São João da Cruz

Encontrados 23 pensamentos de São João da Cruz

Deus é inacessível. Não repares, portanto, no que as tuas faculdades podem compreender, nem teus sentidos experimentar, para que não te satisfaças com menos e assim perderes a presteza necessária para chegar a ele

São João da Cruz

Mesmo que realizes muitas coisas, não progredirás na perfeição, se não aprenderes a negar a tua vontade e a sujeitar-te, deixando a preocupação de ti próprio e das tuas coisas.

São João da Cruz

Nada, nada, nada. Nem a pele nem os ossos, tudo para Jesus Cristo.

São João da Cruz

"...A mosca que pousa no mel não pode voar... ASSIM, a alma que fica presa ao sabor do prazer, sente-se impedida em sua liberdade e contemplação."

São João da Cruz

"...Quem se queixa ou murmura não é cristão perfeito... nem mesmo um bom cristão..."

São João da Cruz

"...O amor não consiste em sentir grandes coisas, mas em despojar-se e sofrer pelo amado..."

São João da Cruz

"...A pessoa que caminha com Deus e não afasta de si as preocupações, nem domina as suas paixões, caminha como quem empurra um carro encosta acima..."

São João da Cruz

"...Parece-me que o segredo da vida consiste em aceitá-la tal como ela é..."

São João da Cruz

No crepúsculo da vida, seremos julgados pelo amor.

São João da Cruz

A única linguagem que Deus
ouve é o silêncio do amor...
O silêncio não é o amor
mas um preâmbulo para o amor.

São João da Cruz

Sofrer por Deus é melhor que fazer milagres.

São João da Cruz

A medida que a noite se aproxima,
faz-me de novo lembrar
que a alma que caminha no amor,
não descansa nem se cansa.

São João da Cruz

O indício mais verdadeiro de que o espírito está nos consumindo, é o fato de termos chegado a apreciar a solidão no silêncio

São João da Cruz

Até que aprendamos
a esquecer e abrir mão
das exigências de nossas paixões
e aprendamos a disciplinar nossa memória
e nossa imaginação,
nosso coração esta destinado
a ficar sempre em tumulto;
nossa alma, nunca em paz.

São João da Cruz

Vivemos insatisfeitos com nós mesmos,
indispostos com nosso próximo,
preguiçosos em nosso relacionamento com Deus.
Com nossa força espiritual enfraquecida,
adoecemos.

São João da Cruz

Quando permitimos
que nossas lembranças
e nossa imaginação
atravanquem nosso coração,
resta pouco
ou nenhum espaço para Deus.

São João da Cruz

Jamais desfrutaremos
da suavidade pura da união com Deus
enquanto nos satisfizermos
com as consolações passageiras desta vida.

São João da Cruz

Precisamos nos mover
do conhecido para o desconhecido,
da luz do dia para a noite escura da fé.

São João da Cruz

Quando vemos com os olhos da fé,
estamos vendo na escuridão.

São João da Cruz

Descobrir a luz da fé
é como ter nascido cego
e então começar a ver cores
que jamais se havia visto.

São João da Cruz

Embora eu sofra a escuridão
nesta vida mortal,
isso não é algo tão difícil;
porque, se me falta a luz,
tenho a vida celestial.
Pois, quanto mais cego é o amor,
mais dessa vida ele proporciona
conservando a alma em total abandono,
vivendo sem luz na escuridão.

São João da Cruz

O amor é a inclinação, a força e a virtude de que a alma se serve para ir a Deus, pois é por meio dele que ela se une a Ele.

São João da Cruz

A Noite Escura da Alma

Canções de S. João da Cruz (1542-1591)
que descrevem o modo pelo qual o místico chega ao estado de perfeição espiritual.
(1578)

.

Um Texto da São João da Cruz
.
1. Em uma noite escura,
De amor em vivas ânsias inflamada, (1)
Oh, ditosa ventura!
Saí sem ser notada, (2)
Já minha casa estando sossegada. (3)

2. Na escuridão, segura,
Pela secreta escada, disfarçada, (4)
Oh, ditosa ventura!
Na escuridão, velada,
Já minha casa estando sossegada.
3. Em noite tão ditosa,
E num segredo em que ninguém me via,
Nem eu olhava coisa,
Sem outra luz nem guia (5)
Além da que no coração me ardia.

4. Essa luz me guiava,
Com mais clareza que a do meio-dia,
Aonde me esperava
Quem eu bem conhecia, (6)
Em sítio onde ninguém aparecia. (7)

5. Oh, noite que me guiaste!
Oh, noite mais amável que a alvorada!
Oh, noite que juntaste
Amado com amada,
Amada já no Amado transformada! (8)

6. Em meu peito florido
Que, inteiro para ele só guardava,
Quedou-se adormecido,
E eu, terna, o regalava,
E dos cedros o leque o refrescava.

7. Da ameia a brisa amena, (9)
Quando eu os seus cabelos afagava,
Com sua mão serena
Em meu colo soprava,
E meus sentidos todos transportava.

8. Esquecida, quedei-me,
O rosto reclinado sobre o Amado; (10)
Tudo cessou. Deixei-me,
Largando meu cuidado
Por entre as açucenas olvidado. (11)

-------------------------------------------------------
nota de rodapé:

(1) Trata-se de alma adiantada na espiritualidade, pois está incendiada do amor a Deus.
(2) Isto é, saiu de si, sem ser impedida pelos sentidos inferiores que compõem o ego.
(3) Casa sossegada: vida interior com pleno domínio das pulsões inferiores e das paixões menores.
(4) A escada mística da ascese rumo à Divindade. A escada joanina desdobra-se em 10 degraus.
(5) A luz da fé e do amor.
(6) Em sendo evoluída, a alma já conhecia a Divindade.
(7) O centro da alma, o espírito que é também sua parte mais alta.
(8) Pela união com a Luz a alma se transforma na Luz.
(9) Ameia: cada um dos arremates salientes, separados por intervalos regulares, construídos na parte mais alta do castelos, das torres e das muralhas que protegiam as cidades antigas. Vê-se que a alma subiu a escada para encontrar a Divindade. Brisa amena é sopro, símbolo do influxo espiritual de origem celeste. Mensageiro divino, o vento afasta as trevas. Na tradição bíblica, o "sopro de Deus" animou o primeiro homem. No poema, o sopro de Deus faz surgir o ser iluminado ( o novo homem que retornou à origem divina).
(10) Esquecida de si, quer dizer, com a atenção concentrada só no Amado.
(11) Sua inquietação desapareceu.

São João da Cruz