Barão de Itararé

Apparício Fernando de Brinkerhoff Torelly (1895) foi um jornalista e humorista brasileiro, adotou o pseudônimo de Barão de Itararé na Revolução de 30. [Biografia de Barão de Itararé]
Encontrados 22 pensamentos de Barão de Itararé

A televisão é a maior maravilha da ciência a serviço da imbecilidade humana.

Barão de Itararé

O casamento é uma tragédia em dois atos: civil e religioso.

Barão de Itararé

O homem que se vende recebe sempre mais do que vale.

Barão de Itararé

O tambor faz muito barulho mas é vazio por dentro.

Barão de Itararé

Negociata é todo bom negócio para o qual não fomos convidados.

Barão de Itararé

Não é triste mudar de idéias, triste é não ter idéias para mudar.

Barão de Itararé

Quem inventou o trabalho não tinha o que fazer.

Barão de Itararé

Quem inventou o trabalho, não tinha o que fazer!

Barão de Itararé

A pessoa que se vende recebe sempre mais do que vale.

Barão de Itararé

Senso de humor é o sentimento que
faz voce rir daquilo que o deixaria
louco de raiva se acontecesse a você.

Barão de Itararé

Tudo seria fácil se não fossem as dificuldades.

Barão de Itararé

Nunca desista de seu sonho. Se ele acabou numa padaria, procure em outra.

Barão de Itararé

O meu amor e eu nascemos um para o outro, agora só falta quem nos apresente.

Barão de Itararé

Um plano genial

Joaquim Rebolão estava desempregado e lutava com grandes dificuldades para se manter. A sua situação ainda mais se agravava pelo fato de ter que dar assistência a um filho, rapaz inexperiente que também estava no desvio.

Joaquim Rebolão, porém, defendia-se como um autêntico leão da Núbia, neste deserto de homens e idéias.

O seu cérebro, torturado pela miséria, era fértil e brilhante, engendrando planos verdadeiramente geniais, graça; aos quais sempre se saía galhardamente das aperturas diárias com que o destino cruel o torturava.

Naquele dia, o seu grude já estava garantido. Recebera convite para um banquete de cerimônia, em homenagem a um alto figurão que estava necessitando de claque. Mas o nosso herói não estava satisfeito, porque não conseguira um convite para o filho.

À hora marcada, porém, Rebolão, acompanhado do rapaz, dirige-se para o salão, onde se celebraria a cerimônia. Antes de penetrar no recinto, diz a seu filho faminto:

— Fica firme aqui na porta um momento, porque preciso dar um jeito a fim de que tu também tomes parte no festim. Já estavam todos os convidados sentados nos respectivos lugares, na grande mesa em forma de ferradura, quando, ao começar o bródio, Rebolão se levanta .e exclama:

— Senhores, em vista da ausência do Sr. Vigário nesta festa, tomo a liberdade de benzer a mesa. Em nome do Padre e do Espírito Santo!

— E o filho? — perguntou-lhe um dos convivas.

— Está na porta — responde prontamente. E, voltando-se para o rapaz, ordena, autoritário e enérgico:

— Entra de uma vez, menino! Não vês que estes senhores te estão chamando?

(1955)
Extraído do livro “Máximas e Mínimas do Barão de Itararé”, Editora Record – Rio de Janeiro, 1985, pág. 40, organização de Afonso Félix de Souza.

Barão de Itararé

Quem ama o feio é porque o bonito não aparece.

Barão de Itararé

O Brasil é feito por nós. Está na hora de desatar esses nós.

Barão de Itararé

Primos e pombos são o que sujam a casa.

Barão de Itararé

A sombra do branco é igual a do preto.

Barão de Itararé

Palavras cruzadas são a mais suave forma de loucura.

Barão de Itararé

O que se leva da vida... ...E a vida que se leva!

Barão de Itararé

Sábio é o homem que chega a ter consciência da sua ignorância.

Barão de Itararé

De onde menos se espera, daí é que não sai nada.

Barão de Itararé