Olavo de Carvalho

Olavo de Carvalho (29 de abril de 1947) é um filósofo brasileiro.
1 - 25 do total de 45 pensamentos de Olavo de Carvalho

A crítica não tem sobre a psicologia das massas o poder sugestivo que têm as crenças afirmativas, mesmo falsas.

Olavo de Carvalho

“O sentimento segue aquilo que amamos. Se amamos o que é verdadeiro, bom e belo, ele nos conduzirá para lá. O problema, portanto, não é sentir, mas amar as coisas certas. Do mesmo modo, o pensamento não é guia de si próprio, mas se deixa levar pelos amores que temos. Sentir ou conhecer, nenhum dos dois é um guia confiável. Antes de poder seguir qualquer um dos dois, é preciso aprender a escolher os objetos de amor – e o critério dessa escolha é:
Quais são as coisas que, se dependessem de mim, deveriam durar para sempre?
Há coisas que são boas por alguns instantes, outras por algum tempo. Só algumas são para sempre.”

Olavo de Carvalho

Se cometi tantos erros, se tão rico e variado é o repertório dos meus pecados, para que inventar mais um, acusando-me logo daquilo que não fiz?

Olavo de Carvalho

Há coisas que são boas por alguns instantes, outras por algum tempo. Só algumas são para sempre.

Olavo de Carvalho

“Cada um, afinal, projeta no mistério divino as qualidades imanentes à sua própria alma.”

Olavo de Carvalho

“As portas do espírito só se abrem à perfeita sinceridade de propósitos.”

Olavo de Carvalho

"Honrar exemplos ilustres não é o mesmo que subscrever suas idéias.”

Olavo de Carvalho

“É a proporção entre nossas representações e a experiência, que assegura a racionalidade dos nossos pensamentos.”

Olavo de Carvalho

"Moderação na defesa da verdade é serviço prestado à mentira.”

Olavo de Carvalho

“Se a hipocrisia é a homenagem que o vício presta à virtude, o cinismo é a afirmação ostensiva do vício como virtude.”

Olavo de Carvalho

“Conservadorismo significa fidelidade, constância, firmeza. Não é coisa para homens de geléia.”

Olavo de Carvalho

“O homem medíocre não acredita no que vê, mas no que aprende a dizer.”

Olavo de Carvalho

“Não há covardia mais torpe que a covardia da inteligência, a burrice voluntária, a recusa de juntar os pontos e enxergar o sentido geral dos fatos.”

Olavo de Carvalho

“Burrice e maldade jamais foram termos antagônicos.”

Olavo de Carvalho

“Nada debilita mais a inteligência do que a obstinação orgulhosa na astúcia fracassada.”

Olavo de Carvalho

“A vaidade da ignorância é um abismo de miséria humana.”

Olavo de Carvalho

“Os fortes não têm medo de encarar o pior: os fracos fogem dele porque sua mera visão os esmaga.”

Olavo de Carvalho

“Quanto mais nos aproximamos de um princípio universal, mais vão ficando para trás e cada vez mais longe as realidades concretas cuja explicação buscávamos. E, ao voltarmos do topo, às vezes parecemos ter perdido de vista o propósito da viagem. O momento do reencontro passa, e nada nos resta nas mãos senão o enunciado abstrato e sem vida de um princípio lógico, que é a recordação melancólica de uma universalidade perdida. É preciso, portanto, descer novamente do princípio às suas manifestações particulares, e depois subir de novo, e assim por diante. De modo que a alternância sim-não, verdade-erro, que constitui para nós o início da investigação, é finalmente substituída pela alternância alto-baixo, universal-particular. Passamos, assim, da oscilação horizontal para a vertical. E é justamente o despertar da capacidade de realizar em modo constante esta subida e descida, que constitui o objetivo de toda educação tradicional.”

Olavo de Carvalho

“O homem, o indivíduo humano, é o portador do conhecimento efetivo. O conhecimento enquanto bem social é apenas conhecimento potencial, é coleção de registros e convenções que, para tornar-se conhecimento efetivo, deve ser efetivado, atualizado na consciência do indivíduo vivente.

Olavo de Carvalho

"Só no plano do indivíduo autoconsciente é que o conhecimento pode adquirir validade: só na consciência individual vivente se realiza a prova apodíctica, só o indivíduo tem acesso efetivo às verdades universais, enquanto a coletividade deve se contentar com fórmulas mais ou menos convencionais — ou consensuais — de uma verdade meramente potencial."

Olavo de Carvalho

"A meu ver, o ideal comunista - a construção deliberada de uma "sociedade mais justa" - é intrinsecamente mau. Não existe justiça nenhuma em planejar de antemão a vida das gerações futuras, obrigando-as a arcar com o peso de milhares de decisões que não tomaram e com as quais talvez não venham a concordar. É monstruoso decidir hoje, de maneira irrevogável, a vida dos homens de amanhã."

Olavo de Carvalho

"Há na cultura mundial de hoje toda uma mitologia, toda uma idealização das revoluções, como se não fossem acontecimentos separados, mas sim etapas de uma caminhada em direção à liberdade crescente. Pode-se discernir, de fato, um sentido geral e unitário na sucessão de revoluções — mas ele não aponta na direção da liberdade crescente e sim no do crescimento do poder, no do aumento da distância entre o poderoso e o homem comum."

Olavo de Carvalho

Discutir com o ignorante é uma das tarefas mais difíceis deste mundo. As razões do debatedor inteligente, culto, são transparentes: exibem-se no conteúdo do seu discurso, porque ele mesmo as pensou e as colocou ali. As do ignorante, sendo desconhecidas dele próprio, vêm de uma atmosfera social difusa, entre obscuras associações de ideias,automatismos de linguagem e mil e um pressupostos mal conscientizados. Desencavá-las é como analisar um sonho. Você tem de mergulhar fundo no inconsciente coletivo para descobrir de onde o cidadão tirou os motivos de crer naquilo que afirma.

Olavo de Carvalho

Não há nada mais difícil do que fazer alguém tomar consciência da sua inconsciência progressiva.

Olavo de Carvalho

[No Brasil,] O ambiente visual urbano é caótico e disforme, a divulgação cultural
parece calculada para tornar o essencial indiscernível do irrelevante, o que surgiu ontem para
desaparecer amanhã assume o peso das realidades milenares, os programas educacionais oferecem
como verdade definitiva opiniões que vieram com a moda e desaparecerão com ela. Tudo é uma
agitação superficial infinitamente confusa onde o efêmero parece eterno e o irrelevante ocupa o centro
do mundo. Nenhum ser humano, mesmo genial, pode atravessar essa selva selvaggia e sair
intelectualmente ileso do outro lado. Largado no meio de um caos de valores e contravalores
indiscerníveis, ele se perde numa densa malha de dúvidas ociosas e equívocos elementares, forçado a
reinventar a roda e a redescobrir a pólvora mil vezes antes de poder passar ao item seguinte, que não
chega nunca.

Olavo de Carvalho