Aflito

Cerca de 71 frases e pensamentos: Aflito

” Nada tem que dar certo.
Nosso amor é bonito,
Só não disse ao que veio;
Atrasado e aflito,
E paramos no meio.
Sem saber os desejos aonde é que iam dar…
E aquele projeto ainda está no ar. “

Caetano Veloso

Fazei justiça ao fraco e ao órfão, procedei retamente para com o aflito e o desamparado.

Salmos

A velha mangueira.
Apito de trem. Aflito
ranger de porteira.

Fernandes Soares

Se estás aflito por alguma coisa externa, não é ela que te perturba, mas o juízo que dela fazes. E está em teu poder dissipar esse juízo. Mas se a dor provém da tua disposição interior, quem te impede de a corrigir? E se sofres particularmente por não estares a fazer algo que te parece certo, por que não ages, em vez de te lamentares? Um obstáculo insuperável te o impede? Não te aflijas, então, pois a causa de não o estares a fazer não depende de ti.

Marco Aurélio

Sempre ao te ver
Sinto os sentires de tempos atrás
Mão gelada
Coração aflito
Pensamento no infinito
E o corpo inteiro querendo você
Me deixo envolver
Fico inebriada com a tua face
e com o toque suave da tua mão
Sou a confusão dos teus pensamentos
mas é impossível esquecer nossos momentos
e das vezes que nos entregamos sem medo
Deixemos de lado essa coisa de racionalidade
vamos banir de vez a saudade
e a distância que descontenta o meu coração
O caminho da fulga de nada nos adiantou
Ao contrário, sempre nos reaproximou
Quero me deixar levar, pensamentos, fazeres e quereres
Cansei de esconde esconde
E agora só te quero onde
Você e eu possamos ser outra vez, nós

BrendaOliveira

Aflição
Aflito estou
Onde está você?
Que não ligou mais
Sequer mandou notícias!


Ah como me dói
Esta saudade que não cala
Incessantes meus pensamentos
E você que não liga mais


Te procurei onde sempre te via
E nada de você
Não podes ter ido tão distante


Afinal você não morreu
Taçves não queira mais me ver
Mas tenha dó de mim, ah! saudade

M.Nigro

Se estás aflito por alguma coisa externa, não é ela que te perturba, mas o juízo que dela fazes. E está em teu poder dissipar esse juízo. Mas se a dor provém da tua disposição interior, quem te impede de a corrigir? E se sofres particularmente por não estares a fazer algo que te parece certo, por que não ages, em vez de te lamentares? Um obstáculo insuperável te o impede? Não te aflijas, então, pois a causa de não o estares a fazer não depende de ti. Não vale a pena viver se não o puderes fazer? Parte, então, desta vida satisfeito, como partirias se tivesses logrado êxito no que pretendias fazer, mas sem cólera contra o que se te opôs.

Marco Aurélio

Num tempo nublado
me sinto acoado
pareço molhado
aflito estou

O motivo não sei
procurei distrair
não consigo fugir
de um momento de dor

a chuva caiu
tão forte i intensa!
meu corpo tremeu
desabou meu tormento
era choro,era vento...
desabafo de amor.

Neidinha Borges

A magoa é um sentimento o qual não desejo nem ao meu pior inimigo, pois o coração fica aflito, a alma inquieta e a cabeça girando.

Caroline Castroki

Tempo...
O tempo parece não passar, o relógio não obedece...
O meu coração aflito de tanto esperar, será que essa hora irá chegar?
Sabe o que me dá vontade? De dormir e só acordar depois que tudo isso passar...
Mas não é possível, encarando meus problemas, minhas dores.
Vontade de gritar, de chorar... a vontade de estar perto é bem maior.
Esse tédio que fico é uma tentação terrível.
Pra quem pedir ajuda?
Pensando bem, não posso pedir ajuda à ninguém.
De novo vem o tempo...´é só ele que cura todas as feridas, só ele que ajeita nossas vidas... é... O TEMPO!

Jéssica Gomes

AMAR

Amar é fogo de onde se tira brasas.
Amar é um desejo de ser despejado
Acenar aflito à condução já atrasada.
Amar é pender de um lado,
E do outro desapoiar-se
Amar é dose, tirada da boca aberta
É ímpar, o primeiro numero.
Amar é dar a cara dos dois lados,
A moeda que não cai em pé.
Amar é armazenar amor,
Amar é algo provocador
Que não se contém, como dor,
Uma vontade de ser doador,
De sangue de amor e flor.
Amar é da primeira pessoa,
É transitivo a ela, e só.
Amar é querer conjugar, colar ou meter-se,
Dentro e fora.
Fora e dentro, é amar.
__________________
Naemo*com reservas

Naeno Rocha

BÁLSAMO PARA A ALMA
ORE,
A oração eleva a alma a Deus e acalma um coração aflito.

TRABALHE.
O trabalho enobrece quem o realiza e satisfaz quem dele se beneficia.

CANTE.
Uma canção alegra o espírito de quem canta e cativa quem ouve.

TRACE METAS.
Quem determina onde quer chegar, janais errará o caminho.

PERSISTA.
O mundo é daqueles que não desistem no meio do caminho.

SEJA OTIMISTA.
O otimismo alimenta os sonhos e o desejo de realizá-los.

SORRIA.
O sorriso é uma chave que abre todas as portas.

Ana Fraga - Ivaiporã

Por horas pensei no que dizer
mas me vi aflito sem saber o que fazer
vc nunca me escondeu nada
Por minha imaturidade sentiu-se prescionada
por muitas vezes eu disse te quero
e em todo nascer do sol digo te espero
voce é pra mim é um diamante
quero que seja minha amiga, minha amada , minha eterna amante.

Benjamim Portela de Aguiar Neto

O inverno chegou
sem deter o relógio aflito que me pulsa
não posso impedir
a tua ordem de despejo
todos os dias escrevi nosso nome na areia
sabendo que a noite o mar viria com carícias
apagar de novo
dou mais um passo
até a aeronave envenenada
que me matará
com seus rojões nas asas
dando adeus a ninguém
tenho no bolso uma carta
pensando nas estrelas que tocaria
nos lobos que me habitam
vendo passar o dia com suas alegrias
enquanto morro de saudade...

Paulo Cecilio

coissa de criança


Num grito de agonia
Do aflito a nostalgia
Nos resta a lembrança
Qual festa de criança
A alma sonhou
O corpo vibrou
O aniversário passou
O bolo acabou
O tempo passou
E não mais voltou
Meu corpo chorou
Minh'alma clamou
Mas meu ser notou
Que algo ficou
Certeza de que te amei
Certeza de que me amou

Pryscilla Vieira

Juntos outra vez



Coração aflito
A espera do grito
E o silenciar da alma
Está que suspira e revive
Você dentro de mim
Sentir tua presença
Unir nossos corpos
Ainda que distantes
Por meros instantes
Toco-lhe em teu rosto
Afago tua alma
Reanimo o teu coração
Seguro as tuas mãos
E dou-lhe o beijo de boa noite
Saio lentamente pela janela
Deixo o luar contar nossa história
Junto com as estrelas
De qual o brilho lembra o teu olhar
Vamos sonhar
Pra ficarmos juntos outra vez

Sandro Sansão da Silva Costa

O PUM

O pum é o desabafar do corpo aflito
Sobre este verso reflito,
O que é pior para nós?
Do que um pum entre lençóis.

Giovane Luz

Unemployment...

Na alma do aflito retumba o grito da desesperança, onde o caminho se esquiva na dor da água que estagna. O justo e suas armas reluzentes, açoitado sobre o chão, vitimado pelos grãos lançados a seara. Colheram-se as lágrimas de lamento, na inércia de virtudes, fraquejou-se o valente. Derrotado nas viris convicções, foi-se o jovem moribundo, levado pelas lágrimas de tão breve e dorido momento.
O verde da bandeira acena do alto do céu azul da terra amada, olha-se entre lágrimas o passado desvairado de possibilidades falidas. Onde estará sua alegria ante o pavor dos matagais, pois ao perpassar da ventania quebram-se os rijos vegetais. O agasalhar da bandeira aqueceu-me por pouco, mas os falíveis pensamentos mortais levaram-me a idiotia.
A camisa suada de sangue, os olhos delatados pela noite, a busca incessante e frustrante, rendia-se a dor do descanso, a labuta reiniciava-se em poucos instantes. Parece renascer o sofrimento, pois o solo me daria o sustento. Dele reviraria a vida, e as gotículas de esperança nasceria. Mas valei-me Deus de labutas constantes, da triste história do trabalhador brasileiro, desmerecido entre as estrelas da bandeira, no estrelado azul cintilante anil. Se vê entre tão tristes lembranças a esperança de que um mero dia que seja, nasceria em breve e refrescante manhã, o som do sorriso ao realizar o tão belo desígnio de ter alcançado o almejado.
Quem sabe nessa mera lembrança, a pobre lápide, o desejo intenso da mudança e descubra na breve sensação de conquista, a fé desguarnecida, ferida e lançada à plebe de falidos e vencidos desejos frustrados. Venceria neste breve soneto, nos lábios de anjos tão puros, a vida, por mais simples que seja no apego ao futuro.
Logo, bem logo diria, o som da chuva anuncia que a sede vencida seria. Nas necessidades atribuladas na intensa invernada, cabal palavras de desapego no aconchego de uma vida tão jovem desfavorecida.
Tão breve seria o momento do tempo, em que a poeira levada a ação, encontrasse no chão o destino infeliz. Teria a força da conquista nas mãos e diria a quem me diz que venci e o desemprego ao desapego de tão somente e frágil solidão, acalantaria a vitória as mãos.
Quando Deus diz sim, o que diremos nós?
... E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.
Sejamos felizes com o Propósito de Deus em nossas vidas.

Rodrigo Pinheiro de Faria

Unemployment...
Na alma do aflito retumba o grito da desesperança, onde o caminho se esquiva na dor da água que estagna. O justo e suas armas reluzentes, açoitado sobre o chão, vitimado pelos grãos lançados a seara. Colheram-se as lágrimas de lamento, na inércia de virtudes, fraquejou-se o valente. Derrotado nas viris convicções, foi-se o jovem moribundo, levado pelas lágrimas de tão breve e dorido momento.
O verde da bandeira acena do alto do céu azul da terra amada, olha-se entre lágrimas o passado desvairado de possibilidades falidas. Onde estará sua alegria ante o pavor dos matagais, pois ao perpassar da ventania quebram-se os rijos vegetais. O agasalhar da bandeira aqueceu-me por pouco, mas os falíveis pensamentos mortais levaram-me a idiotia.
A camisa suada de sangue, os olhos delatados pela noite, a busca incessante e frustrante, rendia-se a dor do descanso, a labuta reiniciava-se em poucos instantes. Parece renascer o sofrimento, pois o solo me daria o sustento. Dele reviraria a vida, e as gotículas de esperança nasceria. Mas valei-me Deus de labutas constantes, da triste história do trabalhador brasileiro, desmerecido entre as estrelas da bandeira, no estrelado azul cintilante anil. Se vê entre tão tristes lembranças a esperança de que um mero dia que seja, nasceria em breve e refrescante manhã, o som do sorriso ao realizar o tão belo desígnio de ter alcançado o almejado.
Quem sabe nessa mera lembrança, a pobre lápide, o desejo intenso da mudança e descubra na breve sensação de conquista, a fé desguarnecida, ferida e lançada à plebe de falidos e vencidos desejos frustrados. Venceria neste breve soneto, nos lábios de anjos tão puros, a vida, por mais simples que seja no apego ao futuro.
Logo, bem logo diria, o som da chuva anuncia que a sede vencida seria. Nas necessidades atribuladas na intensa invernada, cabal palavras de desapego no aconchego de uma vida tão jovem desfavorecida.
Tão breve seria o momento do tempo, em que a poeira levada a ação, encontrasse no chão o destino infeliz. Teria a força da conquista nas mãos e diria a quem me diz que venci e o desemprego ao desapego de tão somente e frágil solidão, acalantaria a vitória as mãos.
Quando Deus diz sim, o que diremos nós?
... E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.
Sejamos felizes com o Propósito de Deus em nossas vidas.

Rodrigo Pinheiro de Faria