Adoração

Cerca de 155 frases e pensamentos: Adoração

Não existe antídoto mais poderoso contra a baixa sensualidade do que a adoração da beleza.

Denis Diderot

Eu acho que Deus é uma projeção humana, é um desejo infinito que nós temos de adoração, e de algo que nos suspende com o sentido absoluto.

Adélia Prado

A verdadeira adoração acontece quando seu espírito responde a Deus, e não a alguma melodia musical

Rick Warren

-Quando eu admiro as maravilhas do pôr do sol ou a beleza da Lua, minha alma se expande na adoração do criador.

Mahatma Ghandi

"Nós devemos viver nossa adoração através da ação, alcançando o perdido e machucado... ajudando o pobre e oprimido, procurando por justiça para todos as pessoas. Este é o ímpeto por trás do TheIHeartRevolution.
É simplesmente uma geração de pessoas expressando seus corações para a adoração e percebendo o propósito de Deus para todos nós, que é amar as pessoas."

Joel Houston

Adoração é mais que se agitar dentro de um templo,
é sacudir o mundo com uma vida que agrade a Deus

Anderson Cassio de Oliveira

Abstinência de amor?
Tudo começa quando o objeto de sua adoração lhe dá uma dose generosa, alucinante de algo que você nunca ousou admitir que queria -um explosivo coquetel emocional,talvez,feito de amor estrondoso e louca excitação. Logo você começa a precisar dessa atenção intensa com a obsessão faminta de qualquer viciado.Quando a droga é retirada, você imediatamente adoece, louco e em crise de abstinência (sem falar no ressentimento para com o traficante que incentivou você a adquirir seu vício, mas que agora se recusa a descolar o bagulho bom – apesar de você saber que ele tem algum escondido em algum lugar, caramba, porque ele antes lhe dava de graça). O estado seguinte é você esquelética e tremendo em um canto, sabendo apenas que venderia sua alma ou roubaria seus vizinhos só para ter aquela coisa mais uma vez que fosse.
Enquanto isso, o objeto de sua adoração agora sente repulsa de você. Ele olha para você como se você fosse alguém que ele nunca viu antes, muito menos alguém que um dia amou com grande paixão. A ironia é que você não pode culpá-lo.

(Trecho do livro Comer, Rezar e Amar).

A falsidade gera falação , a originalidade adoração .

Alisson Viana

O que nós mais desejamos e buscamos, é nosso objeto de adoração.

John Piper

Andar com Deus segura na mão de DEus, pois o choro de uma noite se acaba de manhã, busca o amor, busca o perdão , busca poder e muita unção a vitória é garantida, Ele vai te abeçoar.

Ministério Fonte de Vida e Adoração

A adoração perfeita requer pelo menos três atitudes do adorador. A saber: Fé, obediência e doação. Sem as quais a adoração seria incompleta.

Pr Dalmo Miranda

O homem simplesmente não compreende que o que Deus entende por adoração é amor incondicional e não cultos e dogmas.

Felipe Guilherme Ferreira da Silva

A pior falência da religiosidade contemporânea, é os vícios de um culto, sem adoração.

Presbítero Ramom Dias

Adoração Significativa

Por John MacArthur

Se você visitar Londres, não terá qualquer problema em reconhecer a Catedral de São Paulo. Ela é considerada uma das dez mais belas construções do mundo e domina os céus de Londres. Aquela venerável construção permanece como um monumento ao seu criador — o astrônomo e arquiteto Christopher Wren. A Cadetral de São Paulo é a mais famosa realização de Christopher Wren, mas existe uma interessante história a respeito de uma construção menos famosa que ele projetou.
Wren recebeu a incumbência de projetar o interior da Câmara Municipal, em Windsor, ao oeste do centro de Londres. Seu projeto exigia colunas largas para suportar o teto elevado. Quando a construção foi terminada, os vereadores vistoriaram o edifício e expressaram preocupação a respeito de um problema: as colunas. O problema não era que eles estavam preocupados com a utilidade das colunas; eles apenas queriam um número maior de colunas.
A solução de Wren foi tão maldosa quanto a sua inspiração. Ele fez exatamente como lhe haviam pedido, instalando quatro novas colunas e satisfazendo as exigências de seus críticos. Aquelas colunas permanecem na Câmara Municipal, em Windsor, até hoje; e não são difíceis de identificar. Elas são as únicas que não suportam qualquer peso e, na realidade, nem alcançam o teto. Aquelas colunas são imitações. Wren as instalou para satisfazerem um único propósito — proporcionar melhor aparência. Elas são um embelezamento construído para agradar os olhos. No que diz respeito a suportar o edifício e a fortalecer a estrutura, elas se mostram tão úteis quanto os quadros pendurados nas paredes.
Embora me entristeça ao dizer isto, creio que muitas igrejas têm construído as suas próprias colunas decorativas, especialmente no culto. Vocês já observaram que na adoração congregacional —aquilo que os crentes fazem quando se reúnem — não é difícil achar crentes que a adoração tenha deixado vazios?Alguma coisa está faltando – alguma coisa importante.
Será que estamos colhendo as conseqüências de abandonarmos o modelo bíblico de adoração e construindo um modelo simplesmente decorativo? É possível que tenhamos construído uma fachada que não oferece qualquer suporte, não sustenta qualquer peso e está muito aquém de alcançar as alturas que Deus projetou e desejou que caracterizassem a adoração?
A verdadeira e genuína adoração não é uma opção para o povo de Deus. Não é uma sugestão; não é uma proposição do tipo “pegar ou largar”. A adoração no Dia do Senhor deveria ser a maior alegria de nossa semana. É a nossa oportunidade de engajarmos nossa mente nas coisas de Deus; de nos regozijarmos com o povo de Deus; de nos aquecermos na presença dEle; de bebermos corporativamente da sua Palavra; de dedicarmos nossos talentos e recursos; de encorajarmos e sermos encorajados e de Lhe oferecermos os nossos louvores.
A ênfase na adoração bíblica e nos elementos que constituem um culto rico e transformador tem sido substituída, em anos recentes, por aquilo que é superficial. A substância tem sido trocada por aquilo que é a sombra. O conteúdo foi lançado fora, para dar lugar ao estilo. O significado foi banido, o método tomou- lhe o lugar. O culto talvez pareça correto, mas traz consigo pouco valor espiritual.
Essa tendência talvez seja mais evidente em uma área muito íntima ao meu coração — o ensino da Palavra de Deus. Os exemplos mais óbvios são igrejas que menosprezam francamente a Bíblia e o ensino do seu verdadeiro significado, ao mesmo tempo que enfatizam o ritual e a tradição.
No entanto, esse é um exemplo muito fácil de citarmos. O que podemos dizer sobre as igrejas evangélicas, conservadoras que tomaram um caminho um pouco diferente, mas igualmente perigoso?
Os cultos, que antes centralizavam-se no ensino da Bíblia, têm sido substituídos por entretenimento ostentoso e mini-sermões. A luz das Escrituras tem sido perdida e em seu lugar há luzes de shows e efeitos especiais. A presença do pastor no palco é mais examinada do que o seu sermão. O tempo que antes era reservado ao ensino do pastor tem sido reduzido a alguns desprezíveis minutos de humor e bate-papo. Isto parece uma coluna decorativa que não suporta muito peso e nunca alcança o teto.
As ordenanças constituem outra área que foi deixada de lado nos cultos. Por ordenanças, eu me refiro ao batismo em água e à Ceia do Senhor — a comunhão. A Bíblia é clara. O batismo e a comunhão são integrais à vida da igreja e devem ter um papel elevado na adoração.
Mas algumas igrejas abandona ram completamente o batismo e a Ceia do Senhor, relegando-as aos cultos do meio da semana, quando provavelmente ofendem menos os incrédulos. Além disso, o significado do batismo e da Ceia do Senhor raramente é ensinado; e isto os condena à morte lenta nas mãos da obscuridade e da negligência.
Talvez você fique surpreso com a outra área que perdeu muito do seu significado na adoração. É um assunto sobre o qual não falo com freqüência, mas tem sido vital à minha igreja e ao seu ministério.
Creio que a música tem perdido o seu devido lugar na adoração e tornou-se uma coluna ornamental.
Em vez de nos conduzir a uma resposta ativa e pessoal à verdade de Deus, a música se tornou um barulho de segundo plano cujo objetivo é manter-nos ocupados, enquanto os pratos de coleta são passados. Em vez de elevar nossos pensamentos a respeito de Deus, além do nível que podemos fazê-lo sozinhos, a música se tornou uma rotina sem significado observamos. Em vez de desprender-nos das pompas da vida diária e de atrair nossos pensamentos para o alto, a música se tornou um intervalo colocado antes da pregação. Em vez de glorificar a Deus, a música se tornou um estimulante para o ego de alguns cantores. Em vez de envolver nossas mentes na verdade a respeito de quem Deus é e do que Ele tem feito, a música é um carrossel emocional onde subimos e descemos quando queremos.
Mas o segredo de tornarmos mais significativa a música da adoração é uma questão de escolhermos músicas antigas e/ou músicas de estilo diferente? Não necessariamente. Martinho Lutero disse que a música é um servo criado e outorgado por Deus. Lutero estava correto. A música em si mesma — as notas, os sons, o ritmo — é apenas um instrumento para ajudar-nos a transmitir a verdade. Enquanto o estilo não contradiz nem obscurece a verdade, e a mensagem está correta, a música é uma questão de preferência.
O verdadeiro âmago da música é o seu significado — é a verdade contida em sua melodia. A verdade é a fonte da qual jorra toda a verdadeira adoração. A verdade é aquilo que torna a música uma coluna de sustentação e não apenas um ornamento na igreja. Quando a nossa música está fundamentada na verdade, ela eleva nossos pensamentos a Deus; impulsiona nosso coração em direção ao céu, de um modo que nenhuma outra coisa pode fazê-lo. A música nos emociona e, ao mesmo tempo, escava profundamente o solo empedernido de nosso coração. Acima de tudo, a música nos faz deixar de olhar para nós mesmos e atribui a glória a Deus. A música eleva nossa consciência da santidade de Deus e intensifica tanto o nosso senso de completa indignidade como o nosso senso de desventura.
Certamente, a música pode e deve produzir emoções. No entanto, as emoções devem surgir em resposta à verdade, e não ao custo da verdade. Por si mesmas, as emoções nunca se qualificam como adoração.
Tenho receio de que, enquanto não reconhecermos o devido lugar da música e nos treinarmos para escolhê-la e utilizá-la com cuidado, a música permanecerá como nada mais do que um simples ornamento, contribuindo muito pouco para a edificação da igreja. E o que é pior: teremos perdido o verdadeiro poder que a adoração tem a oferecer — o poder que transforma nossas vidas e nos atrai a maior intimidade com Deus.
John MacArthur

John MacArthur

A adoração reparadora é a nossa audiência real de cada dia; é a nossa vocação.

Padre Dehon

Assim como um piloto traça sua carta de navegação,
o cristão planeja a sua adoração para entrar nos átrios
de e na presença de Deus.

Helgir Girodo

Para intérprete musical da minha adoração, convido Jesus.

Helgir Girodo

O Bezerro de Ouro

Cerca de três mil homens foram mortos por causa da fabricação e adoração do bezerro de ouro pela espada dos levitas, por ordem de Moisés.
E em Êxodo 32 vemos este mesmo Moisés subindo ao monte para fazer intercessão pelo povo, pedindo perdão a Deus por aquele pecado, a ponto de lhe pedir que riscasse o seu nome do livro da vida, caso não se dispusesse a perdoá-los.
Deus havia acabado de lhes proferir audivelmente os dez mandamentos, dizendo que não fizessem para si imagens de escultura porque é Deus zeloso que visita a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que O aborrecem (Êx 20.5).
E antes de Moisés subir ao monte para receber instruções para a construção do tabernáculo e para receber as duas tábuas de pedra com os mandamentos, Deus havia se aliançado com o povo pela declaração formal deles de que aceitavam as suas condições e que cumpririam todos os Seus mandamentos.
E logo depois disto eles fabricaram e adoraram o bezerro de ouro.
Se isto tivesse passado em branco naquela ocasião, e em face das bases daquela Aliança, se não houvesse um juízo imediato sobre aquele pecado, Deus passaria aos olhos deles como mentiroso e nada zeloso como havia afirmado de que visitaria a iniquidade dos pais nos filhos caso fizessem alguma imagem de escultura e a adorassem.
Eles haviam sido previamente prevenidos e foram devidamente alertados, e no entanto não tiveram o mínimo temor quanto ao fato de que Deus cumpriria a ameaça que associara ao mandamento.
Então a ordem foi que cada um dos levitas cingisse a sua espada e que fossem de porta em porta matando cada um a seu irmão, amigo e vizinho (v 27), que haviam liderado aquela adoração idolátrica, e que se consagrassem ao Senhor cada um contra o seu filho e contra o seu irmão (v 29) para que fossem abençoados por Deus.
A aliança seria mantida mas o povo aprenderia que Deus cumpre de fato aquilo que Ele afirma na Sua Palavra.
O Anjo da Aliança, que é Cristo, iria com os israelitas em suas jornadas, e isto deveria pesar em seus corações, lhes trazendo constrangimento em face da graça e bondade de Deus, reveladas na fidelidade de Seu Filho.
Ainda que justamente irado com o nosso pecado o Pai deu o Filho por nós pecadores para o nosso benefício.
E como voltaríamos as costas para Ele sem sofrer a devida punição da nossa ingratidão e endurecimento?
Jesus foi quem fez a completa compensação pelos nossos pecados.
Moisés tentou se apresentar como compensação pelo pecado dos israelitas pedindo que Deus o matasse e tirasse o seu nome do livro da vida, mas o seu pedido não poderia ser aceito, porque não seria eficaz, porque Moisés era também um pecador, e somente alguém perfeitamente santo poderia fazer esta compensação para cobrir o nosso pecado, livrando-nos da condenação eterna.
Mesmo naquela matança de cerca de três mil homens a misericórdia de Deus já havia sido exibida, porque eles somavam em Israel cerca de seiscentos mil homens prontos para a guerra, e certamente o número dos que idolatraram o bezerro era muito maior do que aqueles três mil.
Certamente foram mortos os lideres que pressionaram Arão a construir o bezerro, e que haviam sido identificados pelos levitas.
Assim, os muitos que foram poupados da morte e que haviam também pecado, estavam debaixo da graça e da misericórdia que lhes havia livrado da morte que mereciam.
E foi em favor destes que Moisés intercedeu para que Deus lhes perdoasse o pecado.
E Moisés conseguiu com a sua intercessão que o Senhor os poupasse e prometesse o envio do seu Anjo, mas afirmou que lembraria do pecado deles para que os castigasse quando cometessem outros pecados graves como aquele.
E na verdade isto viria a ocorrer porque os israelitas continuaram idolatrando ao longo das suas gerações e isto fez com que o Senhor os visitasse com juízos que culminaram nos cativeiros assírio e babilônico.

Baseado em Êxodo 32

Silvio Dutra

Temos dividido a adoração que pertence a Deus com nossos ministérios, nossos cargos e títulos religiosos. É possível viver tanto para a obra de Deus e não viver para o Deus da obra. Mesmo na igreja podemos estar dividindo a adoração que pertence só a Ele , e isso é considerado como prostituição religiosa...

Tiago Belinha

"A maior e sincera expressão de louvor e adoração surge quando o "tudo posso" se encontra com o "Nada tenho"".

Harry Érick