Barbara Matoso

1 - 25 do total de 32 pensamentos de Barbara Matoso

Sou daquelas pessoas que se drogam com livros, músicas, fotos e blog.

Barbara Matoso

Cada pessoa tem pelo menos um segredo que poderia quebrar seu coração.

Barbara Matoso

Escrito à minha mãe
Em 23 de janeiro de 2008
Mãe, eu queria que tu parasse de andar impaciente por detrás de mim porque já é a vigésima vez que eu começo a escrever em minha cabeça e eu nem sei mais como continuar. Mãe, eu queria que tu nunca tivesse vasculhado o teu passado, que tu nunca tivesse encontrado essa máquina, que nunca tivesse me dado ela porque aí o barulho das teclas dela não ia fazer tuííím no teu cérebro e tu não ia ter de roer tuas unhas tão bem cuidadas com tanta voracidade agora. Mãe, eu queria que tu saísse daqui agora porque tá uma vontade louca de chorar dentro de mim e eu nunca aprendi a fazer isso na tua frente. Mãe, eu queria que tu acabasse com essa fumaça que envolve a gente, eu queria que tu me roubasse esses meus cigarros assim como tu roubou todas as outras coisas ruins de mim sem que eu percebesse. Mãe, eu queria que tu tivesse chorando agora, mãe, igual as outras vezes que eu sentei aqui pra te escrever uma carta-de-te-amo só pra te fazer sorrir. Mãe, eu queria que tu se lembrasse de tudo que a gente já conversou e de quantas vezes eu te disse que o tempo é a coisa mais triste que existe porque o tempo é vazio e não tem sentido e eu, mãe, eu sou o tempo, só que mais vazio e mais triste ainda e todo esse teu amor-de-deus-de-mãe nem parece existir aqui dentro. Mãe, eu queria que tu não tivesse aflita porque tu tem a certeza de que eu tô prestes a fazer uma coisa feia e a tua aflição me entristece ainda mais e essa tristeza crescente me dá ainda mais forças pra não recuar. Mãe, eu queria que tu me prometesse que vai se livrar dessa cidade angustiada, dessas pessoas doentes de angústia, dessa casa angustiada porque nada disso te faz bem, mãe, nada disso. Mãe, eu queria que tu nunca chorasse porque tu sabe o quanto eu te odeio quando tu tá triste, mãe. Mãe, eu queria que tu jamais sentisse culpa por ter sido minha mãe, por ter respeitado minha privacidade, por não ter lido isso aqui antes da hora. Mãe, eu quero que tu se liberte da culpa de ter sido minha amiga durante todos esses verões. Mãe, eu queria que tu me deixasse sozinho hoje, agora, porque eu ainda quero chorar um tempão sem ninguém por perto, mas eu sei que tu tá preocupada demais comigo e não vai sair do meu lado, então vem cá e me dá um abraço bem forte porque eu sei que tu vai sentir uma dor vazia quando eu for embora. Mãe, eu queria que tu perdoasse a sujeira, a bagunça de criança que eu vou deixar, mas eu te juro, eu te juro, mãe, que vai ser a última vez. Mãe, eu queria que tu não entrasse no meu quarto, que não visse nada porque vai ser feio, mãe, vai ser feio, e tu quase nem toma remédios mais e eu acho que eles são insuficientes pra mim. Mãe, eu queria poder te tranqüilizar agora porque paz, como tu sempre diz, mãe, paz é tudo. Mãe, eu queria estar ao teu lado, mãe, e apertar tua cabeça contra meu peito, apertar os olhos e tapar teus ouvidos quando uma das balas me tomar a vida que tu me deu, mãe, que tu me deu. Mãe, eu queria ter sido o filho que tu sempre quis ter. Mãe, eu queria dizer, mãe, eu queria dizer que eu te amo, que eu te amo muito, mãe. Mãe, eu queria

Barbara Matoso

Pra que entender?
Pra que sofrer?
Basta saber,
Que estou amando você.

Barbara Matoso

Podem falar o que quiser, jogar na minha cara o quanto eu sofro de amor, as noites que eu não dormi, os dias que eu perdi. Falem. Mas idependente do que disserem eu vou continuar amando. Porque é melhor sofrer de amor do que sofrer por nunca ter amado.

Barbara Matoso

Mãe, quem dera se por um descuido, Deus te fizesse eterna.

Barbara Matoso

Ei ouça bem, eu sei que já disse isso mil vezes, e sei que quando eu não disse tu interpretou bem meu olhar. Mas veja bem: eu te amo, e embora isso não seja novidade, gosto de repetir isso o tempo todo, pra você jamais esquecer, pra mim te amar cada vez mais…

Barbara Matoso

Ana Jacomo dizia: ”passarinho tem asas do lado de fora, a gente do lado de dentro”. Diga-me Deus, onde estão essas asas? Por acaso passarinho voa no escuro? Porque é só isso que vejo dentro de mim, escuridão, e talvez um caos, uma tempestade que ameaça me escurecer ainda mais.

Barbara Matoso

Fazer versinhos pra ti.
Cantar-te canções de ninar.
Brincadeiras pra te fazer sorrir.
Um sorriso pra me te fazer amar.

Barbara Matoso

Seus olhos brilhavam quando olhava para o ceu e, a noite, enquanto obrservava a lua era encantador ver seu sorriso, seus cabelos negros dançando com o vento. Um sorriso sereno que transmitia calma, que demonstrava o quanto era esperançosa e que era uma grande sonhadora.

Barbara Matoso

- Foda-se!
Eu disse com um amor tão grande que chegou a doer. Porque no fundo ele sabia que eu o amava, embora preferisse ignorar, acreditar que não.

Barbara Matoso

Ainda não me acostumei com o mundo.
Nascer às vezes leva uma vida inteira.

Barbara Matoso

Querida Fênix, quanto tempo é preciso viver para poder voltar às cinzas? Quandas vezes voltarei às cinzas para poder nascer de novo?
Com amor.

Barbara Matoso

Ela era um segredo ambulante, a personificação do mistério. Sua vida era um baú trancafiado a mais de sete chaves e há quase 19 anos. Morreu na primavera, numa manhã ensolarada e de brisa mansa, antes mesmo de acordar-se. Ela era mesmo um mistério ambulante: nem a causa de sua morte conseguiram desvendar.

Barbara Matoso

Essa sensação de aneurisma, de vaziez do tempo, de pus, de vertigem, de câncer no pulmão. Esse gosto de choro, de cigarro, de bala de hortelã, de saudade na boca. Essa vontade de ver o mar, de implorar salvação, de abraçar todo mundo, de enlouquecer. Essa overdose de urgência, de falta, de abandono, de vida. Esse furúnculo, esse vômito, esse hoje cheio de ontem, essa lama, esse caos. Esse momento, esse agora. Esse hoje.

Barbara Matoso

Papai do Céu,
Eu esperei as luzes se apagarem e o silêncio tomar conta para que eu pudesse me ajoelhar diante de Ti e confessar em Teus ouvidos que estou com medo. Não quero que ninguém ouça meus soluços contidos nem que testemunhem minhas mãos tremendo em prece. É que nesta solidão de escuro sinto medo e ninguém pode saber. No meio deste silêncio tenho que sussurrar em desespero para que segure minha mão, porque ninguém mais poderia. Ninguém pode saber que fui uma menina má; ninguém pode me olhar com essa sua compaixão e me dizer que tudo vai dar certo; ninguém mais vai dizer que não existem bichos no escuro e que por isso o medo vai embora daqui a pouco. Por favor, Papai do Céu, me faz menina grande, forte e corajosa. Me faz menina capaz de perdoar os próprios erros.

Barbara Matoso

Eu não quero pedir pela permanência de ninguém. Ultimamente o que andei pedindo em minhas orações é que tudo dê certo, independente dos que terão de ir embora. E você também pode ir quando quiser, não vou pedir para que permaneça em minhas complicações, mesmo que tenha aqueles dias em que eu precise muito compartilhá-las. Fiquei me perguntando por um tempo o que vem a ser uma menina grande, e acabei me convencendo de que sou a pessoa que não deveria enxugar as lágrimas nos ombros de alguém… Era o inverso, eu me lembro bem. E apesar disso tem aqueles dias em que tudo fica mais pesado, entende? Por isso tenho que dizer: vire as costas e vai enquanto há tempo. Fuja do que não lhe pertence, absolutamente. E se quiser ficar meu coração está apto a receber de bom grado, mas que traga amor e fé… Porque, meu bem, não há outra coisa que eu esteja precisando neste momento.

Barbara Matoso

Tô precisando de um daqueles amores com sintomas de gripe.
Perna bamba, falta de ar.
Daqueles que pouco diz,muito sente…
Daqueles que saibam amar.

Barbara Matoso

Vou ensinar uma coisa sobre o amor para vocês.
Claro que há exceções para o que vou dizer, mas são exceções, não a regra.
O amor, apesar do que dizem, não vence tudo.

Barbara Matoso

Com quantos suspiros se escreve a palavra saudade?

Barbara Matoso

Ela ainda tinha o terrível hábito de se expor em palavras… já não tinha mais cura. Era algo enraizado em sua vida.
O que poderia fazer com um coração de pássaro se ela não entendia a língua dos anjos e nem os humanos entendiam a língua dela?

Barbara Matoso

Ela se debateu, se entediou… se frustrou…. demorou muito tempo até entender que não era boa, nem má:era gente.

Barbara Matoso

Não vou pedir que fique nem que entenda, embora eu esteja precisando de alguém que seja capaz de fazer isso por mim; não vou pedir que não tenha medo nem que não tenha insegurança, porque venho tentando não sentir isso sem muito sucesso; não queria pedir nada… Mas se resolver ficar, sinto-me na obrigação de pedir amor e fé. Peço que entenda que já se foram os meus dias de meias verdades e meia entrega. E que me sinto tão cansada de sentir, mas como não tenho como fugir, exijo então que seja verdadeiro.

Barbara Matoso

E eu sinto saudade, daquela epoca em que eu escutava muito pouco do que você me dizia, porque seu coração batia rapido demais - alto demais- pra mim ouvir qualquer outra coisa.

Barbara Matoso

Eu: Grito,
Choro,
Pressa,
Calor.
Ao leite com uma dose extra de sarcasmo.
Preto no branco.

Ele: Sussurros,
Gargalhadas,
Calmaria,
Tempestade.
Meio amargo com uma pitada de sensibilidade.
Omisso por escolha, verdadeiro por impulsão.
Eu o queria para sempre,
Ele só me quer às vezes.

Barbara Matoso