Aluna

Cerca de 24 frases e pensamentos: Aluna

Aluna

Conservo-te o meu sorriso
para, quando me encontrares,
veres que ainda tenho uns ares
de aluna do paraíso...

Leva sempre a minha imagem
a submissa rebeldia
dos que estudam todo o dia
sem chegar à aprendizagem...

- e, de salas interiores,
por altíssimas janelas,
descobrem coisas mais belas,
rindo-se dos professores...

Gastarei meu tempo inteiro
nessa brincadeira triste;
mas na escola não existe
mais do que pena e tinteiro!

E toda a humana docência
para inventar-me um ofício
ou morre sem exercício
ou se perde na experiência...

Cecília Meireles

Eu sempre pensei que pudesse me conhecer plenamente mas a vida me faz de aluna e me ensina que, apesar de o mundo mudar a cada segundo, eu devo obediências ao meu coração; é ele quem deve falar por mim; ele irá determinar quem eu sou.

Jessica Albert

Se existe destino, eu quero o acaso a surpreender-me. Se existe recompensa, serei boa aluna. Se existe outra vida, eu quero o encontro. Se existe o céu, eu quero a paz. E na rotina morta dos meus dias, eu quero aquela fala firme, aquela força azul, aqueles olhos...

Lilian Baroni

"A Capoeira é completa, pois é preciso cantar, tocar,
dançar, lutar, estudar o contexto histórico, ensinar e
sorrir com humildade, logo uma filosofia de vida."

Ru Aisó (Capoeirista e Aluna Entusiasta) ruaiso.blogspot.com.br

As vezes penso que não sou nada. Não sou popular no colégio e nunca fui a melhor aluna da turma, não tenho uma beleza que chame a atenção das pessoas, e nem tenho nada que me destaque dos outros em uma multidão. As vezes me sinto invisível e sozinha, mesmo tendo várias pessoas ao meu redor. As vezes me pergunto se vai ser sempre assim, se talvez o meu papel seja só ajudar as pessoas com as suas vidas e assim ver a vida passar, talvez meu papel seja ser espectador da minha própria vida. As vezes me dá vontade de acabar com tudo isso e sumir, uma última opção. Mas é aí que eu lembro que fazendo isso estaria jogando fora tudo o que uma pessoa um dia fez por mim, que sofreu e deu sua própria vida para que eu tivesse uma vida, e vejo que de alguma forma eu sou especial e se não estou satisfeita com minha vida é por minha culpa.

Rhayane Bastos

Sou aluna de um professor sublime, criador do céu, das terras e de todos os que vos habitam. Um mestre celeste que sabe exatamente o que consigo suportar, o que mereço ganhar da vida que Ele mesmo me concedeu. Estou na primeira matéria, e o pouco que aprendi já me fez ser essa pessoa que sou hoje. Um ser imperfeito que oscila entre sabores e dissabores, altos e baixos, buscando no horizonte respostas para as inquietudes da sua vida. Um ser imperfeito sensível, com um coração que acolhe até uma multidão, cuja fé e esperança são combustíveis em sua caminhada infinda, incerta; em uma procura incessante do saber, de tentar entender as razões do seu coração.

Vanessa Borges

Prefiro ser aluna da certeza através da
dúvida, que ser pura dúvida confiando
em algumas certezas.

Ana Dutra Medeiros

Bruna sempre foi uma garota de muita personalidade e carisma. Aluna do 2º ano numa escola escondida no interior de Campos do Jordão, não tirava notas altas, porém era muito inteligente. Ela não se importava com o que os outros falavam dela, curta e grossa como sempre foi, cortava o mal pela raiz. Certo dia foi uma festa onde conhecera um garoto, Caio, o qual ficou a conversar toda a festa, e no final da noite, ela dá o telefone. No dia seguinte recebe a ligação, ele dizia estar encantado, dizia também sentir saudades, e ela complementa com "Eu também."Algumas semanas se passam e eles resolvem se encontrar, vão ao cinema, chegando lá se sentem a vontade com a presença um do outro, risadas rolam soltas, e o encanto aumenta. A vida preparou o tão esperado amor para Bruna. Os meses se passam e o amor sendo construído, o frio na barriga não passando, pensamento involutário e como se esperava, o ciumes também. Só que da parte de Caio o ciumes era bem maior, ele desconfiava até de sua própria sombra, que para Bruna era normal até o dia da descoberta da traição. Ela estava arrasada, e perdeu a confiança em Caio, não havia como continuar com esse erro. Porém ela o amava demais para o ver partir, e ela cedeu o perdão. Depois da traição o namoro virou um inferno, ela desconfiava de tudo, e qualquer motivo era motivo para Caio jogar em sua cara, que quem quis aceitar a traição, tinha também que aceitar as consequências da desconfiança, as brigas se prolongaram até o final do inverno, quando chegou o fim. Bruna perdeu o chão, e Caio caiu nas noites. O fim do amor doí mas o do primeiro amor doí muito mais,por não saber como lidar com a perda. Bruna levou tanto tempo pra se acostumar, mas quando acostumou percebeu que não era mais a mesma Bruna de antes, ela mudou. Depois de Caio, ficou com alguns garotos, porém nenhum conseguira mexer com teu coração, o que era ruim, pois sem amor ela os fazia sofrer querendo ou por querer. Bruna virou uma tremenda de uma malandra, apostava na noite com suas amigas o garoto que ia conquistar e fazer de bobo, e riam. Mas os risos acabavam quando chegava em casa, sentava a beira de sua cama e chorava, não pela perda de Caio, mas pelo vazio que sentia. Ela queria sentir de novo as maravilhas de ouvir Caetano veloso lembrando de alguém, ela queria amar novamente, porém não conseguia. Quase a desistir do amor conhece André, logo viraram amigos, e a cada dia um se importa mais com o outro. A cada dia sem precisar dizer eles percebem a falta que um faz pro outro. Se encontram como amigos numa sexta-feira, e se curtem até o ultimo. Ela chega em casa e ao entrar em sua rede social, ele já havia mandado uma mensagem peguntando se ela tinha chegado bem, e isso a fazia se sentir importante. O melhor desse caso de amor, é que Bruna e André já sofreram por amor, e dessa vez fora diferente, dessa vez eles não tentaram impressionar e acabaram deixando o ar de 'quero mais', não tinha a ideia de um conquistar o outro, eles conquistaram algo juntos. Quando voltam a conversar André expressa seu sentimento por Bruna, o qual era recíproco, e isso era lindo, isso me enche os olhos e a alma. Depois de tantos desencontros da vida, eles podem se entregar. Esse amor crescia de um jeito, que sem perceber tomava conta de cada segundo da vida de Bruna, ela já era dele sem precisar dizer, eles caminhavam juntos, lado a lado, mais como amigos do que como um casal. O dia ficou mais belo, o sorriso mais verdadeiro, e a vontade de dizer que o amava se tornou rotina. Um amor desse rejuvenesce, o nos torna crianças, temos a ingenuidade de se entregar por completo sem medo das consequências, Ela acreditava que, dessa vez, suas expectativas se alinhariam com a realidade.. Até o dia da briga, essa briga foi dolorosa, e o orgulho tomou conta, motivo tolo que a fez perder a cabeça e ficar cega de raiva. André não se conformava com tanto orgulho, e tentou por varias vezes conversar, e não conseguiu. E depois Bruna tentou por varias vezes concertar e errou muito mais. Era estranho, ele não queria mais saber, e ela cansou de pedir perdão, cansou de tentar concertar seu erro, mas ela o amava, estava disposta a reconquista-lo, porém resolveu não fazer nada. E assim foi o fim, triste como o de tantos casais por aí, quantas historias temos a contar? Quantos amores perdemos? Mas aí vai a minha pergunta. "Amor verdadeiro não acaba?"


Foi pensando nessa história que eu dei sentido a frase "O fim é o recomeço." Nós temos que acostumar com a ideia de que as coisas acabam, os sentimentos também acabam. Mas eu, Josi, eu acredito que cada ser desse mundo tem a sua alma gêmea, e quando você encontrar a sua, vai ser pra sempre.

Então se prepare para viver o grande amor da sua vida, quando ele chegar você vai se sentir a pessoa mais feliz desse mundo, vai se sentir mais viva que nunca, e com certeza quando ele chegar você vai saber.

Josiane Nunes

Exatamente duas semanas atráz tive uma situação de uma aluna negra que não gostava do Cirilo, sem ao menos conhece lo, ela dizia que ele fedia, pois bem ontem contamos com a presença do Ator que interpreta o Cirilo e foi muito bom ver um garoto de 9 anos (artista) ser tão simples e humilde seria o momento propício par esta jovem tirr suas conclusões pena que ela não veio.
O aprendizado que fica é que não podemos julgar sem ao menos conhecer...

todyone

Nunca fui uma pessoa muito perfeita! Filha de pais separados, não sou e nunca vou ser a melhor aluna da turma, tenho uma beleza toda montada por maquiagens, meu corpo nunca vai ser perfeito, não sou nem um pouco popular, não consigo nunca gostar de que gosta de mim... acho que pra começar, já está bom de defeitos né?
Mas por trás dessa pessoa nada perfeita existe uma menina gentil, educada, amorosa, sentimental, que vê o mundo de outra forma, que acredita em conto de fadas e Príncipe Encantado! Existe uma menina que chora assistindo desenho animado, filme de comédia, romance e drama... existe uma menina que ri quando cai, que sabe ajudar o próximo a se levantar do chão, que sabe abraçar outra pessoa mesmo sem ela precisar... que sabe ser a melhor amiga de muitas pessoas e que com um simples sorriso faz todos ao seu redor sorrir junto!...
Com tantas qualidades, quem vai conseguir enxergar os meus defeitos?
Eu não escolhi ser assim, já nasci sendo essa pessoa amada e odiada por muito. Pretendo ser assim para o resto de minha vida! Quem sabe eu sozinha, não consigo mudar o mundo?

Thamyris Ribeiro

Por um tempo minha aluna,
logo, minha amiga.
Linda, meiga, carinhosa e presente.
Da amizade e do convívio brotou o amor dentro de mim
Contido, sufocado em nome da amizade, da confiança que me tinha.
Nos momentos mais difíceis tanto meus quanto dela, ambos, um ouvia o outro.
Ela, a quem um dia orientei, fui mestre, tutor,
Surpreendeu-me ao dizer que queria o meu amor.
Hoje em meio a tantas diferenças vivo esta louca paixão
Uma jovem, quase uma menina, linda jovem e mulher.
A quem ama loucamente este cinquentão apaixonado.
Gritaria para o mudo inteiro que te amo mais que tudo
Michele tu és minha vida e minha vida sem ti é nada.

Luiz A. Muniz

"Em matéria de amor, eu poderia dar aula, e também seria minha pior aluna"

Leticia Nassinger

Ensinar uma aluna a dançar é como ensinar um filho a viver, só que um você cria pra vida, outro você cria para dança. E ambos não lhe pertencem, com o tempo se vão e levarão a essência transferida.

Paula Arcanjo

Minha homenagem a Eduarda Mello Queiroz, minha doce e amada aluna que morreu jovem sem dizer adeus.
Morrer jovem é muito esquisito. É de uma ironia sem graça. De um espanto em que não cabem argumentos. Morrer jovem é muito estranho. Mesmo porque juventude é coisa relativa, num mundo em que Einstein já não está aqui para explicar.
Morrer jovem é como interromper uma música. É como cortar um filme ao meio, rasgar as páginas de um livro pra não se saber o final. É roubar de cena um ator em seu momento mais fantástico, em seu grande ato, sua cena mais brilhante. Porque morrer jovem é injusto. Injusto com as leis da natureza. Injusto com os que partem. Muito mais injusto com os que ficam. Pois saudade é morte lenta, passo-a-passo, emudecida, olhos cerrados, quase sem respirar.
Quem morre jovem não tem o que dizer. Vai calado, sem dizer palavra, num silêncio intrigante. Não tem quase história pra contar, não tem quase passado, não terá futuro. Quem morre jovem, seja qual for a forma, tem morte súbita. Porque é de repente se morrer jovem. Fica aquela sensação de poder ter feito mais. Poder ter dito mais. Aquela frustração de quem perdeu o jogo de sua vida.
Morrer jovem é contabilizar ao contrário. É descontar, é subtrair somente. É contar os abraços que deixou de abraçar, os beijos que não deu, as obras que não realizou, os sonhos que não viveu, a formatura que não aconteceu, o carro que queria e não veio, o namorado que amava demais da conta e que não deu conta de que você se foi. Morrer jovem é mais triste, porque a velhice é o que se espera e a juventude apenas vai acontecendo e a gente sempre se achando bem, se sentindo forte, audaz, capaz, feliz. Quando se morre jovem, se desdiz tudo o que tinha de haver. É a contramão da história. A volta de uma viagem que nem sequer chegou a existir.
Morrer jovem é não ter tempo. Não conseguir conhecer a beleza, não dar satisfação, não explicar, não dar até logo, ir direto ao adeus. Morrer jovem é mal educado, é nem pedir licença para levantar e sair. Morrer jovem é não aparecer no compromisso, é marcar a reunião e não ir. É fazer todo mundo de bobo. Dar um drible nos amigos, nos parentes, no cachorro. Morrer jovem é faltar a tudo que estava na agenda e se perdeu no ar. Morrer jovem é deixar para trás. É uma ida sem volta. Uma deslealdade. É ir a uma guerra e nunca mais voltar. É esperar por quem não vem. Morrer jovem é uma traição da vida em conluio com a morte. É uma armação para desesperar mães. É um desafio. Um fustigo. Morrer jovem é um deboche abominável.
Uma sacanagem sem noção.

Professor Galvão

Meu trabalho como professora consiste em despertar na aluna o que já existe dentro dela. O mérito do aprendizado é pra quem aprende e não pra quem ensina.

Elen Hanna

Danielle Duarte de Medeiros, aluna da Escola Estadual Berilo Wanderley, nascida em 08 de outubro de 1996 na cidade de Natal - RN, filha de Luiz Duarte Da Silva e Maria Lúcia de Medeiros tendo cinco irmãos. Foi campeã brasileira de arremesso de peso em 2010.
Nascida em Natal - RN aos seis meses após seu nascimento mudou-se para uma cidade de interior chamada Cerro Corá, onde lá viveu até os 14 anos de idade.
Aos 13 anos seus pais se divorciaram e ela passou por momentos dificeis em questões familiares, foi ai que no atletismo encontrou forças para não desistir e percistir.
Com sua primeira medalha de bronze no campeõnato estadual do Rio Grande do Norte em 2007, a campeã brasileira não parou, e foi por cinco anos a campeã estadual do RN, também foi quatro anos campeã do JERN'S sendo dois anos de atleta ouro destaque, vice-campeã Norte e Nordeste no arremesso de peso e no lançamento de dardo, além de ter ganhado vários festivais.
Ainda em 2010 a atleta foi convocada ao campeõnato Sul-Américano que foi realizado em Lima - Perú, onde conquistou medalha de bronze no arremesso de peso, conquistando mais um importante titulo, dessa vez não só para o RN, mas para todo o Brasil.
Aos 15 anos mudou-se de volta à Natal finalizando seu ultimo ano no atletismo e consagrando-se a primeira atleta feminina de arremesso de peso a conquistar medalha de ouro em um campeõnato brasileiro pelo Rio Grande do Norte e também por ganhar uma medalha de bronze em um Sul-Américano.
O termino de sua carreira como atleta foi trágico, logo que hávia falta de investimento e patrocínio. Com o fim, hoje Danielle vive com sua mãe e três irmãos, mãe e filha trabalham juntas em uma loja de cabelos humanos e cursa o 1° ano do ensino médio.
Contudo a mesma se diz feliz e realizada pelas conquistas e também confiante e entusiasmada para novas conquistas, buscando sempre dar

22/08/2013 Natal - Rio Grande do Norte.

Danielle Duarte

Tem nada não, você apenas foi uma boa aluna,e aprendeu a lição,e na hora da prova feriu meu coração. Professor eu? Não! Confundi a missão...

oliveirasfa

Tudo começou quando uma aluna do terceiro ano no meu colégio estava de aniversário, nesse sábado. Não pude ir, eu apenas fiquei sabendo sobre o que aconteceu na festa.

"Ai, fulano ficou com fulana, beltrano ficou beltrana, acredita que ciclana agarrou o ciclano no meio da festa e a festa toda parou só pra ver eles??? Por essa, eu não esperava! Aí a tia Claudia (mãe da aniversariante) adorou eu a beltrana porque não ficamos com ninguém na festa!"

Ué, não fez mais do que ter bom senso. Os jovens, hoje em dia, consideram o fato de 'pegar' alguém como uma conquista, uma façanha, e que deve ser exibida para todos em redes sociais. Eles fazem isso apenas por diversão, mas não por se amarem de verdade. É só aquela coisa 'do momento' e já acabam (aquilo que nunca começou de verdade) e continuam a 'pegar' mais gente. Isso não leva ninguém a lugar algum. Só fica famosinho entre os jovens babacas por ter ficado com um monte de gente, mas e pra vida, você vai levar algo bom disso? Vai te tornar uma boa pessoa? Vai fazer com que você seja bom naquilo que você faz ou trabalha? Vai te tornar mais inteligente? A resposta é mais do que óbvia, mas essa juventude se deixa levar pelos prazeres e não pensa nisso. Isso tudo é muito banal. Se algum dia eu 'ficar' com alguém, é porque eu realmente amo essa pessoa. E por isso, eu gostaria que ela lesse esse texto.

cyclonesword

A felicidade é matéria de gente burra, só a dor ensina, a alegria é aluna e não professora.

Hellius Czar Monzon

Aluna solitária




Estou eu aqui, a única aluna na sala de aula, nada para fazer.
O professor organizando o diário e eu aqui escrevendo nem sei o que.
Numa sala cheia de computadores,clara,gelada e silenciosa.
Felicidade!!! Agora acaba de chegar mais uma sobrevivente.
Mais uma aluna, no total somos duas.
Por um instante, achei que o mundo estava preste a acabar.
Eis que o professor pergunta: O que que foi que aconteceu?
Não sabemos!
Respondemos... Eu só respondi em pensamento.
Achei uma ocupação, aqui estou eu escrevendo nem sei o que.
Respiro fundo e volto a escrever, só escuto o som dos teclado do Pc.

Continuo pensando o que vim eu fazer aqui hoje?
Cadê os alunos da sala?
Tão distraída não ouço o celular vibrar,
uma doce menina diz: Tem alguma coisa a tocar.
Era uma pessoa importante.
Ouço mais uma vez a voz do professor.
Alguma de vocês pode me ajudar?
A menina doce foi o ajudar na organização do diário.
E agora eu irei me despedir...
Tchau e até quando eu voltar aqui!

Deizilane