Fernanda Gaseta

Encontrados 24 pensamentos de Fernanda Gaseta

Nenhum amor é eterno certo? Isso significa que se Shakespeare, Vinicius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade não fizeram poemas com juras aternas, nem amores eternos, quem criou essa coisa de pra sempre foi a gente e é por isso que sempre damos com a cara na parede né?! Nenhum amor é eterno, mais você tem que aproveitar todos como se fossem, porque cada amor é único, cada amor é um, tem que ser vivido da forma mais intensa possível, todos os dias tem que ser guardados na memória, e as lembranças ruins devem ser apagadas, e se deve aprender com os erros. Quando esse amor acabar, chore, mostre que realmente valeu a pena tudo o que vocês passaram. Depois que as lágrimas secarem siga a sua vida, um sorriso no rosto, e abra seu coração para um novo amor. Para viver tudo novamente. Para aprender com os novos erros, aprender com o outro novamente, para fazer loucuras, para rir, chorar, se emocionar, e enfim amar. É disso que a vida é feita. Quando dizem que o importante é ser feliz e ter saúde e que o resto não importa, eu te pergunto: Tem como ser feliz se não estiver apaixonado?

Fernanda Gaseta

Quando eu quero uma coisa eu vou até o fim. Podem me chamar de teimosa, do que for, mais eu me definiria como determinada. Não descanso enquanto não conseguir. Pode ser que a vontade diminua, mais eu não deixo de querer. Sou determinada a ir em busca dos meus objetivos, a conseguir minhas conquistas, a sonhar e a buscar meus sonhos sempre. Sou mimada desde pequena, eu queria, eu tinha. Dei com a cara na parede muitas vezes por causa dessa minha mania de achar que vou conseguir tudo sempre, mais eu não desisto, a vida é assim ué. Uma coisa que aprecio muito é o gostinho da vitória, da conquista, não tem igual. Mas também, aquela corrida contra o tempo e contra todos pra alcançar meus sonhos por mais impossíveis que sejam é o que me faz sempre correr atrás e sonhar de novo. Aquela sensação, não importe o tempo que demore, de estar indo atrás de uma coisa que você realmente quer, de ver o finalmente se aproximando, e de olhar pra trás e dizer eu lutei, eu conquistei, eu vou conseguir, é a melhor coisa do mundo. Sei reconhecer que as vezes desisto de certas coisas, mais é só quando eu vejo que não vale a pena, nunca é pela dificuldade de obstáculos. Já quis tanta coisa que eu lutei demais, lutei mesmo, e no fim quebrei a cara. Mas pergunta se eu deixei de querer? Lógico que não! Porque eu sei que um dia eu vou conseguir. Só vou deixar de querer quando eu ver que realmente não vale a pena. E pode ter certeza que quem decide se um sonho é muito grande, se ele é impossível, se é besteira, se ele não vale a pena, sou eu, nunca são os outros; porque no fim sou eu que saio ganhando, não eles. E como diz um sábio poeta: "Nossas dádivas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar, se não fosse o nosso medo de tentar." Eu tento. SEMPRE. E você?!

Fernanda Gaseta

Hoje eu escrevo com o coração na boca, mente aberta, pés no céu e pensamentos além.
Sabe quando em um segundo seu mundo desanda? Se perde? Dá aquele desânimo, a gente não tem vontade de nada. Parece que as bruxas estão soltas. Você se sente sozinha, e sente aquela pontinha de inveja de todos os casais felizes. Seu coração aperta tanto de vez em quando e você fica a flor da pele. Uma angústia. E um momento de paz, calma, amor, sorriso, parece ser impossível. Você desacredita no amor. O dia fica triste, sem graça. Vem então aquela síndrome de Barbie, a típica pessoa que não consegue e nem quer ficar sozinha. Você quer um Ken na sua vida, quem te faça feliz. Daí quando você está em um desses dias monótonos que parecem não acabar nunca e você só quer dormir e sumir, o sol começa a brilhar de novo, o dia está lindo, a vida é bela, a girafa amarela e você descobre. Por acaso, mais descobre. Descobre que as coisas não são bem assim, tão tristes e modorrentas. E descobre que vc pode achar outra pessoa que vai fazer seu coração parar, o chão sumir, o mundo parecer mais lindo, e te fazer feliz enfim. Você sente isso. E ela aparece assim na sua vida, do nada. E você fica naquela expectativa. Faz toda a sua rotina, faz tudo pensando nela. Aquela emoção que só quem está apaixonado sabe como é. Por enquanto, por mais platônico que ainda seja - e você SABE que é só por enquanto - passa pela sua cabecinha (que não sai da lua) como serão os dias com ela, e você fica imaginando, andando por aí com um sorriso abobado no olhar. Esperando o dia que isso vai sair do platônico e se tornar real. Fica naquela expectativa enquanto O dia não chega. Afinal, só resta esperar e ver no que vai dar.

Fernanda Gaseta

Verdadeiros amigos deveriam se chamar irmãos. Porque os verdadeiros amigos gostam de você do jeito que você é, com todos os seus defeitos, qualidades, assim como sua família. Esses que estão com você em todos os momentos da sua vida; perdoam seus atos; riem das suas besteiras; te alertam sobre seus erros não te julgam; não te questionam; sempre te perdoam; te ensinam coisas novas, novos horizontes, novos pensamentos; te modificam, e se deixam modificar por você, para melhor, sempre um completando o outro; não saem do seu lado, não importa o que você faça. É um sentimento recíproco. Tomam um pedaço no seu coração muito rápido, não importa por quanto tempo. E conforme o tempo você percebe quem são os verdadeiros amigos, aqueles que podemos chamar de irmãos. E posso afirmar que não é o tempo que faz eles serem verdadeiros, pois existem amigos que fazem muito por você em meses do que amigos de anos. Porém a vida é feita de fases. Assim como uma roda gigante, a vida não para, as pessoas mudam, sua personalidade muda, e seus amigos mudam. Os verdadeiros permanecem. Todo e qualquer amigo que passar em nossa vida vai passar sozinha, de uma forma diferente, isso porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra. Cada amigo que passar, quando for embora, vai levar um pedaço nosso, mas conosco vai deixar um pedaço de si. É por isso que destino existe, é por isso que as pessoas não se encontram por acaso.

Fernanda Gaseta

Você pode ter milhões de amigos, milhões de namorados, milhões de fases, milhões de qualidades, milhões de defeitos, mas no fim, quem vai estar do seu lado em todas as suas atitudes, não importa o seu jeito ou o que você faça, que vai te aceitar do jeito que você é, é a sua família. Eu aprendi que o melhor brinquedo é a sua família. Brinquedos vivos, que dão e recebem, que nos fazem crescer e crescem também pelas nossas mãos. Que se transformam depois em grandes amigos para toda a vida, em companhia sempre presente de qualquer maneira. Em algo que fica quando se perde tudo aquilo a que nos conduziu a nossa loucura, quando se perde o que o tempo nos vai levando. Posso dizer que sou uma pessoa de grande privilégio, pois tenho a melhor família que alguém poderia ter. Tem as pessoas mais loucas, mais retardadas, mais felizes, mais unidas, mais amadas. Estando com eles, seja como for.

Fernanda Gaseta

Sabe, hoje, por mais que eu tenha cansado de muita coisa, sentei pra escrever e pensei: do que eu vou falar?! Tenho dentro de mim tantas dúvidas, tantos temas, tantas explosões que nem eu sei por onde começar. Falar de amor não daria certo, meu coração anda tão longe, que já nem sei mais se ele volta um dia. Falar de amigos seria patético, pois cada um segue sua vida, se afastam, e eu descobri que é assim que funcionam as coisas. Falar de família é uma sensação estranha, porque por mais que eu ame e saiba que eles estão comigo ali, o tempo todo, não são a minha inspiração hoje. Eu poderia falar de saudade, de tempo, de pessoas alheias, generalizar tudo e todos e falar pronto, esse é meu assunto, ou, eu poderia fazer um super texto com palavras lindas e de auto-ajuda pra todo mundo elogiar e dizer, nossa, realmente, você se superou. Mas as pessoas sempre leem os textos e acham o máximo, se divertem ou choram e pensam que é assim que tem que ser, mas ninguém age. Cansei de fazer textos assim também. Na verdade, cansei de escrever qualquer tipo de texto, sobre qualquer tema, porque por mais que eu escreva rios de palavras, me expresse, vomite meus sentimentos nas linhas, e abra meu coração, as pessoas nunca vão saber realmente o que se passa dentro de mim, e quem eu sou realmente. E isso também já me cansou.

Fernanda Gaseta

Meu coração anda longe, voando, em algum lugar bem distante. Um lugar onde ninguém o vê, ninguém o escuta ou o sente. Ele foi sem dizer nada. Simplesmente estava lá e de um minuto a outro não estava mais. Não tivemos nenhum tipo de desentendimento antes de acontecer isso, foi só um silêncio enorme, que dizia mais que qualquer palavra. E eu entendo que ele já não suportava mais nada. Tínhamos uma sintonia incrível, eu achava que ele era parte de mim, mas agora que ele se foi, tenho a certeza que ele era eu por completo. Sempre me disse que eu não era desse mundo, e que eu podia muito mais se eu quisesse. Eu não o ouvi e não me deixei levar por ele. Tantas e tantas vezes sentia que aquilo não era certo, que eu ia acabar me magoando muito e o machucando. Mas eu fechava meus olhos e me entregava. E quando tudo passava, e a dor vinha com mágoas e sofrimento, ele ainda estava lá, comigo, não me abandonou. Ultimamente vinha dizendo que eu precisava abrir os olhos, não me deixar levar, não me deixar enganar, mas como sempre, eu não o escutava. Várias são as vezes em que ele me disse que por mais que eu errasse ele ainda estaria ali, porém, que se cansaria um dia. Eu, muito teimosa, o testei até ele não agüentar mais. Antes do silêncio nos invadir, ele me lembrou da promessa que tinha me feito, de sempre estar comigo, e de nunca me deixar, mas, balançando a cabeça confirmou o que eu temia tanto, pra sempre e nunca são palavras que não existem e não se devem fazer promessas com elas, sendo que não serão cumpridas. O silêncio tomou conta da gente. E, depois disso, aconteceu. Agora ele está fora de mim, perdido por aí, e eu já nem consigo saber se ele volta um dia.

Fernanda Gaseta

Quando ela perguntou o que mais temia e ele começou a responder, parecia que o mundo ia se abrindo abaixo dos seus pés, os olhos subtamente se enxeram de lágrimas e só restou desviar o olhar. Olhou para todos os lados, mas não podia encará-lo de novo, não depois de tudo aquilo. Era uma dor tamanha que dava até enjoo, o corpo pesado, e aquela bola gigantesca crescendo na garganta, não demoraria muito pra ela desabar num choro profundo. Quando ele acabou de falar ficou encarando os própios pés na espera de alguma reação. Por mais que ele parecesse triste no fundo ela sabia que ele nem ligava. Ele nunca teve sentimentos, sempre foi gélido, e sempre seria, ela tinha a certeza que não seria ela a despertar nele aquele sentimento tão comum a todos. Num súbito, sentindo que não aguentaria mais nada, ela respirou fundo, levantou-se e saiu andando, as lágrimas correndo pelo rosto numa velocidade tamanha. Saiu, sem rumo e sem ao menos olhar para trás.

Fernanda Gaseta

Sinto.
Falta, saudade, ausência.
Sinto muito.
Sinto o silêncio, que sufoca, incomoda, agita.
Me tira o sossego, me traz a lembrança, junto com a agonia.
Cadê tudo?
Queria poder pegar, apalpar e colocar na minha frente, transformar o passado em futuro, e dizer que já não sinto mais falta.
Saudade de um sorriso, um oi, um telefonema, um amigo, um amor.
Sinto tanta coisa incontrolável.
Sou.
Sou saudade, passado e presente.
Brinco com o futuro.
E sinto.
Sinto muito.

Fernanda Gaseta

"Não preciso que as pessoas me digam como ser feliz, como agir, que me deêm formulas de como ser. Eu mesma crio e modelo a minha felicidade como se fosse uma massinha. Tudo se encaixa e se ajeita desse jeito, sem interferências de ninguém. Existem pessoas que tentam destruir isso, e fazem de tudo o que podem e mais um pouco, mas meu santo é mais forte. Seguir regras me incomoda, não é de mim. O que as pessoas dizem a meu respeito, comentam, é opinião deles, só eu sei como realmente sou. Acredito em contos de fadas e amores eternos, e mesmo assim, vivo com meus pés no chão. Guardo tudo o que eu passo em um baú, desde risos até lágrimas, e de vez em quando gosto de olhar tudo, e ver o quanto cresci. Meus sonhos são meus mais precioso tesouro, não abro mão deles, muito menos os vendo para alguém. Minha fórmula da felicidade é misturar amigos, família, amores, e viver."

Fernanda Gaseta

Queria poder dizer que muitas coisas são pra sempre, mas aprendi que "pra sempre" não existe, e as muitas coisas que perdemos são parte do nosso amadurecimento, se não tivessemos passado por elas, e pela perda das mesmas, nós não seríamos completos.

Fernanda Gaseta

Deixarei que morra em mim esse desejo, não só porque nada posso te dar além do meu olhar exausto, mas porque o meu cansaço faria meu amor por você morrer aos poucos, e isso seria pior do que a perda de um ente querido. Quero que você se lembre de todo o meu amor dado, da minha compreensão, do meu carinho, da minha dedicação, e espero que um dia você aprenda a retribuir, em qualquer tipo de detalhe, seja ele mínimo ou não, porque teria feito grande parte da diferença. Entenda que ninguém consegue fazer tanto por alguém e não receber nenhum afago em troca, nenhum amor suporta isso, é desgastante para qualquer coração. Portanto, quero que esse seja o fim, para congelarmos enquanto está tudo bem e levar assim para sempre.

Fernanda Gaseta

Abriu os olhos.
Sentiu cada agulhada de luz que penetrava.
Acordou.
Levantou e começou a vestir a roupa.
Na verdade, a máscara. A máscara que vestia diariamente.
Saia para o café, fazendo tudo como fazia todos os dias.
Até quando mais iria suportar essas ondas gigantes em si?
A cada amanhecer ficava mais e mais difícil de saber o que estava sentindo, saber o que estava acontecendo.
Almoçava e por mais que comesse, ainda sentia aquela gelatina mole e sem sabor que insistia em se instalar no seu estômago.
Por mais que tentasse, não conseguia distinguir, descrever, desenhar, seja lá o que for, seus sentimentos.
Eles eram extremamente intensos e confusos.
Moldava, brincava, pintava, bordava, olhava.
Tentava olhar de todos os ângulos.
Não lhe agradava, não era daquele jeito ainda.
Desfazia tudo.
Simples como amassar e jogar fora.
Descansava nas tardes cinzentas tentando achar alguma distração que levassem seus pensamentos para bem longe.
Não importa o quão longe, tinha que ser o bastante para não voltarem mais.
Ou voltarem, mas só quando estivessem organizados o suficiente.
Ainda não tinha vontade de colocá-los em ordem, estava tudo complicado, nem ela entendia.
Passavam-se alguns minutos e começava a tentar de novo.
Ia ficando mais difícil, sempre tinha um obstáculo a mais, um carinho a mais, uma pessoa a mais, uma demonstração a mais, uma indecisão a mais. Como se fosse um jogo, a cada pergunta respondida surgiam mais três.
Mas ela balançava o pescoço relaxando os ombros, e junto com o jantar disfarçado, tentava enganar seus pensamentos e sentimentos, tentava fugir deles, eram tantos, e ficavam cada vez mais dificeis de organizar.
As pessoas comentavam como ela era forte.
Ela sorria.
Dissimulava.
Era. Muito. As vezes demais, e as vezes era até dura demais consigo. Porém, apesar de ser tão fortaleza, tão inteligente como as pessoas diziam, se embaralhava com sua própria mente.
Antes de dormir olhava no espelho, enxergava a si mesma, mas não sabia dizer direito quem era e o que queria.
Deitava a cabeça no travesseiro, relaxava, se sentia mais mulher do que nunca.
Ficava imaginando como todas as horas do seu dia poderiam ser desse jeito, calmas, silenciosas, tranquilas, sem ninguém que incomodasse por perto.
Ninguém.
Nem suas próprias idealizações, utopias e realidades.
Como queria não pensar em nada.
Mas só o fato de querer não pensar a fazia pensar.
Era um emaranhado que a induzia a viajar cada vez mais.
E as luzinhas brancas vinham em sua direção.
E seu coração voava.
E seus pensamentos se transformavam.
Sorria.
O sorriso mais sincero de todo o seu dia.
Adormecia.

Fernanda Gaseta

Uma resposta a Augusto Cury:
"O ser humano não morre quando seu coração deixa de pulsar, mas quando de alguma forma deixa de se sentir importante"

(Augusto Cury)

Segundo a ciência, a vida começa no momento da concepção e se encerra quando não há mais batimentos cardíacos, porém para a alma, para o espírito, não é assim.
Quando estamos no útero materno todos os cuidados são voltados para nós. Nascemos e somos donos dos olhares em todo lugar. Conforme crescemos e nos desenvolvemos recebemos diferentes tipos de atenção a quase todo momento.
Os anos passam e é nossa vez de desenvolver o papel de dar atenção, seja ela aos filhos, aos familiares, aos amigos ou trabalho, e mesmo dando atenção, continuamos a ser importantes, pois estamos fornecendo-a e ajudando de algum modo alguém. Mas como acontece com nossos pais e pessoas ao redor, acontece conosco também.
Temos família, carreira, amigos e estamos sempre ativos, até que chega um momento em que os filhos se tornam independentes, não somos mais tão ágeis no que fazíamos ou temos que nos aposentar, e os amigos ficam para trás, cada um segue sua vida. É desse momento em diante que começamos a pensar em porque existimos.
O coração está batendo, a saúde está boa, já fizemos tudo o que tínhamos que fazer, mas ninguém vive só pra si e por si, durante uma vida toda fomos importantes pra alguém, seja dando ou recebendo, e agora parece que não participamos mais desse ciclo.
Começamos a procurar formas de voltar a como era antes, tentamos e quase nunca conseguimos. Procuramos ajuda médica, mas ainda não inventaram remédio para a alma. É a partir desse ponto que morremos. Não a morte científica, mas a espiritual.
O ser humano precisa de razões e incentivos para querer levantar da cama todo dia e seguir determinada rotina, uma pessoa sem razão para fazer aquilo que faz, não vive bem. E pra isso inventaram um remédio impossível de comprar: o sonho.
Ter metas, por mais fúteis que sejam, ter objetivos a cumprir, é isso que nos mantêm espiritualmente vivos. Perceba que toda atenção e importância que um ser humano tem ou dá para alguém, gira em torno de seus sonhos.
Nossos pais tiveram um sonho quando nos conceberam, traçaram objetivos e metas para nós, crescemos para alcançar esse objetivo, e conforme crescemos, traçamos novos sonhos e metas para alcançarmos, para sermos tipos de reflexo do que foram nossos pais, criamos um ciclo onde o principal para estar nele é sonhar.
Um ser humano que se sente sem razão para levantar é porque não tem uma meta para alcançar, porque falta esse principal incentivo. Nossas almas são feitas de sonhos, necessitamos deles para sobreviver, para nos sentirmos importantes, fomos incentivados assim desde sempre. A importância de uma pessoa pode ser medida pelo tamanho de seus sonhos. São eles o essencial para estarmos vivos não só de corpo, mas de alma.

Fernanda Gaseta

Sentia-se agoniada fazia dias, aquela mesma sensação estranha de coração batendo na garganta não a deixava em paz. Paz. Era disso que seu corpo mais precisava. Aquela paz interior que só sentia quando estavam juntos, quando o via sorrir, quando sorria com ele. Queria sair a procura de sossego, mas sabia que seria inútil. Decidiu então que faria as malas e iria embora, não dava mais pra viver assim, a falta de ar era tamanha e seu coração acelerava só de lembrar. Enquanto se preparava rapidamente para a viagem foi jogando dentro da bolsa só o que era realmente necessário, não precisava de muito afinal para ser feliz. E se foi. O caminho era longo, seu coração acelerado, e os pensamentos giravam e corriam mais que as rodas dos carros que passavam por ela. Conforme ia chegando ia sentindo aquela sensação tão familiar de alivio, como se alguém soltasse seus pulsos e pudesse voltar tudo ao normal, sentia que ele sabia que ela estava a caminho. Chegou, ele estava lá. Abriu a porta o mais rápido que suas mãos lhe permitiam. Pararam frente a frente e se olhavam como se fosse a primeira vez. Aquele rosto tão familiar, aquele sorriso que enlouquecia, o brilho nos olhos que só ficava presente quando estavam. Ela percebeu que seu semblante levemente se enrugava num tom de questão, ele não precisava fazer perguntas, ela sabia a resposta:
- Onde meu coração tem paz.

Fernanda Gaseta

Então que fique assim combinado. Nós já sabemos que não vamos conseguir por muito mais tempo. Pegue essa cena pra mim, por favor, quero congelá-la e guardar pra sempre. Uma foto disso. Já tentamos tantas e tantas vezes e sabemos de cor o fim de tudo, não há mais possibilidades. Meu coração já não aguentaria perder você de novo para mais tarde tê-lo em meus braços como se nada de ruim tivesse acontecido. Essa não é a primeira e nem a terceira vez que estamos felizes, sorrindo para o mundo, com o coração em paz por estarmos perto, mas sabemos que em pouco tempo tudo muda novamente. Guarde essa pausa do tempo no seu coração, congele ela e leve aonde quer que você vá. Eu farei o mesmo. Se sentirmos falta um do outro, pelo menos saberemos que já tentamos de tudo e dessa vez acabamos bem. Nós vivemos um amor do inicio ao fim. E além do mais, fica mais fácil de aceitar o final quando o coração não ouve gritos. Pode não ser o que queríamos agora, mas é o melhor para nós dois. Você sabe que não há explicação para o que passamos, não adianta procurar, talvez nunca haja. Foi amor, e muito.

Fernanda Gaseta

Não era como lembrar dele de vez em quando, era como pensar nele a cada batida do seu coração. Não era como ela sempre tinha sonhado, era melhor, era como os contos de fadas sempre disseram, com finais felizes. Não eram só beijos, eram abraços quentes nos dias frios, era um cafuné para adormecer, era um carinho para acalmar, um sorriso para lembrar. Não eram só mãos dadas no cinema, eram mãos dadas nas ruas, na fila do banco, mãos em um momento difícil, mãos nos melhores momentos, mãos que exploravam o corpo, a alma, as sensações. Não eram só simples beijos na orelha, eram arrepios que vinham de dentro, de tirar o fôlego, de levantar os pêlos de todo o corpo. Não eram só pernas entrelaçadas, eram vidas cruzadas, contas conjunta. Não eram só olhares trocados, eram segredos, confissões, medos, alegrias. Não era como dividir a cama, era compartilhá-la, assim como era compartilhar uma risada, uma música, uma poesia, um conselho. Não era como ter alguém pra ligar quando quisesse jogar assunto fora, era como ter alguém pra ligar a qualquer momento, como ter alguém pra chorar, alguém pra contar detalhes, alguém pra contar uma piada. Não era como se sentir vazia por dentro, faltando um pedaço, era como saber que sua alma estava dividida em dois corpos, que ele era seu outro corpo, que seu pedaço estava ali. Não era simples como ter um colega, era melhor, era como ter um amigo, um irmão, um confidente, companheiro, cúmplice, um amor. Não era só um namorado, era um amigo amante apaixonado.

Fernanda Gaseta

Pelos beijos, abraços, derrotas, vitórias, conquistas, lutas, brigas, lágrimas, alegrias, amadurecimentos, experiências, esperança, saúde. Pelos apertos de mãos, pelas pessoas conhecidas, pelas amizades ganhas, pelas amizades perdidas. Pelo que valeu a pena, e pelo que eu vou deixar para trás. Pelos erros e pelos acertos, pelas opções erradas, pelas mancadas, pelas "caras dadas na parede", pelo que eu me arrependo de não ter feito, pelo destino, por aquilo que aconteceu e não foi bom, por aquilo que aconteceu sem querer ou querendo e foi inesquecível. Pelos momentos indescritíveis, essenciais, especiais, únicos, e gurdados para sempre no coração. Pelo amor tido, pela vida vivida, por mais um ano passado. Daquilo tudo que foi, guardei só o que foi bom, acabou, passou, e agora é mais um ano que começou.

Fernanda Gaseta

Queria por mais um minuto apenas, não tem um dia que eu não pense em você, a falta que me faz chega a doer. Depois que você foi, aqui tudo foi ficando cinza, sem cor, você trazia tanta cor, mas você foi e levou o aquarela com você e agora nada mais tem pintura. Por isso o céu anda tão colorido de dia e brilhante a noite, além de um anjo, tiveram de volta a sintonia, as cores. Enquanto aqui falta cor, falta chão, faltam abraços confortantes de manhã, faltam comentários importunos, faltam as risadas, faltam as brincadeiras, faltam os carinhos no meio da aula, falta força, falta você e me sobra tristeza. Aperta, agita, sufoca, e só me resta chorar por lembrar. Quando a gente se encontrar eu vou fazer o seu tão prometido chandelle com vodka, e vai ser o melhor do mundo, porque estarei com você. O anjo mais lindo desse céu. Enquanto eu viver, você existirá. Eu te amo muito, sempre vou amar.

Fernanda Gaseta

Já não tenho mais o que dizer. Confesso que estou enrolando há dias para escrever e descrever o que eu tô sentindo. Porém estou mais enrolada que minha enrolação.
Meu coração pulsa de um jeito que ele nunca se atreveu a pulsar antes, e fica me repetindo coisas que eu nem imaginava que ele ainda se lembrasse de como dizer.
Não é falta de felicidade, pois tenho no presente e a frente, grandes realizações. É excesso dela.
Não há ninguém que consiga descrever o que é, ninguém, nem eu. Uma inquietação constante que mesmo nos mais repetidos movimentos, ainda esta lá.
Enrolando, enrolando, enrolando, enrolando.
Não tem ninguém que goste mais de sentir isso tanto quanto eu.
Expectativa.
Coração pulsando.
Me manterei assim, pois como dizia a grande Clarice, "liberdade é pouco, o que eu desejo ainda não tem nome."

Fernanda Gaseta

Eu pessoalmente acho as estrelas fascinantes. Elas têm brilho próprio e são diferentes uma das outras. Entre mais de 100 bilhões de estrelas, quase todas classificadas, com nome e ainda sim, diferentes. Para uma estrela nascer, pode levar cerca de 1 milhão de anos! E dizem também que quando olhamos o céu, grande parte das estrelas que vemos, já morreram, mas o brilho dela ainda está lá. Elas brilham, e brilham muito!
Existem lendas que dizem que se você fazer um pedido a primeira estrela que você ver no céu, ela realiza o seu desejo: “Primeira estrela que vejo, realize o meu desejo!”.
Ou ainda as lendas que dizem que as estrelas cadentes são anjos vindo ver a Terra, anjos mandados diretamente por Ele. Alguém já te disse: “Quando você ver uma estrela cadente, faça um pedido”? Ahh, eu sempre sonhei com uma chuva de estrelas cadente, já pensou?
Uma estrela cadente, um anjo enviado a Terra. Sempre quis saber que forma esses anjos assumiam quando chegavam aqui, e nunca achei respostas. Há um tempo atrás, eu descobri. Eles se tornam humanos, pessoas normais, como a gente. E tão diferentes ao mesmo tempo. Estão aqui para transformar nossas vidas. Dizem que eles perdem o brilho, mas o brilho interno se mantém.
E eu, que sempre achei estrelas fascinantes, tive a sorte de conhecer uma. Tão brilhante, mas tão brilhante, que chega a ofuscar o brilho da estrela Sirius. Entre um bilhão de estrelas, entre tantas que não estão mais lá, entre tantas que vem a Terra, tive a sorte de conhecer a mais brilhante. Ganhei um anjo. E que anjo. Acredito que seja destino, ou ironia dele. Um anjo, uma estrela, como definir? Prefiro dizer estrela, pois me encanta mais.
Ahh, minha estrela-anjo me deixa encantada. Um poeta. Quando os sentimentos foram criados, houve uma definição para cada um deles, e nós como meros seres humanos, só poderíamos sentir, nunca saberíamos do que realmente é composto, nunca conseguiríamos descrevê-lo tão detalhadamente quanto a fórmula original. E essa estrela sabe como transformar tudo em palavras, nos mínimos detalhes, tem o dom para fazer você ficar fascinado com tudo.
A estrela que eu conheci veio para alegrar meus dias, me fazer sorrir. Sempre adorei tentar rabiscar o destino com lápis colorido, fazer dobradura na folha e guardar embaixo do travesseiro. Mas ela vem, me faz rabiscar mais ainda, fazer desenhos multicoloridos, e depois ela lê, e diz que é lindo demais para ficar guardado.
Não preciso saber de qual constelação ela veio. Fico imaginando se quando se deixou encontrar, se já tinha um manual de instruções de como lidar comigo, porque como pode alguém saber tanto assim em tão pouco tempo?
Dizer que eu posso ser feliz, que eu posso imaginar, viajar nos pensamentos, pintar de todas as cores, modelar, e voltar pro mesmo lugar que ele ainda vai estar lá, me ouvindo, e achando graça em tudo, dizendo que estou na altura certa do céu.
Ela se achava maluca por rasgar o verbo em muitas coisas, mas descobriu que pra mim, loucura é não fazer isso. Entre tantas paixões em comum, entre tantos romances e últimos românticos, tantas poesias, tantas músicas, posso generalizar e dizer que temos os mesmos. E tudo isso vem com melodia, com a melhor das melodias, mas ela não precisa ser cantada, nem ser ouvida, a gente simplesmente sabe que está lá.
O meu anjo me diz que sempre carrega um livro no bolso, por maior e mais pesado que seja o livro, ele carrega - são nos livros mais pesados que estão as melhores palavras em harmonia - e meu anjo me disse que eu sou o livro que ele carrega no bolso. Ele escreveu palavras sobre mim que nem no meu mais intimo eu as acharia, me encantou, me fascinou. Por isso sei que ele é uma estrela-anjo, porque só as estrelas me deixam assim. E pra ele, eu sou a flor, a Flornanda.
Porém, como todas as estrelas, como todos os anjos, e como todo mundo, um dia ele vai voltar pro lugar dele no céu, de onde ele veio e aterrisou na minha vida – eu realmente não acredito que sejamos dignos o suficiente para ter um anjo vivendo entre nós. E eu vou olhar o céu, ver as estrelas, e lembrar do meu anjo. E vou vê-lo. Não sei se todo mundo pode, mas eu posso, eu sei que posso. A estrela mais brilhante. E ela vai olhar pra mim de lá e emitir as músicas que fizeram parte dessa trilha sonora toda. E eu estarei com essas músicas em pensamento. Mas eu sou o livro que ele carrega no bolso, sou a flor, e todas as flores se acham em estrelas quando não estão mais aqui. Eu já tenho uma estrela.
Quando as pessoas olharem para um céu estrelado, se prestarem atenção, poderão ouvir uma trilha sonora murmurada. E será a canção mais bela que irão conhecer. Se apaixonarão pelas estrelas, e pedirão para as estrelas cadentes virem, pedirão para ganharem anjos.
Mas a estrela mais brilhante, ainda será a que eu estarei habitando.

Fernanda Gaseta

Nós dois temos linhas de pensamentos, gostos, idéias e ideais parecidíssimos, por fim temos tudo o que duas pessoas precisariam para viver o resto da vida juntos em perfeita união e harmonia, mas a gente ainda cai naquela velha história de não saber lidar com isso, de não saber o que fazer. Talvez seja por isso que estejamos assim hoje, não como pretendemos, não como queríamos, mas como precisamos. Foi dada a cada um a chance de aprender a valorizar o outro, a respeitar, a amar. A chance de realmente entender o significado de uma alma em dois corpos. Pode parecer ironia do destino fazer isso com a gente, mas é esse mesmo destino irônico que vai nos unir mais pra frente. Não posso dizer quanto tempo isso vai levar, às vezes se dá em questão de meses, outra em questão de anos, mas uma coisa é certa, todo esse tempo separados é para aprender. Quando um dia estivermos compartilhando nossas experiências novamente, vamos olhar pra trás e ver o quando crescemos nesse tempo, o quanto tudo o que passamos foi importante, e vamos rir daquele tal de destino, que fez tudo parecer bagunçado e de pernas pro ar. Se bem que não é o destino que nos deixou tão atordoados, isso tem outro nome, na verdade, é um sentimento tão nobre que poucas pessoas ousam ter. Um sentimento indefinido, que esse tempo todo longe não se atreveu a sair daqui, chega a dar medo de nomeá-lo por ser tão intenso, por continuar sendo tão intenso. Quando eu estiver nesse tempo tão esperado que está por vir, quero olhar pra trás, junto com você, e lembrar de tudo o que eu disse, tudo o que dissemos, palavras que nem sempre foram sensatas ou tiveram fundamento, que ousamos nomear, rir, chorar, bagunçar, moldar, mas que estão todas guardadas em silêncio num profundo dentro de mim, e as minhas, dentro de você.

Fernanda Gaseta

SAUDADE (pelo dicionário): lembrança triste e suave de pessoas ou coisas distantes ou extintas, acompanhada do desejo de as tornar a ver ou a possuir; pesar pela ausência de alguém que nos é querido; nostalgia; (no pl. ) lembranças afectuosas a pessoas ausentes;

SAUDADE (por Martha Medeiros): "Em alguma outra vida, devemos ter feito algo de muito grave, para sentirmos tanta saudade..."

Eu estava pensando, sinto falta de muita gente na minha vida, pessoas e amizades que passaram e que não voltam mais, outras que passaram e sabe-se lá Deus onde estão agora, outras que eu vejo de vez em quando, outras que estão sempre do meu lado, mais ainda sim, distantes. São, e foram, tantas promessas de "temos que nos ver mais", "nos vemos essa semana sem falta", "temos que combinar de sair juntos mais vezes", "tô com saudade, vem me visitar?", que não foram cumpridas que eu até perco a conta, e isso é tão chato. Encontrar alguém que você gosta, abraçar, rir, contar tudo, por o assunto em dia, e depois dizer tchau e ficar mais um longo intervalo de tempo sem ver de novo é triste, as vezes penso que seria melhor não ver então, que é pra não dar o gostinho. Pior também é ter aquele GRANDE AMIGO que mora em uma GRANDE distância. Acho que saudade foi inventada por alguém sozinho, que não tinha nada pra fazer, é, pode até ser, mais era uma saudade diferente, uma saudade de tudo aquilo que não foi visto ou sentido, e foi inventado para que as pessoas sintam como é ser sozinho. Contradição: ser sozinho e sentir saudades. Isso até existe né?! No fim, saudade existe pra aprendermos a dar valor, a aproveitar o agora, aproveitar aquele momento que nunguém sabe quando vai acontecer de novo, antes que fique no ar um "temos que nos ver mais" que não vai ser cumprido.

Fernanda Gaseta

Ser feliz independente de como seja. O tempo não volta, só a vontade de voltar no tempo.

Fernanda Gaseta