua descendência a terra de Canaã (48.3,4).
José creu nas palavras de seu pai, e por isso deu ordem aos seus descendentes que quando Deus os visitasse para levá-los do Egito para Canaã, eles levariam juntamente com eles os seus ossos que estariam guardados no Egito.
Os ossos de José foram enterrados em Siquém, na terra que Jacó havia comprado a Hamor, pai de Siquém, nos dias de Josué (Jos 24.32).
Os olhos de Jacó estavam escurecidos pela sua avançada idade, mas ele não agia pela vista nas coisas referentes a Deus, mas pela fé, e por isso não confiou pelo julgamento dos olhos quando abençoou os filhos de José, mas pela direção e mover do Espírito, porque em vez de colocar a mão direita sobre a cabeça do primogênito (Manassés), colocou-a sobre a cabeça do mais moço, e quando José alertou-lhe sobre o que havia feito, ele não mudou a posição da mão por ter permanecido firme na direção e autoridade que estava sobre ele naquela hora, e não sobre José, e disse-lhe que Efraim viria a ser um povo maior do que a descendência de Manassés (48.19).
É importante destacar que antes de Jacó abençoá-los, em José, ele proferiu a seguinte introdução:
“O Deus, em cuja presença andaram meus pais Abraão e Isaque, o Deus que me sustentou durante a minha vida até este dia, o Anjo que me tem livrado de todo mal, abençoe estes rapazes; seja neles chamado o meu nome, e o nome de meus pais Abraão e Isaque; e cresçam em multidão no meio da terra.” (Gên 48.15,16).
Assim, Jacó destaca as experiências que ele tivera da bondade de Deus para com ele.
As visitas particulares da Sua graça a ele, e a comunhão especial que tivera com ele e da qual não havia se esquecido.
Cita também o cuidado constante da providência divina para com ele durante todos os dias da sua vida.
O Anjo do Senhor lhe havia livrado de todo o mal.
Apesar dos seus muitos sofrimentos Deus lhe havia graciosamente guardado em todas as suas dificuldades.
Agora em sua morte, ele estava considerando que seria livrado para sempre de todo o mal, e já não haveria mais pecados pelos quais ter que se entristecer.
O fato de que o nome de Jacó, de Isaque e de Abraão ser chamado sobre Efraim e Manassés, como sinal de serem abençoados de Deus, é importante para nos lembrar que todos os verdadeiros filhos de Deus devem andar no mesmo exemplo de fé dos patriarcas.
Como já dissemos antes, um verdadeiro filho de Abraão deve ter a fé de Abraão e praticar as obras de Abraão, isto é, deve seguir os seus passos.
Um verdadeiro seguidor de Cristo e de seus apóstolos deve seguir nas mesmas pegadas de Cristo e dos apóstolos.
Não é, portanto uma simples questão nominal que está em foco, mas o fato de se ter o mesmo testemunho de vida.
Assim como os patriarcas devotaram suas vidas a fazerem a vontade de Deus, de igual modo os seus descendentes espirituais, isto é, que têm a mesma fé que eles, devem seguir o seu exemplo de devoção a Deus.

Silvio Dutra

Despedida

No descompasso do meu passo apressado,
do jeito,
sem jeito que sou.

Procurando teu abraço,
mais uma vez me perdi,
ao te pedir o teu amor.

Nem choro ,
nem vela,
nem fita amarela....
De nós nada restou.

Na poesia emocionada,
na saudade declarada...
Tudo o que eu tinha pra te dizer,
mas você não escutou.

Shalimar

Shalimar Catramby

Estamos conjugando verbos em tempos e modos diferentes, rastejando uma despedida que até pode nem ser o que queremos. Olha bem pra mim e decide que música pretendes dançar. Pode ser que eu tope. Pode ser que não, mas pelo menos saberei o o ritmo antes de decidir apertar o 'play' ou o 'eject'.

AílaSampaio

AilaSampaio

Meus versos nunca foram tão decorados em uma pré-despedida na qual não te faça arrepender-se ou desistir de ir para nunca mais voltar;
Não parta sem antes perceber os pedaços que me deixa ou não espere os meus lamentos para com os seus deboches poucos significantes;
Porém saiba bem que não te procurarei em qual quer esquina que me dê motivos incabíveis para tentar te trazer de volta;
Espero que algum dia você me veja com a imensa felicidade que outro coração tenha me dado, um belo sorriso no rosto e sensações inexplicáveis;

Julio Aukay

Sábado ****


Já imaginou um adeus sem despedida. Uma declaração não declamada...
Um sorriso não aberto, um choro calado, uma dor escondida...
Já se imaginou no auge da dor e cega pela mesma não se achou...
Encarar o mundo sem o colorido de seus olhos, encarar os dias sem suas palavras...
Transformei-me em pó, nada, poeira...
Como posso seguir sem o adeus... Sem a nossa despedida...
Tenho que calar o beijo que não dei o abraço que não abracei...
Tenho que calar o meu coração que te chama, e grita até sangrar...
Minhas noites tem sido de completa solidão, o meu desabafo sem ninguém para ouvir...
O choro tem sido a demonstração da saudade que sinto aqui em mim... estou me sentindo metade , melhor menos que a metade...
Você me levou contigo, me restou o nada...
Levantar-me sem motivação, viver sem o por quê?
Como posso respirar sem o meu ar...
Perdi-me de casa, mas sei onde ela está...
Agora é aprender tudo de novo, é o mesmo caminho, mas estou a rastejar...
Eu vou me levantar, andar... Mas nunca mais serei a mesma. Você é a minha metade, nunca mais plena será...
O que se faz quando descobre que perdeu o seu norte? Ensinar-me a viver sem você...

felicity Secret

Despedida

Resposta :

Eu deixo você ir, não porque não te quero mais. Mas por saber que no momento já não suprimos a necessidade um do outro e por saber que você precisa de algo melhor. A vida é assim… Deixe chover, deixe vir tempestades e dias sombrios, mas quando as nuvens do céu se abrirem e o sol aparecer iluminando novamente, vou olhar para o arco-íris e lembrar sempre de você, por que você fez parte da minha história.

Hoje já não estou com raiva pelas coisas ruins que aconteceram, muitas das coisas que eu cobrei, ficarão perdidas pra sempre no tempo de nossa existência. E não quero nos tornar meras sombras do que éramos. Não que eu queira voltar ao passado, longe disso, mas não quero viver este presente ingrato, cheio de duvidas, e magoas que eu estava criando e que eu me achava no direito de cobrar. Eu sei que estou errada por pedir além do que você poderia me oferecer, mas eu me encontrava num momento tão difícil da minha vida, que acabei cobrando de quem mesmo distante, se encontrava mais perto de mim. Perdão!

Acho inútil ficar aqui tentando encontrar palavras pra contar uma história que já conhecemos. Hoje como disse no texto a baixo é um outro dia e como um livro de paginas em branco quero reescrever minha história diferente. Agora com uma bagagem maior, acredito que não cometeremos daqui pra frente os mesmo erros com as pessoas que encontraremos pelo caminho. E isso só é valido para livros em branco, com páginas limpas, pois quando as páginas já são rabiscadas, mesmo que passemos uma borracha, sempre ficarão as marcas.

O vídeo é lindo e oportuno, a música traduz bem o que a alma sente.

Espero que seu arco íris não demore aparecer.

Te desejo boa sorte nesse novo caminho que você esta trilhando e obrigada por tudo.(Nov 6th, 2011 3:50pm)

Beijos eternos,

Amah

DESPEDIDA DE UM HERÓI ABALROADO

Na rua desvairada o carro vem em alta velocidade
Ameaça me abalroar, pois me encontro no meio dela.
Dela não saio, quero impor respeito ao valor que meu bairro merece.
Dente de tigre olho de sabre.
Revoltam entre si.
Se revoltam entre os dissociados.
Cambaleia de agonia.
A pancada foi forte, mas nada como deixar
De ir pro inferno sabendo que lá estarei calmo
ao lado do senhor satanás.
Quem de mim sorriu, não sorrirá mais.
O inferno festeja minha chegada!
A vossa desgrassensa que à mim pertencia,
hoje chora.
Foi quase em uma velocidade de 250 quilômetros
que me atingiu.
Meu corpo alem do inferno foi parar 100 metros depois.
Morria ali, na presença de casas, valas, pedestres, veículos, crianças.
sobre o sol que de tão quente fritou minha mente naquele pincho ardente.
Morria no não morrer!
A minha morte não foi o suficiente para mudar nada no bairro
foi apenas o começo de uma grande guerra sem fim próximo.
No cair da chuva e no deslizar das águas nas corredeiras de valas a céu aberto
meu bairro se despedia.
Vivia a reivindicar.
Morri ao protestar.

[Sim, sei!!i O inferno agora tem paz]

Arielson Pinto

Ensaio minha despedida em palavras um tanto indecisas que me fazem duvidar que pudesse me ir embora;
Jurava que o problema que nós passávamos era meu para que você tivesse tempo de me amar com todo o seu querer;
Sempre te exaltei com minhas doces palavras para que você pudesse entender o quanto você tinha valor para mim;
Chorava as taças de vinho deixada sozinha com amores que nunca ouvia o tom da felicidade, mas que nunca havia esperado que se magoasse;

Julio Aukay

Despedida

Jamais sentirei na alma tanto amor.
Minha amada que em sua beleza não existe rival, nos seus olhos vejo a dor que me dilacera a alma,
Peço que não caiam suas lagrimas na minha partida, que não se esqueça de mim, do calor que te dei e do amor que levo em meu coração por você.
Ei de amar-te na minha solidão por toda eternidade!
Não me odeie, apenas me perdoe.
E na minha loucura parto para nunca mais voltar... e viver no desespero de sua perda.

Silmara McGarry

Despedida

Havia sorriso em toda casa
Na sala jogavam com muitos risos
e cartas nas mãos
Anoiteceu novamente o clarão do dia
que se despontava no horizonte
Ainda a continuar com risos constantes
e cartas nas mãos
Mais tarde um adeus ,quando apenas
dizia até mais
Pouco tempo se passou e escuridão
envadiu-se o dia ...
Passaros voavam sobre a casa
do riso de antes
Que tinha cartas nas mãos
Sozinho disse adeus
Pássaros pretos voavam
anuciando sua partida.

Maria Lucia Silva Oliveira