Beija Flor

Cerca de 238 frases e pensamentos: Beija Flor

Escolha


Eu te amo como um colibri resistente
incansável beija-flor que sou
batedora renitente de asas
viciada no mel que me dás depois que atravesso o deserto.
Pingas na minha boca umas gotas poucas
do que nem é uma vacina.
Eu uma mulher, uma ave, uma menina…
Assim chacinas o meu tempo de eremita:
quebras a bengala onde me apoiei, rasgas minhas meias
as que vestiram meus pés
quando caminhei as areias.

Eu te amo como quem esquece tudo
diante de um beijo:
as inúmeras horas desbeijadas
os terríveis desabraços
os dolorosos desencaixes
que meu corpo sofreu longe do seu.
Elejo sempre o encontro
Ele é o ponto do crochê.
Penélope invertida
nada começo de novo
nada desmancho
nada volto

Teço um novo tecido de amor eterno
a cada olhar seu de afeto
não ligo para nada que doeu.
Só para o que deixou de doer tenho olhos.
Cega do infortúnio
pesco os peixes dos nossos encaixes
pesco as gozadas
as confissões de amor
as palavras fundas de prazer
as esculturas astecas que nos fixam
na história dos dias

Eu te amo.
De todos os nossos montes
fico com as encostas
De todas as nossas indagações
fico com as respostas
De todas as nossas destilairias
fico com as alegrias
De todos os nossos natais
fico com as bonecas
De todos os nossos cardumes
as moquecas.

Elisa Lucinda

Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Cazuza

Para quê mentir, fingir que perdoou...
tentar ficar amigos sem rancor...
A emoção acabou, que coincidência é o amor
a nossa música nunca mais tocou.

Cazuza

Não se admire se um dia,
um beija flor invadir
A porta da tua casa,
te der um beijo e partir
Foi eu que mandei o beijo
que é pra matar meu desejo
Faz tempo que eu não te vejo,
ai que saudade d'ocê


Se um dia ocê se lembrar,
escreva uma carta pra mim
Bote logo no correio,
com frases dizendo assim
Faz tempo que eu não te vejo,
quero matar meu desejo
Lhe mando um monte de beijo
ai que saudade sem fim


E se quiser recordar
aquele nosso namoro,
quando eu ia viajar
Você caía no choro,
eu chorando pela estrada,
mas o que eu posso fazer
trabalha é minha sina
eu gosto mesmo é d'ocê

Fábio Jr - Ai que saudade d'ocê

Algumas pessoas não sabem o que dizem. O Beija flor ão é um pássaro comum. Sua frequência cardíaca é de 120 batidas por minuto. Suas asas batem 80 vezes por segundo. Se você segurasse um beija flor e impedisse ele de bater as suas asas ele morreria em menos de 10 segundos. Ele definitivamente não é um passaro qualquer! E isso é um verdadeiro milagre! Uma vez observaram através de uma camera lenta o bater das asas de um beija flor, sabe o que eles viram? As extremidades das asas se movem fazendo o numero 8 no ar; Sabe do que o numero 8 é simbolo matemático? Infinito!

O Curioso Caso de Benjamin Button

Convém ao Beija-flor,
beijar e nunca ser beijado pela flor;
pois no dia em que ele for beijado por uma flor,
se apaixona, e não sairá a beijar as outras flores por aí...

Augusto Branco

O beija-flor passa de jardim em jardim beijando rosas,
mas como as rosas não lhe beijam de volta,
ele parte, vai embora.
No dia que o beija-flor encontra uma rosa
que lhe beija de volta,
ele também parte, vai embora,
mas sempre volta,
ah, sempre volta...

Augusto Branco

Saudade eterna de um beija-flor da infância que sem tolerânica não me visita mais...

Márcia Magalhães

Choram as rosas beija-flor
nesta velha rua de barro molhado
choram as lágrimas do velho amor
quando viram o vento passar

choram as rosas beija-flor

nos cantos borrados de um quadro
nos velhor vasos sem vida
passa o vento devagar
para que as rosas não chorem mais

Paulo Martins

Morena Flor

Morena flor,de extasiante olor
Conceda-me o prazer de ser o beija-flor, ao qual permites beijar-te e levar na boca teu doce sabor
Do teu corpo colher cada gotícula de suor, orvalho natural do amor

Ainda menina, tenro botão
Agora, já mulher, a mais completa forma de sedução
Olhos negros como o breu, profundezas onde se perderam os meus.

Morena flor, de tez selvagem
Fitar-te é receber uma sensação revigorante, tal e qual a brisa madrigal.

Delicada flor, mistura de fragilidade e vigor.
Tocar-te com o devido amor é sentir um misto de temor e furor
É sentir nas veias o sangue congelar, enquanto a carne de ardor queimar.

É necessário compreender que tão esplendorosa flor não deve der subjugada ou arrancada.
Mas sim cultivada com todo carinho e amor.

Para que floresças com total vitalidade, necessário é que sejas cultivada, não com a fria precisão de um botânico, antes com a ardorosa paixão de um jardineiro.

Sublime é a missão do jardineiro, cuja tarefa é aquecer-te no inverno e refrescar-te no verão.
Ter a oportunidade de apreciar com total devoção, o desabrochar de cada parte do teu ser.
Acariciar as intumescências brônzeas de teus botões.
Tragar a incomparável fragrância por ti exalada
Percorrer a sinuosidade de teus ramos e tronco
Acariciar cada reentrância e saliência do teu corpo.

Morena flor, permitas regar-te constante e intensamente
Estimular o teu contínuo renascer, em crescente intensidade.

Bela flor repousada em farpado ninho.
A experiência de apreciar o gosto perfumado que tua alma retém é o tesouro que me impulsiona por entre as flores comuns no objetivo único de reencontrar e conquistar-te.

Deixe-me voltar a recolher dentre as hastes delgadas o bálsamo essencial, exalado de sua flor principal.
Promessa de fantasia, delírios, alegrias!
Elo místico entre o mundo racional e o sensorial.

Morena flor
Tenra flor
Objeto de minha eterna cobiça!

Humberto

MISTÉRIO DE AMOR


É o beija-flor
que beija a flor

ou é a flor
que beija o beija-flor?

José Paulo Paes

Com a teimosia de um beija-flor aprendiz ou a determinação de um rio que o mar não quis...Eu te espero!

Vi Filho

Beija-flor

Flores em meu jardim vou cultivar
Para o beija-flor aqui vim pousar
E do mel vim provar

Ele traz alegria ao ambiente
Faz do meu jardim
Um lugar atraente

Não tenho muitas flores
Apenas jasmim e rosas
Mas o beija-flor não se importa
Todos os dias ele volta

Quando anoitece ele entristece
Não gosta de ver o jardim se apagar
Mas quando amanhece a alegria o aquece
Ao ver o jardim novamente brilhar

Não quero ser otimista
Sei que aqui ele sempre ira pairar
Não há jardim mais belo
Que o fará mudar

POEMA AS BRUXAS

Colibri ou Beija-Flor


O sol brilhou naquele dia despertando a fauna e a flora

A rosa de um qualquer jardim se abriu exibindo a côr.

As outras, em botão, quietas ficavam jardim fora

Invejosas daquela que atraía o Beija-Flor.



Vinha voando o Colibri e mirou a côr

Da rosa aberta como dádiva da vida

Junto ao perfume que expândia em seu redor

Numa oferta amorosa, na ânsia de ser colhida.



Abrandou o Colibri e pairou, ao vê-la assim

Escorregou pelos estames e debicou os pistilos

Beijou quais lábios rubros as pétalas de cetim.

Imaginando eu a língua em entumescidos mamilos.



Na permuta com o néctar coligaram-se em extreme fervor

No frémito da paixão que apenas um instante permanece

Levou e deixou em troca a essência do amor

Num extâse esfusiante qual coração que estremece.

maisquetudo

O mundo é pequeno e grande. E qual é meu caminho? É aqui? E cadê as flores? Devia ter alguma flor. E cadê as arvores? Deve ser um dia de quarta feira, um dia abandonado qualquer. E cadê o chão? E os livros? Onde estão as telas e a poesia? Cadê tudo? Cadê você?

Rosi Beija-flor

A gente está sempre querendo, mesmo crescendo.
Depois do colo materno, a chupeta é o primeiro desejo do bebê.
Nosso destino eterno é querer.
Vira guri, apronta por aí a melhor bicicleta, a bola de futebol, brinca de sol a sol e de noite quando se deita
quer que a manhã chegue de novo, para querer tudo de novo.
Vira adolescente e coisas estranhas acontecem no coração da gente...
primeira calça... primeiro amor... primeiro beijo... primeiros desejos.
Os sonhos vão além das pipas, dos piques, embora a felicidade fique brincando de esconde-esconde, mas, não importa aonde, nosso destino é querer.
Quanto mais escuro é melhor para ver.
Quanto mais "NÃO", é melhor para fazer.
Fica adulto.
Novas calças... novos amores... outros beijos e desejos.
Mesmo a felicidade brincando de esconde-esconde, a gente vai, não importa aonde.
Na ponte da vida desde o cordão umbilical, indo bem ou mal
passando pela criancice e adolescência, culminando na velhice, nossa sina é a querência que muda conforme a idade, mas no fim é tudo igual.
O que dizer então do poeta que nem sempre sabe fazer a travessia?
Ou se sabe, alterna entre as pontas no dia a dia vez em quando adulto, adolescente, vez em quando criança.
Afinal de contas, quem sabe querer mais que o poeta se a própria vida é inconstância?
Ele apenas brinca com ela e tira proveito dela.
Se é para querer, vamos querer com vontade seja qual for nosso tempo, seja qual for nossa idade.

Carlos - menino beija-flor

Se você, como eu ( quem dera)
também quisera,
não me deixasse à espera
ia ser primavera
e não só sonhos e quimeras;
Amor deveras!
Se você quiser como eu quero, com esmero
só um pouquinho mais,
tristezas não mais...
são meras
são meras
são meras.
Se você quiser como eu peço,
nada mais eu peço.
Quem dera...
quem dera...
quem dera...

Carlos - menino beija-flor

Em meio a vastidão do céu
Asas bem ligeiras
Enganam aos olhos mais atentos,
Encantam aos corações mais distraídos...
Pairam no ar.
Verde azulado, rosa alaranjado
Conforme a luz do teu olhar
Muda de todo o seu colorido...
Numa dança de harmonia e delicadeza
Cortejam a pequenina flor de tamanha beleza
Que de tão tímida, em pétalas um rubor,
Espera em silêncio, o beijo do seu amor.

Marcia Bandeira