Aniversário de 18 anos

Cerca de 793 frases e pensamentos: Aniversário de 18 anos

Que lindo dia 18.
Exatamente neste dia a alguns meses atrás, conheci uma linda arvore, poderia ser de natal, pois estava reluzente, cheia de brilho...
De papel, pois estava sensível, ansiosa e sentimental...
Ou de madeira, pois demonstrava firmeza, força e determinação...
Parecia de Cristal, pois era frágil, com algumas trincas, más nada que não pudesse ser consertado...
Porém era humana, com sentimentos, desejos, e esperança...
Com muito amor para distribuir e receber a todos, aos filhos, família, amigos, etc.
Foi assim que acabei enxergando, a partir dai passei a admira-la dia a dia, mesmo com tanta distância...
Que você tenha um lindo fim de tarde neste dia...
Beijos.

Cleomar Avante

EVANGELHO DESTE DOMINGO, 18.11.2012

Marcos 13,24-32

24 disse Jesus a seus discípulos: “Naqueles dias, depois dessa tribulação, o sol se escurecerá, a lua não dará o seu resplendor;
25 cairão os astros do céu e as forças que estão no céu serão abaladas.
26 Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.
27 Ele enviará os anjos, e reunirá os seus escolhidos dos quatro ventos, desde a extremidade da terra até a extremidade do céu.

28 Compreendei por uma comparação tirada da figueira. Quando os seus ramos vão ficando tenros e brotam as folhas, sabeis que está perto o verão.
29 Assim também quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o Filho do homem está próximo, às portas.
30 Em verdade vos digo: não passará esta geração sem que tudo isto aconteça.
31 Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão.
32 A respeito, porém, daquele dia ou daquela hora, ninguém o sabe, nem os anjos do céu nem mesmo o Filho, mas somente o Pai”.

//MINHAS PALAVRAS NÃO PASSARÃO
O modo como Jesus descreveu o fim dos tempos se encaixava no horizonte teológico da época. De fato, esperavam-se abalos sísmicos e outros fenômenos terríveis, quando Deus interviesse, definitivamente, na História.
A intenção de Jesus, porém, não era a de incutir terror no coração dos discípulos e, assim, convertê-los em fanáticos anunciadores do fim do mundo. Seu único desejo era o de levá-los a permanecer vigilantes, de maneira a estarem sempre preparados para o encontro com o Senhor.
A parábola da figueira aponta nesta direção. O agricultor atento sabe quando a árvore está para frutificar. Igualmente, o discípulo, quando discerne, sabe reconhecer quando se aproxima a vinda do Senhor, e tem consciência de estar preparado para recebê-lo.
A exortação de Jesus não tem um tempo limitado de validade. Seu valor é eterno, como eternas são todas as palavras de Jesus. Elas não passarão, embora tudo o mais perca seu valor. Assim, é absolutamente certa a vinda do Filho do Homem e a necessidade de manter-se vigilante e preparado para acolhê-lo. É, também, firme a palavra do Senhor que apresenta o amor como critério do juízo final, a recompensa para quem se mantiver fiel e a comunhão definitiva com o Pai, como destino último do cristão. Por conseguinte, o discípulo sensato deixa-se guiar pelas palavras de Jesus, de forma a evitar contratempos.//

Pe. Jaldemir Vitório Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica

Mateus 18,12-14
disse Jesus aos seus discípulos: 18 12 “Que vos parece? Um homem possui cem ovelhas: uma delas se desgarra. Não deixa ele as noventa e nove na montanha, para ir buscar aquela que se desgarrou?
13 E se a encontra, sente mais júbilo do que pelas noventa e nove que não se desgarraram.
14 Assim é a vontade de vosso Pai celeste, que não se perca um só destes pequeninos”.

//ALEGRIA DO REENCONTRO
A vinda – advento – do Messias Jesus tem o objetivo de encontrar a humanidade marcada pelo pecado, e reconduzi-la para Deus. De certo modo, o Pai não pode suportar o extravio do ser humano, criado à sua imagem e semelhança, para uma vida de comunhão. Respeitando a liberdade humana, o Pai oferece a seus filhos a chance de refazer os laços rompidos. E se alegra com a conversão de um só deles.
A ação de Jesus deve ser entendida no contexto das iniciativas divinas, em vista da salvação. Ele se pautou por um princípio bem definido: a vontade do Pai celeste é que ninguém se perca. Daí ter-se empenhado todo para que a oferta de salvação chegasse a cada ser humano, sem exceção.
A parábola da ovelha desgarrada ilustra o imenso interesse de Jesus (e da comunidade cristã) por quem se desviou do caminho do Reino. Quanto maior o perigo pelo qual alguém está passando, tanto maior será o empenho de reconduzi-lo à salvação. Maior ainda será a alegria de vê-lo reintegrado na comunidade.
Os discípulos do Reino têm a comunidade como lugar de salvação. Afastando-se dela, o indivíduo correrá o risco de se perder, a ponto de romper com o Reino. Acolhido por ela, será continuamente estimulado a ser fiel à vontade do Pai, buscando caminhar em comunhão com ele. Por isso, a comunidade deve ser a primeira a ir ao encontro da ovelha desgarrada.//

Padre Jaldemir Vitório

Lucas 3,10-18
10 A multidão perguntava a João: "Que devemos fazer?"
11 Ele respondia: "Quem tem duas túnicas dê uma ao que não tem; e quem tem o que comer, faça o mesmo".
12 Também publicanos vieram para ser batizados, e perguntaram-lhe: "Mestre, que devemos fazer?"
13 Ele lhes respondeu: "Não exijais mais do que vos foi ordenado".
14 Do mesmo modo, os soldados lhe perguntavam: "E nós, que devemos fazer?" Respondeu-lhes: "Não pratiqueis violência nem defraudeis a ninguém, e contentai-vos com o vosso soldo".
15 Ora, como o povo estivesse na expectativa, e como todos perguntassem em seus corações se talvez João fosse o Cristo,
16 ele tomou a palavra, dizendo a todos: "Eu vos batizo na água, mas eis que vem outro mais poderoso do que eu, a quem não sou digno de lhe desatar a correia das sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo.
17 Ele tem a pá na mão e limpará a sua eira, e recolherá o trigo ao seu celeiro, mas queimará as palhas num fogo inextinguível".
18 É assim que ele anunciava ao povo a boa nova, e dirigia-lhe ainda muitas outras exortações.

//TESTEMUNHO DA LUZ
A pessoa e a missão de Jesus é que definiram a identidade de João Batista. Este fora enviado por Deus para ser testemunho da luz. Mediante sua pregação, muitas pessoas teriam a chance de chegar à fé e serem iluminadas pela luz, que é Jesus. A atividade de João preparava a chegada de Jesus, predispondo as pessoas para recebê-lo.
O pressuposto de seu ministério era que a humanidade estava mergulhada nas trevas e, por isso, vagava errante pelo caminho do pecado e da injustiça. Se não lhes fosse oferecida uma luz, não teriam condições de superar esta situação. Entretanto, o Pai decidira resgatar o ser humano para a vida. E o fez, por meio de seu Filho Jesus, cujo ministério consistiria em ser luz para o ser humano, mostrando-lhe o caminho para o Pai.
João Batista compreendeu este projeto de Deus e se colocou a serviço dele. Sua condição de servidor do Messias estava arraigada em sua consciência. Não cedeu à tentação de pensar de si mesmo, além do que correspondia ao plano de Deus. Não lhe cabia nenhuma das identificações do Messias, em voga na teologia popular. Ele não era nem o Messias, nem Elias, nem algum dos profetas. Era, simplesmente, um servo de Deus e do seu Messias. Este título era suficiente para defini-lo. Tudo o mais não passava de especulação. //

Padre Jaldemir Vitório

18/06/11 (52)

Vede aquele formoso anjo
Cuja cor dos cabelos
Assim como a cor de teus olhos
É castanho com um brilho dourado

Como coragem teve deus
para coloca-la nesse mundo ?
Ou quão bondoso posso eu ser
Para que o coloque em minha vida ?

por sua causa me pergunto
Se tenho sorte
Ou o destino ja te reservou
Pra mim

Mais alguem é capaz de observar
Essa beleza de anjo dela ?
a profundidade desses olhos divinos
ou a melodiosa voz que possui ?

que seduzem o meu corpo
e iludem minha mente
em busca...

em busca das minhas juras de amor
dessa alma poética
e desse lindo e indelicado amor

Pedro H Felisberto

30 de novembro de 2012

Mateus 4,18-22
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
4 18 Jesus, caminhando ao longo do mar da Galiléia, viu dois irmãos: Simão (chamado Pedro) e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores.
19 E disse-lhes: “Vinde após mim e vos farei pescadores de homens”.
20 Na mesma hora abandonaram suas redes e o seguiram.
21 Passando adiante, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, que estavam com seu pai Zebedeu consertando as redes. Chamou-os,
22 e eles abandonaram a barca e seu pai e o seguiram.

//COMPANHEIROS NA MISSÃO
O chamado de Jesus deu uma guinada vida de um grupo de pescadores do Mar da Galiléia. O Mestre os queria como companheiros na missão, para fazer deles pescadores de homens. O seguimento exigia várias rupturas. A mais imediata consistiu em “deixar as redes e o barco”, seus instrumentos de trabalho, para assumir um tipo novo de atividade. A segunda diz respeito ao mundo familiar: os filhos “deixam o seu pai”. Como conseqüência, devem deixar sua terra e suas tradições para se colocar a serviço de um projeto de alcance universal.
A metáfora da pescaria sublinha aspectos importantes do exercício da missão. Enquanto pescadores de homens, deverão ser pacientes e perseverantes, quando os resultado do trabalho não corresponder ao esforço empregado. Deverão enfrentar, sem medo, as tempestades e as adversidades, quando no horizonte da missão despontar perseguição e morte. Deverão estar sempre dispostos para o trabalho, alimentados por uma forte dose de otimismo e de alegria. Sobretudo, deverão ser movidos pela esperança de, apesar das adversidades, ver seu trabalho reconhecido pelo Pai.
A decisão de deixar tudo associava, definitivamente, os discípulos ao Mestre Jesus. Como o Mestre, estariam a serviço da implantação do Reino de Deus na história, esperando contemplar a vitória do bem, da verdade, da justiça, do perdão, da igualdade e do respeito por todos, sem distinção. Este foi o projeto de vida levado a cabo por Jesus, embora sua caminhada se concluísse com a morte de cruz. Por esse caminho, seguem também seus companheiros.//

Mateus Evangelista - Jaldemir Vitório

O que é meia dúzia de mentiras, quando se tem 18 ocultamentos?!
Não se engane, não perdoo à toa.

Camila Bill

Pequeno currículo literário.

Sou, gaúcho, nascido em 18 de setembro de 1963. Formado em letras pela Fundação Universidade de Passo Fundo (UPF), escrevo desde 1986.

A saber:

Nos anos oitenta escrevi algumas crônicas semanais para os jornais Passo Fundo-RS.

Participações em livros:

Antologia Poetas Brasileiros de hoje - 1987. Com o poema “Portas de Ruas”

Antologia Á vida! “Um brinde em versos” como o poema “Vai”.

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos volume 97, com o poema “Ao mar”.

Antologia Nacional Poesia Encantada V com os poemas “Eu e meus amigos” e “Dieta”.

Antologia do Concurso Nacional Poesia Livre 2013 com o poema “Compensação”.

Antologia “Mil Poemas para Gonçalves Dias” com 05 poemas.
“Meu Deus, Genial, Falar de você, Carta e Mil poemas”. Destaque para “Carta”.

Antologia 1ª Seleta de Versos Brasileiros, edição especial 2013, com o poema “Inquietações”.

Antologia Brasilidades volume sete com o poema “Faça de sua vida”.

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos 100- Edição histórica, com o poema “Amigos para amar”.

Antologia Versos Repletos na Noite Vazia- edição especial. CBJE, com o poema “Na próxima página”. (premiado com o Certificado de qualidade Literária)

Antologia Primavida, Primaflores, Primamor – Edição Especial 2013 da CBJE com o poema “Poeta”.

Antologia Os Mais Belos Poemas de Amor- Edição Especial 2013 da CBJE com o poema “Singular”.

Antologia Nacional Poesia Encantada VI – Com os poemas Na próxima página e tinta. Premiado como destaque especial.

Antologia Panorama Literário Brasileiro. Melhores poesias de 2013 - CBJE. Com o poema "Vai". Selecionado pelo 1º Colegiado de Escritores Brasileiros, da Litteraria Academiae Lima Barreto, no Rio de Janeiro.

Publico no site literário Recantos das Letras onde tem 250 textos e mais de 30.000 leituras também no meu blog pessoal: www.doisversos.com

Lancei em junho de 2014 meu primeiro livro solo pela Editora Aldeia Sul de Passo Fundo com o título: Cabernet.

28 de junho de 2014

Moacir LuÌs Araldi

CARTA DE DESPEDIDA AO SENHOR ESTRANHO:


18 de Abril de 2011, Brasil.


Estranho,


“Sei que é uma decisão tardia, diante os fatos ocorridos, mas tudo tem seu tempo pra acontecer, se isso só aconteceu agora, deve-se ter lá seus motivos. Vá entender!

Enfim, resolvi não te querer mais.

Mesmo que meu coração ainda reclame sua ausência.

Resolvi mudar o costume de ter você em tudo. De ter você nos cantos da casa, de ouvir você abrindo a porta, de ouvir o barulho do seu carro, de sentir sua respiração... Tudo isso de maneira imaginária, pois você não está mais aqui. Fato. E eu preciso me acostumar com isso.

Resolvi pensar sozinha, imaginar meu futuro sem você. Você não vai voltar.

Resolvi guardar as recordações numa caixa grande, de aparência simples, para que ali ficassem enterrados os nossos momentos bons, ou melhor, os momentos que tanto apreciei. Momentos sublimes e que, na realidade, eram tão vazios... Guardei dentro dela todas aquelas pequenas coisas que me fazem ter você na lembrança, tudo que me faça sentir a sua energia: suas camisas, bermuda, roupa intima, escova de dente, fotos, cartas escritas, bilhetes, vidros de perfumes, aliança, coleção de CDs...

Criei uma caixa imaginária dentro de mim pra guardar tudo que vivemos: as palavras ditas, as noites amor, as conversas por MSN, as conversas por telefone até amanhecer o dia, as mensagens no celular, o som do seu sorriso, a lembrança dos seus olhos, da sua respiração, o beijo que você dava na minha mão ao dirigir, a sua cara ao ler a mensagem que escrevi no espelho, as reticências, o “quem sabe um dia!”, o “inclusive”, as músicas, as nossas vídeo chamadas, as suas mãos calejadas, a ponta da orelha, o seu silêncio, a paz que encontrávamos juntos...

Guardei nela também a saudade que sinto e que você nunca sentiu.

Guardei os planos, os projetos, as incansáveis noites em claro esperando por noticias suas, a minha insistência em fazer com que você acreditasse que eu seria a pessoa certa pra você, as minhas lágrimas de apelo, o meu sofrimento por vezes tão grande que me causava dores físicas, a minha insegurança, minha preocupação e o meu medo de perder você.

Guardei a esperança, o desejo, a vontade, o amor por você, a espera, a paciência, a sinceridade, a compreensão, o meu respeito e admiração por te achar tão perfeito.

Resolvi mudar o perfume, meus produtos de banho, comprei lençóis novos, toalhas novas. Não quero nada que seja intimo misturado com a sua lembrança.

Olha, vou comprar uma cama nova! Não agüento mais dormir no sofá, pois não consigo olhar pra cama e pensar o quanto você foi sórdido ali! Acho que foi nela que você mais mentiu... principalmente ao fingir fazer amor. Acho que você desconhece o real significado da frase.

Penso apenas que não suportaria mais suas mãos sobre o meu corpo, apesar do desejo ainda ser forte, eu não agüentaria tanta humilhação. Não agüentaria olhar pra você e pensar que tudo é fingimento.

Eu que sempre me entreguei verdadeiramente. Eu que sempre acreditei na nossa cumplicidade. Acreditei em você. Confiei. Agora me encontro perdida em meio a sentimentos tão frios e procurando as palavras certas para descrevê-los.

Tenho raiva do meu corpo por saber que nele você despertou sensações maravilhosas que ninguém nunca conseguiu fazer o mesmo.

Tenho raiva de mim por não conseguir me permitir que outro o toque, pois ainda sinto como se ele fosse seu.

Repito pra mim mesma, cheguei a escrever as frases ditas por você (colei em espelhos, guarda-roupa, geladeira... eu precisava que delas!), pois foram elas que me fizeram enxergar que eu não sou o bastante... não sou o bastante pra você. Não por ser inferior. Não. Mas porque pra você, você se basta. Você é tão você, que os outros não são nada. Você brinca com os sentimentos, com as pessoas, você muda a vida, a rotina, você tem o dom de transformar o céu em inferno! É triste. Mas é a realidade. Você tem um dom de cativar e de destruir tudo em segundos, com a mesma facilidade.

E eu não quero ao meu lado alguém tão singular. E eu preciso me libertar desse sentimento doentio que é amar você, porque definitivamente, você não é o quem eu amo. A sua realidade é diferente da pessoa que amei. Eu imaginei, ou vivi, não sei ao certo, algo inexistente.

Você tantas vezes me disse que me amava incondicionalmente... o que é ser incondicional pra você?
Acho que você nunca vai saber o quanto eu amei você e a sua real importância para mim.

Senhor Estranho, encontre-se. Porque agindo assim você vai fazer com que muitas pessoas boas e de sentimentos puros, se percam. E definitivamente, ninguém merece ser usada assim.

Boa sorte em seu caminho, porque agora eu vou refazer o meu e concertar os estragos que você o fez.
Seja feliz.”

...

(são três pontos finais, só pra ter certeza que acabou.)”

Laila Monteiro

18 de agosto de 2013.
Mais um dia sem conversar com ele,meu coração esta apertado por saber que nunca mais vou escutar aquela frase que ele disse uma única vez na vida:_Amo mais que pudim de leite condensado.

alice assis

O TAMANHO DA LUVA!

18 de outubro de 2013 às 22:39
Na vida, no trabalho, em casa, em tudo que fazemos temos uma necessidade grande de fazer nosso melhor, neste planeta chamado terra. Tantas pessoas saem de casa para um dia de trabalho sem ter o que comer e deixar em casa, todo dia é uma luta.
Estamos em um momento de reflexão, principalmente quando temos que explicar tudo para todos, me sinto só e mesmo assim vejo que existem pessoas e fardos piores que o meu. Sabe a estória daquela menina de que de tão arrogante passava a pergunta para outra pessoa fazer, já que de tanto olhar no espelho e se achar melhor que os outros, agora depende dos outros até para sorrir ou fingir que consegue? Os dias passam e quando começamos a gostar da monotonia da quinta feira, surgi uma batalha campal, uma luta de guerreira amazonas que remontam a história de Diana e todo o elo perdido. De um lado uma tribo vindo dos Alpes de Big Field detentoras de um poder de fogo incrível e prontas para destruir. Só que do nosso lado, temos guerreiras inexperientes de umas pintadas, de rosto de termômetro, temos a menina perfil e no meio delas um bebezinho inocente que de óculos usava luvas de pelica e que luvas. Nunca imaginei que escutaria um maracanã inteiro pedindo: Luva, luva, luuuuvvvvvaaaaa. Nossa como caiu no gosto popular essa luva, uma luva simples, um pouco desajeitada, meio grande. Mesmo assim, algo que nunca será esquecido, uma prece papal gritava luva, luva e as preces ficavam cada vez mais fortes pedindo, implorando, as luvas eram tão importantes que não se gritava nem mais gol, gritava poxa que luva. Como uma pop star as mãos saiam à procura das luvas, a procura de um minuto de fama, um autógrafo, um oi.
O jogo acabou e com o fim, os espíritos masculinos que oram pela deusa luvinha cheia, estavam todos querendo saber à origem daquela empada, melhor, sonho, perdão, luva. O que mais nos assusta é que houve um momento de terror quando luvinha paz e amor resolveu chamar todas as migas de lindas, fazendo com que as comunidades flutuantes dos bairros praieiros de Bangu City que ficavam atrás do gol para ver tudo, tudo mesmo, menos o gol clamavam: feias não, bagulho é entorpecente.
Agora nossa maior preocupação é com o fortinho dono de agência de automóveis, pois o mesmo tem ciúmes até de cadáver e traveco. E como explicar para ele que acontecerá uma pequena festinha regada a todinho, guaracampy. Luvinha pensou em contar com a bipolar que torce por um time de mulambos, porém ela encontra-se procurando uma fantasia dupla, que caia bem tano com um lado dela como para outro.
E o mundo pergunta: vocês viram o tamanho da luva?

Professor Glauco Marques

Obrigado por me fazerem sonhar novamente, hoje sonhei e espero nunca mais acordar. 18/06/12-GT220.
por Glauco Marques (Notas) em Segunda, 18 de Junho de 2012 às 20:57

As vezes me pergunto o que é verdade! E que podemos sentir ou saber quando acreditamos nos melhores, hoje dia 18 de junho, em meio aos meus problemas e sonhos, descobri que o sabor de amar difere de formas e vontades, hoje voltei ao passado, e permanecendo em meu mundo, sonhei com a certeza que vale a pena tentar.
Precisava chorar, mas tive medo, medo de ser eu mesmo, medo de ser respeitado, medo de ser amado.
Sempre fui culpado de tudo em minha família, sempre pautei minha vida na verdade e sempre paguei alto por ser sincero e honesto. Até hoje, estava realmente achando que não valia a pena ser honesto e correto em meus critérios.
Só que hoje valeu a pena ser tudo que sempre quis ser, hoje misturei doce e salgado, verdades e verdades, sonhos e amores, começos e fins.
Hoje me senti até mais bonito, como se fosse possível melhorar o ruim, porém, hoje senti vontade de começar, vontade de ser Glauco, vontade de morrer honrado.
Hoje lindos meninos e meninas me fizeram acreditar que vale a pena viver lutando pelo que se acredita, hoje tive uma aula particular de carinho e respeito. Hoje fui amado, sem sentir, fui acreditado. Hoje amei e fui amado.
Não sei se nos veremos novamente, porém tenho certeza que jamais nos deixaremos, jamais poderão falar que não houve um começo. Amanhã será o primeiro dia do resto de nossas vidas.
GT 220 foi , é e será uma honra estar entre vocês, espero que possa melhorar cada dia mais para ter de vocês o carinho e respeito que ainda não tenho moral para ter. Lutarei durante toda minha vida para buscar estar em seus corações e melhor, morrerei tentado, buscando, sonhando, sabendo que nunca poderei ser o que vocês acreditam, mas será muito bom morrer tentando.
Obrigado por me fazerem sonhar novamente, hoje sonhei e espero nunca mais acordar.

Professor Glauco Marques

“O insensato não tem prazer no entendimento, senão em externar o seu interior”. (Provérbios 18:2). A preocupação de um tolo em uma conversa é colocar para fora o que está dentro dele. Mesmo quando não está falando, ele não está realmente ouvindo. Ele está formulando o que dirá em seguida. Seu próximo voleio na conversação não é devolver a bola que você passou, mas passar uma nova bola.

Tedd Tripp

TEMPOS DE RUA

Nesta semana, meu filho Gabriel, 18, me telefonou informando que estava organizando os amigos da universidade para uma manifestação em Macapá. Empolgado, ele me contava da expectativa de a passeata "bombar" e do ânimo da sua geração na rua. Não resisti e, segurando as lágrimas, respondi: "Menino, aguardei 20 anos para que a sua geração chegasse, ainda bem que esperei". Reportava-me aos episódios do ano de 1992. Ainda estava engatinhando a mobilização para retirar Fernando Collor de Mello da Presidência da República, e eu estudava na Universidade Federal do Amapá. Eu, com outros estudantes, lutava para retirar do cargo a reitora da universidade, devido a posturas profundamente autoritárias. Após a primeira manifestação contra a reitora, o vice declarou: "Estes meninos estão malucos, querem tirar a reitora. Daqui a pouco vão achar que podem tirar o presidente". Paralelamente às mobilizações contra a reitoria, caminhava a luta pelo impeachment aprovada no 42º Congresso da UNE, ocorrido em Niterói no julho anterior. Em 29 de setembro de 1992, a Câmara dos Deputados aprovou o impeachment de Collor.

Ilustríssimo

Colega:17
Namorado:18
Colega: diz,Oi amor!
Namorado: Oi minha Gthenha <3
Colega: Onde vc estava?
Namorado: esperando vc !
Colega: Pra que?
Namorado: Pra dizer Que te amo...
Colega: Diz isso pra mais quantas?
Namorado: Só pra vc
Colega:aewwwwwww qui lindo!! I love you

Gabi321

08;18/2/2/2015

NÃO FIQUE ANCIOSO COM O FUTURO

COM AS COISAS COM PRESSA DEPOIS A

SABEDORIA FAZ...RESOLVE O

QUE TEM QUE RESOLVER.....

JOELMA FERA

24/2/2018 17;18

QUANDO VOCE ESTA NA TOTAL DEPENDENCIA DE DEUS

ELE É OBRIGADO TE AJUDAR......

É OBRIGAÇÃO DELE TE AJUDAR....

JOELMA FERA

2/1/28/2/2015 OU 4/3/2015 20;19/5/4/2015/18;47

VOCE NÃO PRECISA SENTIR CONVICÇÃO CERTEZA


DENTRO DO SEU CORAÇÃO, SENTIR ALGUMA COISA,


SENTIR FORÇA, NÃO É NECESSÁRIO SENTIR NADA,

PRA TER FÉ EM DEUS,PRA CONFIAR EM DEUS,


PARA CRER EM DEUS,


QUE ELE É COM VOCE,NÃO TE DESAMPARA


É TUDO PELA FÉ COM UMA CONDIÇÃO


A DE NÃO SENTIR NADA...

JOELMA FERA

JOELMA FERA