Aniversário de 18 anos

Cerca de 892 frases e pensamentos: Aniversário de 18 anos

Vi amor no seu olhar ...
18/05/2011
00:29 hs.

Rayanne Aparecida Da Silva Antonio

Kaius:4 de setembro de 2009 18:26
"Example isn't another way to teach, it is the only way to teach" -
Albert Einstein
Traduzindo...
"Exemplo" não é uma OUTRA maneira de ensinar, é a UNICA maneira de ensinar ''
Abert Einstein

Albert Einstein , por kaius

“Orando sempre." (Efésios 6.18)

Quão grande número de orações temos feito desde o primeiro momento em que aprendemos a orar. Nossa primeira oração foi por nós mesmos, e pedimos a Deus que tivesse misericórdia de nós, e apagasse o nosso pecado. Ele nos ouviu. Mas quando ele apagou nossos pecados como uma nuvem, então fizemos mais orações por nós mesmos. Tivemos que orar por graça santificante; fomos levados a ansiar por uma nova garantia da fé, para a aplicação consoladora da promessa, para livramento na hora da tentação, para ajuda no tempo do dever, e para o socorro no dia da tentação.
Fomos compelidos a ir a Deus em favor das nossas almas, como mendigos constantes pedindo por tudo. Suportem o testemunho, filhos de Deus, vocês nunca foram capaz de conseguir qualquer coisa para as suas almas em outro lugar.
Todo o pão espiritual que sua alma tem comido desceu do céu, e toda a água que ela tem bebido fluiu da Rocha viva - o Senhor Jesus Cristo. Sua alma nunca cresceu enriquecida por si mesma; ela tem sempre sido uma pensionista sob a bondade diária de Deus, e, portanto, suas orações têm subido ao céu por uma série de misericórdias espirituais. Suas necessidades eram inumeráveis, e, portanto, os suprimentos têm sido infinitamente grandes, e suas orações têm sido tão variadas como as misericórdias têm sido incontáveis.
Então você não tem motivo para dizer: "Eu amo o Senhor, porque ouviu a voz da minha súplica"? Porque, assim como suas orações têm sido muitas, assim também têm sido as respostas de Deus para elas. Ele te ouviu no dia da angústia, lhe fortaleceu, e lhe ajudou, mesmo quando você o desonrou por temer e duvidar no propiciatório. Lembre-se disso, e deixe que encha seu coração de gratidão a Deus, que tem ouvido tão graciosamente suas pobres e fracas orações. "Bendize ao Senhor, ó minha alma, e não te esqueças de todos os seus benefícios."

Texto de autoria de Charles Haddon Spurgeon, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.

Charles Haddon Spurgeon

“Volta. E assim por sete vezes.” (I Reis 18.43)

O sucesso é certo quando o Senhor o tem prometido. Embora você possa ter suplicado mês após mês sem evidências de resposta, não é possível que o Senhor seja surdo quando seu povo é sincero numa questão que diz respeito à Sua glória.
O profeta no cume do Carmelo continuou a lutar com Deus, e nunca por um momento deu lugar ao medo de que ele fosse rejeitado nos átrios de Jeová.
Seis vezes o servo voltou, mas em cada ocasião, nenhuma palavra foi dita, apenas "Vá novamente."
Nós não devemos sonhar com incredulidade, mas manter a nossa fé até mesmo setenta vezes sete. A fé manda a esperança voltar e olhar, expectante, do cume do Carmelo, e se nada for visto, ela a envia outra vez. Assim, longe de ser esmagada pelo desapontamento repetido, a fé é animada para pleitear com mais fervor com seu Deus. Ela é mantida humilde, mas não é envergonhada: seus gemidos são mais profundos, e seus suspiros mais veementes, mas ela nunca relaxa nem retira sua mão.
Seria mais agradável à carne e ao sangue ter uma resposta rápida, mas as almas crentes aprenderam a ser submissas, e acham bom esperar pelo Senhor e no Senhor. Respostas adiadas, muitas vezes põem o coração a sondar a si mesmo, e assim levam à contrição e à reforma espiritual: golpes mortais são assim desferidos na corrupção de nossa natureza decaída no pecado, e as câmaras de imagens mentais são purificadas. O grande perigo é que os homens desfaleçam e percam a bênção.
Leitor, não caia nesse pecado, mas continue em oração e vigie.
Por fim, a pequena nuvem foi vista, a indicação certa de torrentes de chuva, e assim também com você - certamente será dado o sinal para o bem, e você subirá como um príncipe que prevalece para desfrutar a misericórdia que você buscou.
Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós: o seu poder com Deus não estava em seus próprios méritos. Se a sua oração da fé pôde tanto, por que não a sua? Suplique sob a cobertura do sangue precioso com insistência incessante, e lhe será feito de acordo com seu desejo.

Texto de Charles Haddon Spurgeon, Traduzido e adaptado por Iza Rainbow
Charles Haddon Spurgeon

Charles Haddon Spurgeon

“As coisas que não se veem." (2 Coríntios 4.18)

Nossa peregrinação cristã consiste em sua maior parte, em olhar para a frente. À frente se encontra a coroa, e seguir adiante é o objetivo.
Quer se trate de esperança, de alegria, de consolo, ou para inspirar o nosso amor, o futuro deve, afinal, ser o grande objetivo do olho da fé. Olhando para o futuro, vemos o pecado expulso, o corpo do pecado e da morte destruído, a alma aperfeiçoada, e apta para ser participante da herança dos santos na luz.
Olhando ainda mais, o olho iluminado do crente pode ver o rio da morte tendo passado, o fluxo sombrio atravessado, e os montes de luz atingidos, nos quais se levanta a cidade celestial; ele vê a si mesmo entrando pelos portões de pérolas, saudado como mais do que vencedor, coroado pela mão de Cristo, abraçado nos braços de Jesus, glorificado com ele, e chamado a sentar-se com ele em seu trono, assim como ele venceu e está assentado com o Pai no seu trono.
O pensamento deste futuro pode muito bem compensar a escuridão do passado e as trevas do presente. As alegrias do céu certamente irão compensar as tristezas da terra. A morte é apenas um córrego estreito, que logo e rapidamente atravessamos. Nosso tempo na Terra, quão curto é – a eternidade, quão longa! A morte, quão breve – a imortalidade, quão infinita! Recordo enquanto eu me alimento agora do cacho de uvas de Escol, que saborearei o bem que está dentro do portão. A estrada é assim, tão curta! Logo estarei lá.

"Quando o mundo está rasgando o meu coração
Com a sua mais pesada tempestade de cuidados,
Meus pensamentos se elevam alegres para o céu.
Encontro um refúgio para o desespero.
A visão clara da fé me sustentará
Até que a peregrinação da vida tenha passado;
Medos podem vexar e problemas causarem dor,
Vou chegar ao meu lar por fim."

Texto de Charles Haddon Spurgeon, em domínio público, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.

Charles Haddon Spurgeon

"Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram." (Mc 1.18)

Por Charles Haddon Spurgeon

Quando ouviram o chamado de Cristo, Simão e André obedeceram imediatamente, sem questionar. Se colocássemos sempre em prática, sem demora e com zelo resoluto, aquilo que ouvimos, a nossa leitura bíblica não falharia em enriquecer nossa vida espiritual. Um homem não perderá seu pão, se o comer imediatamente.

Ele também não ficará destituído do benefício da doutrina, se já agiu motivado por ela. Muitos leitores e ouvintes tornam-se comovidos por uma mensagem e demonstram a intenção de mudar de atitude. Mas o propósito é um botão que logo cai da árvore e do qual não se colhe nenhum fruto. Tais pessoas esperam, vacilam e, por fim, esquecem. Assim como poças de água em noites de frio intenso e dias de sol, tais pessoas são descongeladas por um pouco, para serem congeladas novamente. Aquele amanhã fatal é o assassino das resoluções instáveis; é o matadouro das boas intenções.

Devemos ser cumpridores da Palavra. A verdade mais proveitosa é a verdade obedecida e praticada. Se você foi impressionado por algum dever, enquanto estava meditando nas Escrituras, apresse-se em cumprir tal dever, antes que a iluminação santa se afaste de sua alma. Deixe a sua rede e tudo o que você tem, ao invés de ser encontrado como uma pessoa rebelde à chamada do Senhor. Por meio da demora, não dê lugar ao diabo! Apresse-se, enquanto a oportunidade e o desejo estão em bendita conexão. Não seja apanhado em sua própria rede; quebre a malha do mundanismo e venha para onde a glória o chama.

Charles Haddon Spurgeon

“E a tua clemência me engrandeceu.” (Sl. 18:35)

Estas palavras podem ser traduzidas como “a Tua bondade me engrandeceu”. Davi agradecidamente atribui toda a sua grandeza não à sua própria bondade, mas à bondade de Deus. “A Tua providência” é uma outra leitura; e a providência nada mais é do que a bondade em ação. A bondade é o botão do qual a providência é a flor, ou a bondade é a sementeira da qual a providência é a ceifa. Alguns interpretam a expressão como “o Teu auxílio”, que é apenas outro termo para providência; providência esta que, sendo a firme aliada dos santos, os auxilia no serviço do Senhor. Pode ser também “a Tua humildade me engrandeceu”. “A Tua condescendência” talvez sirva como uma interpretação mais abrangente, combinando as ideias mencionadas, inclusive a da humildade. Deus ter-Se feito pequeno é a razão pela qual somos engrandecidos. Somos tão pequenos que, se Deus manifestasse Sua grandeza sem a Sua condescendência, seríamos esmagados debaixo dos Seus pés; mas Deus, que precisa Se inclinar para ver os céus e curvar-se para ver o que os anjos fazem, volta Seus olhos ainda mais para baixo e olha para os contritos e abatidos, e os engrandece. Há ainda outras traduções, como, por exemplo, a da Septuaginta, onde se lê “a Tua disciplina” – a Tua correção paternal - me engrandeceu, enquanto a paráfrase em aramaico diz: “a Tua palavra me enalteceu”. A ideia continua a mesma. Davi atribui toda a sua grandeza à bondade condescendente do Pai celestial. Que este sentimento ecoe em nosso coração nesta noite ao lançarmos nossa coroa aos pés de Jesus e clamarmos “a Tua clemência me engrandeceu”. Quão maravilhoso tem sido experimentar a clemência de Deus! Quão clemente tem sido a Sua correção! Quão clemente a Sua tolerância! Quão clementes os Seus ensinamentos! Quão clementes as Suas admoestações! Reflete sobre isso, ó crente. Que a tua gratidão seja despertada, a tua humildade aprofundada e o teu amor vivificado antes de caíres no sono esta noite.

Charles Haddon Spurgeon

“Satanás nos impediu." (I Tes 2.18)



Desde a primeira hora em que Deus entrou em conflito com o mal, isto nunca deixou de ser verdade na experiência espiritual, que Satanás nos impede.
De todos os pontos da bússola, ao longo de toda a linha de batalha, na vanguarda e na retaguarda, ao amanhecer do dia e à meia-noite, Satanás nos impede.
Se trabalhamos no campo, ele tenta quebrar o arado; se construímos um muro, ele se esforça para derrubar as pedras, se quisermos servir a Deus em sofrimento ou em conflito - por toda parte Satanás nos impede.
Ele nos atrapalhou quando fomos a primeira vez a Jesus Cristo. Tivemos lutas violentas com Satanás quando olhamos a primeira vez para a cruz e vivemos. Agora que estamos salvos, ele se esforça para impedir a integridade do nosso caráter pessoal.
Você pode estar parabenizando a si mesmo: "Eu tenho até então caminhado de forma consistente; ninguém pode desafiar a minha integridade." Cuidado com a jactância, porque sua virtude ainda será tentada; Satanás irá direcionar seus ardis contra essa mesma virtude na qual você tanto se gloria.
Se você tem sido até agora um crente firme, sua fé não demorará muito a ser atacada, se você tem sido manso como Moisés, espere ser tentado a falar imprudentemente com os seus lábios. Os pássaros bicarão o seu fruto mais maduro, e o javali selvagem destruirá com suas presas as suas seletas vinhas.
Satanás, com certeza, nos impedirá quando estivermos em oração fervorosa. Ele verifica a nossa importunidade, e enfraquece a nossa fé, a fim de que, se possível, venhamos a perder a bênção. Nem Satanás é menos vigilante em obstruir o esforço cristão. Nunca houve um avivamento da religião sem um avivamento de sua oposição. Tão logo Esdras e Neemias começaram a trabalhar, Sambalate e Tobias, foram incitados a impedi-los. O que fazer então? Nós não estamos alarmados porque Satanás possa nos impedir, pois é uma prova de que estamos do lado do Senhor, e estamos fazendo a Sua obra, e na Sua força conquistamos a vitória, e triunfamos sobre o nosso adversário.

Texto de autoria de Charles Haddon Spurgeon, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.

Charles Haddon Spurgeon

(Mt 18:14) "Não é da vontade do Pai que nenhum destes pequeninos se perca";

Bíblia

Ezequiel capitulo 18 versículo :4 “a alma que pecar, essa morrerá.”, alma na Bíblia se refere a pessoa, alma falecida, é o mesmo que uma pessoa morta.

Bíblia

Bertrand Arthur William Russell, 3º Conde Russell (Ravenscroft, País de Gales, 18 de Maio de 1872 — Penrhyndeudraeth, País de Gales, 2 de Fevereiro de 1970) foi um dos mais influentes matemáticos, filósofos e lógicos que viveram no século XX. Político liberal, activista e um popularizador da filosofia. Inúmeras pessoas respeitaram Russell como uma espécie de profeta da vida racional e da criatividade. A sua postura em vários temas foi controversa.

Russell nasceu em 1872, no auge do poderio económico e político do Reino Unido, tendo morrido em 1970, vítima de uma gripe, quando o império se tinha desmoronado e o seu poder drenado em duas guerras vitoriosas mas debilitantes. Até à sua morte, a sua voz deteve sempre autoridade moral, uma vez que ele foi um crítico influente das armas nucleares e da guerra estadunidense no Vietnã. Era inquieto.

Recebeu o Nobel de Literatura de 1950, "em reconhecimento dos seus variados e significativos escritos, nos quais ele lutou por ideais humanitários e pela liberdade do pensamento

Luciane Schneider

CARTA DE DESPEDIDA AO SENHOR ESTRANHO:


18 de Abril de 2011, Brasil.


Estranho,


“Sei que é uma decisão tardia, diante os fatos ocorridos, mas tudo tem seu tempo pra acontecer, se isso só aconteceu agora, deve-se ter lá seus motivos. Vá entender!

Enfim, resolvi não te querer mais.

Mesmo que meu coração ainda reclame sua ausência.

Resolvi mudar o costume de ter você em tudo. De ter você nos cantos da casa, de ouvir você abrindo a porta, de ouvir o barulho do seu carro, de sentir sua respiração... Tudo isso de maneira imaginária, pois você não está mais aqui. Fato. E eu preciso me acostumar com isso.

Resolvi pensar sozinha, imaginar meu futuro sem você. Você não vai voltar.

Resolvi guardar as recordações numa caixa grande, de aparência simples, para que ali ficassem enterrados os nossos momentos bons, ou melhor, os momentos que tanto apreciei. Momentos sublimes e que, na realidade, eram tão vazios... Guardei dentro dela todas aquelas pequenas coisas que me fazem ter você na lembrança, tudo que me faça sentir a sua energia: suas camisas, bermuda, roupa intima, escova de dente, fotos, cartas escritas, bilhetes, vidros de perfumes, aliança, coleção de CDs...

Criei uma caixa imaginária dentro de mim pra guardar tudo que vivemos: as palavras ditas, as noites amor, as conversas por MSN, as conversas por telefone até amanhecer o dia, as mensagens no celular, o som do seu sorriso, a lembrança dos seus olhos, da sua respiração, o beijo que você dava na minha mão ao dirigir, a sua cara ao ler a mensagem que escrevi no espelho, as reticências, o “quem sabe um dia!”, o “inclusive”, as músicas, as nossas vídeo chamadas, as suas mãos calejadas, a ponta da orelha, o seu silêncio, a paz que encontrávamos juntos...

Guardei nela também a saudade que sinto e que você nunca sentiu.

Guardei os planos, os projetos, as incansáveis noites em claro esperando por noticias suas, a minha insistência em fazer com que você acreditasse que eu seria a pessoa certa pra você, as minhas lágrimas de apelo, o meu sofrimento por vezes tão grande que me causava dores físicas, a minha insegurança, minha preocupação e o meu medo de perder você.

Guardei a esperança, o desejo, a vontade, o amor por você, a espera, a paciência, a sinceridade, a compreensão, o meu respeito e admiração por te achar tão perfeito.

Resolvi mudar o perfume, meus produtos de banho, comprei lençóis novos, toalhas novas. Não quero nada que seja intimo misturado com a sua lembrança.

Olha, vou comprar uma cama nova! Não agüento mais dormir no sofá, pois não consigo olhar pra cama e pensar o quanto você foi sórdido ali! Acho que foi nela que você mais mentiu... principalmente ao fingir fazer amor. Acho que você desconhece o real significado da frase.

Penso apenas que não suportaria mais suas mãos sobre o meu corpo, apesar do desejo ainda ser forte, eu não agüentaria tanta humilhação. Não agüentaria olhar pra você e pensar que tudo é fingimento.

Eu que sempre me entreguei verdadeiramente. Eu que sempre acreditei na nossa cumplicidade. Acreditei em você. Confiei. Agora me encontro perdida em meio a sentimentos tão frios e procurando as palavras certas para descrevê-los.

Tenho raiva do meu corpo por saber que nele você despertou sensações maravilhosas que ninguém nunca conseguiu fazer o mesmo.

Tenho raiva de mim por não conseguir me permitir que outro o toque, pois ainda sinto como se ele fosse seu.

Repito pra mim mesma, cheguei a escrever as frases ditas por você (colei em espelhos, guarda-roupa, geladeira... eu precisava que delas!), pois foram elas que me fizeram enxergar que eu não sou o bastante... não sou o bastante pra você. Não por ser inferior. Não. Mas porque pra você, você se basta. Você é tão você, que os outros não são nada. Você brinca com os sentimentos, com as pessoas, você muda a vida, a rotina, você tem o dom de transformar o céu em inferno! É triste. Mas é a realidade. Você tem um dom de cativar e de destruir tudo em segundos, com a mesma facilidade.

E eu não quero ao meu lado alguém tão singular. E eu preciso me libertar desse sentimento doentio que é amar você, porque definitivamente, você não é o quem eu amo. A sua realidade é diferente da pessoa que amei. Eu imaginei, ou vivi, não sei ao certo, algo inexistente.

Você tantas vezes me disse que me amava incondicionalmente... o que é ser incondicional pra você?
Acho que você nunca vai saber o quanto eu amei você e a sua real importância para mim.

Senhor Estranho, encontre-se. Porque agindo assim você vai fazer com que muitas pessoas boas e de sentimentos puros, se percam. E definitivamente, ninguém merece ser usada assim.

Boa sorte em seu caminho, porque agora eu vou refazer o meu e concertar os estragos que você o fez.
Seja feliz.”

...

(são três pontos finais, só pra ter certeza que acabou.)”

Laila Monteiro

SANGUE

O sangue é vida, é laço e leva a vida...

André Zanarella 18-03-2013
http://www.recantodasletras.com.br/frases/4992579

André Zanarella

Pequeno currículo literário.

Sou, gaúcho, nascido em 18 de setembro de 1963. Formado em letras pela Fundação Universidade de Passo Fundo (UPF), escrevo desde 1986.

A saber:

Nos anos oitenta escrevi algumas crônicas semanais para os jornais Passo Fundo-RS.

Participações em livros:

Antologia Poetas Brasileiros de hoje - 1987. Com o poema “Portas de Ruas”

Antologia Á vida! “Um brinde em versos” como o poema “Vai”.

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos volume 97, com o poema “Ao mar”.

Antologia Nacional Poesia Encantada V com os poemas “Eu e meus amigos” e “Dieta”.

Antologia do Concurso Nacional Poesia Livre 2013 com o poema “Compensação”.

Antologia “Mil Poemas para Gonçalves Dias” com 05 poemas.
“Meu Deus, Genial, Falar de você, Carta e Mil poemas”. Destaque para “Carta”.

Antologia 1ª Seleta de Versos Brasileiros, edição especial 2013, com o poema “Inquietações”.

Antologia Brasilidades volume sete com o poema “Faça de sua vida”.

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos 100- Edição histórica, com o poema “Amigos para amar”.

Antologia Versos Repletos na Noite Vazia- edição especial. CBJE, com o poema “Na próxima página”. (premiado com o Certificado de qualidade Literária)

Antologia Primavida, Primaflores, Primamor – Edição Especial 2013 da CBJE com o poema “Poeta”.

Antologia Os Mais Belos Poemas de Amor- Edição Especial 2013 da CBJE com o poema “Singular”.

Antologia Nacional Poesia Encantada VI – Com os poemas Na próxima página e tinta. Premiado como destaque especial.

Antologia Panorama Literário Brasileiro. Melhores poesias de 2013 - CBJE. Com o poema "Vai". Selecionado pelo 1º Colegiado de Escritores Brasileiros, da Litteraria Academiae Lima Barreto, no Rio de Janeiro.

Publico no site literário Recantos das Letras onde tem 250 textos e mais de 30.000 leituras também no meu blog pessoal: www.doisversos.com

Lancei em junho de 2014 meu primeiro livro solo pela Editora Aldeia Sul de Passo Fundo com o título: Cabernet.

28 de junho de 2014

Moacir LuÌs Araldi

Natal, 18 de Setembro de 2009

Queria poder acordar amanhã e acreditar que tudo isso foi um sonho,
e que nada aconteceu.
Queria gritar pro mundo ouvir que eu não sinto nada por você,
e que eu nem chorei falando com você,
nem que toda música lembra você.
Mas é tudo pelo contrário.

Eu te amo .

Ingryd Jhoenny

Ela tinha 15 anos quando tudo começou e ele tinha 18 e foi tudo assim tão rápido aquela magia loucura chamada paixão, ele veio por acaso e aos poucos conquistou o seu coração que não acredita nessa de paixão avassaladora ate conhece-lo e os dias foram passando e ela se apegando mais e mais nele, ate que ele resolveu avançar o que parecia ser só amizade, ele tomou atitude e falou dos seus sentimentos que estava se apaixonando por uma amiga e não sabia bem o que estava acontecendo com ele, à garota assustada não dizia nada só ficava na dela e o tempo foi passando com essas incertezas ate que um dia ele resolveu sair de uma vez da vida dela por que ele já não aguentava mais só ser amigo dela, ele a amava tanto ate que um dia ele não aguentou mais e se foi sem despedidas sem nada, apesar de nova a garota realmente estava loucamente apaixonada por ele, mais como ela nunca ousou falar pra ele que também o amava sua vez passou e os anos também e não soube mais noticias daquele que um dia foi o seu primeiro amor.

Luzivania Teixeira

Que lindo dia 18.
Exatamente neste dia a alguns meses atrás, conheci uma linda arvore, poderia ser de natal, pois estava reluzente, cheia de brilho...
De papel, pois estava sensível, ansiosa e sentimental...
Ou de madeira, pois demonstrava firmeza, força e determinação...
Parecia de Cristal, pois era frágil, com algumas trincas, más nada que não pudesse ser consertado...
Porém era humana, com sentimentos, desejos, e esperança...
Com muito amor para distribuir e receber a todos, aos filhos, família, amigos, etc.
Foi assim que acabei enxergando, a partir dai passei a admira-la dia a dia, mesmo com tanta distância...
Que você tenha um lindo fim de tarde neste dia...
Beijos.

Cleomar Avante

18

São 18 de junho,
18 centímetros,
18 dias a faltar.
18, se pensar bem,
Deite o oito e verá
O infinito descrito
Inscrito na vida,
Prescrito pelo destino,
a nos esperar...

Renata Lessa

E agora com 18 diante a sociedade
Não sou outra pessoa por ser maior de idade

Petfast

Que é a verdade?

João 18:38

Pôncio Pilatos