O Mundo de Sofia

Romance norueguês de tom filosófico escrito por Jostein Gaarder, publicado em 1991. Foi traduzido para mais de 50 línguas, tendo a sua primeira edição em língua portuguesa em 1995.
Encontrados 11 pensamentos de O Mundo de Sofia

Para nos tornarmos bons filósofos precisamos unicamente da capacidade de nos surpreendermos...

O Mundo de Sofia

Quem sabe o que é correto age corretamente (...)
O verdadeiro conhecimento leva a agir corretamente.

O Mundo de Sofia

(...) Só quando sentiu intensamente que um dia ela desapareceria, é que pôde entender exatamente o quanto a vida era infinitamente valiosa. E quanto maior e mais clara era uma face da moeda, tanto maior e mais clara se tornava a outra. Vida e morte eram os dois lados de uma mesma coisa.

O Mundo de Sofia

Talvez a verdade seja uma questão de ponto de vista e a mentira um ser mutável que igual à larva da borboleta com o tempo torna-se aceitável, ficando a critério de cada um escolher a sua verdade... A mais agradável!

O Mundo de Sofia

Se nunca ficássemos doentes, não saberíamos o que significa a saúde. Se nunca tivéssemos fome, não experimentaríamos a agradável sensação de saciá-la depois de uma refeição. Se nunca houvesse guerras, não saberíamos o valor da paz, e se nunca houvesse inverno, não poderíamos assistir a chegada da primavera. Tanto o bem quanto o mal são necessários ao todo.

O Mundo de Sofia

Mas a vida é triste e solene. Somos deixados num mundo maravilhoso, encontramo-nos aqui com outras pessoas, somos apresentados uns aos outros e caminhamos juntos durante algum tempo. Depois nos separamos e desaparecemos tão rápida e inexplicavelmente quanto surgimos.

O Mundo de Sofia

Tudo depende do tipo de lente que você utiliza para ver as coisas.

O Mundo de Sofia

Sofia colocou os óculos. Tudo à sua volta ficou vermelho. As cores claras ficaram vermelho-claras e as escuras vermelho-escuras.

- O que você está vendo?
- O mesmo de antes, só que vermelho.
- A explicação para isto é que as lentes dos óculos determinam o modo como você percebe a realidade. Tudo o que você vê é parte do mundo que está fora de você mesma; mas o modo como você enxerga tudo isto também é determinado pelas lentes dos óculos. Você não pode dizer que o mundo é vermelho, ainda que neste momento ele pareça vermelho.

O Mundo de Sofia

O fato de o mar estar calmo na superfície, não significa que algo não esteja acontecendo nas profundezas.

O Mundo de Sofia

Um filósofo é, portanto, alguém que reconhece que há muitas coisas que não entende. E isso aflige-o. Deste ponto de vista, é porém mais sábio que todos os que se gabam do seu pretenso saber.

O Mundo de Sofia