Bíblia Sagrada Salmo 4

Cerca de 212 frases e pensamentos: Bíblia Sagrada Salmo 4

A Bíblia sempre aberta. A Bíblia aberta na sala, fechada no coração. Aberta na sala, silente na mente. Visível ao visitante que chega, estranha ao que na casa habita todos os dias, por meses e anos... Empoeirada, amarelada, desbotada. Da rota página salta um número: 91. No canto superior da página, um nome: Salmo. Quando aprenderemos discernir fé de mágica?

Mônica Árêas

BATISMO DE FOGO

Entre porres de bourbon
e ressacas marinhas
delirium tremens
febres terçãs
vestígios de naufrágios
canteiros de martírios
salmos, epifanias
mosaicos de neon
preso em teu labirinto entre fortes
desde as maciças retas concretas
de tua carnadura urbana
às tenras curvas abstratas
de tuas coxas mundanas
dentro de ti – ai de mim! -, Copacabana
fiz meu rito de passagem
meu batismo de fogo:
fiz-me
homem
menino
poeta.

Marcelo de Souza

"Vale da Sombra da Morte, 15 de setembro de 2013: lugar sombrio e temido. O gélido arrepio corre pela espinha de quem aqui se aventura. Ninguém está aqui por escolha própria; aqui não há turistas. A vida empurrou para cá cada caminhante, que não esconde no rosto o horror da empreitada, e a incerteza do que lhes espera no próximo sombrio desfiladeiro.

Atônito, observo um grupo diferente: alegre, destemido, como que a curtir uma grande aventura; ousados. Paro e pergunto a um daqueles o que lhes fazia tão diferentes dos demais, tão calmos e inspiradores, ao que o caminhante me responde: 'Mesmo aqui no vale da sombra da morte, não precisamos temer que nenhum mau nos aconteça, pois temos um Senhor, Sua vara e Seu cajado que nos protege, guia e consola.'"

Vale da Sombra da Morte.
Salmos 23:4
Por Samuel Amorim Oliveira

Samuel Amorim Oliveira

Descolei mantras de parede pra colar no coração. Assim como tirar a bíblia da estante e desgrudar as paginas amareladas do salmo 91. Igor Brito Leão

Igor Brito Leão Verde

João 11:35
Sabe esse pequeno versiculo, eu acho que é o menor e o maior ao mesmo tempo.
Quando o verbo se tornou carne, ele nao quis ser o SUPER HOMEM, mesmo que antes dessa passagem ele diz ""Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá" JOAO 11:25. Ele nao falou essa frase com o IRON MAN, tanto é que dez versiculos mais tarde, Ele chora.
Isso me conforta por saber que por ser Cristão, minha vida não seria um mar de rosas obrigatório, sabe?
Mas junto com essas tais rosas, viriam os espinhos, que iriam machucar. Mas me alegro, pois a Palavra diz "O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã" Salmos 30:5

Júlio.M

Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro ; a sua verdade será o teu escudo e fortaleza. (Salmos 91:4).

Bíblia

Você sempre pode se encontrar nos Salmos. Não importa com o que você está lidando. Você está sempre lá!

Pr. John Piper

Salmos 20: (Leia-o)
Que Chuvas de Bençãos sejam derramadas abundantemente sobre tí e tua Casa!
Que a Unção de Deus seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente
pela Glória de Deus!


Que Deus faça prósperar tudo aquilo
que vier até tuas mãos, e que de uma semente
cresçam milhares de árvores Frutíferas!
Que Todas as Promessas de Deus sejam uma Coroa de Vitória

e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu Deus, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre!
Que A Glória de Deus repouse sobre Ti!
E inunde todo o teu ser de Paz.

Luciana Magalhães

Tô loco de faceiro tchê! Me convidaram pra ir a casa do Patrão Celestial.
Salmos 122:1

Pastor Gaúcho

REUNINDO SALMOS
Guarda-me, ó Deus,
faze-me, Senhor, conhecer os teus caminhos,
alivia-me das tribulações do coração,
ensina-me tuas veredas,
não te distancies de mim.

Sei que os justos herdarão a terra,
porque a boca do justo profere sabedoria
e tu o fazes exultar de júbilo,
assim como me fazes ver caminhos de vida.


Mostra-me sempre, Senhor, mostre-me
maravilhas da tua bondade.
Tuas palavras são transparências,
como fortaleza de fé,
Luzes e cores da minha salvação.


Nas tuas mãos,
recebendo meus dias,
com a grandeza de tua bondade.
todos os dias te bendirei.
Senhor, em todo o tempo,
o louvor estará em meus lábios.
Procurarei a paz, buscá-la-ei
empenhado por alcançá-la.
Certificando-me sempre,
alegrando o coração,
exultando de espírito,
meu corpo repousará,
entoando-te hinos.
Entregarei meu caminhar,
salmodiando e cantando louvores.


É por isso,
que de manhã, todas as manhãs,
apresento-te a minha oração e fico esperando.

jorge COMUNIDADE LINDAS MANSAGENS

Do Senhor é a terra e a sua plenitude,o mundo e aqueles que nele habitam. salmos 24v1.

Davi

Depressão Espiritual nos Salmos

Por John Piper

Salmos 42 - Masquil para o músico-mor, entre os filhos de Coré.

"Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus? As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, enquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus? Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava.
Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face. Ó meu Deus, dentro de mim a minha alma está abatida; por isso lembro-me de ti desde a terra do Jordão, e desde os hermonitas, desde o pequeno monte. Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim. Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida. Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo? Com ferida mortal em meus ossos me afrontam os meus adversários, quando todo dia me dizem: Onde está o teu Deus?
Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus."

Uma das condições emocionais proeminentes nos Salmos é a depressão espiritual. Martyn Lloyd-Jones escreveu o livro Depressão Espiritual e se baseou no Salmo 42. Este é o Salmo que nós iremos focalizar hoje - aquele que diz, “Por que te abates, ó minha alma, e por que te pertubas dentro de mim?”

Os Salmos: Canção e Instrução

O cabeçalho do Salmo nos lembra do que vimos semana passada. “Para o músico-mor. Um Maskil dos filhos de Coré.”

Os filhos de coré eram um grupo de sacerdotes que eram encarregados do ministério de canto. 2° Crônicas 20:19 descreve eles em ação: “E levantaram-se os levitas, dos filhos dos coatitas, e dos filhos dos coratitas, para louvarem ao SENHOR Deus de Israel, com voz muito alta.”

Então o cabeçalho implica que este salmo foi provavelmente usado em adoração púlblica e foi cantado. Isto é uma parte do que nós falamos na semana passada. Os Salmos são canções. Eles são poemas. Eles são escritos para despertar e expressar e moldar a vida emocional do povo de Deus. Poesias e canções existem porque Deus nos fez com emoções, não apenas raciocínio. Nossas emoções são maciçamente importante.

A segunda coisa a notar no cabeçalho é que o salmo é chamado um “maskil.” O significado desta palavra não é claro. Esta é a razão pela qual a maioria das versões não traduzem esta palavra. Ela vem de um verbo hebraico que significa fazer alguém sábio, ou instruir. Então quando aplicado nos salmos, pode significar uma canção que instrui, ou uma canção sabiamente trabalhada. Isso nos lembra da outra coisa que enfatizamos semana passada: Os Salmos têm a intenção de instruir. “Bem-Aventurado é o varão cujo o prazer está na Lei do Senhor, e na sua lei medita dia e noite.”

Então “Para o músico-mor. Um Maskil dos filhos de Coré” enfatiza ambos os pontos da última reunião: Os salmos são instrução, e os salmos são canções. E Jesus ensinou que eles foram inspirados por Deus. Eles têm a intenção de moldar o que a mente pensa, e eles têm a intenção de moldar o que o coração sente. Quando nós nos imergimos nele, nós estamos “pensando e sentindo com Deus.” Por isso eu oro para que essa série nos ajude nisso.

Uma visão geral do Salmo 42

A maneira pela qual eu gostaria de nos conduzir ao Salmo 42 é dar uma visão geral, e então mostrar 6 coisas que esse homem de Deus faz na sua depressão espiritual —6 coisas que eu penso que são destinadas a moldar a forma como nós lidamos com nossos próprios tempos sombrios.

Aqui está a visão geral. Externamente as circunstâncias em que ele se encontra são opressivas. O verso 3 diz que os seus inimigos “me dizem todos os dias, onde está o teu Deus? ” E o verso 10 diz a mesma coisa, só que descreve o efeito como uma ferida mortal: “Com ferida mortal em meus ossos me afrontam os meus adversários, quando todo dia me dizem: Onde está o teu Deus? " e a afronta “Onde está o teu Deus?” implica que alguma coisa a mais deu errado também, ou eles não diriam, “Onde está o teu Deus?” Para eles parece que ele foi abandonado.

A condição emocional interna do salmista é depressiva e cheia de turbulências. Nos versos 5 e 11, ele se descreve como “abatido” e “perturbado.” No verso 3 ele diz, “Minhas lágrimas têm sido meu alimento dia e noite.” Então ele está desanimado ao ponto de chorar dia e noite. No verso 7 ele diz que parece estar se afogando: “todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim.”

Lutando para ter esperança em Deus

Em meio a tudo isso, ele está lutando pela esperança. Verso 5: “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face.” Verso 11: “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus.” Ele não está se rendendo às emoções de desânimo. Ele está contra-atacando.

Eu não posso te dizer quantas centenas de vezes nos últimos 28 anos na (igreja) Bethlehem eu tenho contra-atacado o peso do desânimo com estas mesmas palavras “Espera em Deus, John. Espera em Deus. Você irá louvá-lo novamente. Essa emoção miserável irá passar. Esse tempo irá passar. Não fique abatido. Olhe para Jesus. A luz irá nascer.” Isto era tão central para nossa maneira de pensar e de falar no início dos anos 80 que nós colocamos um imenso “Espere em Deus” na parede externa do santuário antigo e nos tornamos conhecidos na vizinhança como a igreja “Espere em Deus”.

As circunstâncias externas dele são opressivas. Sua condição emocional interna é depressiva e cheia de perturbação. Mas ele está lutando pela esperança. E a coisa realmente marcante é que no fim do salmo, ele continua lutando mas ainda não onde ele quer estar. As últimas palavras do salmo—e as últimas palavras do próximo salmo—são “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus.” Ele nos deixa ainda lutando pela alegre experiência da esperança e da libertação da turbulência. Ele ainda não está louvando da maneira como ele queria.

Um final amargo e doce

Isto é um final feliz? Como quase tudo nessa vida, está misturado. Sua fé é realmente incrível, e sua luta é valorosa. Mas ele não está onde ele gostaria de estar, em esperança e paz e louvor.

Então eu assumo que este salmo está na bíblia pelo desígnio de Deus e que se nós escutarmos atentamente, se observarmos a luta deste salmista, se nós meditarmos nesta instrução dia e noite, nossos pensamentos sobre Deus e a vida, por um lado, e nossas emoções, por outro lado, serão moldadas por Deus. E nós nos tornaremos como uma árvore que dá frutos e cujas folhas não caem quando a seca da opressão e desânimo e perturbação vem.

Como o salmista responde ao desânimo

Então aqui estão 6 formas pelas quais o salmista responde ao desânimo e a perturbação que vieram com as afrontas dos seus inimigos. Eu os colocarei em uma ordem na qual elas devem ter acontecido, embora elas certamente tenham acontecido concorrentemente e repetidas vezes.

1. Ele pergunta a Deus por quê?

Primeiro, ele responde às suas circunstâncias em um ponto perguntando a Deus Por quê? Verso 9: “Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo?” A palavra esqueceste é um exagero. E ele sabe disso. Ele havia acabado de falar no verso 8 , “Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida.”

O que ele quer dizer é que, parece que Deus se esqueceu dele. Ele se sente como se Deus tivesse esquecido dele. Se Deus não se esqueceu dele, por que esses inimigos não retornaram e foram consumidos? Seria bom se todos nós fossemos tão compostos e cuidadosos na expressão dos nossos desânimos que não viéssemos nunca a falar nada impróprio. Mas não é como nós somos. No meio do tumulto das emoções, nós não somos cuidadosos com nossas palavras.

Aqueles de nós que estavam conosco por volta de 1985 quando eu preguei sobre Jó devem se lembrar de como essa verdade veio sobre nós como igreja. Por anos mais tarde, nós iríamos nos referir às palavras de Jó 6:26 e falar sobre “palavras ao vento.” Jó fala para os seus amigos críticos, “Vocês acham que vocês podem reprovar as palavras, quando o discurso de um homem desesperado é o vento?” Em outras palavras, não vá em cima das palavras de um homem desesperado. Desconsidere. Haverá tempo suficiente para discernir as convicções mais profundas do coração. Deixe o vento soprá-las embora. Elas são palavras ao vento.

Então o salmista pergunta Por quê? Está é uma pergunta legítima. Ele pode não ter feito a pergunta com precisão teológica ou linguística, mas se ele prova a tempo que ele não queria dizer que Deus não o tinha esquecido, nós iremos deixar estas palavras serem palavras ao vento.

2. Ele afirma o soberano amor de Deus.

Segundo, em meio ao desânimo ele afirma o soberano amor de Deus por ele. Verso 8: “Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida.” Nos versos 5 e 11, ele chama Deus de “minha salvação e meu Deus.” E ainda que embora ele diga que parece que Deus se esqueceu dele, ele nunca pára de acreditar na absoluta soberania de Deus sobre todas as suas adversidades. Então no final do verso 7, ele fala, “todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim.” Tuas vagas e tuas ondas tem passado sobre mim.

Em outras palavras, todos as circunstâncias dele de conflitos, perturbações, opressões e desânimo são as ondas de Deus. Ele nunca perde essa compreensão sobre as grandes verdades sobre Deus. Elas são o lastro em seu pequeno barco da fé. Elas protegem ele de naufragar no tumulto das suas emoções. Quantos de vocês tem aprendido isso mais profundamente do que eu por causa das ondas que tem quebrado sobre suas vidas. Vocês têm aprendido profundamente que não é aliviante dizer que Deus não controla o vento e as ondas.

Então o salmista afirma o soberano amor de Deus por ele em meio a, e através de, todos os problemas.

3. Ele canta!

Terceiro, ele canta ao Senhor de noite, suplicando pela sua vida. Verso 8: “Contudo o SENHOR mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida." Esta não é uma canção de esperança jubilante. Ele não sente uma esperança jubilante. Ele está buscando uma esperança jubilante. Esta é uma oração em forma de cântico e um cântico suplicante –uma canção "ao Deus da minha vida." Isto é, uma canção suplicando pela vida dele.

Mas não é fantástico que ele esteja cantando sua oração? Meu palpite é que é de onde o Salmo 42 veio. Este mesmo salmo deve ter sido esta oração-canção noturna. Não são muitos de nós os que podem compor canções quando estamos desencorajados e chorando dia e noite. Esta é a razão pela qual é bom manter um saltério que possa ser cantado por perto –ou um hinário com todos os tipos de emoções. Por exemplo, Isaac Watts escreveu estes versos para serem cantados:

Por quanto tempo ocultarás Tu a Tua face?
Meu Deus, quanto tempo?
Quando sentirei eu aqueles raios celestiais
Que afugentam meus medos?

Por quanto tempo irá minha pobre fadigante alma
Se degladiar e se cansar em vão?
Tua palavra pode todos os meus inimigos controlar
E acalmar a minha furiosa dor.

O hinário de 1912 contém estes versos para serem cantados da forma que o salmista do salmo 42 cantou de noite:

Até quando esquecerás Tu de mim,
Oh Senhor, Tu, Deus da graça?
Até quando irão os temores me assaltar
enquanto as trevas escondem Tua face?
Até quando irão as tristezas me angustiar
e transformar meu dia em noite?
Até quando irão meus adversários me oprimir
E triunfar com suas forças?

Oh Senhor meu Deus, atenta para mim
E ouve meus sinceros clamores;
para que o sono da morte não me envolva,
Ilumina Tu os olhos meus;
Para que agora meus adversários que me insultam,
Não se vangloriem em seu sucesso,
E os inimigos, exultantes,
Não se regozijem na minha aflição.

Estas não são canções jubilosas. Mas são canções de fé. E elas são escritas através do pensar e sentir com Deus nos Salmos.

4. Ele prega para sua própria alma.

Quarto, o salmista prega para sua própria alma. Verso 5: " Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face. " Oh, como isto é crucial na luta da fé. Nós devemos aprender a pregar a verdade para nós mesmos. Veja Lloyd-Jones falar deste verso:

Você já notou que a maior parte da sua infelicidade na vida é devida ao fato de que você está ouvindo a si mesmo em vez de falar para si mesmo? Considere estes pensamentos que lhe vêm no momento em que você se levanta pela manhã. Você não os originou mas eles estão falando com você, eles trazem de volta os problemas de ontem, etc. Alguém está falando. Quem está falando com você? Seu eu está falando com você. E o tratamento deste homem [em Salmo 42] foi este: em vez de permitir seu eu de falar com ele, ele começa a falar para si mesmo. " Por que estás abatida, ó minha alma? " ele pergunta. Sua alma estava deprimindo ele, esmagando ele. Então ele se levanta e diz,: "Eu, escute por um momento, eu vou falar pra você." (Spiritual Depression, 20-21)

Deste lado da cruz, nós conhecemos o maior firmamento da nossa esperança: Jesus Cristo crucificado pelos nossos pecados e triunfante sobre a morte. Então a principal coisa que devemos aprender é pregar o evangelho para nós mesmos:

Escute, eu: Se Deus é por você, quem pode ser contra você? Ele que não poupou a seu próprio Filho mas por você O entregou, como não te dará também com Ele graciosamente todas as coisas? Quem poderá trazer qualquer acusação contra você como escolhido de Deus? É Deus quem justifica. Quem condenará? Cristo Jesus é quem morreu - mais do que isso, quem ressuscitou –quem está à destra de Deus, e quem de fato está intercedendo por você. Quem te separará do amor de Cristo? (Romanos 8:31-35 parafraseado)

Aprenda a pregar o evangelho a você mesmo. Se este salmista tivesse vivido depois de Cristo, é isto o que ele teria feito.

5. Ele relembra experiências passadas.

Quinto, o salmista relembra. Ele chama experiências passadas à mente. Ele relembra experiências de adoração com a congregação no passado. Verso 4: " Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava. "

Oh, o quanto poderia ser dito aqui sobre a importância da adoração com a congregação nas nossas vidas. Não considere estes momentos de união de qualquer forma. O que nós fazemos aqui é uma transação real com o Deus vivo. A intenção de Deus para estes encontros com Ele na adoração congregacional é preservar sua fé agora e de uma forma que você se lembre deles depois. Se a adoração congregacional não fosse uma obra sobrenatural de Deus, seria puro sentimentalismo o salmista lembrar suas experiências. Ele não está envolvendo nostalgia. Ele está confirmando sua fé no meio da perturbação e do desânimo lembrando-se o quanto real era Deus na adoração congregacional.

Oh, como deveríamos ser mais sérios sobre adoração congregacional. Peça ao Senhor para te mostrar o que está em jogo aqui.

6. Ele tem sede de Deus.

Finalmente, o salmista tem sede de Deus como uma corça brama pelas correntes de águas. Versos 1-2: " Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus? " O que torna isto tão lindo, tão crucial para nós, é que a coisa principal que o deixa sedento não é o alívio de suas circunstâncias ameaçadoras. Ele não está sedento principalmente por escapar de seus inimigos ou pela destruição deles.

Não é errado querer alívio e orar por isso. Às vezes é correto orar pela derrota dos inimigos. Porém mais importante do que qualquer um destes motivos é Deus por Si próprio. Quando pensamos e sentimos com Deus nos Salmos, este é o resultado principal: Nós começamos a amar a Deus, e nós queremos ver Deus e estar com Deus e nos satisfazer na admiração e na exultação em Deus.

Esta é a minha esperança final e oração por estas semanas que estamos passando juntos nos Salmos. Que Deus seja revelado, e nós queiramos conhecê-lO como Ele é em Si mesmo e comungarmos com Ele.

Vendo a face de Deus no evangelho de Cristo

Uma provável tradução para o final do versículo 2 é: " quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus. " A resposta final para esta questão foi dada em João 14:9 e 2 Corinthians 4:4. Jesus disse, " quem me vê a mim, vê o Pai " (João 14:9). E Paulo disse que quando somos convertidos a Cristo nós vemos " a luz do Evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. " (2 Corinthians 4:4).

Quando vemos a face de Cristo, vemos a face de Deus. E nós vemos a glória da Sua face quando escutamos a história do evangelho de Sua morte e ressurreição. Isto é a " luz do Evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus. "

Que Deus aumente sua fome e sua sede para ver a face de Deus. E que Ele conceda seu desejo através do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.

John Piper

“Vós, que amais ao Senhor, odiai o mal.” (Salmos 97.10)





Tens bons motivos para "odiar o mal", basta considerares o dano que já operou em ti. Oh, que mundo de males o pecado trouxe ao teu coração! O pecado te cegou de forma que não pudesses ver a beleza do Salvador; te fez surdo para que tu não pudesses ouvir os doces convites do Redentor. O pecado conduziu teus passos para o caminho da morte, e derramou veneno na própria fonte do teu ser; maculou o teu coração, e tornou-o "enganoso acima de todas as coisas, e desesperadamente corrupto". Oh, que criatura eras quando o mal fez tudo que pôde contigo, antes da divina graça interpor-se!
Eras um herdeiro da ira como os demais; "correstes com a multidão para fazer o mal." Assim éramos todos nós; mas Paulo nos lembra, "mas fostes lavados, mas fostes santificados, mas fostes justificados em nome do Senhor Jesus , e pelo Espírito do nosso Deus.". Temos boas razões, de fato, para odiar o mal quando olhamos para trás e seguimos o rastro dos seu efeitos mortais. Tantos foram os danos que o mal nos fez, que nossa alma teria sido perdida se o amor onipotente não tivesse intervindo para nos redimir. Mesmo agora, ele é um inimigo ativo, sempre espreitando para nos ferir e nos arrastar para a perdição. Portanto, “odeiem o mal". Ó cristãos, a menos que desejem desgostos.
Se vocês espalharem espinhos pelo seu caminho, e plantarem urtigas no seu leito de morte, então deixem de "odiar o mal"; mas se preferirem viver uma vida feliz e uma morte em paz, então andem por todos os caminhos da santidade , detestando o mal, até o fim .
Se realmente amas o teu Salvador, e desejas honrá-lo, "odeie o mal". Não conhecemos nenhuma cura para o amor ao mal em um cristão, senão pela grande intimidade com o Senhor Jesus. Viva com ele, e será impossível estar em paz com o pecado.

"Ordena os meus passos na tua Palavra,
E faz meu coração sincero;
Não deixe o pecado ter nenhum domínio , Senhor,
Mas mantenha a minha consciência limpa."

Texto de Charles Haddon Spurgeon, Traduzido por Iza Rainbow

Charles Haddon Spurgeon

No deserto - Salmos 23:4

Quando ouvimos falar em deserto o que vem em nossa mente é dificuldade. Devido a sua instabilidade, poucas pessoas se aventurariam em querer morar neste lugar.

Em nossa vida passamos por desertos, são momentos tão difíceis que achamos não ter solução. Será que podemos aprender alguma coisa quando passamos pelos desertos da vida?



Para meditar.



1) Jesus no deserto: Mateus 4:1 - Jesus foi levado pelo Espírito Santo ao deserto para ser tentado pelo Diabo, suas qualificações como messias de Deus e nosso Redentor foram confirmadas.

Quem sabe você esteja passando pelo deserto da tentação?
Sendo tentado, como filho de Deus, aguente firme, resista à investida do Diabo e você será aprovado!



2) Calebe no deserto: Josué 14:6-14 - Calebe, mesmo acreditando na promessa, precisou peregrinar no deserto até que todos os que não acreditaram, morressem para que a nova geração crescesse e pudesse entrar na Terra Prometida.

Quem sabe você esteja passando pelo deserto da ajuda, tendo que abrir mão temporariamente da promessa para poder ajudar outras pessoas a crescerem na caminhada à Terra Prometida? Não fique triste, a promessa é sua. Seja um referencial para essas pessoas como servo de Deus.



3) Agar no deserto: Gênesis 21:8-17 - Agar foi mandada embora de onde vivia devido ao conflito de seu filho com o filho de sua senhora. Ela andou errante pelo deserto sem ter solução para seu problema, mas Deus ouviu a voz da dor de seu filho e a socorreu.

Quem sabe você hoje esteja no deserto da falta de esperança, onde, aos teus olhos, não se vê solução. Quero te dizer que Deus está agora mesmo ouvindo o seu choro e te levantará dessa situação, pois Ele tem um propósito com a sua vida. Não são as pessoas que determinan o seu fim, é Deus quem determina.



O deserto não mata quem confia na poderosa mão de Deus. Pelo contrário, podemos tirar grandes experiências com Ele.

MGT

Firma meu garrão na tua palavra e não me deixe ser levado a cabresto pelo pecado. Salmos 119:133

Pastor Gaúcho

Me grudei; tchê! Segui firmezito nos teus caminhos, não froxei o garrão. Salmos 17:5

Pastor Gaúcho

O Senhor firma o garrão do vivente que já não aguenta o repuxo, e ergue o acabrunhado. Salmos 145:14

Pastor Gaúcho

Sobre o Modo de Louvar

”falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais,” (Efésios 5:19)

”Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.” (Colossenses 3:16)

Sobre cantar os Salmos em nossas devoções particulares. E sobre a excelência e benefício deste tipo de devoção, pelos grandes efeitos que ela tem sobre nossos corações. E sobre os meios de fazê-lo da melhor maneira.
Você já viu no capítulo anterior, o que significa e quais são os métodos para aumentar e melhorar a sua devoção. Quão cedo você deve começar suas orações, e o que deve ser o objeto de suas primeiras devoções pela manhã.
Há ainda uma coisa restante, que deve ser observada, e que não pode ser negligenciada, sem grande prejuízo às suas devoções.
E isto é, que você deve começar todas as suas orações com um Salmo.
Isto é tão certo, é tão benéfico para a devoção, porque tem muito efeito em nossos corações.
Eu não quero dizer, que você deve ler um Salmo, mas que você deve cantá-lo.
Deve ser considerada a importância de se cantar um Salmo no início de suas devoções, por ser algo que despertará tudo o que é bom e santo dentro de você, e que chamará o seu espírito ao seu dever apropriado, para ajustá-lo em sua melhor postura para o céu e sintonizar todos os poderes de sua alma para a adoração.
Pois não há nada que tão melhor limpe o caminho para suas orações, nada que tanto expulse a indolência de coração, nada que purifique a alma das paixões pobres e pequenas, nada que abra o céu, ou conduza o seu coração para tão perto dele, como essas canções de louvor.
Elas criam um sentido e prazer em Deus, elas despertam santos desejos, e lhe ensinam a pedir, e prevalecem com Deus para atender suas petições. Elas acendem uma chama sagrada, e transformam seu coração em um altar, suas orações em incenso, e as conduzem como um doce aroma suave ao trono da graça.
A diferença entre cantar e ler um Salmo, será facilmente compreendida, se você considerar a diferença entre ler e cantar uma canção comum que você goste. Enquanto você apenas a lê, você somente gosta da letra, e isso é tudo, mas assim que você a canta, então você a aprecia, você sente o prazer e a emoção dela, ela se apodera de você, suas emoções entram em ritmo com ela e você sente dentro de si o mesmo espírito que parece estar nas palavras.
Se você tivesse que dizer a uma pessoa que tem essa canção, que ela não precisa cantá-la, que seria suficiente ler, ela iria querer saber o que você quis dizer, e achar que lhe pediu um absurdo, como se tivesse lhe dito que somente deveria olhar para a comida, para ver se era boa, mas não precisava comê-la; porque um cântico de louvor não cantado, é muito parecido com qualquer outra coisa boa da qual não se fez uso.
Talvez você diga, que cantar é um talento especial, que pertence somente a determinadas pessoas, e que você não tem nem voz, nem ouvido para cantar qualquer música.
Se você tivesse dito que cantar é um talento geral, no qual as pessoas diferem, como em todas as outras coisas, você teria dito alguma coisa muito mais verdadeira.
Pois as pessoas diferem muito no talento de pensar, que não é somente comum a todos os homens, mas parece ser a própria essência da natureza humana.
No entanto, ninguém deseja ser dispensado do pensamento, ou razão, ou discurso, porque ele não tem esses talentos, como algumas pessoas o possuem.
Se uma pessoa viesse a deixar de orar, porque ela tinha um estranho tom em sua voz, ela teria uma boa desculpa para não cantar Salmos, por ter pouca voz.
Em segundo lugar, esta objeção poderia ser de algum peso, se você fosse cantar para entreter outras pessoas, mas isto não é para ser admitido no presente caso, onde você só está obrigado a cantar os louvores de Deus, como uma parte de sua devoção privada.
Todos os homens são cantores, da mesma forma como todos os homens pensam, falam, riem e choram.
Cada estado do coração, naturalmente, coloca o corpo em algum estado que é adequado para ser mostrado a outras pessoas. Se um homem está com raiva, ninguém precisa lhe instruir como expressar essa paixão pelo tom de sua voz. O estado de seu coração o conduzirá ao uso adequado da sua voz.
Se, portanto, existem, senão poucos cantores de músicas divinas, se as pessoas querem ser excluídas desta parte da devoção, é porque são poucos, cujos corações são elevados à altura da piedade, e que sentem impulsos de alegria e prazer nos louvores a Deus.
Imagine a si mesmo, como se tivesse estado com Moisés quando ele conduzia o povo através do Mar Vermelho, e que você tivesse visto as águas se dividirem, e que estas caíssem sobre os seus inimigos depois de você tê-lo atravessado em segurança, então teria voz para cantar louvores a Deus juntamente com Moisés: “O Senhor é a minha força, e o meu cântico, e se tornou a minha salvação, etc”.
Eu sei, e seu coração lhe diz, que todas as pessoas naquela ocasião devem ter entoado louvores. E isto, portanto, lhe ensina que é o coração que afina a voz para cantar os louvores de Deus; e que se você não pode cantar essas mesmas palavras agora com alegria, é porque você não está tão afetado com a salvação do mundo por Jesus Cristo, como os israelitas ficaram com a sua libertação no Mar Vermelho.
Se você, então, despertar o seu coração, ele tão naturalmente cantará as palavras do Salmo, como ele ri quando ele está satisfeito. E este será o caso em cada música que tocar o coração.
Se você puder dizer com Davi, meu coração está firme, ó Deus, meu coração está firme; será muito fácil e natural você adicionar a isto, como ele fez, eu vou cantar e louvar, etc.
Em segundo lugar, vamos agora considerar uma outra razão para este tipo de devoção. Como o canto é um efeito natural da alegria no coração, por isso tem também um poder natural de tornar o coração alegre.
A alma e o corpo são tão unidos, que têm cada um deles poder sobre o outro em suas ações. Certos pensamentos e sentimentos na alma, produzem tais e tais movimentos ou ações no corpo, e, por outro lado, certos movimentos e as ações do corpo, têm o mesmo poder de aumentar tais e tais pensamentos e sentimentos na alma. Porque, como o canto é o efeito natural da alegria na mente, por isso é tão verdadeiramente uma causa natural que eleva a alegria na mente, pois há aqui uma recíproca relação de causa e efeito.
Como a devoção do coração faz surgir naturalmente atos de oração, de igual modo os atos de oração são meios naturais para elevar a devoção do coração.
Como a raiva produz palavras de raiva, então palavras iradas aumentam a ira.
Embora, a sede da Religião esteja no coração, mas uma vez que nossos corpos têm um poder sobre nossos corações, uma vez que as ações tanto procedem, quanto entram no coração, está claro que as ações externas têm um grande poder sobre essa Religião que está sediada no coração .
Devemos, portanto, tanto usar ajuda externa, quanto interna em nossa meditação, a fim de gerar e corrigir hábitos de piedade em nossos corações.
Esta doutrina pode ser facilmente levada longe demais, pois, se dependermos de muitos meios exteriores de adoração, isto pode degenerar em superstição; como, por outro lado, alguns têm caído no extremo contrário. Porque para provar a Religião sediada no coração, alguns têm exercido essa noção, até agora, como renúncia à oração vocal, e outros atos exteriores de adoração, como o louvor, e têm resumido toda a sua religião em um quietismo, ou relação mística com Deus em silêncio.
Ora, estes são dois extremos igualmente prejudiciais à verdadeira Religião, e não devem ser achados quer no culto interno ou externo.
Pois desde que não somos somente alma, nem somente corpo, por não serem nenhuma de nossas ações separadas da alma, ou separadas do corpo, sabendo que os hábitos são produzidos tanto em nossas almas quanto em nossos corpos , é certo, que, para se chegar a hábitos de devoção, ou prazer em Deus, devemos não somente meditar e exercitar nossas almas, mas devemos praticar e exercitar nossos corpos para todas aquelas ações externas, por serem conformes a esses temperamentos interiores, entre os quais podemos citar o hábito de cantar louvores.
Se quisermos verdadeiramente prostrar nossas almas diante de Deus, devemos usar nossos corpos em posturas de humildade; se desejamos verdadeiro fervor de devoção, devemos fazer da oração o trabalho frequente de nossos lábios.
Se quisermos banir todo o orgulho e paixão de nossos corações, nós devemos nos forçar a todas as ações exteriores de paciência e mansidão. Se quisermos sentir os movimentos interiores de alegria e prazer em Deus, devemos praticar todos os atos externos relativos a isto, e fazer as nossas vozes se ajustarem aos nossos corações.
Agora, pois, você pode ver claramente que a razão e necessidade do cântico dos Salmos, é porque são necessárias ações externas para apoiar as disposições interiores, e, portanto, o ato externo de alegria é necessário para aumentar e apoiar a alegria interior da mente.
Toda oração e devoção, jejuns e arrependimento, meditação e retiros espirituais, a santa ceia e o batismos e todas as ordenanças, têm por alvo senão tornar a alma, assim, santa, e conforme à vontade de Deus, e para enchê-la com gratidão e louvor por cada coisa que vem de Deus. Esta é a perfeição de todas as virtudes; e todas as virtudes que não tendem a isso, ou que não procedam disso, são senão falsos ornamentos de uma alma não convertida a Deus.
Você não precisa, portanto, agora perguntar, porque eu dou tanta ênfase à importância de cantar um Salmo em todas as suas devoções, pois você vê que é para encher o seu espírito de alegria e gratidão a Deus, que é a mais alta perfeição de uma vida divina e santa.

Tradução e adaptação feitas pelo Pr Silvio Dutra, do décimo quinto capitulo do livro de William Law, em domínio público, intitulado Uma Chamada Séria a Uma Vida Santa e Devota. William Law, foi professor e mentor por vários anos de John e Charles Wesley, George Whitefield – principais atores do grande avivamento do século XVIII, que se espalhou por todo o mundo - Henry Venn, Thomas Scott e Thomas Adam, entre outros, que foram profundamente afetados por sua vida consagrada a Deus, e sobretudo pelo conteúdo deste livro.

william Law

A língua que fala e canta salmos mostra gratidão a Deus por ter um coração abençoado.

Helgir Girodo

DA BÍBLIA:DEUS É O AUTOR.

PROIBIDO PLÁGIO.

Da Biblía:Salmos:62(10)

""Não confieis na defraudação,
Nem vos torneis vãos em puro roubo.
Caso medrem os meios de subsistência, não fixeis o coração
[Neles].""

Nadia Celestina Bagatoli