Carta de Despedida

Cerca de 290 carta de Despedida

DESPEDIDA
Vou partindo assim,bem assim
A noite está calma e acordada como sempre
Ela testemunha a minha despedida
Vou levando pouca coisa comigo,agora
Da tua alma peguei um pouco de doçura
E você nem percebeu,pois está adormecida
Quando amanhecer verei o sol de outro lugar
Será estranho,tudo muito estranho
Celebrarei a cada momento aquele lindo anjo
Estou indo mas um fio de mim vai ficando
Não corte ele,se eu me perder vou precisar dele
Vou esperar mais alguns minutos
A dor da despedida está me esperando ali fora
Qual rosa deixarei para você?
Acho que vou deixar todas que eu plantei um dia
Flores ficam mais lindas entre outras flores
Juro que eu queria ficar bem pequenininho
Pra poder ocupar um cantinho pequeno em você
A vela ainda está queimando
A cama está em paz agora depois de tudo divino
Sei que isso não vai se esquecer
Quero que você se lembre daquele paraíso
Quando querer me encontrar estarei lá
Me espere num dia de chuva ou num dia se sol
Vou embora caminhando devagar
Se eu aprender a voar,volto pra te levar até ao céu
Deixe aquelas rosas para mim voltar pra beija-las
Estou saindo de mansinho agora,não quero acorda-la
A nossa canção está acabando
Quando acordar pense em mim
Preparei aquele café que tanto ama
Nem sei o motivo disso tudo,eu não queria ir
Mas agora saio da nossa grande brincadeira
Esse não é o fim do nosso jogo
E se alguma voz vir te dizer,siga o teu coração
Ele te levará até a mim
Sei que chegou a hora, não tem mais solução
Estou te dando nesse momento um beijo na testa
Deixe a porta aberta pra mim...

Guilherme boldrin

A despedida

Chore...
Chore compulsivamente
Feche os olhos
e recorde o quanto foram felizes juntos
fale dele
põe pra fora!
Fique sozinha
e quando for dormir pense nele
sinta saudade
sinta falta
chore... É permitido
é teu este direito da despedida!
E no dia seguinte
saia e divirta-se!
Porque o amor só chega para quem é feliz!

Alessandra Benete

A despedida.
Ei, não se assuste ao se dar conta de que desta vez é para sempre...
Confesso que agi premeditadamente. Que calculei cada passo, e que desta vez não quis me dar demais... É que esse sentimento está me arrebentando por dentro...
Tá tudo tão estranho e confuso. Sou limão e você laranja, ambos pela metade, mas até que gosto da sua acidez que de certa forma me completa.
Mas ficou complicado, ser metade em tudo. Já me basta que você ser limão e eu laranja...
Dividir noites, finais de semana... Dividir você com ela é complicado.
Então meu amor, estou indo...
Desta vez para sempre, sem despedidas...
Como disse antes agi premeditadamente... Quis me despedir de você... Quis deixar registrado o nosso melhor momento, as trocas de olhar, as palavras sussurradas enquanto nos amávamos e depois aquele silêncio de dois seres que de certa forma se completam.
Talvez você nem sinta a minha falta, ou talvez sinta, eu sei que sentirá...
Mas um de nós teria que tomar essa atitude, a de deixar que o outro seguisse em frente...
Faço isso por você... Fiz por nós!
Jamais imaginei que teria que lhe dizer adeus para que pudesse vê-lo feliz!
Acho que o verdadeiro amor assim não é... Liberta!
Adeus.

Alessandra Benete

A despedida fora um dar de mãos... o casal ao lado soube expressar bem o momento: um beijo molhado e demorado como se não houvesse mais amanhã a ser vivido (e quão bom é essa sensação, de quando o tempo não é influenciador de suas emoções, quando o agora fica por dias naqueles minutos; quando o pôr-do-sol para, apenas para dar mais clima ao momento, quando o vento passa aconchegando e faz das pessoas meros vislumbres animados);

[...]

A despedida fora um dar de mãos... mas se os olhos falassem (ora, e pois se não falam!? Gritam as alegorias do coração. Berram os distúrbios da mente. Induzem indelicadamente um profanar de palavras desanexas a sua alma), diriam: fica comigo mais tempo. (Desencontrei-me ao seu encontro)

L. Vyn

"Despedida"

Na hora da dor, somos todos pobres, somos todos humanos, somos todos pequenos.
Na hora da dor, somos todos iguais, somos seres em sais, somos metade do que nos tornamos, somos metade do que esperávamos ser.
Na hora da dor, acabou-se toda a alegria, triste será mais um dia em que deixamos de ser grandiosos.
Na hora da dor, voltamos a ser criança e nessa roda gigante da vida, voltamos ao inicio da partida.
Na hora da dor, bate a saudade, o desespero da perda te dissolve... E nessa hora não existe dor que seja menos dor, não existe amor que não sinta o peso da saudade.
Na hora da dor, não existe acalento, não existe argumento, existe apenas "o famoso e doloroso tempo".
Na hora da dor, você se redescobre, muda de nome e altera o sobrenome.
Na hora da dor, contamos os segundos, eles se transformam em horas.
Na hora da dor, seja do tamanho do que sente, para que mais à frente, a transforme em experiência.
Na hora da sua dor, aprenda com as suas lágrimas, elas são o caminho mais árduo e mais sincero para dissolver seus dilemas.
Na hora da dor... Despeça-se com elegância, no seu ato de criança em querer mais um pouquinho.

Tatyane Nicklas

Despedida

Pq tudo tinha que ser tão difícil
Pq vc sempre na deixou na dúvida
Pq vc nunca demonstrou a mim
o que demonstrei a ti como sempre te amei
Pq tudo tinha que ser tão bom e ao mesmo
cheio de tristeza e dor
É agora acabou ,mas estará na minha alma
a marca desse amor e a cicatriz da dor que a envolveu
Adeus amor

Doce Rosa

Segundo os dicionários, despedida significa (entre outros) dizer adeus. Dizer adeus e não um até logo, segundo o meu sentir, representa uma decisão consciente de partir sem passagem de retorno. Ir, sobretudo, em frente. Encarando a ausência de quem resolveu permanecer lá – seja onde for - e não aqui.

Mas esta ideia crua de partida nunca fez muito sentido para mim. Ainda hoje eu procuro entender o contexto da finitude. Do então é isso, acabou. Fim da linha. Au revoir!
Sempre que me coube o poder da decisão, optei por experimentar a doce incerteza de um “até mais!” - que muitas vezes chegava a demorar mais do que o esperado -, a ter que ouvir um seco e indigesto “até nunca mais!”. Ou nem isso.

Confesso que durante muito tempo eu acreditei que a pior parte em ter que lidar com uma despedida, fosse o acordar pela manhã seguinte e perceber que a casa estava vazia. Que aqueles tão habituais sons de vozes e passos haviam, enfim, emudecido. Que tudo aquilo que poderia vir a ser, conjugou-se no tempo passado antes mesmo de ter sido um presente, num presente.

Mas eu finalmente percebi que no final das contas, saber que alguém partiu para não mais voltar não representava em si a dor maior. O epicentro de todo o meu sofrimento.
O que de fato orquestrava - e com mestria – os efeitos da despedida como ato irretocável, era a sensação de que alguém se foi, sem ter, de fato, ido; que é quando a razão olha para os lados e só vê um espaço amplo, porém, oco, e então a emoção vem e diz: - Nâo. Olhe direito! As lembranças estão aqui. Todas elas. Em todo canto. Em cada parede. Em cada piscar de olhos que remete a sorriso. Em cada silêncio que entoa aquela voz reconhecível no meio de uma multidão de outras vozes. Em cada marcação de tempo que faz recordar uma mão que sempre encontrava a outra no meio de uma daquelas noites tempestuosas que inspirava a ficar junto. Unindo forças e sentimentos. Sendo e permanecendo.

Talvez um dia eu amadureça o suficiente para compreender essas coisas acabáveis. Ou talvez continue acreditando que em algum momento acontecerá um reencontro e então o adeus, por fim, se redimirá.

Jorge Nicodemos

Seemann
A angústia, assim como uma despedida de um marinheiro, que dá um beijo apaixonado em sua amada e parte para o horizonte é como me sinto. Mas sou um marinheiro fantasma, que nunca partiu e tem apenas a esperança de um dia achar sua amada, a qual o fará voltar a vida, ao sentimento de antes da partida. Mas enquanto não chega, ele vaga solitariamente e derruba suas lágrimas misturando-as com a água do mar. Tentando desesperadamente, que essa mistura de destino (água) + lágrimas (sentimento) culmine na direção certa de sua amada.
E é assim, aonde alguém nos ama é para onde devemos retornar.

Gilson Miranda Junior

UMA CARTA DE DESPEDIDA***ESQUECI VOCÊ***

PORQUE VOCÊ, ESTÁ ME OLHANDO ASSIM,
SE TEM AO LADO QUEM VOCÊ PROCUROU?
EU CONSEGUI, O QUE É MELHOR PRA MIM
EU ESQUECI VOCÊ, QUE ME MALTRATOU,QUE ME HUMILHOU
VOCÊ NÃO QUIZ, O MEU AMOR
ACHOU POBRE DEMAIS, SEM VALOR
VOCÊ PRECISA, ME ENTENDER
EU CONSEGUI, POR VOCÊ NÃO MAIS SOFRER
VOCÊ UM DIA FOI, TODA A RAZÃO
QUE TIVE EM MINHA VIDA PARA SORRIR
MAS EU NÃO PENSEI QUE SEU CORAÇÃO
NÃO CONHECIA O AMOR, SÓ SABIA FINGIR,
SÓ SABIA MENTIR.
VOCÊ NÃO QUIZ, O MEU AMOR, ACHOU POBRE DEMAIS. SEM VALOR.
VOCÊ PRECISA ME ENTENDER, EU CONSEGUI,
POR VOCÊ NÃO MAIS SOFRER,
EU CONSEGUI, LHE ESQUECER.....

COMPOSIÇÃO DE DIVANIL GARCIA.

divanilgarcia

Era a sua ultima poesia, uma triste despedida.
As suas ultimas letras tornavam-se quase inelegíveis diante de suas lagrimas.

Sobre a melodia de um piano triste, ele escrevia suas ultimas estrofes.
Era a despedida de um poeta.

Em cada canto do seu quarto arquivos tumultuados
Lembranças de toda uma vida.
Taças de vinho espalhadas pelo chão.
Sobre o seu velho cinzeiro, as cinzas de cada trago.

As lembranças davam lugar a um imenso silêncio
É triste ver que seus escritos hoje são apenas arquivos em papeis mofados.
Ele que já não quer mais chorar escrevendo versos tristes.
Sobre a sua já tão surrada rede, o descanso de um poeta.

Não te assustes de mim,
Um dia eu também fui feliz!
É apenas um desabafo,
Que leva em cada letra,uma triste gota de lagrima.
Foi assim que escrevi...
A minha ultima poesia.

Mary Veloso

No dia em que eu morrer...


No dia em que eu morrer
Desejo uma despedida
Desta vida
Deste mundo
Que seja especial
Marcante, memorável
Uma despedida de verdade.

No dia em que eu morrer
Eu desejo uma tempestade
Muita água caindo
Pra lavar a alma de todos.
Desejo que o medo se vá
E haja muita celebração.
Sim, porque muitos pedem chuva
Mas poucos saem pra se molhar.

No dia em que eu morrer
Desejo que se escreva
No lugar onde eu for colocada
‘Se eu quisesse agradar a homens
Não seria serva de Cristo.’
Porque perdi muito tempo
Tentando agradar pessoas
Superar expectativas
Mostrar resultados
Não decepcionar.
Mas descobri
Que nunca é suficiente
Nem todas as minhas lágrimas
Nem todo o meu trabalho
Nem todo o meu suor
Nem todo o meu sangue
Nem todo o meu esforço
Nada nunca será suficiente
Nada nunca estará bom.
Eu me comprometo com todos
Ninguém tem compromisso comigo.

Se esperei, não esperei o bastante.
Se chorei, ainda foi pouco.
Se trabalhei, ainda há muito por fazer.
Se busquei, não foi da maneira certa.
Se sofri, tem coisa pior.

Mas no dia em que eu morrer
Irei para os braços dAquele
Para quem eu nunca precisei provar nada
A quem eu agradei dormindo
De quem tirei um sorriso com uma piada
Que me entendeu e não me condenou por isso.
Ele nunca me exigiria
O que as pessoas me exigem.
Ele nunca me condenaria
Pelas escolhas que me forçam a evitar
Mesmo que eu não saiba como buscá-lO
Ele sabe como me encontrar.

Por isso
No dia em que eu morrer
Não quero agradar ninguém.

Angela Natel

Minha estrela

Estrela que encanta minha vida
me diz que nunca terá despedida,
pois viver sem tua luz é mesmo que
estar no mundo escuro e sombrio.

Estrela que alegra os meus dias
me diz qual é a tua maior alegria,
que prometo te guiar para sempre
estando em todos os momentos presentes.

Estrela que carrega o meu coração
me diz a verdade, qual tua maior paixão,
grita para o mundo mostrando essa
grandiosa emoção.

Estrela que habita os sonhos meus
me diz se é capaz de amar outros
sentimentos além dos meus, nessa passagem
maravilhosa que novamente o destino nos prometeu.

Emerson Lima

Talvez...

Amahã...
Quando o lirismo do verso
E a rima já desmaiada,
Partirem em despedida.
Na sua incansável afã,
Sobrevoando o universo
No final desata jornada,
Far-se-á bem nais luzida.

Um dia...
Na leveza de um suspiro,
Deixarei a lapidosa
Sob o clarão de uma vela.
Da estrada rude e sombria
E da masmorra me retiro
para surgir grandiosa,
No esplendor de uma estrela.

Talvez...
Surjam novos poemas
Angelicais, quem sabe alados,
Luzentes de felicidade
Como jamais alguém fez...
serão carícias supremas
Mensageiras da saudade,
a te afagarem outra vez.

Sonia Ripoll

Choro da Despedida

Eu demorei pra ter ver
Você não me viu
Meu coração te enxergou
A sua boca se calou
E disse a minha boca
O que ela nunca dizia

Sua mão acenava um "Olá"
Quando na verdade era uma despedida
Seus passos se distanciavam da minha visão
Mas estavam ao meu lado nos choros e poesias

Parte do seu carinho está em mim
Parte do meu carinho está em nós

Por mais que eu pudesse dizer
As palavras não diriam
E por mais que eu tente esconder
Essas palavras dizem

Giovanny Xavier

DESPEDIDA


Papel não falta
Tem vinho na taça
Mas nada vem
O tédio mata
Não se resgata
Quem não se tem
Cessou a música
Ninguém mais dança
É o suicídio
Da esperança
É o fim da linha
Última instância
Cortaram as asas
Das borboletas
Que no estômago
Faziam festa
Aqueles sinos
Não tocam mais
O navio do amor
Deixou o cais
Secou o mar
Dos sentimentos
Encheu-se um rio
Com seus lamentos
Não há rancor
Mas há saudade
Não mais paixão
Só amizade
Tudo é mudança
Dizia Heráclito
As coisas mudam
Mas nada é fácil
Sejamos nosso
De mais ninguém
E ao final
Meu bem querer
Me queira bem!

Alex Feijó

DESPEDIDA

Hei, eu preciso ir, mas, se você quiser eu espero mais um pouco. Se você estiver com medo do escuro e achar que tem um bicho papão embaixo da cama, eu fico, seguro na sua mão e espero você dormir. Realmente eu tenho que ir agora, já é tarde. Algo me aguarda lá fora, não sei o que é ainda, mas será inevitável, terei que descobrir. Claro que não vou fazer essa desfeita com você, aceito sim essa última xícara de café. Você sabe que me tira o sono, o café, mas não vou negar essa gentileza justamente agora, pode servir. Deixa que eu lavo essa louça pra você, é o mínimo que posso fazer pra retribuir o café. bem, agora realmente preciso ir, vai passar um filme ótimo na tv e não quero perder. Ja vai começar. Ah, já começou? Acho que não devo, mas ja que insiste, eu assisto e depois sigo de uma vez. Bom, o café estava ótimo, não tem bicho papão embaixo da sua cama e o filme ja terminou. Agora, acho que ja posso ir. Então é isso... Hei, eu preciso ir, mas, se você quiser eu espero...

Monica Ermirio

DESPEDIDA

É triste? Eu sei.
Dá vontade de chorar? Eu sei.
Você não queria que fosse assim? Eu sei.
Queria que fosse pra sempre? Eu também sei.
Sei de tudo isso, porque eu também queria que fosse.
Mas o Para Sempre não existe,
Pelo menos nunca foi comprovada a sua existência'
Pode ser que ainda se encontremos,
Em algum lugar desse pedaço do universo.
Mas meu desejo não é te ver voltar e sim,
Que nunca tivesse que ir'

Heloisa Burtet

Sou nuances dividida
Sou a alva da madrugada,
O negro da despedida.
Sou o doce da paixão,
O salgado da desilusão.
Sou o despertar da vida,
A perda da ilusão.
Sou a alegria prometida,
A lágrima sentida.
Sou a alma desnuda,
A face em oculto.
Sou a emoção nascida,
O sentimento sepulto.
Sou dia iluminado de sol,
A noite escura sem lua.
Sou do porto seguro o farol,
O sem saída da rua.
Sou eu!
Sem eira e nem beira.
O plumo, o rumo.
Estranha sensação de ser.
Sou tudo, sou nada!

May Lu

Arruma e desarruma as malas aonde encontrar guarita
Mas a vida sempre será angustia na despedida das escolhas que “perfaz” o amanhã…
Em qualquer sombra haverá sempre um desamparo…
O que fica de uma certa forma parte com o que foi…
Busca o riso, a alegria, pois todo dia é dia de aprender uma lição.
Essa é a mitologia, a filosofia e a religião

Katiana Santiago

JOVEM DESPEDIDA

Todos os dias vejo sua foto empoeirada
E como um relâmpago lhe vejo sentada
O passado me vem à tona, emancipada
Você levanta, corria e me abraçava, caída

Alguns minutos depois, ao meu lado estava
Com um lindo sorriso, tudo intimidava
Mesmo as flores mais belas quando caminhava
Se possível curvariam-se enquanto as fitava

Sua pele branca refletia a luz do entardecer
Seu jeito tão delicado ia desaparecer
Com todo o meu sofrimento, antes de conhecer

Você, eu era totalmente vazio, preenchido
Estava, mas com um beijo, e longe um aceno
Ela se foi, e com tão carinho eu lhe disse “te amo”

Matheus Balbi Gonçalves